Afinal para que serve o ACP clássicos, o CPAA e outras entidades?

Armando Fonseca

Portalista
Portalista
Jorge de Aguiar disse:
My friends, keep it dreaming:cool::cool:
Foi exactamente esse tipo de "Dreams" que ha uns anos atras levou um grupo de "gajos" das motos, do qual eu fiz parte, a revoltarem-se e a viajarem pela A1 em ritmo de passeio.

Sendo nessa altura um pequeno passo, ajudou a chegar a regulamentação dos Rails de Protecção nas Estradas.

Por isso o Dream pode um dia tornar-se Reality ;)

Abraço
 

Francisco Costa

Portalista
Portalista
Diogo Lisboa disse:
Acabar com as matrículas novas para os motociclos com 50cm3, pelo menos para os antigos...

Anular IUC para todos os carros até 1 de Julho de 2007...
Em relação às matriculas, não há hipotese de ser alteradas, o que poderiamos fazer no máximo é diminuir no tamanho absurdo delas.
Quanto ao IUC, nenhum carro matrículado até Julho de 2007 paga este imposto mas sim o IMV que é bem mais soft...

Meus amigos estou a gostar destas forças reenvindicativas.
Estes tipo de assuntos resolvem-se muito melhor "à mesa", com reuniões e encontros com membros. Tentar arranjar solução através de posts é mais díficil.

Uma excelente altura para expormos todos os problemas e pensar qual a melhor solução para sermos ouvidos pelo governo, seria no Encontro Nacional do Portal. Mas fiquem avisados que isto dá muito trabalho e dor de cabeça.

Mas mesmo assim podem contar comigo no que for preciso.
 
Francisco, olha que para minha surpresa rapidamente se juntaram aqui uns pontos muito interessantes!

Em relação às matriculas das cinquentas... elas foram alteradas para saírem do pelouro das câmaras municipais, o que acho muito bem, pena é que a dimensão das matriculas para as motos tenha mudado. o_ODiogo imagina a minha MINITRAIL com uma matricula da novas :D:D mesmo assim já vi muito pior
 

Diogo Lisboa

Veterano
Jorge Faustino disse:
Francisco, olha que para minha surpresa rapidamente se juntaram aqui uns pontos muito interessantes!

Em relação às matriculas das cinquentas... elas foram alteradas para saírem do pelouro das câmaras municipais, o que acho muito bem, pena é que a dimensão das matriculas para as motos tenha mudado. o_ODiogo imagina a minha MINITRAIL com uma matricula da novas :D:D mesmo assim já vi muito pior
Só que tu na Câmara pagavas 5€ e :wacko:agora tens que pagar 65€ para registar a moto em teu nome, fora o preço da matrícula...

E para mais as matrículas novas são ranhosas, grandes e iguais às dos carros, enquanto as antigas são pequenas e facilitavam melhor a descoberta do dono pois dizia lá em que municipio tinha sido registada...
 
Paulo Cesar disse:
Fábio os carros de competição têm de ter passaporte técnico e só com este podem competir e são inspeccionados pelas entidades que regulam o desporto automóvel.... segundo as regras da FIA e FIVA

Não era a isso que me estava a referir. As inspecções da FIA apenas servem para ver se o carro está ou não de acordo com a ficha de homologação de modo a poder competir. Eu estou a falar das IPO. Um carro de ralis anda na estrada e para tal tem que ter inspecção!
Mas agora leve um carro de ralis a um centro de inspecções, com roll bar, sem bancos, etc e veja se passa! Muito recentemente a policia, na Madeira, multou grande parte dos carros que participavam num rali por não terem inspecção.
Isto está mal e apenas acho que devia de haver legislação especial para carros de competição. Entidades com a FPAK, por exemplo, deviam de se mexer e fazer algo!
 
Armando Fonseca disse:
Boas,

Efectivamente as preparações da epoca variavam muito de preparador para preparador e nessa base seria efectivamente uma dor de cabeça qualquer homolgação.

Mas aquilo que eu me estava a referir, falando daquilo em que tenho algum conhecimento era usar documentação oficial, existente na epoca, que explicava tudo o que era necessario para se preparar, por exemplo, um Escort MK1/MK2 Grupo 4 e era com base neste tipo de documentação, que devera existir tambem noutras marcas, que deviam ser feitas as homologações e não com base no "na altura o preparador Y fazia isto desta maneira"

Alem de que os classicos que hoje em dia correm, estão sujeitos a regras que os obriga a ter preparações muito identicas as da altura em que os modelos corriam, sendo autorizandas apenas algumas pequenas modificações.



Tambem concordo que nos carros de rally actuais seria praticamente, se nao impossivel qualquer tipo de homologação tal é a preparação/secretismo que envolve cada um destes carros, mas aqui tambem temos um "mundo" a parte.

Originais, Desportivos ou Replicas o que interessa é lutar por aquilo que é justo e fazer ver a certos "Srs" que este mundo dos classicos não é so para meia duzia de afurtunados que acham que ter um exemplar raro é IN.

