Austin Healey Sprite MK 1 " Frog Eyes” “olhos de sapo” 1958-61

Manuel Ferreira Dinis

Dinis Vila Real
Portalista
Austin-Healey

O responsável pela divisão Austin da BMC (British Motor Corporation Leonard Lord, e o engenheiro e projectista de automóveis Donald Healey, formaram numa parceria em 1952 que durou 20 anos, denominada Austin-Healey.
 

Manuel Ferreira Dinis

Dinis Vila Real
Portalista
Austin Healey Sprite MK 1 " Frog Eyes” “olhos de sapo” 1958-61
Ver anexo 48589
Um sapo divertido
Ver anexo 48588
O Austin Healey Sprite MK 1, foi comercializado entre 1958-61 e é um roadster dentro do puro espírito dos carros desportivos ingleses — pequeno, simples e acessível para os jovens.
Ver anexo 48590
O nome de Sprite, teve de ser obtido através da Riley, pois pertencia a um modelo desportivo dos anos 30. Mas na verdade, ficou conhecido como Frogeye, no Reino Unido, e Bugeye nos E.U. por causa de seus peculiares faróis, montados sobre a capot dianteiro e que não faziam parte do projecto inicial que incluía faróis escamoteáveis para manter o perfil baixo da carroçaria. Foi a política de custos que ditou a substituição destes pelos dois faróis que viriam a ser a imagem de marca do Sprite e que lhe valeriam a popular alcunha de (olhos de sapo)..
Ver anexo 48591
O motor é de 948 centímetros cúbicos, quatro cilindros em linha, quatro velocidades, suspensão e muitos outros componentes, provinham do de Austin A35 e Morris Minor, para reduzir os custos.
Ver anexo 48593
Com um peso na ordem dos 660, quilogramas podia atingir os 130 quilómetros e do 0 aos 100 quilómetros demorava 21 segundos.
Não havia nenhum punho exterior nas portas; era necessário abri-las por dentro, assim como o acesso à roda suplente na mala traseira, onde não havia tampa da mala, para isso é necessário inclinar a parte traseira de assento para a frente. Esta traseira fechada torna mais rígida a estrutura monobloco da carroçaria.
Ver anexo 48597
O interior era muito espartano, nem uma carpete havia no interior somente uma cobertura plástica. Não tinha para choques traseiro e o dianteiro era opcional no mercado britânico.
Muito compacto, mede apenas 3,48 metros de comprimento, 1,34m de largura, e 2,03m de distância entre eixos.
Ver anexo 48594
Foram feitas 49 mil unidades até Abril de 1961, a maior parte exportadas para os Estados Unidos.
Ver anexo 48596

A celebração dos 50 anos do modelo será em Gaydon, junto ao British Motor Heritage Museum Centre, no sábado dia 24 de Maio.
www.mgownersclub.co.uk
 

Anexos

José Pedro Gil

Clássico
Um excelente documento sobre aquele que eu considero um dos ícones dos "desportivos ingleses".

Muito bom mesmo.

Pena é que essa classe de automóveis tenham desaparecido, mas as leis do mercado têm motivações insondáveis....

JP
 
Topo