(Tutorial) O Que É Um Relé E Como Funciona

Eduardo Relvas

fiat124sport
Re: (Tutorial) O que é um relé e como funciona

Amigo Alexandre,

Veja lá se não será algo assim...

Nesta instalação, o circuito só funciona com a chave ligada. Dependendo de como estiver o interruptor, pode estar a ventoinha ligada permanentemente (ON1), desligada como pretendia para o arranque (OFF) e ligada só quando o termocontacto o indicar (ON2).

Estes interruptores são fáceis de encontrar nas lojas, basta explicar o que pretende.

Um abraço!
 

Anexos

Alexandre Vaz

Clássico
Re: (Tutorial) O que é um relé e como funciona

Não era bem isso que tinha em mente, pois queria que o a posição ON funcionasse mesmo com a chave desligada, (corrente da bateria cortada no interruptor) e a auto apenas com a chave ligada (corrente da chave cortada no interruptor). Mas isto basicamente são dois circuitos, e com apenas um interruptor não deve ser facil de fazer. Posto isto tinha pensado usar esse tal interruptor de 3 posições que indica, para ficar com maior controlo sobre a ventoinha que me permita mesmo desliga-la. Só ainda não sei se irei trabalhar com a corrente da bateria ou da chave. Mas secalhar a sua solução é a mais indicada, pois com a chave desligada nunca preciso da ventoinha ligada...

Obrigado pela ajuda, um abraço!
 

Eduardo Relvas

fiat124sport
Re: (Tutorial) O que é um relé e como funciona

Também não tem crise, basta mudar ligeiramente o sítio das coisas... assim já fica como pretende.

Um abraço!
 

Anexos

Alexandre Vaz

Clássico
Re: (Tutorial) O que é um relé e como funciona

Muito bem visto!

Mas para isso tenho que andar a desmontar a ignição e analisar os fios.
Vou simplificar a coisa e usar o esquema anterior, de qualquer maneira não faz sentido ligar a ventoinha com o carro parado.

Mais uma vez obrigado, você é 5 estrelas!
 

Eduardo Relvas

fiat124sport
Re: (Tutorial) O que é um relé e como funciona

Amigo Alexandre,

É um prazer ajudar. No entanto, agora apercebi-me que ontem na minha pressa de ajudar durante o intervalo do almoço, cometi um erro no último circuito, pois é óbvio que o canhão da ignição não pode ser considerado um interruptor simples como eu ontem fiz.

A solução simples é ter algo como o desenho que se segue. Aqui, o circuito do relé é comandado pelo termocontacto do radiador quando a chave está ligada, por isso a ventoinha só trabalha com a chave ligada. Em paralelo, faz-se uma linha de bypass directo com um interruptor simples que permite ligar a ventoinha independentemente da posição da chave. Pode ser útil para deixar arrefecer um pouco mais o motor depois de desligar ou mesmo para manter a ventoinha ligada em situações de potencial sobreaquecimento (por ex., um engarrafamento).

Um abraço!
 

Anexos

Alexandre Vaz

Clássico
Re: (Tutorial) O que é um relé e como funciona

Sim, mas nessa situação caso o termocontacto esteja a dar passagem a ventoinha trabalha, independentemente do interruptor. Se quiser desligar o carro a ventoinha para, mas depois se o quiser por a trabalhar e desligar a ventoinha enquanto dou ao motor de arranque não dá. Vou optar por seguir o seu primeiro conselho, da página anterior. Interruptor de 3 posições com alimentação da chave. Só não me permite ligar a ventoinha com a cgave desligada, mas também não o pretendo fazer...
 
Re: (Tutorial) O que é um relé e como funciona

Eduardo Relvas disse:
Olá a todos,

Demorei um bocado mas aqui fica este pequeno tutorial que prometi.

Automotive_Relays.jpg

Uma das armas mas interessantes das instalações eléctricas dos automóveis (e não só) é o relé, porque permite fazer a "ponte" entre circuitos muito diferentes.

relay-intro.jpg

Basicamente, um relé é um interruptor actuado electricamente. Ou seja, tem um circuito de comando (ou primário), que quando alimentado por uma corrente, acciona um electroíman (a bobine da figura acima) que faz mudar de posição outro par de contactos (as lâminas na parte de cima) ligados a um outro circuito (circuito secundário ou comandado).