Abraço
Não estava a falar de uma homologação do género das que fazem aos carros novos, mas sim duma espécie de IPO especial que permitisse legalizar carros modificados, por exemplo carros de competição. Isso resolveria muitos problema inclusive os do tuning.

Hoje em dia, se eu comprar um RS1800 de ralis (era bom:D) mesmo que seja um original de fábrica não consigo andar com ele na estrada porque simplesmente não passa na inspecção:(.



Quanto aos clássicos não tenho nada contra as replicas e até acho que as entidades competentes as deviam reconhecer, por exemplo CPAA, para poderem ser legalizadas convenientemente e para ninguém ter que se andar a "esconder" porque transformou um Escort 1100 num RS2000. Isto também evitaria posteriores tentativas de fazer passar gato por lebre.
 

Armando Fonseca

Portalista
Portalista
Fábio Silva;54167 disse:
Não estava a falar de uma homologação do género das que fazem aos carros novos, mas sim duma espécie de IPO especial que permitisse legalizar carros modificados, por exemplo carros de competição. Isso resolveria muitos problema inclusive os do tuning.
O pouco que eu sei os, desculpem-me o termo, "Tunners" andam a caminhar nessa direcção e ao que parece andam a ter alguns avanços nomeadamente no uso, por exemplo, de rollbars, mas isto porque umas quantas associações se juntaram e andaram para a frente.


Fábio Silva;54167 disse:
Hoje em dia, se eu comprar um RS1800 de ralis (era bom:D) mesmo que seja um original de fábrica não consigo andar com ele na estrada porque simplesmente não passa na inspecção:(.
Infelismente tem toda razão, mas também é verdade que Portugal deve ser um dos poucos Paises em que isso acontece.

Fábio Silva;54167 disse:
Quanto aos clássicos não tenho nada contra as replicas e até acho que as entidades competentes as deviam reconhecer, por exemplo CPAA, para poderem ser legalizadas convenientemente e para ninguém ter que se andar a "esconder" porque transformou um Escort 1100 num RS2000. Isto também evitaria posteriores tentativas de fazer passar gato por lebre.

Nem mais, mas como estes e outros Sr's só olham para o "parafuso", as replicas, por muito bem feitas e mesmo de acordo com todos os requesitos da epoca, nunca serão bem vistas por eles, nunca terao possibilidade de "viver" legalmente, pois só por uma terem uma palavrinha Replica ja não são aceites.

Ainda ha uns tempos saiu numa revista, da especialidade, um Escort "replica" de um Ex. Carro de Fabrica, que se encontra bem conservado e estimado algures num museu, em que só assim a 1ª vista, olhando para as fotos, eu nem o nome de replica lhe dava o direito de usar quanto mais pretender ser replica de um Ex. Carro de Corrida.

Mas pronto este tem, supostamente, Pedigree e ja pode ser considerado um replica valida.

Abraço
 

Ricardo P Faria

Portalista
Portalista
Fabricio Estebes disse:
Depois disto:

http://forum.motorclassico.pt/showpo...4&postcount=86

Alguém se questiona, quantos clássicos foram matriculados em Portugal após 01 de Julho de 2007?
Poucos meu amigo, mesmo muito poucos, falo por mim que tinha um Jaguar type E SII cabrio de 67 quase comprado num país da UE, porém após fazer as conta ao ROUBO, nem pensei 2 vezes, desisti de imediato do meu sonho.
Estava tb p´ra trocar o meu chasso por um automovel a sério, tb desisti da compra, enquanto não vir ferrugem a sério no meu actual carro, nem vou pensar em trocar, a não ser que aconteça um milagre, como o fim do ROUBO, LOL, sonhar é tão bom.
 

Dias Gonçalves

Abílio Gonçalves
Portalista
O QUE DEVEMOS REIVINDICAR – A minha proposta:

1- De acordo com a FIVA são considerados clássicos todos os veículos que tenham sido produzidos há mais de 25 anos.
2 – Os Veículos clássicos terão as seguintes regalias:
a) Não pagam IUC (seja quando da legalização da importação, seja posteriormente anualmente)
b) Se Homologados pela entidade competente (actualmente é o ACP Clássicos, o CPAA e também o Museu do Caramulo para os seus próprios carros), ficarão isentos de IPO (actualmente só estão isentos os carros anteriores a 1960)
c) Têm direito a matrícula de época (actualmente só o CPAA pode passar certificado, obviamente pago, para que se possa requerer matrícula da época, mais uma vez paga)

Relativamente às homologações, devemos reivindicar que estas possam ser feitas por outras entidades, nomeadamente outros Clubes de Clássicos (mas tem de ser legislado quem poderá fazer e quem avaliará se são correctamente feitas, de forma a não banalizar um acto que defende os clássicos). Tenho ainda a informar que o ACP Clássicos já fez homologações na Figueira da Foz

EM RESUMO:
TODOS OS VEICULOS CLÁSSICOS (ie, produzidos há mais de 25 anos) FICAM ISENTOS DE IUC, DE IPO (desde que homologados) e TÊM DIREITO A MATRICULA DE ÉPOCA
 
J

Jorge Aguiar

Guest
Armando Fonseca disse:
Foi exactamente esse tipo de "Dreams" que ha uns anos atras levou um grupo de "gajos" das motos, do qual eu fiz parte, a revoltarem-se e a viajarem pela A1 em ritmo de passeio.

