Bem-vindo/a ao Portal Classicos

O Portal dos Clássicos é um sítio português dedicado aos veículos clássicos com interesse histórico. Temos como objectivos juntar a comunidade de entusiastas e prestar auxílio a todos os que pretendem adquirir, restaurar, conservar e manter veículos antigos. O que espera para se juntar à família?

Welcome to Portal Classicos, the biggest Portuguese community about historic vehicles! Change language here.

  1. Este site utiliza cookies. Ao continuar você estará de acordo com a nossa utilização de cookies. Saber Mais.
  2. Portalistas, o Portal dos Clássicos está no no Drivetribe, a rede social automotiva do trio May-Clarkson-Hammond! Junte-se à nossa Tribo
    Fechar Aviso

História(S) Do Automobilismo Japonês

Tópico em 'História e Cultura' iniciado por Mário Macedo, 22 Abr 2014.

Tópico em 'História e Cultura' iniciado por Mário Macedo, 22 Abr 2014.

  1. Boas amigos!

    Vou iniciar um tópico apenas dedicado à industria japonesa nos ramos que mais gostamos, o motorizado, seja ele automobilístico, aéreo ou naval .

    Ando a investigar umas coisas para mim e resolvi partilhar algumas histórias de realce e que são no mínimo engraçadas...

    Como entendem, e porque gosto muito das marcas nipónicas, esse vai ser o tema presente.

    Espero que gostem e sempre que haja dúvidas digam-me, ok!

    Vamos a isso?
     
  2. A Nissan inicia a sua participação no Rally Safari em 1963, portanto na décima primeira edição.

    Nesta primeira entrada, utilizaram o Bluebird 312 e o Cedric G31.

    Já em 1966, sendo esta a quarta participação, o Bluebird alcançou o primeiro de muitos feitos, ganhou a sua classe, e foi o primeiro carro japonês a fazê-lo.

    Na décima quarta edição, e com as condições climatéricas a puxarem em demasia pelos participantes, apenas 9 carros terminaram a prova, sendo que 2 deles eram os Bluebird 411.

    Já no ano de 1969 (17ª edição) o novo Bluebird (510) ganhou a classe e o prémio de melhor equipa.

    Mas foi na 18ª edição (1970) que a Nissan com o seu Datsun 510 venceu à geral, à classe e por equipa, sendo este apenas o primeiro conseguido nesta mítica prova.

    Este carro da foto, que teve o número 4, foi conduzido até à meta por E. Hermann / H. Schuller.

    De salientar que no ano seguinte o mesmo feito foi alcançado, venceram à geral, à classe e por equipa, mas desta vez em Datsun 240z.



    10246827_551413264979758_7909318918173772570_n.jpg
     

    Ficheiros Anexados:

  3. Ó Vaz, anda cá ver este tópico!
     
    Mário Macedo gostou disto.
  4. O Datsun Bluebird (510) foi um dos produtos mais inovadores na história da Indústria automóvel japonesa.

    É um carro que prova com realidade a excelência da engenharia Nissan.

    Foi sim um automóvel que provou a performance, estilo e qualidade, abrindo as portas a um novo segmento de automóveis.

    Com características diferenciadas dos concorrentes, este 510 oferecia suspensão totalmente independente, motor OHC, bancos reclináveis, fora os acessórios que eram oferecidos em catálogo e que qualquer um poderia escolher.

    Mais de 1,3 milhões de exemplares foram vendidos apenas em 4 anos, tornado-o o primeiro automóvel Japonês a ser considerado o grande sucesso da indústria Automóvel Japonesa...

    Untitled_1.jpg
     

    Ficheiros Anexados:

  5. Há uma lenda que existe na História Motorizada Japonesa…Ela existiu, é verdadeira, alterou o rumo da Indústria Motorizada Japonesa e vai perdurar para sempre…

    Em 1964, a Prince Motorsport participa no segundo Grande Prémio do Japão na categoria GT-II. Entrou no circuito de Suzuka com um modelo muito especial, o Skyline GT com um motor de 2 litros.

