Um já muito antigo interesse por motos!

Tópico em 'Motos e Motorizadas' iniciado por Carlos Vaz, 9 Fev 2019 às 21:50.

Tópico em 'Motos e Motorizadas' iniciado por Carlos Vaz, 9 Fev 2019 às 21:50.

  1. Rui Durão

    Rui Durão Clássico

    Registo:
    25 Jun 2018
    Local:
    Aldeia Galega
    Aprecio muito a engenharia desta mota. Aliás, dizem os boatos que a Yamaha nunca cobriu os custos que teve com elaa, e teve prejuízo com o modelo (mesmo usando um motor antigo). Estive mesmo para comprar uma há um par de anos... e depois fui experimentar. É um barco terrível e pesado, e o motor fica esmagado por todo aquele peso. Disse obrigado e vim-me embora...
     
  2. HugoSilva

    HugoSilva "Conduz com bom gosto!" - petrolicious.com
    Portalista Premium

    Registo:
    25 Mai 2015
    Local:
    Margem Sul
    Veículos nas Garagens:
    1
    As motas são um interesse meu relativamente recente até porque cresci a ouvir os meus familiares sempre a "cortarem" tais intentos por serem máquinas perigosíssimas e yada, yada, yada... e a verdade é que são, nos dias que correm eu que trabalho em Lisboa junto a uma artéria com algum movimento, vejo pessoal a conduzir motas com proteção corporal completamente desadequada, acho que a popularidade que as 125 ganharam desde que se passou a poder conduzi-las apenas com carta B veio promover situações dessas aliadas à inexperiência, que numa mota pode ser sinónimo de coisas graves.

    Não fico assim tão surpreso com esta "revelação" do @Carlos Vaz porque é só mais um aficionado dos carros que também gosta de motas, afinal são máquinas, ainda mais contra natura que os carros, e que na minha opinião promovem uma relação homem-máquina ainda mais íntima e arrisco dizer que se as explorarmos bem começam despertam uma paixão ainda mais ardente muito por culpa da tal ligação.

    Pessoalmente à data de hoje as que mais gosto são as cruisers, em parte por serem pastelonas (talvez me sinta menos em perigo!) mas também pela estética que tem vindo a conservar traços clássicos ao longo das décadas em quanto as outras tendências ficam cada vez mais modernas. Talvez as últimas Harley fujam a isto mas talvez seja uma mudança que está agora a chegar, até as estéticas clássicas por vezes precisam de se atualizar hehe

    - Museu do Caramulo

    A Yamaha a querer dar uma de Citroen hehe
     
    #22 HugoSilva, 11 Fev 2019 às 10:21
    Última edição: 11 Fev 2019 às 10:29
    Rui Durão gostou disto.
  3. Rafael Isento

    Rafael Isento Alfa Romeo 33 1.5
    Portalista

    Registo:
    18 Ago 2015
    Local:
    Porto
    Veículos nas Garagens:
    1
    Se bem me lembro, essa e a TZR250 (2T) andavam mais do que o que deviam.
     
    António José Costa gostou disto.
  4. Rui Durão

    Rui Durão Clássico

    Registo:
    25 Jun 2018
    Local:
    Aldeia Galega
    Descobri que a minha tinha a embraiagem queimada quando começou a patinar a 18x... fiz uma revisão completa, discos de embraiagem novos, carburadores afinados: chegou aos 19x...
     
  5. Rafael Isento

    Rafael Isento Alfa Romeo 33 1.5
    Portalista

    Registo:
    18 Ago 2015
    Local:
    Porto
    Veículos nas Garagens:
    1
    A TZR250 (2T) era apelidada de "mota assassina" ;)
     
  6. antunesfilipee

    antunesfilipee Clássico

    Registo:
    1 Ago 2018
    Local:
    Ourém
    Veículos nas Garagens:
    1
    A XF17 tinha um nome parecido! lol
    Diz que tinha muita má fama e é uma 50cc!
     
