Renault Super 5 TL 1108 - '89

Tiago Daniel Moreira

Portalista
Portalista
Olá portalistas,
Venho finalmente abrir o DB da minha companheira (para já devem estar a perguntar porque raio este gajo trata um Super 5 no feminino mas à medida que for postando irão perceber) :)

Antes de isto se tornar efectivamente um Diário de Bordo haverá algumas publicações em jeito de introdução, organizadas por Capítulos, para vos ir dando a conhecer um pouco do que se passou desde a sua aquisição até hoje.

Contudo essas publicações não irão ser seguidas mas sim à medida que o tempo for permitindo, pelo que sintam-se à vontade para ir comentando :)



1º Capítulo - A Aquisição e o porquê da aquisição



Decorria o ano de 2015 e, chegando as férias de Verão, dei por mim sem nada com que me entreter.
"Vou comprar mais um carro" - pensei eu - "baratinho".
"Vou comprar um Renault 5!!!" :D


Porquê um Renault 5? A minha mae teve um GTL Lauréate de '85, foi o seu primeiro carro e o carro onde passei a minha infancia - eu adorava-o!

(Não encontrei fotos dele nos álbuns cá de casa. Com tempo irei cuscar nos arquivos do meu avô para ver se ele tem para lá alguma. Contudo era exactamente igual ao da imagem. A acrescentar apenas o plástico na entrada de ar que tem no capot, tal como o do @António José Costa )


image (5).jpeg



Aqui eu, no alto do meu ano e meio, ao volante da máquina :D ja sabia o que era bom!


image (6).jpeg



Fiquei muito triste quando se vendeu (por volta de 2003 para dar lugar a um Rover 414 si saloon) porque eu queria que eles guardassem aquele carro para mim (ora, em 2003 eu tinha uns 8 anos :p)

Fui ver um GTL beije de que estava anunciado por 350€. Nas imagens até não estava mal e mal pude esperar por o ir ver.

image.jpeg

image (1).jpeg


Quando lá cheguei deparei-me com um carro que efectivamente não estava nada mal mas tinha um "pequeno" problema: junta da culassa queimada.
Bah, isto era um "pormaior" que podia/devia estar indicado no anuncio. Além disso o preço era inegociável. Este é para esquecer.

Contudo, mesmo antes de sair de casa para ver este R5 beije abri o anuncio para rever as fotos e no canto inferior esquerdo apareceram-me vários Anúncios Relacionados, entre os quais o anuncio de um Renault Super 5.
Era um TL cinza prata de '89 anunciado por 400€. Não tinha qualquer ligação emocional aos Super 5, apesar de lhes achar piada. E pelas imagens parecia estar muito interessante.


image (2).jpeg


image (3).jpeg


Após o fracasso do R5 beije, cheguei a casa e decidi contactar o anúncio do Super 5. Vendedor muito simpático, morávamos perto um do outro, decidimos marcar um encontro para ver a máquina.

Nesse dia fui na minha companheira de 2 rodas:


image (7).jpeg


Adorei o carro, quis logo ficar com ele. Não era nada de especial mas eu tinha que o ter!
Estava bastante direitinho, com imensas peças novas. Aqui para nós que ninguém nos ouve, eu acho que o vendedor o vendeu pois já estava farto de gastar dinheiro nele :p
A única coisa que tinha a apontar era uma pequena fuga no radiador e acabou por ficar pelos 350€!


image (4).jpeg


Não contava ficar com ele muito tempo, era para ser um projecto de Verão: arranjar o que estivesse menos bem, divertir-me, passar bons momentos com a máquina e depois vender para fazer umas coroas.


Foi então no dia 27 de Julho de 2015 que me tornei o feliz proprietário de um Super 5! :D
 

Anexos

Última edição:

António José Costa

Regularidade=Navegação, condução e cálculo?
Portalista
Aguardo por mais capítulos, o 1º criou água na boca.
Tenho de seguir este tópico :)
É um excelente utilitário e um exemplar seguidor da estética dos R5.
Já o tens quase à 2 anos:thumbs up:.
 

