Sem IUC

Paulo Baião

Clássico
Tenho uma dúvida sobre o IUC, e venho apelar aqui ao pessoal se já alguém teve uma situação parecida.

O meu Renault 5 TX foi comprado por mim em 1990, e foi posto em nome do meu pai na altura por causa dos agravamentos do seguro pela minha idade e por ter menos de cinco anos de carta.

Foi vendido em 1992 a um comerciante que o teve quinze anos sem nunca circular com ele, nem o levar à inspecção.
O ano passado voltei a comprá-lo sem nunca ter saído do nome do meu pai.

Hoje fui às Finanças porque me lembrei que o mês de matrícula é Janeiro, calculando logo que fosse "apanhar" alguma multa pelo atraso.

Qual não foi o meu espanto quando me disseram que em nome do meu pai não estava associada aquela matrícula.
Perguntei à senhora que é que devia fazer, e ela disse-me para me apresentar com os documentos da viatura juntamente com os documentos do meu pai.

Lógico como bom "Portuga", a minha pergunta foi logo:

-E se eu não apresentar os documentos enquanto não recuperar o carro?
-Seria mais um ano ou dois sem pagar o IUC, pois a minha ideia seria na altura que tivesse o carro pronto a circular fazer a mesma apresentação para regularizar a situação.

A senhora não me soube responder, mas também não sabe se surgirão daí algumas consequências.

Há alguém por aqui que tenha alguma situação igual ou parecida?

Se alguém me conseguir elucidar sobre esta situação agradecia imenso.

Um abraço

Paulo Baião
 

tiago rodrigues

Portalista
Portalista
Que estranho!!
O engraçado nesta história do IUC é que em todas as repartições de finanças que alguns membros do portal se dirigem para fazer uma pergunta dentro da mesma área, a resposta é sempre diferente :cool::cool:
 

Paulo Baião

Clássico
Paulo Baião disse:
Tenho uma dúvida sobre o IUC, e venho apelar aqui ao pessoal se já alguém teve uma situação parecida.

O meu Renault 5 TX foi comprado por mim em 1990, e foi posto em nome do meu pai na altura por causa dos agravamentos do seguro pela minha idade e por ter menos de cinco anos de carta.

Foi vendido em 1992 a um comerciante que o teve quinze anos sem nunca circular com ele, nem o levar à inspecção.
O ano passado voltei a comprá-lo sem nunca ter saído do nome do meu pai.

Hoje fui às Finanças porque me lembrei que o mês de matrícula é Janeiro, calculando logo que fosse "apanhar" alguma multa pelo atraso.

Qual não foi o meu espanto quando me disseram que em nome do meu pai não estava associada aquela matrícula.
Perguntei à senhora que é que devia fazer, e ela disse-me para me apresentar com os documentos da viatura juntamente com os documentos do meu pai.

Lógico como bom "Portuga", a minha pergunta foi logo:

-E se eu não apresentar os documentos enquanto não recuperar o carro?
-Seria mais um ano ou dois sem pagar o IUC, pois a minha ideia seria na altura que tivesse o carro pronto a circular fazer a mesma apresentação para regularizar a situação.

A senhora não me soube responder, mas também não sabe se surgirão daí algumas consequências.

Há alguém por aqui que tenha alguma situação igual ou parecida?

Se alguém me conseguir elucidar sobre esta situação agradecia imenso.

Um abraço

Paulo Baião


Então, ninguém consegue ajudar?
 

António Sobral

Clássico
Paulo Baião disse:
Então, ninguém consegue ajudar?
Paulo, segundo eu percebi o carro é de Janeiro de 1990 e a matricula não está associada ao nome do teu pai. Certo?
Então estará em nome doutro titular, ou seja em nome do comerciante que comprou o carro. Ok? Logo quem deverá pagar o IUC será o comerciante. Senão for isto, a história está mal contada ou então eu não percebi nada.:huh:
 

Paulo Baião

Clássico
António Sobral disse:
Paulo, segundo eu percebi o carro é de Janeiro de 1990 e a matricula não está associada ao nome do teu pai. Certo?
Então estará em nome doutro titular, ou seja em nome do comerciante que comprou o carro. Ok? Logo quem deverá pagar o IUC será o comerciante. Senão for isto, a história está mal contada ou então eu não percebi nada.:huh:


Não António, o carro continua em nome do meu pai desde 1990.