Vamos então tentar esclarecer melhor para que servem estes "cubinhos", com formas tão variadas:



A grande vantagem do uso dos relés é que permite controlar circuitos de grande consumo, que exigem uma grande potência, através de sinais fracos, porque enquanto os platinados do relé podem suportar grandes correntes, o circuito de comando exige um sinal muito fraco.

Uma das aplicações mais vulgares nos clássicos é na modificação das lâmpadas dos faróis dianteiros para a versão de halogéneo, mais potentes e muito mais eficazes que as antigas. Mas a potência extra destas lâmpadas sobrecarregaria o comando das luzes do carro, já de si velhinho e desenhado para uma corrente inferior.

Assim, a solução é integrar um relé no circuito. O comando das luzes passa a ligar apenas o relé, com um sinal bastante mais fraco, logo perfeitamente seguro para o comando, e o relé encarrega-se de enviar o "sumo" mais concentrado para os faróis.

Aqui vemos um esquema simplificado de como a instalação ficaria:

headlight-relays.gif

Como podem ver, a corrente para os faróis passa a vir directamente da bateria (convém utilizar uns fusíveis na linha para protecção), enquanto os platinados do comando de luzes passam agora a alimentar apenas o pequeno relé. Os relés a usar nesta situação seriam relés simples, normalmente desligados, de 12 V.

Estas designações todas pretendem esclarecer que existe uma grande diversidade de relés disponíveis. A maioria são interruptores simples, e normalmente desligados. Isto quer dizer que quando o relé não recebe corrente no circuito de comando, não passa corrente no circuito comandado. São os utilizados no esquema acima, e na maioria dos controles comuns. Outro exemplo de onde são muito utilizados é no comando das ventoínhas eléctricas dos radiadores, porque o interruptor termostático tem pouca capacidade de condução e assim o relé encarrega-se da "carga pesada".

O relé normalmente ligado (ao contrário, está ligado e quando recebe corrente desliga) encontra-se normalmente nalgumas instalações para por exemplo assinalar a existência de corrente gerada (quando o alternador produz carga, o relé corta a corrente para o circuito da luz de aviso de falta de carga).

Outros relés usuais nos automóveis são os relés de pisca (vulgarmente designados de intermitentes) e os temporizados que comandam as resistências de pré-aquecimento nos motores diesel.

Existe ainda outro tipo de relé relativamente comum que comuta a corrente entre duas saídas diferentes. Um exemplo de como isto pode ser útil para nós posso dar na primeira pessoa, pois instalei um no meu Spider para controlar a bomba de gasolina eléctrica.

Basicamente, o que eu receava era que a bomba pudesse continuar a deitar gasolina numa situação anormal (tubo cortado, acidente, etc), por isso queria ter um controlo de segurança. O que fiz foi simplesmente utilizar um relé de comutação controlado pelo circuito da luz avisadora da pressão de óleo.

O circuito principal passou então a funcionar apenas quando o motor tem pressão de óleo, e quando não tem alimenta um interruptor de pressão que me permite atestar o carburador quando o carro esteve parado algum tempo e a gasolina da cuba evapora. Assim a bomba só trabalha directamente com o motor em funcionamento, mas se precisar de um toquezinho antes de o motor pegar, posso fazê-lo fácil e convenientemente.

Espero que isto ajude alguém, se tiverem alguma dúvida ponham aqui e eu esclarecerei.

Um abraço a todos!
Excelente explicação não sei qual atua formação mas mas continua
Um abraço Fernando Pinto
 

Anexos

Mário Loureiro

YoungTimer
Re: (Tutorial) O que é um relé e como funciona

Eduardo Relvas disse:
Olá a todos,

Demorei um bocado mas aqui fica este pequeno tutorial que prometi.

Automotive_Relays.jpg

Uma das armas mas interessantes das instalações eléctricas dos automóveis (e não só) é o relé, porque permite fazer a "ponte" entre circuitos muito diferentes.

relay-intro.jpg

Basicamente, um relé é um interruptor actuado electricamente. Ou seja, tem um circuito de comando (ou primário), que quando alimentado por uma corrente, acciona um electroíman (a bobine da figura acima) que faz mudar de posição outro par de contactos (as lâminas na parte de cima) ligados a um outro circuito (circuito secundário ou comandado).

