Ajuda no restauro - Comprei um barco.. ou melhor, metade!

miguelcristovao

Portalista
Portalista
Este tópico começou por "metade de um barco".
Entretanto consegui ficar com todas as peças originais desde Sprite MkII ficando completo.
Precisa lixar o verniz que tem, e dar muitas muitas camadas de verniz próprio, ainda vou ter que me inteirar da coisa que não pesco nada disso.
Voces perceberam a piada náutica, eu sei.. :ph34r::xD:

Bem, a ideia continua a ser registar o barco e sair com ele na Fiat 124 Familiare, ou no roof rack, ou em atrelado atrás e os mastros em cima dela..
De uma forma ou de outra, é um projecto giro.
Vamos ver..

60sBrochure2_1.jpg Minisail%20Ad%202.jpg 60sBrochure3_1.jpg 60sBrochure1_1.jpg
 

miguelcristovao

Portalista
Portalista
Isto não para de me surpreender..
Encontrei no fórum da especialidade um tópico sobre este barco, quando entrou à venda no e-bay :oo
E os comentários são fantásticos!
E por obra do acaso, veio-me parar às mãos...
Sei que isto é estranho de comentar aqui no portal, vocês já sabem que eu sou.. diferente, chamemos-lhe assim..
Não páro de me surpreender, e a vontade é mesmo muita de por este menino na água!

Link do fórum com comentários:

 

Mário JCF

YoungTimer
Para velejar, é necessário a obtenção de carta de desportista náutico. Esta pode ter várias categorias, consoante a classe da embarcação a governar, e/ou, a distância da costa ou de um porto de abrigo por onde desejamos navegar.

No entanto, no teu caso, antes de avançar, deverás verificar se a embarcação que compraste possui livrete e onde a mesma se encontra registada (país e porto).

É prematuro avançar com mais informações sem resposta às questões anteriores, mas, partilhando a minha experiência nesta matéria, afirmo que quem compra um barco é para o manter dentro de água.
Andar com ele atrelado ao carro para desfrutar de algumas horas de navegação, envolve uma logística que só quem passou por este processo poderá dar valor.

Existe uma máxima entre proprietários de embarcações de recreio que diz o seguinte. "Só existem dois dias de felicidade para o proprietário de um barco: o dia em que o compra e o dia em que o vende".

À cerca de 2 anos tive o meu segundo dia de felicidade...

Cpts,

Conheci uma pessoa que dizia isso de um alfa romeo 145... Calma calma eu sei... Os amantes da alfa romeo nao vao gostar...
 

miguelcristovao

Portalista
Portalista
Fui ontem buscar as peças que faltavam do barco, 2 secções do mastro (tem à volta de 7 metros de altura!), retranca, quilha, leme, e vela original.
É certo que a vela original não está em bom estado, não sei se dará para reparar, mas por si só é um pedaço de história.
Ao desdobrar a vela em casa, tem a inscrição do fabricante, "IRVIN".

Ora, IRVIN Company foi formada por Leslie Irvin, nascido em Los Angeles em 1895 e que era.. duplo!
Fazia as suas cenas arriscadas, que incluíam cair de grandes alturas e outras peripécias.
Este jovem pegou então em tecido e construiu o seu próprio paraquedas por volta de 1914, saltando de um avião.
Abreviando a historia, iniciou produção de paraquedas nos States, e a partir de 1926 em Inglaterra.
Tornou-se o maior fabricante de paraquedas a nível mundial, em 1945 já eram 45 os países a usar Irvin Air Chutes, incluindo a Alemanha que uns anos antes tinha confiscado uma fabrica da empresa.
Durante a WW2, só os paraquedas de Irvin sozinhos salvaram mais de 10000 vidas.
Entretanto a guerra acaba, a procura de paraquedas deve ter diminuído, e eis que me deparo com a mesma vela do MiniSail numero 10, o mais antigo conhecido..
Nem eu nem o dono deste numero 10 conseguimos descobrir grande coisa acerca da proveniência das velas, excepto o óbvio do fabricante ter sido o mesmo dos paraquedas.

