Taunus 20m P5 - 1967 - ajuda

João Nuno Cruz

YoungTimer
Boa noite a todos,

Vivo um momento único e estranho. Uma nostalgia bateu forte e não consigo desligar.

Ao fim de mais de 20 anos, vim a descobrir o meu primeiro carro, que pensava ter sido abatido, mas que afinal ainda existe.

Trata-se de um Taunus 20m P5 que se encontra presentemente no estado que se pode ver abaixo.

IMG-20220113-WA0009_1.jpg

IMG-20220113-WA0005_1.jpg

IMG-20220113-WA0006_1.jpg

A cor é a original e o carro deve ter "sofrido" muito durante estes anos.

Estou tentado a comprar o meu carro de volta, mas não faço ideia quanto poderá custar colocá-lo "novo" até porque não tenho conhecimento, nem habilidade para o fazer e teria que contratar alguém para o efeito.

Vale a pena o investimento? O carro quando foi dado para abate já não trabalhava há uns 4 ou 5 anos, mas devido a questões elétricas e corrosão, nada de mecânico. No entanto apenas veria a possibilidade de restaurar tudo do zero: mecânica, sistema elétrico, chapa, interiores...

Alguma ideia geral de quanto pode custar?

Ainda se arranjariam peças para o modelo? Irá certamente precisar.

Obrigado a todos

João Nuno Cruz
 
OP
OP
João Nuno Cruz

João Nuno Cruz

YoungTimer
Sei quem o está a vender, e não prevejo facilidades na negociação.

Pois acredito.

No entanto este carro como está, acaba por ter interesse para mim, pois sou a pessoa que tem maior probabilidade de resolver o "imbroglio" com a matrícula e abate. O atual dono só poderá vender o carro como um Zombie... ou para peças, pois não tem documentos do carro.

Enfim... não vai valer a pena o trabalho, ainda lhe vou é vender os documentos :)
 

Claudio Vilas

Veterano
Meu caro:
Estive a ler tudo quanto foi escrito e se me permite a opiniao aqui vai.
Eu tenho dois classicos. Um deles pertenceu e ainda pertence ao meu falecido PAi.
Minha Mae, queria que mandasse para a sucata. mas este carro esta na familia desde que foi comprado novo em 1969. Meu Pai quando chegou a casa o odometro indicava 8 kms. Foi neste carro que conheci Portugal. foi neste carro que muitas vezes fui para a escola. foi neste carro que eu e minhas irmas aprendemos a conduzir, foi neste carro que namorei, foi este carro que me levou e trouxe de Lua de Mel etc etc etc. Estou a falar de um Fiat 850 Berlina, carro utilitario.
O 127 foi um carro que eu ambicionava ter e consegui arranjar um a bom preço, mas ambos os carros sofreram restauros e cada um deles demorou 3 anos cada um.
Voltando ao 850 a vida dela nao foi facil. Como tal o tempo fez das suas e para o por em condiçoes ainda gastei algum dinheiro.
Quando falei com minha Esposa, com a minha Mae e Irmas, TODAS TENTARAM FAZER COM QUE DESISTISSE DA IDEIA. mas aquele carro que estava debaixo de um coberto, que ja nao trabalhava a quase 10 anos, estava a causar-me mau estar.
Olhar para aquele carro, estava grande parte da minha vida. bem como a figura do Meu Pai.
Resolvi, contra tudo e contra todos retaurei o carro.
Apos 3 ANOS, quando chegou do restauro, chamei as pessoas que nao queriam o restauro do carro.
Meu caro; nao imagina a cara das pessoas, porque o carro foi restaurado de forma original. Nao tem um parafuso a mais.
Todos choraram, porque nao pensavam que fosse possivel fazer aquele restauro e manter as caracteristicas do carro que conheceram, e de imediato, correu o filme na memoria de cada das aventuras passadas naquele carro.
Muitas mais coisas podia dizer. mas nao uqero ser enfadonho
Uma coisa pode ter a certeza. Se optar por recuperar o carro, vai gastar dinheiro, vai ter chatices, vai ter dores de cabeça, mas no fim o retorno emocional é GIGANTESCO.
Para finalizar, devo dizer que tirando raros carros, os valores gastos num restauro sao sempre superiores a avaliaçao que podem fazer do carro, mas QUAL O VALOR DA EMOÇOES E DOS MOMENTOS UNICOS QUE PASSOU NESTE CARRO?

Pense bem e decida.