Vamos então tentar esclarecer melhor para que servem estes "cubinhos", com formas tão variadas:



A grande vantagem do uso dos relés é que permite controlar circuitos de grande consumo, que exigem uma grande potência, através de sinais fracos, porque enquanto os platinados do relé podem suportar grandes correntes, o circuito de comando exige um sinal muito fraco.

Uma das aplicações mais vulgares nos clássicos é na modificação das lâmpadas dos faróis dianteiros para a versão de halogéneo, mais potentes e muito mais eficazes que as antigas. Mas a potência extra destas lâmpadas sobrecarregaria o comando das luzes do carro, já de si velhinho e desenhado para uma corrente inferior.

Assim, a solução é integrar um relé no circuito. O comando das luzes passa a ligar apenas o relé, com um sinal bastante mais fraco, logo perfeitamente seguro para o comando, e o relé encarrega-se de enviar o "sumo" mais concentrado para os faróis.

Aqui vemos um esquema simplificado de como a instalação ficaria:

headlight-relays.gif

Como podem ver, a corrente para os faróis passa a vir directamente da bateria (convém utilizar uns fusíveis na linha para protecção), enquanto os platinados do comando de luzes passam agora a alimentar apenas o pequeno relé. Os relés a usar nesta situação seriam relés simples, normalmente desligados, de 12 V.

Estas designações todas pretendem esclarecer que existe uma grande diversidade de relés disponíveis. A maioria são interruptores simples, e normalmente desligados. Isto quer dizer que quando o relé não recebe corrente no circuito de comando, não passa corrente no circuito comandado. São os utilizados no esquema acima, e na maioria dos controles comuns. Outro exemplo de onde são muito utilizados é no comando das ventoínhas eléctricas dos radiadores, porque o interruptor termostático tem pouca capacidade de condução e assim o relé encarrega-se da "carga pesada".

O relé normalmente ligado (ao contrário, está ligado e quando recebe corrente desliga) encontra-se normalmente nalgumas instalações para por exemplo assinalar a existência de corrente gerada (quando o alternador produz carga, o relé corta a corrente para o circuito da luz de aviso de falta de carga).

Outros relés usuais nos automóveis são os relés de pisca (vulgarmente designados de intermitentes) e os temporizados que comandam as resistências de pré-aquecimento nos motores diesel.

Existe ainda outro tipo de relé relativamente comum que comuta a corrente entre duas saídas diferentes. Um exemplo de como isto pode ser útil para nós posso dar na primeira pessoa, pois instalei um no meu Spider para controlar a bomba de gasolina eléctrica.

Basicamente, o que eu receava era que a bomba pudesse continuar a deitar gasolina numa situação anormal (tubo cortado, acidente, etc), por isso queria ter um controlo de segurança. O que fiz foi simplesmente utilizar um relé de comutação controlado pelo circuito da luz avisadora da pressão de óleo.

O circuito principal passou então a funcionar apenas quando o motor tem pressão de óleo, e quando não tem alimenta um interruptor de pressão que me permite atestar o carburador quando o carro esteve parado algum tempo e a gasolina da cuba evapora. Assim a bomba só trabalha directamente com o motor em funcionamento, mas se precisar de um toquezinho antes de o motor pegar, posso fazê-lo fácil e convenientemente.

Espero que isto ajude alguém, se tiverem alguma dúvida ponham aqui e eu esclarecerei.

Um abraço a todos!

hehehe eu ca prefiro usar transistors e triacs (puramente silenciosos), ja nao fazem o tic-tac, que por certa parte chegam a incomodar........:huh:
 

Anexos

Re: (Tutorial) O que é um relé e como funciona

Mário Ganho disse:
Isto realmente quem sabe... sabe!:idea:

Muito obrigado pelo excelente (e rápido) esclarecimento.

