Bem-vindo/a ao Portal Classicos

O Portal dos Clássicos é um sítio português dedicado aos veículos clássicos com interesse histórico. Temos como objectivos juntar a comunidade de entusiastas e prestar auxílio a todos os que pretendem adquirir, restaurar, conservar e manter veículos antigos. O que espera para se juntar à família?

Welcome to Portal Classicos, the biggest Portuguese community about historic vehicles! Change language here.

  1. Este site utiliza cookies. Ao continuar você estará de acordo com a nossa utilização de cookies. Saber Mais.
  2. Portalistas, o Portal dos Clássicos está no no Drivetribe, a rede social automotiva do trio May-Clarkson-Hammond! Junte-se à nossa Tribo
    Fechar Aviso

Messerschmitt KR-175 - 1954

Tópico em 'O nosso hobby: Clássicos' iniciado por Francisco Lemos Ferreira, 26 Mai 2007.

Tópico em 'O nosso hobby: Clássicos' iniciado por Francisco Lemos Ferreira, 26 Mai 2007.

  1. Messerschmitt KR-175 1954


    Projectado em 1952 pelo Prof. Willy Messerschmitt, com motor Sachs de 175cc, monocilindrico e caixa de 4 velocidade,um carro com dois lugares e aerodinâmica de um avião. Logo de caras imagina-se um carro superesportivo. Na verdade não é, trata-se de uma adaptação de um cockpit de avião da Segunda Guerra Mundial, com três rodas, fabricada num hangar, em Regensburg, na Alemanha. Por ter sido impedida pelas Forças Aliadas de produzir aeronaves e com peças de substituição de aviões, a Messeschmitt fez uma parceria com a Kabinenroller para produzir esses estranhíssimos carros.
     

    Ficheiros Anexados:

  2. Um dos meus automóveis favoritos!:D :D
     
  3. ora aqui está um carro que na minha opiniao se tivesse sido de construçao portuguesa, teria o mesmo alcance que o sado!
     
  4. O Messerschmitt pertence a uma geração de cyclecars, caracterizada pelo uso de plásticos e de pequenos motores de dois tempos.
     
  5. Fritz Fend era engenheiro aeronáutico e fabricante de máquinas na Alemanha, logo após o fim da Segunda Guerra Mundial. Produzia em pequena escala motas, motoretas e veículos para portadores de deficiência física -- como pilotos da Luftwaffe, a Força Aérea Alemã, aposentados por invalidez --, de início movidos pelo movimento de puxar e empurrar o volante, depois por um pequeno motor. A partir deles se desenvolveriam os triciclos Fend Flitzer, de um só lugar, nos modelos Type 1, Type 2 e FK 150 Kabinenroller (patinete com cabine em alemão).Em 1952 Fend propunha uma parceria à empresa de Willy Messerschmitt, conhecida pelos seus aviões utilizados no conflito -- dos quais o mais famoso fora o caça Me-109 -- e na qual trabalhara àquele tempo: produzir os veículos de três rodas na fábrica de Regensburg, que fora impedida pelas Forças Aliadas de produzir aeronaves e estava inactiva.
    Veículos de pequeno porte eram uma solução para a Europa devastada pela guerra, já que aliavam a economia do escasso combustível a uma maior protecção contra o inverno rigoroso. O mesmo princípio havia levado a Iso italiana a conceber o Isetta . Para o ex-fabricante de aviões, era a oportunidade de voltar à actividade. Assim, em 1953 surgia o Messerschmitt Kabinenroller 175, ou KR 175.Era um veículo dos mais curiosos: parecia uma motoreta com carroceria de aço, três rodas (duas à frente), dois pequenos assentos um atrás do outro (posição tandem, até hoje usada em aviões militares, que favorece em muito a aerodinâmica devido à pequena área frontal) e uma cobertura quase toda de plástico transparente, similar ao policarbonato, que se erguia para o lado para o acesso dos usuários. A cobertura era própria do triciclo e não uma sobra da produção de aviões, como alguns acreditam.
    A aparência era no mínimo inusitada, com os faróis lembrando olhos montados no topo do capô frontal, os pára-lamas dianteiros salientes e a traseira afilada como a de uma motoreta. Media 2,8 metros de comprimento, 1,2 metro de largura e o mesmo em altura, e pesava apenas 210 kg, menos que uma moto de grande cilindrada. Atrás dos assentos havia um pequeno espaço para bagagem.
    O volante, que parecia um manche de avião, tinha ligação directa com as rodas e bastava 3/4 de volta para girá-lo de batente a batente. A não ser pela pouca largura, que gerava receio em alguns motoristas, era um veículo fácil e seguro de conduzir, graças à boa distribuição de peso entre os eixos. Os pneus eram 4,40 em rodas de 8 polegadasl de aro. Na traseira ficava o motor Fichtel & Sachs, de um cilindro e dois tempos, refrigerado a ar, com 175 cm3 e 9 cv de potência, transmitidos por uma corrente à roda traseira. A caixa era manual de quatro velocidade e a embraiagem tinha accionamento por manete. As primeiras unidades usavam partida a pedal e, como em outros veículos do género, não havia marcha à trás.
     

    Ficheiros Anexados:

  6. Hoje passou uma máquina destas com matricula alemã, amarelo com um casal na Costa Nova :huh:
     
  7. Então já estás a falhar....:feliz: Onde está a foto???? :huh:

    Era bom de ver...:D:D
     
  8. Parece um aspirador... :huh:
     
  9. Juntem-lhe mais este modelo :

    "Friedrich apresenta o novo Spatz na IAA, em 1955, em Frankfurt. Em 1956 o Bayerische Autowerke GmbH (BAG) foi formado. O motor era o familiar 191cc Sachs (Messerschmitt).
    "

    Ei-lo :
     

    Ficheiros Anexados:

  10. Penso que esteve presente um modelo destes no encontro de Microcarros realizado em Vila Nova de Gaia
     
  11. Este acho que eram estranjas ...e estava sem telemóvel :huh:
     
  12. Aqui está ele :huh:
     

    Ficheiros Anexados:

  13. Para mim é o supercarro dos mini carros..

    No nº2 da recente revista de motas classicas portuguesa, num artigo sobre a V5, um dos criadores da mesma refere que um dos engenheiros da SIS que participou no projecto usava um destes "diabos" como carro do dia a dia.


    nuno g
     
Código de Verificação:
Rascunho Salvo Rascunho removido

Partilhar Página