Bem-vindo/a ao Portal Classicos

O Portal dos Clássicos é um sítio português dedicado aos veículos clássicos com interesse histórico. Temos como objectivos juntar a comunidade de entusiastas e prestar auxílio a todos os que pretendem adquirir, restaurar, conservar e manter veículos antigos. O que espera para se juntar à família?

Welcome to Portal Classicos, the biggest Portuguese community about historic vehicles! Change language here.

  1. Este site utiliza cookies. Ao continuar você estará de acordo com a nossa utilização de cookies. Saber Mais.
  2. Portalistas, o Portal dos Clássicos está no no Drivetribe, a rede social automotiva do trio May-Clarkson-Hammond! Junte-se à nossa Tribo
    Fechar Aviso

Carro Penhorado em 42 mil €

Tópico em 'Legislação' iniciado por Mauro Pereira, 9 Mar 2010.

Tópico em 'Legislação' iniciado por Mauro Pereira, 9 Mar 2010.

  1. Pois é meus amigos... Não sei como sair desta...

    Comprei um carro de 94 para o dia a dia, carro esse sem motor, seria para aproveitar o motor de um carro acidentado de um familiar meu.

    Fez-se as declaraçoes de venda pegou-se no reboque e lá veio o carro.

    No dia em que fui modar o carro para meu nome, foi-me dito pela senhora do registo, que tinha uma penhora do carro em 42 mil € registada em 2006. Eu com isto, claro, caiu-.me tudo, um pouco abanado, lá a mulher me disse isto... "Não se priocupe, se isto lhe vierem boscar o carro, coisa que duvido, tambem pelo valor comercial nem se dão ao trabalho. Pode andar á vontade!"... Eu lá com a lavagem cerebral dela, lá deixei meter o carro em meu nome... UMA TERMENDA ESTUPIDES...

    A passar o caso a amigos meus, lá um conhecido PSP me disse que o carro estaria para ser apreendido desde 2002...

    Agora? O homem que me vendeu o carro, alega que não sabia, mas a verdade é que o teve na garagem 3 anos parado sem motor, o porque nao me disse.... Adivinha-se...

    O que posso fazer perante isto??? Tenho-o em via publica parado, sem motor, mau aspecto.... Etc..


    Quero-me desfazer deste embrolio... Mas não sei como... Já nem penso no dinheiro que perdi... Só não quero é ter o carro em meu nome...

    Já liguei para a Policia Municipal e Imtt, mas dizem que não têm a ver com o assunto...

    Amigos... O que poderei fazer perante isto???
     
  2. Boas, grande encrenca essa!Nunca tiva ouvido falar em nada parecido...Boa sorte na resolução.
     
  3. boa noite amigo mauro pereira
     
  4. amigo nao tou a perseber bem iso
     
  5. o carro ta penhorado em 42 mil euros porque
     
  6. porque e a sim se o carro ta no seu nome iso e fasil resouver e mandares abater o carro
     
  7. Mauro:
    Há alguma coisa mal contada!!!!!!!!!!!!
    Que marca é o carro?
     
  8. Abre um buraco e enterra-o.

    Era o que fazia um empreiteiro falido, que conheci há muitos anos.
    Quando aparecia um oficial de justiça e lhe penhorava um carro, ele abria um buraco com uma retro e enterrava-o no estaleiro.
     
  9. Parece ser uma história mal contada.


    nuno g
     
  10. Manda abater o carro no centro de abate.
     
  11. Boa Noite a todos... Desde já agradeço a respostas....

    O carro pelo que me foi informado, pertencia a uma empresa de tintas que faliu, e depois a dita penhora seria de 42 mil €, onde o carro se encontra como um bem penhoravel... Trata-se de um Fiat Punto TD comercial de 94, que pouco mais de 700€ vale...

    Agora mandar abater, já me disseram isso.. Mas outros já disseram que a matricula não dá para abater porque tem uma penhora registada... Ou seja, pode-se modar de nome, mas nao mandar abater...
     
