Morris Garages vs Triumph

Morris Garages vs Triumph

  • Morris Garages (MG)

    Votos: 1 3.7%
  • Triumph

    Votos: 26 96.3%

  • Total de votantes
    27
Porquê um roadster inglês :huh: .....:p.....porque sim!:huh:

Porque sim, parece ser a melhor resposta para a escolha de um roadster britânico. É que ao longo dos tempos, os ingleses afirmaram-se como construtores de roadsters por excelência.
Para tal contribuíram, entre outras, estas duas marcas: “Morris Garages” e “Triumph”.

O que proponho é um debate, não só para ficar-mos a conhecer a preferência dos membros do portal, mas também para ficar-mos a conhecer melhor o historial destas duas míticas marcas do passado (esperemos que do futuro também).

Peço, então, a colaboração de todos, e que expliquem o porquê da vossa escolha.
Agradeço desde já a participação.

Cumprimentos
António Miguel Carvalho

MG

200px-MG_logo.png PhilW58mga.JPG

mgb_1.jpg


Triumph

TR3exp.jpg

r12_Triumph.jpg

PS: Se já existir um tópico semelhante queiram-me desculpar e informem-me por favor onde o encontrar.
 

Anexos

Agora fica a minha opinião.

Obviamente que é uma escolha um pouco infundada, visto a minha idade e o meu pouco conhecimento automobilístico (pelo menos em comparação com a maioria dos membros do portal). Mas aqui vai….

Pessoalmente prefiro a MG. Porquê?
Ora, poderemos dizer que por uma razão meramente estética, pois para o meu gosto as linhas dos MG’s são muito mais elegantes, clássicas, sóbrias e contudo muito desportivas. Talvez os Triumph tenham uma linha mais masculina e ainda mais desportiva, mas acho que os MG’s têm uma presença mais marcante.
Na condução nada posso dizer, pois apesar de estar a restaurar um MGB, nunca conduzi nenhum dos dois.
Palmarés desportivo, vou tratar de investigar.

É a minha opinião, agora espero que venham mais opiniões, de conhecedores e não conhecedores dos modelos, e que todas essas opiniôes enriqueçam a nossa cultura automobilística.

Cumps
 
António,
Gostei do tópico, sou fanático MG sem existir uma razão racional. É simplesmente uma paixão com mais de 30 anos.
A condução de um MG é simplesmente única, potência, ruído, dureza, desconforto, características normais dos roadsters anos 70.
Já fiz Londres-Leiria e garanto-lhe que foi uma aventura mas também um verdadeiro prazer, quando várias pessoas me diziam que o MG lhes fazia lembrar os anos passados.
A nível mecânico é fiável e está bastante evoluído (overdrive eléctrico, bomba de gasolina eléctrica, etc). É óbvio que este tópico terá opiniões a favor dos roadsters Italianos. Belas máquinas mas que no fundo são uma simples imitação dos Ingleses.
1Abraço
 

Dias Gonçalves

Abílio Gonçalves
Portalista
Sem qualquer dúvida: TRIUMPH

O meu primeiro clássico foi um Triumph: andava à procura dum MG B e, subitamente vi um Triumph Spitfire MKIV; nunca mais me lembrei do MG B. No dia seguinte comprei o Spitfire.

O Spitfire é muitas vezes comparado com o MG Midget (cuja último modelo até teve um motor da Triumph, o 1500), sendo bastante semelhantes em tamanho e em capacidade do motor. Mas o Spit é um carro mais moderno (veja-se a evolução desde o MK I de 1962 e o 1500 de 1980, em que quase só mudou a posição do parachoques e das luzes traseiras) e com maior genica. Apesar de ter um motor de apenas 1300 cc tem 70 BHP, conseguindo ombrear com o ... MG B nos seus 1800 cc e 90 BHP

Nunca ninguém viu um Spit com parachoques de plástico, como na horrivel última versão do MG B