    Este Skyline GT competiu com o Porsche 904 GTS, um carro desenvolvido na Alemanha Ocidental e com características puras de aerodinâmica, de desenvolvimento de motor e entre muitos outros processos de evolução.

    Contudo, uma volta bastou para o Skyline o ultrapassar…

    Numa época em que se pensava que a Indústria Automóvel Japonesa, e as suas técnicas de evolução motorizada estavam muito atrasadas quando comparadas com o resto do mundo, o momento em que o Skyline ultrapassa o Porsche fez a audiência gritar, saltar, enlevar o feito dentro da pista.

    Mas o que realmente estava a acontecer no mundo era muito maior…foi o motor de propulsão para aquilo que hoje conhecemos…Skyline…
    Podemos afirmar com toda a certeza, que o Skyline é hoje uma associação desportiva, visto como uma fonte de performance desportiva, um carro cuja imagem é associada a velocidade, e tudo isto devido a este grande episódio…

    A Lenda Skyline…


    image.jpg
     
  6. Pela marca Nissan, o primeiro Skyline foi lançado no ano de 1969.

    Este carro representava que representava o modo "touring" mas de uma forma tecnológica sem precedentes, foi configurado com características de competição que herdou do seu mano mais velho o Prince R380 (Nissan R380).

    O Nissan (Prince) R 380 era um protótipo que continha toda a tecnologia disponível na época, tais como as 4 válvulas 4 DOHC, suspensão independentes e motor aligeirado.

    Foi "O" carro da época, e o GT-R reinou as corridas japonesas, vencendo um total de 52 corridas em apenas 3 anos.

    É este DNA criado no seio da competição que faz com que o Skyline evolua como nunca dentro do seio Nissan...


    image.jpg
     
  7. A Nissan trouxe para o mundo dos automóveis desportivos grandes inovações...inovações que começam e acabam em "Z"... o Datsun 240z ou Fairlady (conforme os mercados).

    O Z é conhecido mundialmente com o carro desportivo mais produzido em série em todo o mundo.

    O 240z foi elogiado pelas suas linhas desportivas e estilo atraente, e consequentemente por ser um carro de alta performance desportiva a um preço bastante acessível, elevando-o ao níveis de praticalidade e uso diário, como se fosse um carro completamente normal que qualquer pessoa usava para ir para o emprego ou passear simplesmente.

    Até ao surgimento do Z pode dizer-se que nenhum outro carro desportivo fora assim...

    Pode dizer-se que este carro transformou o "sonho" anteriormente ambicionado, elevando as expectativas e nível requerido do carro denominado desportivo, tornado-o em "algo que é pertença de todos"

    ("something that belongs to everyone")


    image.jpg
     
  8. Quando o estilo e o espaço são um só...

    Em 1972, a Nissan lançou um "hard top de 4 portas", o Cedric / Gloria (modelo 230), conforme o mercado assim era denominado.

    Com um desenho completamente inovador em que o desaparecimento do pilar da janela central representava o estilo coupé, e diga-se de passagem que foi um grande feito, pois um carro dessas dimensões sem pilar central ainda hoje em dia é difícil de se conseguir.

    Ora, sendo um coupé e de 4 portas simultaneamente, o espaço interior saiu premiado, até nos bancos traseiros houve a atenção de requinte e toque original, tornado-os completamente exclusivos.

    Este "4 portas hard top" rapidamente saiu da estrada e se iniciou na competição, dando origem a uma nova tendência.

    É este o carro "4 portas hard top" que combinando o estilo coupé com um formato de 4 portas, que continuou a monopolizar o segmento de carros de luxo por mais de 30 anos após o seu lançamento.


    image.jpg
     
  9. As histórias de Amor nasceram do automóvel...

    E assim foi com este pensamento que a Nissan em 1969 iniciou a sua campanha de marketing " Skyline of Love" (o Skyline do amor).

    É curioso o facto de que esta campanha é das que mais marcou o povo japonês, e aquela que mais permanece ainda na memória hoje em dia, factor indicador que se expressou na quantidade de unidades vendidas na 3ª geração (C10), que não é o da foto que aqui acompanha este texto, mas sim o seu antecessor...