O problema é esse, é ele não estar associado ao NIF do meu pai, e eu não saber o que hei de fazer.
Se vou lá e declaro o carro, ou se deixo passar mais alguns anos até vir a mexer no carro para o arranjar.


P.S.-- Eu sei que o mais correcto seria ir lá declará-lo e pagar, mas uma pessoa está sempre a dar dinheiro ao estado, e se eu conseguisse aguentar mais algum tempo...
Não sei é se depois não terei de pagar com retroactivos.
 

Miguel Menezes

Sumybraga
Portalista
Tenho um caso parecido com um amigo
Estivemos a ver no site e o carra não aparece mas como era de 71 ficamos com a ideia que era por ser antigo mas não o meu Sunbeam aparece, noa carros associados ao nif mas claro não nos pagantes
Ora bem, pelo que contas o carro nunca foi á inspeçao o do meu amigo tambem não será isso???
Há mais alguem no portal que tenha carro que nunca foi á inspeção se sim por favor veja se está no seu patrimonio no site das finanças
 

Paulo Baião

Clássico
António Sobral disse:
Só uma pergunta, a matricula encontra-se associada a outro numero de contribuinte? Ou não se sabe?

Que eu saiba não.
Como o carro foi posto em nome do meu pai, supostamente o único NIF a que tem de estar associado, tem de ser a ele(meu pai).


Miguel Menezes disse:
Tenho um caso parecido com um amigo
Estivemos a ver no site e o carra não aparece mas como era de 71 ficamos com a ideia que era por ser antigo mas não o meu Sunbeam aparece, noa carros associados ao nif mas claro não nos pagantes
Ora bem, pelo que contas o carro nunca foi á inspeçao o do meu amigo tambem não será isso???
Há mais alguem no portal que tenha carro que nunca foi á inspeção se sim por favor veja se está no seu patrimonio no site das finanças

É verdade Miguel, realmente o carro nunca chegou a ir à inspecção.

Será que eles cruzam informação?
E como nunca tiveram nenhuma entrada de despesa naquela matrícula, para eles não existe?? Será??
 

Jorze Santos

YoungTimer
A matricula não tem nº de contribuinte associado porque não pagou o imposto de selo nos ultimos anos.
Quanto mais cedo tratares do assunto, mais barato te fica, porque o fisco tem 4 anos para poder exigir o pagamento em falta e as coimas e juros são por tua conta (neste caso do teu pai).
 

Paulo Baião

Clássico
Jorze Santos disse:
A matricula não tem nº de contribuinte associado porque não pagou o imposto de selo nos ultimos anos.
Quanto mais cedo tratares do assunto, mais barato te fica, porque o fisco tem 4 anos para poder exigir o pagamento em falta e as coimas e juros são por tua conta (neste caso do teu pai).


Eles podem reclamar até 4 anos??

Mas isso é certo?
Não é estar a duvidar, mas não tenho vontade nenhuma de me "dar à morte".

Se for assim, contabilizando as coimas com os impostos, estou tramado...
 
Eu tive um problema parecido este ano. O ano passado em Janeiro adquiri um Toyota Corolla SR Coupe (um KE35) e preenchi a documentação necessária e registei o carro em meu nome (mais tarde recebi então o respectivo documento unico já em meu nome), e para meu espanto, este ano em Abril recebo um telefonema do antigo dono a dizer que eu não tinha registado o veículo em meu nome e que ia mandar apreender o carro. Ora, fui de imediato ao Registo Automóvel e expliquei a situação e msotrei o livrete em meu nome à funcionária que me atendeu e esta explicou-me que o antigo dono não podia mandar apreender o carro porque não era ele o dono e que o que importava eram os documentos que eu tinha, porque nas finanças os dados são recebidos do registo automóvel. De seguida dirigi-me às finanças e voltei a explicar a situação e o funcionário alterou logo os dados na base-de-dados para o veículo ficar em meu nome. só tive que apresentar o registo de propredade e livrete (no meu caso o documento único), BI e Nº contribuinte, mais nada. É claro que como o veículo é de 76 não paga, mas o antigo dono por vê-lo em seu nome nas finanças pensava que eu não tinha registado o carro.
 