E já agora, não querendo abusar, seguindo o esquema que deixou na página anterior, não há uma alternativa viável para ir buscar a corrente para a entrada dos relés (entrada "30") sem ser directamente da bateria? É que o facto dos Mini's terem a bateria na mala não torna muito prático puxar de lá um fio (ou dois, sendo para dois relés) até cá à frente para a vizinhança dos faróis. Não é que o carro seja muito comprido, mas havendo uma alternativa viável... :biggrin:

Cumprimentos! ;)
boas amigo tens a opcao na bobine de chamada ou na cx dos fusiveis de ir buscar corrente directa da bateria, so tens que com um busca polos 12 v procurar os cabos com corrente que normalmente na caixa dos fusiveis sao os mais grossos, no caso do meu sao fios prai de 3,5 mms castanhos, alguma coisa apita abracos ministas
 

Rui Gaspar

Clássico
Re: (Tutorial) O que é um relé e como funciona

Boas. Caro amigo Eduardo Relvas venho mais uma vez pedir a sua ajuda. Recentemente adquiri um Datsun 1600 SSS de 1972 e constatei que o limpa parabrisas não tem a eficiencia que eu esperava. O que eu pretendo instalar é um relé de limpa parabrisas com temporizador criando para isso um circuito independente com um interruptor independente para funcionar apenas na posição de intermitente, posição que a viatura não tem funcionando apenas na posição lenta ou rapida. A poucos dias passei por um centro de abate e retirei alguns relés de um citroen BX 16 TRZ. Amigo Eduardo se me pudesse fornecer um esquema para instalar esse tipo de relé ser ia uma grande ajuda pois quando cai aquela chuva miuda que não exige o funcionamento continuo do limpa para brisas torna-se incomodo ligar e desligar constantemente o mesmo. Obrigado.
 
Re: (Tutorial) O que é um relé e como funciona

Eduardo Relvas disse:
Olá a todos,

Demorei um bocado mas aqui fica este pequeno tutorial que prometi.

Automotive_Relays.jpg

Uma das armas mas interessantes das instalações eléctricas dos automóveis (e não só) é o relé, porque permite fazer a "ponte" entre circuitos muito diferentes.

relay-intro.jpg

Basicamente, um relé é um interruptor actuado electricamente. Ou seja, tem um circuito de comando (ou primário), que quando alimentado por uma corrente, acciona um electroíman (a bobine da figura acima) que faz mudar de posição outro par de contactos (as lâminas na parte de cima) ligados a um outro circuito (circuito secundário ou comandado).

Vamos então tentar esclarecer melhor para que servem estes "cubinhos", com formas tão variadas:



A grande vantagem do uso dos relés é que permite controlar circuitos de grande consumo, que exigem uma grande potência, através de sinais fracos, porque enquanto os platinados do relé podem suportar grandes correntes, o circuito de comando exige um sinal muito fraco.

Uma das aplicações mais vulgares nos clássicos é na modificação das lâmpadas dos faróis dianteiros para a versão de halogéneo, mais potentes e muito mais eficazes que as antigas. Mas a potência extra destas lâmpadas sobrecarregaria o comando das luzes do carro, já de si velhinho e desenhado para uma corrente inferior.

Assim, a solução é integrar um relé no circuito. O comando das luzes passa a ligar apenas o relé, com um sinal bastante mais fraco, logo perfeitamente seguro para o comando, e o relé encarrega-se de enviar o "sumo" mais concentrado para os faróis.

Aqui vemos um esquema simplificado de como a instalação ficaria:

headlight-relays.gif

Como podem ver, a corrente para os faróis passa a vir directamente da bateria (convém utilizar uns fusíveis na linha para protecção), enquanto os platinados do comando de luzes passam agora a alimentar apenas o pequeno relé. Os relés a usar nesta situação seriam relés simples, normalmente desligados, de 12 V.

Estas designações todas pretendem esclarecer que existe uma grande diversidade de relés disponíveis. A maioria são interruptores simples, e normalmente desligados. Isto quer dizer que quando o relé não recebe corrente no circuito de comando, não passa corrente no circuito comandado. São os utilizados no esquema acima, e na maioria dos controles comuns. Outro exemplo de onde são muito utilizados é no comando das ventoínhas eléctricas dos radiadores, porque o interruptor termostático tem pouca capacidade de condução e assim o relé encarrega-se da "carga pesada".

O relé normalmente ligado (ao contrário, está ligado e quando recebe corrente desliga) encontra-se normalmente nalgumas instalações para por exemplo assinalar a existência de corrente gerada (quando o alternador produz carga, o relé corta a corrente para o circuito da luz de aviso de falta de carga).

Outros relés usuais nos automóveis são os relés de pisca (vulgarmente designados de intermitentes) e os temporizados que comandam as resistências de pré-aquecimento nos motores diesel.

Existe ainda outro tipo de relé relativamente comum que comuta a corrente entre duas saídas diferentes. Um exemplo de como isto pode ser útil para nós posso dar na primeira pessoa, pois instalei um no meu Spider para controlar a bomba de gasolina eléctrica.