Abraço

Claudio Vilas
 

JP Vasconcelos

Raio de Sol
Premium
Portalista
Tornar a comprar o primeiro carro passados tantos anos....... Eu cá nem pensava 2 vezes, fazia logo negócio!!
Depois logo pensava na asneira que tinha feito.....quando já não havia volta a dar.
Compre mas já o carro antes que alguém o faça e depois ainda se vêm a arrepender.

Estou contigo
Desgraça pela certa
 

JP Vasconcelos

Raio de Sol
Premium
Portalista
Meu caro:
Estive a ler tudo quanto foi escrito e se me permite a opiniao aqui vai.
Eu tenho dois classicos. Um deles pertenceu e ainda pertence ao meu falecido PAi.
Minha Mae, queria que mandasse para a sucata. mas este carro esta na familia desde que foi comprado novo em 1969. Meu Pai quando chegou a casa o odometro indicava 8 kms. Foi neste carro que conheci Portugal. foi neste carro que muitas vezes fui para a escola. foi neste carro que eu e minhas irmas aprendemos a conduzir, foi neste carro que namorei, foi este carro que me levou e trouxe de Lua de Mel etc etc etc. Estou a falar de um Fiat 850 Berlina, carro utilitario.
O 127 foi um carro que eu ambicionava ter e consegui arranjar um a bom preço, mas ambos os carros sofreram restauros e cada um deles demorou 3 anos cada um.
Voltando ao 850 a vida dela nao foi facil. Como tal o tempo fez das suas e para o por em condiçoes ainda gastei algum dinheiro.
Quando falei com minha Esposa, com a minha Mae e Irmas, TODAS TENTARAM FAZER COM QUE DESISTISSE DA IDEIA. mas aquele carro que estava debaixo de um coberto, que ja nao trabalhava a quase 10 anos, estava a causar-me mau estar.
Olhar para aquele carro, estava grande parte da minha vida. bem como a figura do Meu Pai.
Resolvi, contra tudo e contra todos retaurei o carro.
Apos 3 ANOS, quando chegou do restauro, chamei as pessoas que nao queriam o restauro do carro.
Meu caro; nao imagina a cara das pessoas, porque o carro foi restaurado de forma original. Nao tem um parafuso a mais.
Todos choraram, porque nao pensavam que fosse possivel fazer aquele restauro e manter as caracteristicas do carro que conheceram, e de imediato, correu o filme na memoria de cada das aventuras passadas naquele carro.
Muitas mais coisas podia dizer. mas nao uqero ser enfadonho
Uma coisa pode ter a certeza. Se optar por recuperar o carro, vai gastar dinheiro, vai ter chatices, vai ter dores de cabeça, mas no fim o retorno emocional é GIGANTESCO.
Para finalizar, devo dizer que tirando raros carros, os valores gastos num restauro sao sempre superiores a avaliaçao que podem fazer do carro, mas QUAL O VALOR DA EMOÇOES E DOS MOMENTOS UNICOS QUE PASSOU NESTE CARRO?

Pense bem e decida.


Abraço

Claudio Vilas
Mais um conselheiro da desgraça,
No teu caso não havia volta a dar, arrepender-te-ias a vida toda
 

JP Vasconcelos

Raio de Sol
Premium
Portalista
Acredito que possa haver opiniões bem diferentes. No meu caso concreto, nem aquece nem arrefece. O histórico familiar não vem à baila no dia a dia. Qualquer clássico podia ter proporcionado as experiencias e amizades que este proporcionou.

Assim compreendo melhor a forma como te mandas para as rotundas...
 

João Pereira Bento

128coupe
Portalista
Eu nem pestanejava...

Só se não tivesse qualquer sentimento pelo carro. Nem que tivesse de andar num Opel Corsa velho o resto da vida.

Agora se surgem dúvidas na cabeça e se pondera tanto. Já tenho dúvidas se vale a pena.

Bom negócio do ponto vista financeiro jamais.
 
OP
OP
João Nuno Cruz

João Nuno Cruz

YoungTimer
Boa noite,

Como devem compreender por todos os meus posts, apesar de alguma emoção ligada ao carro, o mesmo não tem nada de tão especial que me fizesse perder a cabeça só porque sim!

Por isso decidi analisar a coisa com alguma racionalidade.

Passei bons momentos com este carro nos cerca de 5 anos em que o usei? Sem dúvida, mas não concebi no seu interior nenhum filho (que saiba), nem inventei nenhuma tecnologia de ponta! Não me apaixonei por ninguém, mas chateei-me, não me levou a nenhum casamento (nem ao meu), mas também não me levou a nenhum divórcio.