Continuando nesta gama, a MG criou o MG B GT, com o mesmo motor de 1800 cc apesar do maior peso; a Triumph criou o magnifico GT 6, com um motor de 6 cilindros e de 2000 cc

Nos anos 70 que MG haviam ?
O MG B e a versão fechada
O MG Midget como baixo de gama
O MG 1300 que mais não era que um Morris 1300 GT com uma grelha diferente

E que Triumph haviam ?
O Spitfire e a versão fechada (GT 6)
O TR 6 com motor de injecção, posteriormente o TR 7
O 2000 e o 2500 PI como grandes berlinas
O Stag como cabrio de 4 lugares e motor V8
O Toledo e o 1300 como pequenas berlinas de tracção dianteira
O Heralde, o Heralde Cabrio e os Vitesse como pequenos carros
O Dolomite como berlina intermédia / desportiva (o primeiro 16 válvulas de série)

TRIUMPH PARA SEMPRE
 
Hehehehe...
Isto ainda vai dar confusão!!!
É claro que nem necessito dizer qual a minha escolha...
Seria interessante era que não se trata-se o assunto como se de clubes de futebol se tratasse, ou seja, com fanatismo!!!
De qualquer modo, tendo em conta que "gostos não se discutem", coisa com a qual não concordo, aliás... ehehehe... poderia-mos talvez analizar a história automóvel; dados concretos, resultados desportivos, modelos ainda em circulação, sei lá... e talvez se chegá-se a alguma conclusão...digamos, mais...justa!
Poderei com mais calma introduzir aqui alguns desses dados, ou então, podem os meus amigos consultar na net.
Se fosse fanático diria: mas há comparação possivel?:D
Olhem, perguntem a uma lenda viva chamada Stirling Moss, por exemplo:p, e ele logo vos diria...
Abraços.
 

Dias Gonçalves

Abílio Gonçalves
Portalista
João Dias Caldas disse:
Hehehehe...
Isto ainda vai dar confusão!!!

Não dá confusão porque vamos discutir carros ingleses como gentlemens

... poderia-mos talvez analizar a história automóvel; dados concretos, resultados desportivos, modelos ainda em circulação, sei lá... e talvez se chegá-se a alguma conclusão...digamos, mais...justa!

Aí é que está o cerne da questão

Se fosse fanático diria: mas há comparação possivel?:D

Também diria o mesmo: uma marca com idêntidade própria ou uma marca que apenas melhorou carros doutra marca (como ainda hoje faz ...)

Vamos lá ver o que vai dar isto, apesar de estarmos em minoria (há mais MG no forum do que Triumph)
 
Também diria o mesmo: uma marca com idêntidade própria ou uma marca que apenas melhorou carros doutra marca (como ainda hoje faz ...)

Bem me parecia...
Não era boa ideia...
Por isso é que partidos, clubes, enfim... nunca dá certo.
Pela minha parte já vi que nem vale a pena fazer mais comentários quando a coisa começa a pender para a falta de objectividade. Paciência.:(
Abraços.:feliz:
 
Dias Gonçalves disse:
...
Continuando nesta gama, a MG criou o MG B GT, com o mesmo motor de 1800 cc apesar do maior peso; a Triumph criou o magnifico GT 6, com um motor de 6 cilindros e de 2000 cc

Nos anos 70 que MG haviam ?
O MG B e a versão fechada
O MG Midget como baixo de gama
O MG 1300 que mais não era que um Morris 1300 GT com uma grelha diferente
...
Não esquecer que a MG no final da decada de 60 introduziu o MGC,com um motor 3000cc e cerca de 150cv, e na decada de 70 o MGB GT V8, com 3500cc, sensivelmente a mesma potencia mas com um maior binário.
 