Basicamente, o que eu receava era que a bomba pudesse continuar a deitar gasolina numa situação anormal (tubo cortado, acidente, etc), por isso queria ter um controlo de segurança. O que fiz foi simplesmente utilizar um relé de comutação controlado pelo circuito da luz avisadora da pressão de óleo.

O circuito principal passou então a funcionar apenas quando o motor tem pressão de óleo, e quando não tem alimenta um interruptor de pressão que me permite atestar o carburador quando o carro esteve parado algum tempo e a gasolina da cuba evapora. Assim a bomba só trabalha directamente com o motor em funcionamento, mas se precisar de um toquezinho antes de o motor pegar, posso fazê-lo fácil e convenientemente.

Espero que isto ajude alguém, se tiverem alguma dúvida ponham aqui e eu esclarecerei.

Um abraço a todos!
Caro Eduardo,
Estou precisando de um esquema de circuito para utilizar um rele na inversão de polaridade de um motor de 12 v.
Voce poderia me dar uma orientação?
Muito grato
Fernando
 

Anexos

Re: (Tutorial) O que é um relé e como funciona

Eduardo Relvas disse:
Olá a todos,

Demorei um bocado mas aqui fica este pequeno tutorial que prometi.

Automotive_Relays.jpg

Uma das armas mas interessantes das instalações eléctricas dos automóveis (e não só) é o relé, porque permite fazer a "ponte" entre circuitos muito diferentes.

relay-intro.jpg

Basicamente, um relé é um interruptor actuado electricamente. Ou seja, tem um circuito de comando (ou primário), que quando alimentado por uma corrente, acciona um electroíman (a bobine da figura acima) que faz mudar de posição outro par de contactos (as lâminas na parte de cima) ligados a um outro circuito (circuito secundário ou comandado).

Vamos então tentar esclarecer melhor para que servem estes "cubinhos", com formas tão variadas:



A grande vantagem do uso dos relés é que permite controlar circuitos de grande consumo, que exigem uma grande potência, através de sinais fracos, porque enquanto os platinados do relé podem suportar grandes correntes, o circuito de comando exige um sinal muito fraco.

Uma das aplicações mais vulgares nos clássicos é na modificação das lâmpadas dos faróis dianteiros para a versão de halogéneo, mais potentes e muito mais eficazes que as antigas. Mas a potência extra destas lâmpadas sobrecarregaria o comando das luzes do carro, já de si velhinho e desenhado para uma corrente inferior.

Assim, a solução é integrar um relé no circuito. O comando das luzes passa a ligar apenas o relé, com um sinal bastante mais fraco, logo perfeitamente seguro para o comando, e o relé encarrega-se de enviar o "sumo" mais concentrado para os faróis.

Aqui vemos um esquema simplificado de como a instalação ficaria:

headlight-relays.gif

Como podem ver, a corrente para os faróis passa a vir directamente da bateria (convém utilizar uns fusíveis na linha para protecção), enquanto os platinados do comando de luzes passam agora a alimentar apenas o pequeno relé. Os relés a usar nesta situação seriam relés simples, normalmente desligados, de 12 V.

Estas designações todas pretendem esclarecer que existe uma grande diversidade de relés disponíveis. A maioria são interruptores simples, e normalmente desligados. Isto quer dizer que quando o relé não recebe corrente no circuito de comando, não passa corrente no circuito comandado. São os utilizados no esquema acima, e na maioria dos controles comuns. Outro exemplo de onde são muito utilizados é no comando das ventoínhas eléctricas dos radiadores, porque o interruptor termostático tem pouca capacidade de condução e assim o relé encarrega-se da "carga pesada".

O relé normalmente ligado (ao contrário, está ligado e quando recebe corrente desliga) encontra-se normalmente nalgumas instalações para por exemplo assinalar a existência de corrente gerada (quando o alternador produz carga, o relé corta a corrente para o circuito da luz de aviso de falta de carga).

Outros relés usuais nos automóveis são os relés de pisca (vulgarmente designados de intermitentes) e os temporizados que comandam as resistências de pré-aquecimento nos motores diesel.

