Alfa Romeo 147 1.6 Twin Spark

HugoSilva

"It’s gasoline, honey. It’s not cheap perfume."
Premium
Portalista
Eventos Team
Se há coisa em que a marca raramente falhou foi no capítulo da estética, diga-se o que se dizer têm sabido reeinventar-se sem perder a essência, modernizam-se mas não se esquecem de quem são. Estes 147 não são exceção :thumbs up:
 

António José Costa

Regularidade=Navegação, condução e cálculo?
Portalista
Belo 1º automóvel, bonito, com classe, belo interior, parabéns! Gosto muito da estética colocando o carro no seu espaço temporal e mesmo hoje, envelheceu graciosamente bem.
Agora eu sei que não é o contexto mas...
...estórias são sempre estórias...
... Andei uns valentes kms num, não se lhe perdoava nada em termos de andamento, parece-me um muito bom 1600 com comportamento diferente de por exemplo um PSA 16V, tem mais baixas que este e umas altas não tão boas principalmente porque a diferença não é tão vincada, obviamente não acompanhava um 106 Gti, porque pesa mais 300kg com valores de potência e binário semelhantes.
Bom comportamento , mas muito amigo do condutor, tem classe e o interior era na época muito bem elaborado.
Nota adicional, no que andei foi comprado em 2ª mão, assim sendo fez-se uma revisão geral na Alfa Romeo em Setúbal onde inclusive se trocou a distribuição, o carro antes da revisão cortava as 7200rpm, depois da revisão cortava pelas 7000rpm, reclamação no concessionário para efectuarem o trabalho correctamente, a reclamação do mesmo foi que o motor tinha na UCE a informação de ter accionado o corte mais de 200x desde a intervenção e que podíamos ter partido o motor logo não seria garantia por utilização abusiva (esqueceram-se de informar que o motor podia partir porque tinham colocado a correia no "dente" errado), bom motor não partiu, e corrigiram o mau trabalho. Conheço vários que fizeram mais de 300.000km, logo são bem fiáveis.
 

Miguel Gomes Dinis

Portalista
Portalista
Isto é um carrinho. Feita a declaração de princípio em tudo mais vale o mesmo que para o 156, que na verdade é exactamente o mesmo carro, mais longo entre eixos, mas também ligeiramente menos rígido.

Assim sendo, e como carrinho que não deixa de ser, foi uma coisa bem feitinha. Não terá nunca a integralidade e coerência de discurso visual do 156, não apenas porque o jogo de volumes não permite mais, como também a utilização mais abusiva e pastiche de alguns elementos não lhe permite almejar a coerência deste. O 156 é muito mais subtil na integração de elementos sem cair em redundâncias de natureza plástica. Exemplificando, as 4 nervuras nas laterais do scudetto evocativas do 8c Monza não chegam para plasmar o elemento no conjunto. Já o 147 a forma como rebusca o ritmo linear da frente do 6c Villa D'este é mais rústica e é mais forçada. Mas o 156 é um tratado de desenho industrial do final do século, pelo que já venho repetindo sempre que falo nele.

Vale o mesmo para o interior, onde o 156 não tem um traço fora do lugar, nem mais do que é preciso, usando medidas certas de linha e de plano (isto para a versão 1 original, daí para a frente deram cabo daquilo tudo). O 147 (igual para o GT) já são bastante mais prostituidos na medida em que já introduzem alinhamentos, proporções e elementos muito mais numa linha de norma do que prefere o mercado, e menos no que a história e a medida justa devia determinar.

O motor é pontudo com qualquer 16v de pequena cilindrada, efeito mitigado pelo variador de fase. O ponto forte é o balanço de curva para curva e o comportamento dinâmico no geral que é de facto muito competente. Pedia mais motor, e talvez uma afinação de suspensão e conjunto mola amortecedor idêntico às versões sport do 156. Tem estado parado na garagem há já bastante tempo. Na primavera vai à revisão para ver se estica um bocadinho das articulações e acrescenta meia dúzias de quilómetros aos 50 mil que conta.
 
Última edição:

Carlos D. Silva

Portalista
Portalista
Isto é um carrinho. Feita a declaração de princípio em tudo mais vale o mesmo que para o 156, que na verdade é exactamente o mesmo carro, mais longo entre eixos, mas também ligeiramente menos rígido.

Assim sendo, e como carrinho que não deixa de ser, foi uma coisa bem feitinha. Não terá nunca a integralidade e coerência de discurso visual do 156, não apenas porque o jogo de volumes não permite mais, como também a utilização mais abusiva e pastiche de alguns elementos não lhe permite almejar a coerência deste. O 156 é muito mais subtil na integração de elementos sem cair em redundâncias de natureza plástica. Exemplificando, as 4 nervuras nas laterais do scudetto evocativas do 8c Monza não chegam para plasmar o elemento no conjunto. Já o 147 a forma como rebusca o ritmo linear da frente do 6c Villa D'este é mais rústica e é mais forçada. Mas o 156 é um tratado de desenho industrial do final do século, pelo que já venho repetindo sempre que falo nele.

Vale o mesmo para o interior, onde o 156 não tem um traço fora do lugar, nem mais do que é preciso, usando medidas certas de linha e de plano. O 147 (igual para o GT) já são bastante mais prostituidos na medida em que já introduzem alinhamentos, proporções e elementos muito mais numa linha de norma do que prefere o mercado, e menos no que a história e a medida justa devia determinar.

O motor é pontudo com qualquer 16v de pequena cilindrada, efeito mitigado pelo variador de fase. O ponto forte é o balanço e curva para curva e o comportamento dinâmico no geral que é de facto muito competente. Pedia mais motor, e talvez uma afinação de suspensão e conjunto mola amortecedor idêntico ao do 156. Tem estado parado na garagem há já bastante tempo. Na primavera à revisão para ver se estica um bocadinho das articulações e acrescenta meia dúzias de quilómetros aos 50 mil que conta.
50 mil? Epá estrada com ele o mais depressa possível!
Agora a sério, belo carrinho e bem estimado de certeza absoluta.
 

Pedro Teixeira4

Portalista
Portalista
Foi um carro que várias vezes pensei comprar, sempre desisti, pois não tinha quem me aconselha-se na compra. :confused:
 

Moises Trovisqueira

MTrovisqueiraF
Portalista
Recordo a apresentação do AR 147 no Mondial de Paris em 2000, havia uma multidão a volta do stand AR para vêr o 147, lembro-me de achar o modelo lindissimo, na altura para andar a par das novidades lia a revista Auto Plus, recordo-me que no texto dizia ;
como proteger aquela bela frente dos pequenos choques Parisianos ?!!!
Gosto do série 1, muito menos do série 2.
 
Topo