    Em 1972, com o novo Skyline (C11 - o da foto), portanto a 4ª geração, a campanha evoluiu para uma nova "novela"...e passou a designar-se "Ken & Mary".

    Fui um grande sucesso e teve inúmeros vídeos promocionais, criando no mundo automóvel uma sequência entre modelos.

    Foi assim apelidada de Fenómeno Social...

    Mais tarde voltarei a pegar no "Ken & Mary" e desenvolver pequenos textos, por agora chega de informação.

    Espero que continuem a gostar...


    image.jpg

    http://www.youtube.com/watch?v=vcHd4Rtn3iU
     
    António Jesus e João Duque gostaram disto.
  10. "O motor que tornou o impossível possível"

    (The engine that makes the impossible possible)

    E foi mesmo o que aconteceu em 1979 quando a Nissan lançou o Cedric/Gloria - modelo 430, que foi o primeiro sedan japonês de grande exclusividade que incluiu e disponibilizou o motor turbo.

    Mas este feito teve um início, e esta ideia do turbo já pairava no ar desde o início da década de 70, porque devido ás grandes restrições de níveis de poluição a as tomadas de posição de políticas ambientais de combate à poluição, a industria automóvel teve que procurar novas soluções e adaptar-se, pois queria-se potência a todo o custo e ao mesmo tempo economia.

    Sob o tema dos motores mais pequenos e com grandes potencias, a Nissan desenvolveu o motor turbo, afirmando sempre que não seria necessário termos motores "enormes" para produzir potência qb, assim como também afirmou que com o desenvolvimento deste género de tecnologia, o consumo de combustível poderia ser mais baixo, o que levaria à marca a obter um certificado governamental de empresa ecológica e no rumo certo na pesquisa da tecnologia.


    image.jpg
     
  11. Roupa, comida e abrigo...um em cada casa...DATSUN

    A Nissan foi a marca que iniciou a produção em série/massa de toda a indústria japonesa automóvel, e foi iniciada onde hoje precisamente é a Fábrica de Yokohama.

    Alcançou a produção anual de 10.000 automóveis por ano, e foi em Yokohama que se produziram os carros mais baratos e acessíveis da marca.

    A missão da marca à época foi a de "Enriquecer a qualidade de vida das pessoas", e nesta perspectiva a Nissan conseguia manter os objectivos iniciais da marca.

    Com o crescimento da marca a dar-se mais tarde, a Datsun viu muitos dos seus modelos a serem fabricados em diferentes continentes, caso dos USA e Europa.

    image.jpg
     
  12. "Ficar com o palco" - A Liderança de um Produto...1935 - Nissan

    A inovação da Nissan pode ser vista não só na tecnologia, mas também na comunicação de marketing e em todas as campanhas que foram realizadas para o lançamento dos novos produtos.

    A Nissan colocava frequentemente os automóveis Datsun e Nissan "no palco" (na perspectiva física propriamente dita e na perspectiva de campanha).

    Os musicais sempre foram uma forma de entretenimento no Japão, e a Nissan era muitas das vezes o patrocinador oficial, porque primeiro era fotografados e simultaneamente personagens, depois porque apareciam em diversas revistas, fora os comentários que eram feitos pelos espectadores.

    A Datsun usou diversas actrizes famosas como imagem de marca no início dos anos 1930, caso da foto que acompanha este pequeno texto.

    Podemos facilmente perceber que a Nissan desde sempre foi bem conduzida, sendo mesmo inovadora em diversos campos, neste caso, na divulgação de um produto...


    image.jpg
     
  13. Evoluir a performance de condução a cada prova...

    Em 1936, a Nissan participou numa primeira série de eventos do desporto Japonês, sendo um dos mais emblemáticos o chamado "All Japan Automobile".