Esta e outras info´s vão tentar continuar a ser actualizadas, junto de grupos em Uk, mas quanto mais não seja, é um belo pedaço de história..:wub:
 

miguelcristovao

Portalista
Portalista
Finalmente há luz ao fundo do túnel :cool:

A preserverança deu frutos.
Recebi e-mail da Autoridade Maritima Nacional, com a confirmação de ser exequível o registo da embarcação e os passos a dar para que tal aconteça.

Será através do processo de usocapião, com publicação em jornal nacional e 3 testemunhas que atestem que o bem está em minha posse (e que sou um gajo porreiro;)
Terei que preencher formulários na capitania onde pretendo registar o barco, anexar a informação técnica do mesmo, e identificação das testemunhas.
Pelo menos depois de muitas tentativas e muitas portas onde bati, recebi a informação submetida por sua Exa Director Geral da Autoridade Marítima, através do Gabinete de Imagem e Relações Publicas.

Irei dar inicio ao processo assim que tenha tempo, resta saber se na Capitania de Aveiro, ou da Figueira da Foz.

Happy!!!:)
 

Guilherme Bugalho

BUGAS03
Portalista
Finalmente há luz ao fundo do túnel :cool:

A preserverança deu frutos.
Recebi e-mail da Autoridade Maritima Nacional, com a confirmação de ser exequível o registo da embarcação e os passos a dar para que tal aconteça.

Será através do processo de usocapião, com publicação em jornal nacional e 3 testemunhas que atestem que o bem está em minha posse (e que sou um gajo porreiro;)
Terei que preencher formulários na capitania onde pretendo registar o barco, anexar a informação técnica do mesmo, e identificação das testemunhas.
Pelo menos depois de muitas tentativas e muitas portas onde bati, recebi a informação submetida por sua Exa Director Geral da Autoridade Marítima, através do Gabinete de Imagem e Relações Publicas.

Irei dar inicio ao processo assim que tenha tempo, resta saber se na Capitania de Aveiro, ou da Figueira da Foz.

Happy!!!:)

Excelente …. :lol::lol::lol:

E … logo por usocapião :wub:
 

miguelcristovao

Portalista
Portalista
Excelente …. :lol::lol::lol:

E … logo por usocapião :wub:
O processo como lá chego não me importa, importa é chegar e andar tranquilo..;)

Está em marcha o registo dos Minisail ainda em existência, por parte da Minisail Class Association, já com o meu Sprite presente, o segundo mais antigo:


Vai ser giro.. só lhe toco depois de ter o processo de legalização concluído, no entanto com algum receio do restauro a fazer.
Penso ser só cosmético, nada de grave.. mas a experiencia a trabalhar madeiras não é muita!
Vou aprofundando conhecimentos nestes trabalhos, principalmente aplicação de epóxi para selar madeira depois de lixada, aplicação de multi camadas de verniz, lixar entre cada aplicação, etc..



Delicio-me com os vídeos deste senhor!!
 

miguelcristovao

Portalista
Portalista
Bom dia!!
Vamos la actualizar isto que há novidades fresquinhas...

Ora bem, desde que descobri a gravação com o nome "David Nash" no leme que sempre quis tentar saber mais algo acerca desta pessoa..

Ora o Portal é grande, cá dentro ou lá fora até!!
Eu tinha conseguido a morada onde o minisail tinha sido comprado, pelo senhoir ingles que mora cá em Portugal e mo vendeu.
Então, dei essa morada ao @NunoCouto que prontamente me conseguiu um numero de telefone!
Fiquei incrédulo...

Em conversa com um senhor Ingles já amigo, da Minisail Association, perguntei-lhe se ele não se importava de ver se o numero estava atribuído, e caso estivesse, tentar falar com o senhor ou a família, uma vez que este amigo Roger sabia da historia do meu barco.

Ao fim do dia, recebo novidades do Roger.. o texto começava assim:

"I have had a lovely chat with David Nash (who is now 90) and his wife Liz."

Nem queria acreditar... a serio??????

Ele continuou, e resumindo a historia é assim:

O senhor David Nash comprou o kit em 1960, e construiu-o.
Reforçou o casco, e colocou um pequeno lastro de chumbo para que ficasse mais estável (por causa desse aumento de peso não pôde depois correr oficialmente com ele).
Navegou com o barco até 1966, altura em que se casou, e pendurou o barco na garagem, até ter sido vendido para Portugal em 2018 (veio em cima de uma Ford Transit para cá, what else..?;)
Entretanto enquanto navegou, foi sempre em mar, na costa de Kent, e principalmente na ilha de Thanet, logo a norte de Dover..

