Emulador eletrónico de regulador LUCAS

João Luís Soares

Pre-War
Membro do staff
Premium
Delegado Regional
Portalista
Nova evolução, com um "painel" mais completo.
Ver anexo 1165322
1- Emulador da posição 1 do interrutor da ignição 2 - Emulador da posição 2 do interrutor da ignição 3 - Emulador do interruptor do motor de arranque

4 - Simulador do motor do automóvel 5 - Bateria (não simulada e vai servindo) 6 - Dínamo

7 - Voltímetro 8 - Emulador eletrónico do regulador de tensão LUCAS RB106 (evidentemente que algures num dos testes vai pegar fogo...)


Primeiros testes bem sucedidos desde que comecei esta invenção!


Não faltam questões a melhorar, por exemplo a lâmpada sinalizadora da carga da bateria ainda não apaga, embora eu tenha mais de 15V...
Impressionante! Que trabalho incrível!
 

António Barbosa

Red Line
Portalista
Continuando em bom ritmo, aqui vai o video com o primeiro teste com o multímetro a funcionar como amperímetro.


Em vez de legenda, fiz como que uma locução dos acontecimentos. A 1ª, 2ª, 3ª e 4ª velocidade, tem a haver com o motor de 230Vac, não é exatamente a mesma coisa que as velocidades da caixa de um motor de combustão. O ponto morto é na realidade quando o motor desliga...

1 - Dá para notar que com a "ignição" ligada e antes do motor "pegar", os amperes são negativos, ou seja a bateria está a fornecer energia sem receber!

2 - Ainda não consegui ligar corretamente a luz de carga da bateria.

3 - O sistema de regulação de tensão ainda está muito, mesmo muito no início, o aumento da corrente (amperes) visível no multímetro ainda é demasiado nas rotações mais elevadas.

4 - A bancada de testes está a funcionar exatamente como eu queria, já não é mau!
 
Última edição:

António Barbosa

Red Line
Portalista
Entretanto o entusiasmo com que me dediquei a este circuito, levou a que fizesse testes de forma intensa e o "tal" cheiro a queimado acabou por aparecer, não veio do circuito eletrónico (felizmente) veio do motor de 230Vac e tem a haver com o facto de o estar a utilizar de forma mais continua do que o motor foi inicialmente projetado...
A solução veio na forma de uma segunda ventoinha para arrefecimento.
She's like the wind.jpg
Ventoinha nº 1, a original e apenas suficiente para os batidos de fruta de uma família comum.

Ventoinha nº 2, vinda de um CPU cheio de "power" e com um fluxo de ar a condizer...espero que seja suficiente!
 
Última edição:

Guilherme Bugalho

BUGAS03
Portalista
Entretanto o entusiasmo com que me dediquei a este circuito, levou a que fizesse testes de forma intensa e o "tal" cheiro a queimado acabou por aparecer, não veio do circuito eletrónico (felizmente) veio do motor de 230Vac e tem a haver com o facto de o estar a ser utilizar de forma mais continua do que o motor foi inicialmente projetado...
A solução veio na forma de uma segunda ventoinha para arrefecimento.
Ver anexo 1165366
Ventoinha nº 1, a original e apenas suficiente para os batidos de fruta de uma família comum.

Ventoinha nº 2, vinda de um CPU cheio de "power" e com um fluxo de ar a condizer...espero que seja suficiente!
Mas uma "carcaça" a rodear o motor com uma saída a condizer, talvez não fosse má ideia. Ideia esta que consiste em forçar a corrente aérea ….
 

António Barbosa

Red Line
Portalista
E já com a lâmpada de carga da bateria a funcionar. Antes do video, fica uma foto para localizarem a referida lâmpada neste tão inóspito ambiente...
Localização da lampada.jpg

...e o video!


Nota-se que a lâmpada acende assim que ligo o interrutor da "ignição", e vai apagando à medida que a rotação vai subindo até que apaga por completo. Volta a acender assim que o "motor" desliga.


A seguir vou finalmente dedicar-me ao mais difícil, a regulação da tensão/voltagem para que o débito de energia/tensão/corrente seja estável em toda a gama de rotações do motor.
 

António Barbosa

Red Line
Portalista
Mas uma "carcaça" a rodear o motor com uma saída a condizer, talvez não fosse má ideia. Ideia esta que consiste em forçar a corrente aérea ….
Tens toda a razão...
Carcaça de fluxo.jpg
...fui às embalagens de "take away" imprescindíveis nesta época, e depois de umas tesouradas ficou assim.
Consigo ter a mesma temperatura no motor 230Vac com menos fluxo no ventilador e consequentemente com menos ruído. Bem pensado Guilherme, obrigado!;)
 

Miguel L. Catarino

Portalista
Portalista
Muito bom trabalho!

Só tenho uma Duvida, para regulação estás a contar só com valores de tensão? Ou corrente também?

Não sei se no mercado há soluções mas tinha como sugestão um circuito conversor AC/DC de onda completa semi-comandado com um circuito comparador para a luz de aviso e um circuito regulador para controlar a corrente de entrada na bateria (em função da tensão, talvez(?). Não estou a ver rentável estar a medir capacidade da bateria) (a minha eletrónica de potência possivelmente precisa de ser revista :xD:com muita barbaridade à mistura)
 

António Barbosa

Red Line
Portalista
Muito bom trabalho!

Só tenho uma Duvida, para regulação estás a contar só com valores de tensão? Ou corrente também?

Não sei se no mercado há soluções mas tinha como sugestão um circuito conversor AC/DC de onda completa semi-comandado com um circuito comparador para a luz de aviso e um circuito regulador para controlar a corrente de entrada na bateria (em função da tensão, talvez(?). Não estou a ver rentável estar a medir capacidade da bateria) (a minha eletrónica de potência possivelmente precisa de ser revista :xD:com muita barbaridade à mistura)
Para já estou só a regular a tensão, está-me a parecer que a regulação da corrente não irá ser difícil.
Não entendo a eventual necessidade do circuito AC/DC, não há corrente alternada e portanto não há onda completa...
Os problemas de eletrónica de potencia hoje em dia são bem resolvidos com transístores MOSFET. Toda a gama IRF é dedicada à eletrónica automóvel.

Nesta foto, está a etiqueta das caraterísticas do motor AC 230Vac que está a "puxar" o dínamo. Com uma potencia entre os 300 e os 350W, está no limite do que lhe estou a pedir.
Motor AC Alaska.jpg
 

António Barbosa

Red Line
Portalista
Já com o projeto a funcionar para prosseguir os testes, percebi que o multímetro digital não só era necessário para outras funções, o que deixava a montagem de forma sempre provisória, e também ocupava a única zona da bancada onde eu ainda tinha espaço para trabalhar...
Resolvi procurar um amperímetro barato, com venda on-line em Portugal!


Aqui com o amperímetro com ar "Old Scool" (a moldura preta é em plástico) já no seu local a trabalhar.

Como o único amperímetro que arranjei barato não mede amperes negativos, no início vê-se o ponteiro abaixo de zero, só com o ligar do motor 230Vac é que se vê o ponteiro a subir até ao zero e depois a carregar até +/- 3A.
 
Última edição:
Topo