Se pensar bem, o carro até só me deu dores de cabeça, literalmente, pois levar com aquele capot na testa e nariz, dói que se farta e ainda hoje tenho o nariz torto. Lembro-me de ter que o empurrar de manhã para pegar, pois com chuva e a frio era uma desgraça e o carro pesa que se farta. Lembro de ficar sem embraiagem e de só ter a 2ª mudança e de fazer 20 kms assim até casa. Lembro de meter 50$00 de gasolina e não dar para ir à praia e voltar para casa.

Em suma, confesso que ter este carro será mais um capricho e algo engraçado, mas nada tem que faça perder a cabeça.

Vamos ver como acaba...
 
Última edição:

RubenMariz

Portalista
Portalista
Estive a ler o tópico achei piada por também ser proprietário de um Ford Taunus 17m p3 , a meias com o meu pai e também é de 6v ( uma desgraça ) portanto vou dar uma opinião pessoal …

Convém primeiro pensar se quer um carro clássico ? O que será sempre uma trabalheira porque requer sempre espaço e atenção independentemente do estado …

Falando por mim eu não sou dado a sentimentos , nunca procurei ou quis um carro que fosse do meu pai ou de familiar , sou mais de comprar e usufruir o carro em si é se puder ganhar algum dinheiro para passar para outro clássico óptimo …

No entanto adorava restaurar um carro , como muitos portalistas já fizeram , pelo prazer/gozo pelas dores de cabeça etc , mas sabendo sempre que nunca se recupera o investido

O que se calhar convem mesmo ponderar é será que quer um clássico pelo gozo que dá , ou se quer um clássico pelas memórias/sentimentos que tem…

O taunus branco bem analisado até pode ser um óptimo negócio…
 
OP
OP
João Nuno Cruz

João Nuno Cruz

YoungTimer
Estive a ler o tópico achei piada por também ser proprietário de um Ford Taunus 17m p3 , a meias com o meu pai e também é de 6v ( uma desgraça ) portanto vou dar uma opinião pessoal …

Convém primeiro pensar se quer um carro clássico ? O que será sempre uma trabalheira porque requer sempre espaço e atenção independentemente do estado …

Falando por mim eu não sou dado a sentimentos , nunca procurei ou quis um carro que fosse do meu pai ou de familiar , sou mais de comprar e usufruir o carro em si é se puder ganhar algum dinheiro para passar para outro clássico óptimo …

No entanto adorava restaurar um carro , como muitos portalistas já fizeram , pelo prazer/gozo pelas dores de cabeça etc , mas sabendo sempre que nunca se recupera o investido

O que se calhar convem mesmo ponderar é será que quer um clássico pelo gozo que dá , ou se quer um clássico pelas memórias/sentimentos que tem…

O taunus branco bem analisado até pode ser um óptimo negócio…

Boa tarde

Esta é outra muito boa questão.

Não faço questão, neste momento da minha vida em, em ter um clássico. Ponto. Apenas o facto de ser o "meu" carro despoletou esta melancolia e vontade escondida.

A verdade, como disse acima, é que a ter um clássico, tenho que arranjar onde o guardar (mais um custo) e nunca serei eu a recupera-lo. No final tinha 2 motores tricilindricos montados em quadros de bicicleta (apenas para caricaturizar a minha falta de habilidade e conhecimento).

Ou seja, apenas teria no final um carro "idoso" para dar umas voltas de quando em vez.

Por isso o branco é uma não questão.

E o meu azulinho também o será por ventura, pois confesso que poderá ser um pouco um capricho sem muito sentido!

João Nuno Cruz
 

Nelson Santos

Powered by Taunus
Membro do staff
Premium
Portalista
Já venho tarde, pois a conversa já vai longa. Revejo-me no comentário do @Claudio Vilas . Estes carros, ou é pela paixão e pela ligação histórica/familiar com o carro e ai é esquecer o orçamento e andar para frente, ou se for pela parte monetária da coisa, nunca se vai recuperar os gastos.

Apesar da história familiar e pelo que pode ler, parece mesmo que a melhor solução será entregar os documentos ao atual dono do carro.
 

Abílio Quintas

Portalista
Portalista
Bom dia,

Li, por alto, os diversos sapientes conselhos que já lhe foram dados e pouco, ou nada, tenho a acrescentar.
Já soube de pessoas que compraram carros que, emocionalmente, lhes diziam alguma coisa e os guardaram até m€lhor€s dias chegarem. Não chegaram...