Fernando Sampaio

SampaS
Portalista
Bom tópico

votei MG

Apesar do meu coração andar claramente por terras de Stuttgart :D
e achar que ambos são .... enfim , como dizer.... voces sabem ;)

perdoem-me a minha franca opinião

Cumps

FS
 

Luis Manuel

Sprint
Pois eu votei Triumph, claro.
Convem nao esquecer os excelentes TR2 e TR3 que tantas vitorias obtiveram em corridas, contra carros bem mais potentes. E mais recentemente, quem pode esquecer as corridas dos Dolomite Sprint, contra os maquinoes ( em Portugal ) dos Camaro e Opel Commodore GSE todos em Grupo 1 ( de serie )? Nao me lembro de ver MG nos lugares da frente a discutir as vitorias.
 

Dias Gonçalves

Abílio Gonçalves
Portalista
António Miguel Carvalho disse:
Não esquecer que a MG no final da decada de 60 introduziu o MGC,com um motor 3000cc e cerca de 150cv, e na decada de 70 o MGB GT V8, com 3500cc, sensivelmente a mesma potencia mas com um maior binário.
O MGB GT V8 tinha um motor de 3528 cc com 200 bhp e com um binário de 230 lb/ft, não tendo existido uma versão aberta. Tinha uma caixa de 4 velocidades

Na mesma altura apareceu o Triumph TR 7 V8 com um motor de 4554 cc, 309 bhp às 5100 rpm e um binário de 353 lb/ft. Existia aberto e coupé. A caixa tinha 5 velocidades e atingia os 240 Km/h

Realmente dá para comparar estes 2 maquinões
 

Dias Gonçalves

Abílio Gonçalves
Portalista
Dias Gonçalves disse:
O MGB GT V8 tinha um motor de 3528 cc com 200 bhp e com um binário de 230 lb/ft, não tendo existido uma versão aberta. Tinha uma caixa de 4 velocidades

Na mesma altura apareceu o Triumph TR 7 V8 com um motor de 4554 cc, 309 bhp às 5100 rpm e um binário de 353 lb/ft. Existia aberto e coupé. A caixa tinha 5 velocidades e atingia os 240 Km/h
Esses dados não estão correctos:

O MGB GT V8 e o Triumph TR8 tinham ambos o mesmo motor de origem Rover, o 3528 cc
O motor podia ter várias potências diferentes, podendo chegar aos 200 bhp; no MG tinha 137 bhp e no Triumph podia ter 133 bhp (versão de carburadores) ou 148 bhp (versão de injecção)

No TR 7 foram colocados vários motores, mas não de origem: tanto o motor Rover 3500 (como no TR 8) como o motor Rover 4500 (do Range Rover), este sim com 309 bhp
 

Dias Gonçalves

Abílio Gonçalves
Portalista
Em 28 de Dezembro de 1989 comprei um MG:
foi o MG Metro UE-00-76
Vendi-o no dia 13 de Abril de 1992 com 54382 Km

Era um carro muito interessante: tinha um baixo centro de gravidade e uma curta distância entre eixos, o que permitia fazer curvas a velocidades elevadas. Eu nunca tive qualquer cuidade com os consumos e consegui fazer uma média de 7,06 L/100 Km, o que era muito bom para um carro que andava sempre depressa.
Tinha o motor 1275 do Mini 1275 GT, mas com 63 bhp, conseguindo fazer dos 0 aos 100 em 10 segundos e com velocidade máxima de 168 Km/h. Esta velocidade só não era maior porque não tinha 5ª velocidade

Em relação ao Austin Metro tinha melhores acabamentos (estofos em veludo por exemplo)
Curiosamente vendi-o com os pneus de origem e ainda capazes de percorrerem algumas dezenas de milhares de Km
 

Anexos

Realmente a escolha é difícil.
Ambas as marcas fizeram bons carros, tanto no pré com no pós Guerra.
As duas tendiam para a vertente desportiva e a maioria dos seus carros até tinham performances semelhantes.
Mas eu escolho a Triumph pois, com a serie TR nos anos 50 e 60, ficou claramente à frente da MG em quase tudo.:feliz:
 

Simao Reis

Prego a fundo...
eu escolhi triumph apenas por uma questão de estetica, mas nao tenho grandes conhecimentos sobre estas maquinas:huh: o_O
 
Topo