Existe ainda outro tipo de relé relativamente comum que comuta a corrente entre duas saídas diferentes. Um exemplo de como isto pode ser útil para nós posso dar na primeira pessoa, pois instalei um no meu Spider para controlar a bomba de gasolina eléctrica.

Basicamente, o que eu receava era que a bomba pudesse continuar a deitar gasolina numa situação anormal (tubo cortado, acidente, etc), por isso queria ter um controlo de segurança. O que fiz foi simplesmente utilizar um relé de comutação controlado pelo circuito da luz avisadora da pressão de óleo.

O circuito principal passou então a funcionar apenas quando o motor tem pressão de óleo, e quando não tem alimenta um interruptor de pressão que me permite atestar o carburador quando o carro esteve parado algum tempo e a gasolina da cuba evapora. Assim a bomba só trabalha directamente com o motor em funcionamento, mas se precisar de um toquezinho antes de o motor pegar, posso fazê-lo fácil e convenientemente.

Espero que isto ajude alguém, se tiverem alguma dúvida ponham aqui e eu esclarecerei.

Um abraço a todos!
Boas,

Desde já os meus parabéns pelo tutorial, há muito que procurava ESTE esquema.
Sem dúvida que o portal é uma ferramenta, um ajudante, um amigo, um memorando e principalmente um professor em muitas das áreas do restauro.
Neste esquema (para quem não percebe muito de electricidade), fico sem saber que fusíveis devem ser usados para lâmpadas H4 de 90/100W com relés de 20A .
Já agora, aproveitando este “tempo de antena” : ) como posso identificar se um relé é simples (desligado) pelo aspecto exterior.


Grato pela atenção.
Saudações clássicas
Nuno Pinheiro
 

Anexos

Eduardo Relvas

fiat124sport
Re: (Tutorial) O que é um relé e como funciona

Caro Nuno,

Os fusíveis devem sempre ter uma tolerância razoável acima da intensidade de corrente esperada na linha.

No caso de dois médios de 90W, as contas são:

I=P/V

ou seja:

180W/12V = 15A

Neste caso, alimentando os dois faróis com um fusível, será recomendável que o mesmo tenha 20A, por exemplo. Convém sempre deixar margem.

Nos máximos a mesma conta dá 200/12 = 16,66 A

Aqui já seria de ponderar passar para um fusível de 25A dado que já se aproxima mais dos 20 nominais que indiquei para os médios. Quanto mais potência, mais carga nas linhas e a resistência dos próprios fios pode obrigar a puxar um pouco mais do que seria ideal se tudo estivesse em ordem, há sempre pequenas variações.

Normalmente não faz mal nenhum ter uma diferença de 5 ou mesmo ligeiramente mais Ampères entre o consumo real e o valor limite do fusível, pois em caso de um funcionamento anormal a corrente sobe sempre bastante de valor e queima o fusível na mesma.

Quanto à questão de saber que tipo de relé tem, muitos têm o esquema interno desenhado no invólucro, nesse caso basta ver em que posição aparece o interruptor entre os terminais 30 e 87, a posição no desenho corresponde à de repouso.

Se não tiver o esquema, pode-se testar a passagem de corrente entre estes terminais com um circuito simples de dois fios, num dos quais se inclui uma lâmpada, e aplicar corrente. Se a lâmpada acender, o relé está fechado na posição de repouso, caso contrário é um relé normalmente aberto.

Espero ter ajudado!

Um abraço!
 

Eduardo Relvas

fiat124sport
Re: (Tutorial) O que é um relé e como funciona

Fernando Wanderley disse:
Caro Eduardo,
Estou precisando de um esquema de circuito para utilizar um rele na inversão de polaridade de um motor de 12 v.
Voce poderia me dar uma orientação?
Muito grato
Fernando
Caro Fernando,

O esquema mais simples de fazer, será este, utilizando dois relés de comutação aos terminais do motor, um para fazer ligar cada uma das polaridades aos terminais do motor.

Na posição de fechado, invertem-se ambos os relés e a polaridade submetida ao motor será invertida. Obviamente o circuito pode e deve ser refinado, com fusíveis de protecção e tudo o mais, mas este foi feito "em cima do joelho"... ;)

Um abraço!
 

Anexos

Re: (Tutorial) O que é um relé e como funciona

Boa noite Sr. Eduardo,
Desde já agradeço a sua disponibilidade em preencher estas faltas de conhecimento relativamente à parte eléctrica.
Da minha parte fico esclarecido, não quis avançar com o esquema tendo esta dúvida, principalmente depois de ler sobre os perigos das sobrecargas nos sistemas, não vejo a hora em que consiga reunir o material em falta e “meter mãos à obra”.