No fundo o que eu quero dizer é que, no seu lugar, tinha que analisar diversas situações:
1º O carro é assim tão importante para mim?
2º Conseguia imaginar o carro ser "enfardado" à minha frente?
3º No futuro não me iria arrepender de ou ter, ou não (e tê-lo perdido para sempre), comprado?
4º O valor que estão a pedir por ele não vem a "peso de ouro"?
5º Tenho espaço onde o guardar durante uns longos tempos (comprar para evitar perder o carro para sempre)?
6º Tenho dinheiro para investir nele? E perder a fundo perdido? (há quem ande nisto por negócio, outros por, palavras da minha mãe, toléria, outros porque gostam genuinamente e têm ligação emocional com os carros.)
Um carro destes, a precisar de muito restauro (e se viveu perto da praia ainda pior deve estar de chapa), iria sempre consumir um orçamento elevado.
Na parte financeira também tinha em consideração, além do restauro (para isso levava um bom mecânico e um bom chapeiro para darem uma estimativa por alto dos valores envolvidos. Se lhe faltavam já muitas peças originais ou se tinha que as comprar e qual a raridade delas), o eventual valor dele no final do restauro (isto para prever um impulso do qual no futuro me poderia vir a arrepender. Sei do que falo...).
7º Se for casado, e este deverá ser um dos mais (se não o mais) importantes fatores, se a mulher aceitava embarcar numa loucura destas...

Boa reflexão!
 
OP
OP
João Nuno Cruz

João Nuno Cruz

YoungTimer
Bom dia,

Li, por alto, os diversos sapientes conselhos que já lhe foram dados e pouco, ou nada, tenho a acrescentar.
Já soube de pessoas que compraram carros que, emocionalmente, lhes diziam alguma coisa e os guardaram até m€lhor€s dias chegarem. Não chegaram...

No fundo o que eu quero dizer é que, no seu lugar, tinha que analisar diversas situações:
1º O carro é assim tão importante para mim?
2º Conseguia imaginar o carro ser "enfardado" à minha frente?
3º No futuro não me iria arrepender de ou ter, ou não (e tê-lo perdido para sempre), comprado?
4º O valor que estão a pedir por ele não vem a "peso de ouro"?
5º Tenho espaço onde o guardar durante uns longos tempos (comprar para evitar perder o carro para sempre)?
6º Tenho dinheiro para investir nele? E perder a fundo perdido? (há quem ande nisto por negócio, outros por, palavras da minha mãe, toléria, outros porque gostam genuinamente e têm ligação emocional com os carros.)
Um carro destes, a precisar de muito restauro (e se viveu perto da praia ainda pior deve estar de chapa), iria sempre consumir um orçamento elevado.
Na parte financeira também tinha em consideração, além do restauro (para isso levava um bom mecânico e um bom chapeiro para darem uma estimativa por alto dos valores envolvidos. Se lhe faltavam já muitas peças originais ou se tinha que as comprar e qual a raridade delas), o eventual valor dele no final do restauro (isto para prever um impulso do qual no futuro me poderia vir a arrepender. Sei do que falo...).
7º Se for casado, e este deverá ser um dos mais (se não o mais) importantes fatores, se a mulher aceitava embarcar numa loucura destas...

Boa reflexão!

Bom dia

Não de forma tão sistematizada mas esta é uma análise que tenho vindo a fazer de forma continuada, então vamos lá:

1º - Não, não é! como referi, admito que será um pouco capricho e sentimento de propriedade

2º - Sim consigo. Teria pena, claro. Mas da mesma forma que dei o carro como perdido durante mais de 20 anos, o sentimento seria o mesmo.

3º - Acho que não, pois não é assim tão importante para mim

4º - O valor que pedem, que já percebi ser negociável, não é nada no bolo que teria que considerar para o restauro

5º - Não, não tenho, como já referi acima, este é um problema

6º - Sim tenho disponibilidade para isso, mas como também já referi, o facto de saber que não recuperarei o investimento feito se disso vier a ter necessidade, causa-me algum desconforto

7º - Sim, embarcaria mas não seria uma viagem em mares tranquilos, teria certamente dias mais complicados do que outros,.

Não havendo uma escala de pontuação neste exame, acho que o resultado seria para não me meter nesta aventura.;)
 
Topo