Bem-vindo/a ao Portal Classicos

O Portal dos Clássicos é um sítio português dedicado aos veículos clássicos com interesse histórico. Temos como objectivos juntar a comunidade de entusiastas e prestar auxílio a todos os que pretendem adquirir, restaurar, conservar e manter veículos antigos. O que espera para se juntar à família?

Welcome to Portal Classicos, the biggest Portuguese community about historic vehicles! Change language here.

  1. Este site utiliza cookies. Ao continuar você estará de acordo com a nossa utilização de cookies. Saber Mais.
  2. Postalistas, o Portal dos Clássicos está no no Drivetribe, a rede social automotiva do trio May-Clarkson-Hammond! Junte-se à nossa Tribo
    Fechar Aviso

Questionário Tese Mestrado - Ajuda

Tópico em 'Off-Road' iniciado por Pedro F Henriques, 31 Ago 2011.

Tópico em 'Off-Road' iniciado por Pedro F Henriques, 31 Ago 2011.

  1. Boa Noite Caros Amigos,

    Após a respectiva autorização dada pelo Coordenador Francisco Lemos Ferreira venho pedir a vossa colaboração na resposta a um breve questionário sobre a temática automóvel.
    Estou a terminar a minha tese de mestrado sobre as Memórias de Infância/Adolescência e os Automóveis e penso que este será um local privilegiado para a recolha de dados.

    Podem aceder ao questionário em:
    https://www.surveymonkey.com/s/questionariomemoriasautomoveis

    Muito Obrigado pela Vossa Colaboração,

    Pedro Henriques
     
  2. Feito, espero ter ajudado.
     
  3. Já respondi. As minhas respostas são um bocado monótonas, mas eu não tenho culpa... B)
     
  4. Boas, a minha contribuição já está feita.
     
  5. Tá feto :D (sem acordo)

    Notei que numa das respostas tentei classificar com 6 duas das perguntas; não permitiu e apenas se podia classificar as outras respostas de forma descendente (6,5,4,3,2,1) Não permite a repetição.

    Até parece o inquérito inicial do portal :D
     
  6. Guilherme, isso é uma opção do site onde o inquérito está alojado que tem por objectivo exactamente "ordenar preferências"...
     
  7. Ok, bom trabalho.
     
  8. Pois é João.
    Mas é necessário haver cuidado com estas "opções" porque assim pode "alterar" os resultados das respostas. Eu não queria "classificar" nenhuma das respostas com "1"; e assim sou "obrigado" a fazê-lo.
    Depois quando for a "traduzir/inferir" os resultados dá que eu "não gostei" de determinada coisa, quando isso não corresponde à verdade.

    Faz-me lembrar, há uns anos quando o INE divulgou que cada português "comia" meio frango por ano. :D:D e haver pessoal a lamentar-se porque eles nunca tinham comido frango (alguns nem gostavam) :D

    Penso que é um bug/azelhice deste software.


    Post scriptum:
    João, isto ainda são reminiscências de deformação profissional :):):)
     
  9. :D:D

    Acredito!

    Eu expliquei aquilo, mas concordo em absoluto. Relativizamos tudo com classificações quantitativas e a qualidade fica esquecida...
     
  10. Obrigado a todos pela colaboração até à data ;) é muito importante para mim esta vossa colaboração.
    Quanto à questão da ordenação de preferências eu entendo/concordo perfeitamente a questão levantada. Contudo o que me levou a optar pela classificação quantitativa foi mesmo o factor tempo, já que a sua análise é mais rápida. Se num futuro alguém quiser prosseguir este estudo ou mesmo se eu o vier a aprofundar, a metodologia será com certeza baseada em classificação quantitativa com a respectiva análise de conteúdo em respostas completamente abertas ;)
    Obrigado no entanto pela vossa opinião, pois foi bastante construtiva ;)
     
  11. Como o número de questionários respondidos vai aumentado nunca é demais agradecer a vossa colaboração.
    Obrigado a todos pelo tempo despendido a responder ao questionário.
    ;)
     
  12. Feito
    Abraço e bom trabalho
     
  13. já está!
    Felicidades!
     
  14. Graças à vossa ajuda, já cheguei ao número de questionários concluídos previsto. Neste momento a colecta de dados encontra-se encerrada.
    Mais uma vez, muito obrigado pela vossa colaboração e disponibilidade.
     

Partilhar Página