Tiago Daniel Moreira

Portalista
Portalista
Olá portalistas,
Peço desculpa pela demora mas com o final do ano lectivo - e também final de licenciatura - tenho andado a mil. Quando tenho algum tempo para vir ao portal, bem... Confesso que é mais fácil ver o que vocês postam do que criar eu as minhas actualizações :p
Hoje trago-vos alguns momentos engraçados que passei aqui com o Super 5.



2º Capitulo - Histórias engraçadas



Lembro-me perfeitamente do que disse ao vendedor no dia em que em confirmei que ficava com o carro:
"Mal posso esperar por começar a viver as aventuras aqui com a Jackie"


image.jpeg


Sim, o Super 5 afinal não era "um" mas sim "uma".
Chamava-se Jackie e, confesso, não era o meu nome favorito.
Depressa os seus donos repararam e logo disseram: "mas podes mudar! Tem é de ser nome de menina, que ela é muito temperamental..."
Ora, longe de mim querer arranjar problemas com a minha nova paixão de verão... Nome de menina será!

E foi aqui que a Jackie, do alto dos seus 25 (quase 26) anos mudou de nome para Vicky! :D


image (1).jpeg


E em relação às aventuras, este carro era uma risota!

Tinha um elevador de uma das janelas que estava estragado e a janela além de descer em andamento, subia/descia sem qualquer esforço usando a mão (quase como se de uma janela de correr se tratásse).
Ora isto era super engraçado por vários motivos:

Um deles era que apesar de estarmos no Verão, certo dia houve um pequeno aguaceiro, então a pessoa que ia sentada no lugar traseiro do lado esquerdo teve de ir a viagem toda a segurar na janela para não levar com a chuva :D

Outro motivo era que eu fazia exactamente o que o Mr. Bean fazia com o Mini dele: trancava o carro e depois atirava a chave lá para dentro.
Era espectacular ver a cara das pessoas ao olhar para isto :D :p




Um outro episódio caricato que aconteceu - ainda referente à janela :p - foi que logo no dia após a compra, a Vicky teve o seu merecido banho e limpeza interior. Decidi abrir as janelas para deixar o carro a arejar, nunca mais me lembrei deste pormenor e, neste carro, as janelas traseiras também descem na totalidade.


image (2).jpeg


O quê que aconteceu? Pois bem, como não tinha forma de agarrar no vidro para o puxar (pois estava todo recolhido) e o elevador não o subia, já estão a imaginar... toca a desfardar a porta para o poder fechar :D

Outra coisa engraçada era quando chegava ao carro, dava à chave e nada acontecia. Quem vinha comigo nessas vezes não devia achar muita piada mas eu sorria e dizia: Ah! É o corte de corrente.
Elas ficavam doidas! :cool:
Mas qual corte de corrente? Aquilo tinha era uma ficha no cofre do motor por baixo do vaso de expansão que fazia mau contacto xD


image (3).jpeg



Então eu saía, abria o capot, dava um jeitinho à ficha e pedia a quem estivesse lá dentro para dar à chave. Nunca falhou! :D


Já para não falar das 2 vezes que vou a carregar no pedal da embraiagem e o pedal fica lá no fundo - cabo de embraiagem partido :p Mas não pensem que isso nos parou! Foi até ao Sr. Doutor pelas próprias rodas... das duas vezes! :thumbs up:

Enfim, como estas há imensas outras historias de aventuras com a minha Vicky que agora não me ocorrem mas depois irei relatando à medida que me for lembrando :)

Por hoje é tudo!
Espero que gostem :)


image (4).jpeg
 

Anexos

Última edição:

Tiago Daniel Moreira

Portalista
Portalista
Na minha meninice a minha mãe teve um R5 laureat, nunca o esqueci
Também nunca esqueci o da minha mãe, e conto um dia arranjar um igual :)