Um bem-haja
Nuno Pinheiro
 

Eduardo Relvas

fiat124sport
Re: (Tutorial) O que é um relé e como funciona

De nada, mas Senhor está no céu, como se costuma dizer... ;)

Atenção que convém usar fios em bom estado e com calibre suficiente para estes usos (neste caso particular recomendo uma secção de 1 mm quadrado), e todos os terminais devem ficar não apenas bem firmes (idealmente soldados a estanho, mas pelo menos bem cravados) e isolados cuidadosamente, pois num automóvel há sempre vibrações, humidades e outras intrusões que podem facilmente perturbar o funcionamento correcto de uma instalação eléctrica.

Um abraço e bons trabalhos!!
 
Re: (Tutorial) O que é um relé e como funciona

Estimado Eduardo,

Muito bom dia.
Mais uma vez agradeço-lhe pela sua disponibilidade e prontidão em esclarecer e ensinar estes “pequenos” detalhes que no entanto fazem toda uma diferença num trabalho que se quer sempre bem feito e duradouro.:feliz:

Um bem-haja
Nuno Pinheiro
 

Renato Silva

Portalista
Portalista
Re: (Tutorial) O que é um relé e como funciona

Desculpem estar a desenterrar este tópico, mas é de facto um manual muito útil, que por si só é razão mais que suficiente para vir ao de cima.
Como a dúvida que tenho encaixa perfeitamente aqui, aproveito para pedir que me esclareça uma dúvida que tenho, se não se importar.

Os relés se queimarem ficam a passar corrente contínuamente?

O meu carrinho foi adquirido com uns médios demasiado fortes, suspeito que teria umas lâmpadas muito fortes. Mas tudo funcionou bem por uns tempos até que recentemente deixei de notar distinção entre os médios e os máximos. De facto, quando ligo os médios, a luz que emana é equiparada às dos máximos.

Se não estiver enganado, quando ligo as luzes o relé que envia mais, ou menos, "sumo" consoante ligue os médios ou os máximos...caso o relé tenha queimado este estará com o circuito aberto e portanto, alimentando continuamente os máximos...

Isto para si faz sentido, ou estarei a dizer uma enorme asneira?

Antes de mais, obrigado.
 
Re: (Tutorial) O que é um relé e como funciona

Renato Silva disse:
Desculpem estar a desenterrar este tópico, mas é de facto um manual muito útil, que por si só é razão mais que suficiente para vir ao de cima.
Como a dúvida que tenho encaixa perfeitamente aqui, aproveito para pedir que me esclareça uma dúvida que tenho, se não se importar.

Os relés se queimarem ficam a passar corrente contínuamente?

O meu carrinho foi adquirido com uns médios demasiado fortes, suspeito que teria umas lâmpadas muito fortes. Mas tudo funcionou bem por uns tempos até que recentemente deixei de notar distinção entre os médios e os máximos. De facto, quando ligo os médios, a luz que emana é equiparada às dos máximos.

Se não estiver enganado, quando ligo as luzes o relé que envia mais, ou menos, "sumo" consoante ligue os médios ou os máximos...caso o relé tenha queimado este estará com o circuito aberto e portanto, alimentando continuamente os máximos...

Isto para si faz sentido, ou estarei a dizer uma enorme asneira?

Antes de mais, obrigado.
Olá amigo,

os circuitos de médios e máximos são sempre diferentes (logo a partir da(s) própria(s) lâmpadas). Não há controlo de intensidade feito pelo relé, este apenas fecha ou não um circuito ou fecha um ou outro.
Em primeiro lugar tem de perceber como estão feitas as ligações no seu carro. Provavelmente haverá um relé para máximos e outro para médios.
Pode ter um relé continuamente fechado (avariado) ou este estar continuamente alimentado (na sua bobina) e como tal estar continuamente fechado mas devido a uma avaria no comutador/ligações. Pode ainda acontecer de estarem os médios e máximos sempre ligados (caso tenha lâmpada única esta situação pode danificar as ópticas e as lâmpadas).

Se conseguir recolher mais informações tentarei ajudar.

Cumprimentos,

Arménio
 
Topo