O senhor David adorou saber novidades do seu barco, deve ter ficado tão emocionado quanto eu, e contou logo varias historias ao Roger.. adorou saber que pretendo voltar com o barco à água:)

Face a estas novas informações, tenho um barco que continua a ser o segundo mais antigo conhecido, com 60 anos, que navegou a ultima vez à 54 anos atrás...

Ahhh.. e o nome do barco "Blue Grass" deve-se ao nome de um perfume que o Mr David na altura representava, portanto nos anos 60, tendo ficado o nome que ainda hoje é visível na traseira ou ré do barco:cool:

Não é por ser minha, mas isto é uma história do caraças...
 

Patrique Fernandes

Portalista
Premium
Portalista
Bom dia!!
Vamos la actualizar isto que há novidades fresquinhas...

Ora bem, desde que descobri a gravação com o nome "David Nash" no leme que sempre quis tentar saber mais algo acerca desta pessoa..

Ora o Portal é grande, cá dentro ou lá fora até!!
Eu tinha conseguido a morada onde o minisail tinha sido comprado, pelo senhoir ingles que mora cá em Portugal e mo vendeu.
Então, dei essa morada ao @NunoCouto que prontamente me conseguiu um numero de telefone!
Fiquei incrédulo...

Em conversa com um senhor Ingles já amigo, da Minisail Association, perguntei-lhe se ele não se importava de ver se o numero estava atribuído, e caso estivesse, tentar falar com o senhor ou a família, uma vez que este amigo Roger sabia da historia do meu barco.

Ao fim do dia, recebo novidades do Roger.. o texto começava assim:

"I have had a lovely chat with David Nash (who is now 90) and his wife Liz."

Nem queria acreditar... a serio??????

Ele continuou, e resumindo a historia é assim:

O senhor David Nash comprou o kit em 1960, e construiu-o.
Reforçou o casco, e colocou um pequeno lastro de chumbo para que ficasse mais estável (por causa desse aumento de peso não pôde depois correr oficialmente com ele).
Navegou com o barco até 1966, altura em que se casou, e pendurou o barco na garagem, até ter sido vendido para Portugal em 2018 (veio em cima de uma Ford Transit para cá, what else..?;)
Entretanto enquanto navegou, foi sempre em mar, na costa de Kent, e principalmente na ilha de Thanet, logo a norte de Dover..

O senhor David adorou saber novidades do seu barco, deve ter ficado tão emocionado quanto eu, e contou logo varias historias ao Roger.. adorou saber que pretendo voltar com o barco à água:)

Face a estas novas informações, tenho um barco que continua a ser o segundo mais antigo conhecido, com 60 anos, que navegou a ultima vez à 54 anos atrás...

Ahhh.. e o nome do barco "Blue Grass" deve-se ao nome de um perfume que o Mr David na altura representava, portanto nos anos 60, tendo ficado o nome que ainda hoje é visível na traseira ou ré do barco:cool:

Não é por ser minha, mas isto é uma história do caraças...
História fantástica!
Muito, muito bom!
Boa sorte no restauro e no registo do teu Blue Grass...
 

António José Costa

Regularidade=Navegação, condução e cálculo?
Premium
Portalista
Despacha-te a colocar a Erva Azul a navegar!
Isto é uma história extraordinária que merece um final feliz, e uns sorrisos valentes do Sr. David Nash contigo a navegar e a tua pequena princesa a acompanhar!
Estamos com o Blue Grass!
Ainda estás na cama? -_-
Mexe-te homem!;)
 

João Pereira Bento

128coupe
Portalista
Prontos … eu também fiquei assim quando comprei um ford …. fo…..i o dinheiro todo … :lol::lol::lol:

Para já compras um FIAT ….. pode ser um 128 daqueles de Alcobaça …. :oo:oo Depois o barquito para ir para o Vale do Rossim lá virá com tempo …… :eek::eek:

:lol::lol::lol::lol:
128 de Alcobaça :p :p

Por acaso só hoje li o tópico com tempo. Espetacular, verdadeiramente espetacular. E eu não gosto de barcos, alias nem sei nadar. :)
 
Topo