  12. Só aceitam um carro para abate, se não tiver ónus (penhoras, reserva de propriedade, dívidas fiscais, etc...)
    Tenho um familiar com um problema idêntico, assim:
    1 - Compra e paga um A4 em Janeiro de 2008 (com 1,5 anos) num stand reputado da terra;
    2 - Como prática corrente é o vendedor que trata dos documentos, logo não fica a par da situação do carro;
    3 - Recebe os doc. em seu nome sem nenhum ónus…;
    4 - Paga impostos, seguros é mandado para pela BT, nada a assinalar;
    5 - Em Agosto de 2009, recebe a visita da PSP com um mandato de apreensão do carro;
    6 - Fica sem carro;
    Conclusão, o carro na altura da compra tinha um processo de penhora a decorrer por dívidas do antigo proprietário, e entretanto saí a decisão do tribunal para “caçar” o carro, agora está metido em tribunais e em recursos de ambas as partes.
    Passou-se meio ano e nem carro nem dinheiro, só despesas e a andar a pé que faz bem ao colesterol. O carro está à guarda de um solicitador, sabe Deus em que condições e quando sair a sentença final depois de 300000 recursos, sabem o que vai receber?....Um grosso....

    O meu conselho é que ao comprarem um usado, exijam sempre ver os documentos e consultem a conservatória do registo automóvel ou o site Automóvel Online para saberem o estado do carro.

    No teu caso só vejo uma solução, cortá-lo às fatias espalha-lo ao vento e participar o seu roubo para te livrares da sua responsabilidade, ou então enganar mais um. Claro que nenhuma das duas é honesta.

    Continuo sem compreender como é que a conservatória do registo automóvel aceita a transferência de propriedade um carro penhorado, está somente a contribuir de forma activa para a FRAUDE. Por outro lado não aceita a transferência de propriedade de um veículo com a matrícula anulada, não sei o que é mais grave.

    Para conclusão estás na M€RD@.
     
  13. Há aí elementos a faltar.

    Procure um advogado
     
  14. Um carro com penhora não pode ser vendido, a conservatória fez m$%$&.
     
  15. tente informar-se nas finanças, assuntos de penhoras é com eles
     
  16. Boas Marco

    Azar Amigo o_O

    No regime anterior, consistindo a penhora na apreensão do veículo automóvel e seus documentos, que podia ser feita por qualquer autoridade administrativa ou policial, nos termos da apreensão requerida por credor hipotecário, tal importava a sua remoção para depósitos. No novo regime, além de bastar à penhora a comunicação à conservatória, que logo desencadeia os seus efeitos, tornando inoponível qualquer posterior acto de disposição ou oneração que o executado pratique (artigo 819º do Código Civil) e garantindo a preferência ao exequente (artigo 822º/1 do CC) há a possibilidade de, em alternativa à apreensão material do veículo, proceder à sua imobilização, onde for encontrado, mediante a aposição de selos. A lei marca a sua preferência pela imobilização, ao estatuir que a remoção do veículo só se dá com base num juízo de necessidade, substituído por um juízo de mera conveniência quando o executado não se tenha oposto à penhora” (Código de Processo Civil Anotado, Vol 3º, Coimbra Editora, pág. 436/437).

    Não entendo como foi possível a transmissão :oo

    Que tal entregares o carro no tribunal?
     
  17.  
  18. Eu fazia isto...

    Dava-o como roubado.
    Depois vendia às peças.
    Ponto final!

    Se perguntarem pelo carro...foi-se! Não sei, não faço ideia...
     
  19.  
  20. Bem amigo Fransico Ferreira, eu entrego a qualquer pessoa ou identidade... Não me importa mais o carro, porque nem valor comercial tem... E trata-se de um salvado, não tem mecanica...

    Isso de desaparecer com o carro e dar como roubado, já me passou bastante pela cabeça.....
     
Código de Verificação:
Rascunho Salvo Rascunho removido

Partilhar Página