    Como a estratégia de publicidade funcionava para o público "comum", a Nissan pensa então em algo diferente e direccionado para um tipo de clientela diferente, assim a Nissan criou um carro especial para a corrida "All Japan automobile", o "Datsun NL-75", que ia estrear a última tecnologia disponível na época, um motor DOHC com compressor.

    O fantástico desta pequena história é que esta tecnologia funcionou exactamente como esperado, e a Nissan alcançou a vitória nesta prova, feito muito importante e que não só estimulou os departamentos de cariz mais desportivos da marca, mas que também originou desenvolvimentos noutras áreas e noutras marcas japonesas.

    Este episódio tem ainda uma outra história, mostra que a Nissan era uma empresa avançada para a época e desde o seu início...


    image.jpg

    Aqui o vídeo da corrida

    [MS HISTORY] Tama river Datsun Race
     
    António Jesus e João Duque gostaram disto.
  14. Em Novembro de 1924 a Ishikawajima Shipyards (empresa naval) funda uma empresa subsidiária, a Ishikawajima Aircraft Manufacturing Company.

    Como o próprio nome indica, companhia dedicada à aviação.
    (faz o seu primeiro avião de treinos que é muito conhecido, o Red Dragonfly)

    12 anos mais tarde, em 1936 a Imperial Japanese Army adquire a empresa e muda-lhe o nome para Tachikawa Aircraft Company Ltd.

    Daqui para frente, a Tachikawa constrói inúmeros aviões de tipos variados, e vão desde aviões de treinos, a caças e zeros exclusivamente para a IJA (Imperial Japanese Army).

    Dos aviões mais conhecidos ficam na história os KI-9, KI-36, devido a serem produzidos em massa, assim como alguns protótipos, caso do KI-77 que fez um voo directo de Tokyo a Nova Yorke (avião de longo alcance).

    Em 1940, a Tachikawa Aircraft Company Ltd vê-se autorizada na produção de um Lockheed Model 14 Super Electra, avião de diversos usos, que que seria construído exclusivamente para o transporte de tropas.

    Curiosidade: Este avião, foi usado muito em Moçambique, era operacional da DETA (LAM - Linhas Aéreas de Moçambique).

    Mas a Tachikawa não só produzia os seus próprios aviões como também produzia para outras grande companhias aéreas, por exemplo a Mitsubishi e o seu mais famoso avião, o Zero Fighter.

    Em Agosto de 1945, com a rendição do Japão ás forças aliadas, toda a indústria japonesa é afectada, fechando mesmo a produção em algumas áreas, e mais concretamente a da aviação.

    As instalações da Tachikawa Aircraft Company foram severamente bombardeadas durante os conflitos, a guerra quase a destruiu por completo, mas o que restou, o caso das pistas de aviação, o enorme terreno que estava demarcada, foram imediatamente ocupadas por forças militares americanas, tornado-se na Tachikawa Air Base.

    Com este enquadramento, muitos dos engenheiros que estavam ligados à aviação e que criaram soluções de desenvolvimento espacial durante décadas foram recrutados pela industria automóvel, o caso da Nissan e da Toyota.

    A Prince Motor Company, é assim o filho directo da Tachikawa Aircraft Company Ltd...e é fundada em 1952...

    - A História continua amanhã...vamos ainda fazer uma viagem atrás antes de prosseguirmos nesta maravilhosa jornada...

    - Espero que continuem a gostar deste tipo de História...está a dar-me um prazer enorme rebuscar as origens...


    image.jpg

    HD - Dogfight: Nakajima Ki-43 Oscar Hayabusa & Ki-21 - Imperial Japanese Army Air Forces Attack 1941

    Nakajima Ki-27 WW II Aircraft "Identification of Aircraft Japanese Fighters 96 & 97" 1942 US Army
     
    António Jesus e João Duque gostaram disto.
  15. E por agora actualizado...

    Todos os dias insiro um novo episódio...e o de amanhã será a continuação do anterior...PMC...
     