Sendo nessa altura um pequeno passo, ajudou a chegar a regulamentação dos Rails de Protecção nas Estradas.

Por isso o Dream pode um dia tornar-se Reality ;)

Abraço
É ás vezes acontece, quando de facto a vontade é muita e o pessoal se une:feliz:
Por mim se fizerem uma petição aos órgãos competentes eu assino de cruz;)
Ás vezes também nos acomodamos por sabermos que este tipo de coisas depois não tem pernas para andaro_O
Vamos nisso, tentar não custa... o NÃO já está garantido:huh:
 

Elio Gil

FISHERMAN
Ricardo P Faria disse:
Poucos meu amigo, mesmo muito poucos, falo por mim que tinha um Jaguar type E SII cabrio de 67 quase comprado num país da UE, porém após fazer as conta ao ROUBO, nem pensei 2 vezes, desisti de imediato do meu sonho.
Estava tb p´ra trocar o meu chasso por um automovel a sério, tb desisti da compra, enquanto não vir ferrugem a sério no meu actual carro, nem vou pensar em trocar, a não ser que aconteça um milagre, como o fim do ROUBO, LOL, sonhar é tão bom.
faz como eu, o meu esta no nome do meu brother com matricula estrangeira, assim não preciso legaliza-lo...
 

Fernando Salgueiro

Gran Turismo
Cuidado com a condução de veículos de matrícula estrangeira em território nacional sem a presença do dono... É ilegal e pode ter consequências graves!
 
Dias Gonçalves disse:
O QUE DEVEMOS REIVINDICAR – A minha proposta:

1- De acordo com a FIVA são considerados clássicos todos os veículos que tenham sido produzidos há mais de 25 anos.
2 – Os Veículos clássicos terão as seguintes regalias:
a) Não pagam IUC (seja quando da legalização da importação, seja posteriormente anualmente)
b) Se Homologados pela entidade competente (actualmente é o ACP Clássicos, o CPAA e também o Museu do Caramulo para os seus próprios carros), ficarão isentos de IPO (actualmente só estão isentos os carros anteriores a 1960)
c) Têm direito a matrícula de época (actualmente só o CPAA pode passar certificado, obviamente pago, para que se possa requerer matrícula da época, mais uma vez paga)

Relativamente às homologações, devemos reivindicar que estas possam ser feitas por outras entidades, nomeadamente outros Clubes de Clássicos (mas tem de ser legislado quem poderá fazer e quem avaliará se são correctamente feitas, de forma a não banalizar um acto que defende os clássicos). Tenho ainda a informar que o ACP Clássicos já fez homologações na Figueira da Foz

EM RESUMO:
TODOS OS VEICULOS CLÁSSICOS (ie, produzidos há mais de 25 anos) FICAM ISENTOS DE IUC, DE IPO (desde que homologados) e TÊM DIREITO A MATRICULA DE ÉPOCA
Subscrevo por inteiro.
Caso se decida fazer alguma reunião entre Lisboa e Coimbra estarei lá.
 

Carlos Antunes

Fordmaníaco
Portalista
Boas, fui lendo os "post's" cruzadamente, tirando conclusões as quais são: a primeira é obvia a nossa paixão pelos clássicos, os nossos e os dos outros; a segunda é a obvia perseguição aos mesmos, sempre em busca do dinheiro; a terceira, desculpem-me os "puristas" é as réplicas serem "mal amadas" por estes, para mim têm o mesmo valor que o original (pois nem todas as carteiras podem chegar aos originais); a quarta é a transformação com a colocação de acessórios (tuning) desde que seja á epoca não vejo problema algum, pois lembro-me, tenho idade para isso, desde sempre os donos dos seus veículos procuram coloca-los ao seu gosto e imagem; para terminar pois estou a alongar-me um "grito" de revolta DEIXEM OS CLÁSSICOS E OS SEUS PROPRIETÁRIOS EM PAZ, (pois já pagamos impostos através dos outros veículos). Saudações clássicas.
 

Rui Coelho

Clássico
Fernando Salgueiro disse:
Cuidado com a condução de veículos de matrícula estrangeira em território nacional sem a presença do dono... É ilegal e pode ter consequências graves!
Qualquer pessoa que tenha residência ou actividade profissional em território nacional, não pode conduzir veículo de outro Estado, basta reunir um dos requesitos para já não poder conduzir
 
Topo