    JoaoFonseca gostou disto.
  7. Carlos Vaz

    Carlos Vaz Portalista
    Portalista

    Registo:
    21 Mar 2007
    Local:
    V. N. de Milfontes
    (continuação)

    A Yamaha é de facto uma marca que pelo seu posicionamento inovador tem incontáveis opções para este tópico. Não quero entrar por produto novo que a marca tem neste momento motos muitissimo interessantes mas não posso deichar de referir uma máquina quase unico que foi uma pedrada no charco em 1984, a Yamaha RD 500 LC, uma 2 tempos que se escapou das pistas quase directamente para as mãos de quem a quisesse comprar, um tempo que já não volta:



    [​IMG]

    Só no ano seguinte a Suzuki lançou a ainda mais brutal (mais leve e mais potente) RG 500 Gamma, mas a Yamaha será sempre a primeira:

    [​IMG]
     
  8. António José Costa

    Portalista

    Registo:
    5 Dez 2008
    Local:
    Odivelas
    Veículos nas Garagens:
    1
    Se as dois e meio já metiam respeito, estas definitivamente não eram máquinas para indivíduos pueris na pilotagem das duas rodas. :wub:
     
  9. Carlos Vaz

    Carlos Vaz Portalista
    Portalista

    Registo:
    21 Mar 2007
    Local:
    V. N. de Milfontes
    (continuação)

    Como disse a minha preferencia vai para bililindricos e monocilindricos especialmente por apreciar máquinas leves e muito maneáveis. Nesta medida a ideia de misturar quadros e suspensões de trail com rodas e travões de estrada é uma ideia bastante apelativa e está na base daquilo a que se costuma chamar de "supermotard", assim uma máquina que adorei ( e ainda gosto muito ) assim, em 1990/1991 nasce a primeira "supermotard" comercializada para o grande publico, a Gilera 600 Nordwest: [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]

    Notem que já nesta altura usava uma suspensão dianteira de baínhas invertidas!
    Ainda hoje gostaria mesmo muito de ter uma!
     
    Antonio Godinho gostou disto.
  10. Carlos Vaz

    Carlos Vaz Portalista
    Portalista

    Registo:
    21 Mar 2007
    Local:
    V. N. de Milfontes
    (continuação)

    Como já aqui tinha dito, o gosto por máquinas leves, simples e descomplicadas leva-me a gostar imensamente de monocilindrocas de estrada e se juntarmos a isso uma produção artesanal a coisa ganha outros contornos. Assim, algures em Italia um tipo maluco produziu uma máquina que será claramente um verdadeiro unicórnio. Um quadro imaginado e construído por ele (que acabou por ir evoluindo, (é provavel que não hajam mais que 3 ou 4 iguais) e não sei se chegaram a ser fabricadas as 50 que estavam planeadas. Usou-se um motor (de que desconheço o fabricante) usado em corridas de motos de speedway ao qual se acoplou uma caixa de 5 velocidades e com um nivel de equipamento reduzido ao máximo (nada de motor de arranque, ussa-se o bom e velho pedal de kick) a moto na sua versão final terá um peso de 117 kg a seco. Andará abaixo dos 130 kg em ordem de marcha com depósito cheio. Uma suspensão dianteira da Ceriani, amortecedor traseiro da WP e travões Grimeca e eis a formula para as mais retorcidas estradas de montanha. Era quase capaz de matar para ter uma.

    Apresento-vos a Borile B500 CR:
    [​IMG]

    [​IMG]
    [​IMG]
     
    JoaoFonseca gostou disto.
  11. Carlos Vaz

    Carlos Vaz Portalista
    Portalista

    Registo:
    21 Mar 2007
    Local:
    V. N. de Milfontes
    (continuação)

    Continuando o periplo pelas motos de que gosto realmente a grande conclusão que se pode tirar é que tal como em relação aos carros tenho mesmo muito "amor" para dar... são tantas as de que gosto que isto quase não tem fim.
    Continuando no tema das monocilindricas de pequeno volume vou agora falar de uma marca muito conhecida no nosso país, normalmente associada a máquinas de menor cilindrada.
    Produzida entre 2001 e 2004 esta máquina usa um monocilindro de 650cc da Suzuki e pessando menos de 160 kg a seco faz juz á simplicidade que aprecio. Trata-se da Sachs 650 Roadster:
    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]
     
Código de Verificação:
Rascunho Salvo Rascunho removido
  1. Este site utiliza cookies para o ajudar a personalizar os conteúdos, aprimorar a sua experiência de utilização e manter a sua sessão activa no caso de ter conta registada.
    Ao continuar você estará de acordo com a nossa utilização de cookies.
    Fechar Aviso