  16. Tal como tinha prometido ontem, hoje iria dedicar este post à Prince.

    Assim, e em forma de resumo, a Ishikawajima Shipyards (empresa naval) funda a Ishikawajima Aircraft Manufacturing Company, mais tarde esta é convertida na Tachikawa Aircraft Company Ltd e em 1945 esta devido à 2ª guerra mundial é praticamente destruída e transformada na Tachikawa Air Base, ocupada pelos Americanos.

    Após a dissolução da Tachikawa Aircraft Company Ltd em 1945, e dos engenheiros terem sido recrutados por diversas marcas, caso da Nissan e Toyota, a companhia muda de nome, e funda-se assim ainda no mesmo ano a Fuji Precision Industries.

    Esta empresa diversificou a sua área, deixando a aeronautica e intervindo em projectos diversos. Foi assim que desenvolveu a motorizada Fuji Rabbit, alguns microcarros, e o maior feito da companhia foi a produção do TAMA, o carro eléctrico Japonês.

    Este carro era construído em Madeira, viajava electricamente cerca de 100 km's e atingia uma velocidade de perto dos 60 km's/h.

    Tudo isto de deveu ao facto de a electricidade ser a fonte de energia que o Japão mais tinha após a guerra, pois era um país com poucos recursos no momento.

    6 anos mais tarde, em 1952 a Fuji Precision Industries muda então o nome, e inicia o grande legado, estava formada a Prince Motor Company.

    (curiosidade: A Fuji Heavy Industries era a Subaru - Departamento da Fuji Precision)

    Esta mudança está associada ao Príncipe Akihito's pela sua coroação (10 Novembro de 1952) e era assim uma forma de o homenagear atribuindo um título ao carro.

    Mas a Prince apenas ia durar dois anos, e em 1954 muda novamente para Fuji Precision Industries.

    A razão da mudança foi o facto de a Prince estar dedicada aos automóveis e a Fuji, empresa dominante desenvolver produtos noutras áreas.

    Assim, e em 1961, finalmente a Prince é cimentada como marca automóvel e serviria agora de marca apenas para o automobilismo, com qualidade, motor, luxo e exclusividade.

    Veja-se o caso do Skyline e do Glória, para não mencionar prémios adquiridos noutros automóveis, que são sucessos inequívocos mundialmente.

    Mas em 1966, e como estratégia de mercado japonês, a Prince era remodelada novamente, e a fusão da Marca acontece com a Nissan. (houve nesta época a fusão de grandes marcas, as que conhecemos hoje, Toyota, Mazda, Subaru, Isuzu etc todas elas adoptaram marcas existentes - As mais fortes adoptavam as mais fracas e tornavam-se muito fortes)

    O Nissan Laurel foi assim o primeiro produto Nissan-Prince apresentado em 1968...mas que tinha sido iniciado o seu estudo muito antes da fusão...e que sucesso...

    Amanhã há mais...

    Mas a Prince desapareceria em breve...até ao dia de hoje...

    Espero que não seja uma seca...ok!

    Se for digam!


    image.jpg

    http://www.youtube.com/watch?v=rnfmR5Ya1Sk
     
  17. Bem aparecido, Mário..!

    Bom tópico, continua lá com essas histórias que a malta gosta de ler e aprender mais alguma coisa. Eu sabia vagamente destas origens todas das marcas japonesas, mas já aprendi mais algumas coisitas.

    Um abraço!
     
    Renato Silva e Mário Macedo gostaram disto.
  18. Mário,

    Continua.

    Para além do prazer que dá escrever e divulgar conhecimento (só este já seria suficiente), há quem se interesse e leia com atenção.

    Obrigado,
    Pedro Ferreira
     
    Mário Macedo gostou disto.
  19. Não sou conhecido por ter especial predilecção por carros japoneses, mas... sempre defendi que enquanto classicos são "vitimas" de sobranceria por aqui.

    Sempre defendi que a industria automóvel japonesa no meio de uma produção massificada produziu pérolas ao mais alto nivel.
    Não sendo novidade é sempre bom reler estas histórias.
    Continue que estamos a gostar.
     
    Camacho Cêrcas e Mário Macedo gostaram disto.
Código de Verificação:
Rascunho Salvo Rascunho removido

Partilhar Página