Bem-vindo/a ao Portal Classicos

O Portal dos Clássicos é um sítio português dedicado aos veículos clássicos com interesse histórico. Temos como objectivos juntar a comunidade de entusiastas e prestar auxílio a todos os que pretendem adquirir, restaurar, conservar e manter veículos antigos. O que espera para se juntar à família?

Welcome to Portal Classicos, the biggest Portuguese community about historic vehicles! Change language here.

  1. Este site utiliza cookies. Ao continuar você estará de acordo com a nossa utilização de cookies. Saber Mais.
  2. Portalistas, o Portal dos Clássicos está no no Drivetribe, a rede social automotiva do trio May-Clarkson-Hammond! Junte-se à nossa Tribo
    Fechar Aviso

La Carrera Panamerica

Tópico em 'História e Cultura' iniciado por Pedro A. Soares, 22 Fev 2015.

Tópico em 'História e Cultura' iniciado por Pedro A. Soares, 22 Fev 2015.

  1. header_historia.jpg

    O teste mais duro


    Original por James K. Revisão SPORT AUTO Lamona EUA Março 1953. Tradução para Português por Pedro Soares.

    México, estrada 3114 km que se estende do sul ao norte de Tuxtla para Juarez é, de acordo com Alfred Neubauer, uma combinação do Grande Prémio de Tripoli, a "Mille Miglia" italiana, a alemã "Nurburgring", e as 24 Horas de Le-Mans. Herr Neubauer deve saber, porque foi sob a sua liderança como Diretor de Competição de equipas alemãs como a Mercedes Benz , que derrotou o mais formidável registo em Inglaterra, França e Itália e no resto da Europa nos últimos 25 anos.

    Exactamente o que faz com a Carrera Panamericana seja tão difícil? É uma combinação de coisas. O tour começa num clima tropical, onde a temperatura é alta e húmida e estende-se ao longo de uma estrada que vai do nível do mar até a altura sufocante de três mil metros! As temperaturas variam de 34 graus para apenas um par de graus acima de zero, tudo em 72 horas.

    Fatores geográficos DETERMINANTES

    Mesmo a afinação mais cuidadosa do motor, testes de carburação e ignição, exigem mudanças aproximadamente a cada 160 km. Motores que trabalham impecavelmente aos mil metros soavam como se fossem "morrer" aos três mil, e os pilotos que se recusavam a mudar as velas de ignição para velas mais "frias", depois de Durango é que perceberam a importância destas. A estrada é pavimentada com uma mistura de cinzas vulcânicas, substância que é altamente abrasiva, gasta um pneu novo de um carro em pouco mais de mil quilómetros.

    1. Corrida º (1950) H. McGriff / (EUA) Oldsmobile 88 27h3425"
    2. º Corrida (1951) Pietro Taruffi (ITA) Ferrari 212 Inter 21h5752"
    3. Corridaº (1952) Karl Kling (ALE) Mercedes Benz 300 SL 18h5119"
    4. º Corrida (1953), Juan Manuel Fangio (ARG) LanciaD24 18h1100"
    5. Corrida º (1954) Umberto Maglioli (ITA) Ferrari375Plus 17h4026"

    Ordem Final - 3 Carrera Panamericana

    SPORT

    1. Karl Kling, Stuttgart, Alemanha, a Mercedes-Benz, 18:51.19 ($17,422).
    2. Hermann Lang, Stuttgart, a Mercedes-Benz, 19:26.30 ($11,628).
    3. Luigi Chinetti, Moderna, Itália, Ferrari 4.1, 19:32.45 ($6,977).
    4. Humberto Maglioli Biella, Itália, Lancia, 20:11.20, ($4,651).
    5. Jack McAfee, Manhattan Beach, na Califórnia, 4,1 Ferrari, 20:21.15, ($2907).
    6. Phil Hill, Santa Monica, na Califórnia, 2,7 Ferrari, 20:33.46, ($581.40).
    7. Paco Ibarra, Cidade do México, a Ferrari, 23:14.48, ($581.40)
    8. Furst Metternich, Alemanha, 1,5 Porch, 23:18.15, ($581.40)
    9. Enrique Ortiz Peredo, Cidade do México, Lancia, 23:52.47, ($581.40)
    10. Douglas Ehlinger, Puebla, Mex., Jaguar XK-120, 24:37.37, ($581.40)