Bem, vinha cá dar um "up" e pelo que estou a ver o photobucket decidiu pregar uma partida <_<

Vou corrigir as fotos dos posts anteriores, primeiro que tudo.
Ainda bem que ainda só tinha feito 2 posts :D As vezes a preguiça é nossa amiga :p
 

Tiago Daniel Moreira

Portalista
Portalista
3º Capítulo - o prolongamento do contrato


Na altura da aquisição da Vicky a carrinha dos meus pais foi para pintar.

image.jpg


Isto não teria qualquer relação, não fosse o pintor adiar, semanalmente!, a entrega da carrinha durante quase 3 meses! Uma coisa que segundo ele era para ser feita em apenas numa semana...

Ora, estando a Passat inoperacional, restava a Vicky e a minha outra paixão, um 406 Coupé Pininfarina para servir a casa.


image.jpg


Como não me agradou muito a ideia de fazer do 406 carro do dia a dia, a escolhida para esta função foi a Vicky.

Serviu-nos durante todo o tempo em que a carrinha esteve a pintar sem nunca se queixar. A única coisa que tinha de fazer era verificar o nível do liquido de refrigeração, devido à pequena fuga no radiador.


image.jpg


Estando a Passat finalmente pronta e como o Verão já estava a chegar ao fim, já podia vender a Vicky.

"Mmm.... já?" :( - pensei eu. Eu não queria vendê-la já. Tinha a sensação que ela ainda tinha muitas aventuras preparadas para mim, mas o "combinado" com os cotas era que seria uma "paixão de verão". Estava na hora...

Dias depois, enquanto jantávamos, a minha mãe teve uma ideia genial (cenas de mãe, you know...) :

Porque não ficar com a Vicky durante o inverno, para evitar de usar o fidalgo (406) neste período?

É claro que aceitei logo! :D

E foi então aqui que se renovou o contrato com a Exma. Sra. D. Vicky por mais uma estação do ano :D


image.jpg
 

Anexos

Tiago Daniel Moreira

Portalista
Portalista
4º capítulo - onde é que já vai o contrato...!


Mais uma estação do ano passou e a Vicky nada chateou!

Até rimou :p


image.jpg


Muito pelo contrário, serviu sempre de forma honrada e fiel.
Tanto que até acabei por me "esquecer" e o contrato renovado para o inverno acabou por ser um serviço de ano lectivo inteiro!

Sim, estamos novamente no Verão (mas de 2016, que a Vicky apesar de ser multifacetada, viagens atrás no tempo é algo que não lhe assiste... ainda!)

Ou seja, passou um ano e a Vicky revelou-se uma excelente companheira, sem dar chatices, super divertida - a gente nunca sabia bem se ia chegar ao destino, mas sabíamos que nos íamos divertir imenso durante a viagem :D - bastante económica e acima de tudo super prática!


image.jpg


Foram 10.000kms de puro prazer e para assinalar o seu aniversario na minha mão adquiri uns centros de jante originais Renault. Saíram nos Super 5 (e penso que também nos Clios I) e, apesar de não saírem com a versão TL, acho-lhes um piadão :)


image.jpg


Foi por esta altura que me apercebi de uma coisa: Eu estava completamente rendido aos atributos da Vicky! Completamente "caídinho", completamente apaixonado!
Não fazia sentido nenhum vender a minha companheira pois ela revelava-se sempre pronta e disposta a levar-me para onde quer que fosse.
E não era só eu que estava rendido, cá em casa todos adoraram a Vicky e a opinião foi unanime em como não a devia vender.

A juntar a isto o facto de o carro ser uma boa base - a pintura apesar de ter uns riscos não tem podres; os fundos do carro estão impecáveis sem mossas nem corrosão; o chassis aparenta estar direitinho, sem sinal de acidentes; motor e caixa sem fugas de óleo - decidi ficar com ela! :)


image.jpg
 

Anexos

Topo