    STOCK
    1. Chuck Stevenson, Fresno, na Califórnia, Lincoln, 21:15.38, ($11,628)
    2. Johnny Mantz, Los Angeles, Lincoln, 21:16.09 ($5814)
    3. Walt Faulkner, Long Beach, na Califórnia, Lincoln, 21:20.27, ($2907)
    4. Bob Korf, Wright - Patterson, Dayton, O. Lincoln, 21:25.09, ($1744)
    5. Reginald McFee, Rochester, NY 1951 Chrysler, 21:43.00, (1162)
    6. CD Evans, El Paso, Texas, a Chrysler, 21:54.55, ($581.40)
    7. Marshall Teague, Daytona Beach, na Flórida, Hudson, 22:08.00, ($581.40)
    8. Kirby Dean Murr, Tampa, Flórida, Cadillac, 22:17.50, ($581.40)
    9. (empate) Jean Trevoux, Cidade do México, a Packard, 22:35.00, (581.40)
    10. Allen Heath, North Ridge, Califórnia., Chrysler, 22:35.00, (581.40)

    O primeiro a sair dos prémios de "stocks", na posição 11, foi campeão do ano passado, Piero Taruffi, em Roma, que fez 22:43.59 num Oldsmobile. A única mulher na corrida, Jaqueline Evans, Cidade do México, terminou em 27 º num Chrysler com 26:34.05. Douglas Ellinger, que pilotava um Jaguar Roadster de 1952 modificado, nove furos depois comentou os mais de vinte pneus rasgados, entre Tuxtla e Juarez! A ação abrasiva do asfalto aquecido pelo sol fez com que os pneus do Mercedes Benz de John Fitch se desfizessem na sua passagem na primeira fase entre Tuxtla a Oaxaca, numa distância de 530 quilômetros. A velocidade com que a Fitch estava a pilotar, bocados de borracha soltavam-se com tanta força contra o pára-choque traseiro de alumínio, necessitando de reparos ao lado da estrada, mesmo antes do primeiro dia terminar.

    Karl Kling e Herman Lang tinham outros motivos para chamá-lo de "um calvário". Kling, o líder e eventual campeão, queixou-se do gado que se atravessava nas estradas, enquanto as oito fortes barras de aço colocadas na frente do pára-brisa de Lang, para evitar as colisões contra o seu rosto não evitam o embate de uma ave contra o carro de Lang, quando ele rolava a mais de 160 quilómetros por hora. O monstro voador partiu metade do pára-brisa, cortando o copiloto em várias partes e os estilhaços de vidro saltam por todo o interior do carro de corrida. Todos estavam na linha de partida no início da manhã do dia 19 de Novembro, na pequena cidade de Tuxtla . Representantes da imprensa tanto mexicanos-americanos e europeus estavam ocupados, concentrando o seu interesse nos tempos.

    Combinação Ganhadora: Kling com o carro pronto para arrancar a partir de Tuxtla...

    Setenta e cinco carros do tipo "stock" e trinta e quatro "sport" estavam alinhados para a saída. Em Juarez, cinco dias depois, apenas onze carros "sport" chegaram ao final, seguido por trinta e nove "stocks" norte-americanos, dos quais os quatro primeiros eram Lincoln de 1953, com 205 cavalos de potência.

    O espírito de amizade e camaradagem que prevaleceu, não só antes da partida, mas também no final de cada etapa, não pode ser totalmente descrito. Aqueles que conheciam a prova estavam ansiosos para ajudar os pilotos que viajavam pela primeira vez. Os experientes nos Estados Unidos trocavam informações com os especialistas do outro lado do Atlântico e as trocas e empréstimos de pneus, ferramentas e equipamentos são exemplos de boa vontade e cooperação.

    Rivalidades

    Os mais acérrimos rivais do mundo das corridas internacionais estavam agora a rir, comendo e bebendo juntos, discutindo teorias e dando palavras de ajuda aos recém-chegados. Pilotos profissionais, novatos discutem técnicas, consultando uns aos outros sobre a pressão dos pneus, a configuração das velas e da carburação. Era uma esplêndida exposição de desporto automóvel internacional.

    Os italianos, que ganharam com sucesso o primeiro e o segundo lugar na segunda edição da corrida em 1951, eram os favoritos. Foi aceite que o Campeão do Mundo, Alberto Ascari e Giovanni Bracco, ambos conduzindo Ferraris "México" de 12 cilindros, feitos especialmente, iriam roubar o show. Ascari girou no início da primeira etapa, eliminando a maior ameaça para a equipe alemã Mercedes Benz.

    Gordini era o pequeno francês, gerido pelo ex-campeão mundial de moto, Jean Behra, que fez história. Sem copiloto, aproveitou o sinuosa estrada de montanha e venceu a primeira etapa. A sua média de 143 kmh estabeleceu um novo recorde na etapa de 533 km. Em Oaxaca, à noite, o Italiano Bracco, conduzindo um Ferrari, tornou-se o segundo melhor tempo e o alemão, Kling, foi o terceiro mais próximo.

    564602_361623147247787_938259504_n.jpg

    553902_344179738992128_240400136_n.jpg
     
    Eduardo_Silva e David Silva gostaram disto.
Código de Verificação:
Rascunho Salvo Rascunho removido

Partilhar Página