Miguel Menezes disse:
Ora bem, pelo que contas o carro nunca foi á inspeçao o do meu amigo tambem não será isso???
Há mais alguem no portal que tenha carro que nunca foi á inspeção se sim por favor veja se está no seu patrimonio no site das finanças
Boas

Penso que o problema não será esse. Tenho um Fiat 600 de 1970 que está em "projecto de restauro" desde 1996 :(:( e nunca foi á inspecção ... embora esteja isento de IUC está listado no meu património no site das finanças. :huh:
 

António Carrapiço

Portalista
Portalista
Tanto quanto percebi são duas situações distintas:
-não pagar IUC e provavelmente ter de vir a pagar mais tarde
-não ter os documentos em ordem e correr o risco de o carro não poder voltar a circular

Eu tenho uma regra "primeiro trata-se da papelada para estarmos descansados, o restauro vai-se fazendo".
 

Paulo Baião

Clássico
Neste momento toda a gente tem razão, mas será lógico eu ir declarar um carro neste momento que devia fazer parte do património do meu pai, mas que por um lapso qualquer não consta a existência do mesmo, ou seja, regularizar a situação do mesmo para ficar sem dividas sobre a viatura enquanto com o desenrolar da situação, neste momento já devo ter a matrícula cancelada...???

Isto tudo é ridículo demais, porque neste momento não faço a mínima ideia do que devo fazer.

Apetece-me não ir às Finanças declarar o carro porque a matrícula está cancelada, mas ao mesmo tempo ponho-me a pensar que se um dia mais tarde recuperar o carro e tiver de pedir uma nova matrícula, não me irão "levantar" problemas por não ter pago o IUC??

Será que temos de pagar um Imposto de "Circulação" mesmo quando o carro não "circula"?

Supostamente este Imposto será para melhorar todas as infraestruturas rodoviárias do nosso país que ajudará em muito os carros que estão "parados"!!

Eu apesar de tudo gosto muito de Portugal e gostaria que o nosso país se tornasse um exemplo para as gerações vindouras, mas existem tantos contra-censos, tantos exageros, tantas tomadas de posição sobre assuntos em que as pessoas que têm o poder de decisão não fazem a mínima ideia do que é que estão a falar e sobre o que é que estão a decidir, que tudo isto me arrepia...

Não acredito que eu veja o "final" ao túnel, mas gostaria dentro do meu "tempo" de vida que espero seja muito grande, pelo menos "avistar" a luz ao final do túnel...

Desculpem lá o desabafo, não é em tom de revolta, é mais em tom de ironia...
 

António Carrapiço

Portalista
Portalista
Compreendo perfeitamente o desabafo que é comum a todos nós mas, quanto ao tema do tópico tens que decidir sozinho e arcar com as consequências sejam elas boas ou más.

penso que o Portal tem servido os seus propósitos de partilha de ideias, experiências e informações, no entanto, somos nós quem tem a ultima palavra.
 

Daniel Melo

Azimute
José Martins disse:
Eu tive um problema parecido este ano. O ano passado em Janeiro adquiri um Toyota Corolla SR Coupe (um KE35) e preenchi a documentação necessária e registei o carro em meu nome (mais tarde recebi então o respectivo documento unico já em meu nome), e para meu espanto, este ano em Abril recebo um telefonema do antigo dono a dizer que eu não tinha registado o veículo em meu nome e que ia mandar apreender o carro. Ora, fui de imediato ao Registo Automóvel e expliquei a situação e msotrei o livrete em meu nome à funcionária que me atendeu e esta explicou-me que o antigo dono não podia mandar apreender o carro porque não era ele o dono e que o que importava eram os documentos que eu tinha, porque nas finanças os dados são recebidos do registo automóvel. De seguida dirigi-me às finanças e voltei a explicar a situação e o funcionário alterou logo os dados na base-de-dados para o veículo ficar em meu nome. só tive que apresentar o registo de propredade e livrete (no meu caso o documento único), BI e Nº contribuinte, mais nada. É claro que como o veículo é de 76 não paga, mas o antigo dono por vê-lo em seu nome nas finanças pensava que eu não tinha registado o carro.
Ora bem; Nao vou contradizer o que acima esta "bem" escrito. Mas eu tive recentemente um caso nas finanças que nao Lembra o Diabo... Houve carro que foi importado e que obteve uma matricula de Lisboa, so que aqui nos Açores a Ex- DVG nao nao conseguia informaticamente registar o veiculo para mandar a documentaçao para a conservatoria. Por acordo entre Lisboa e Açores a matricula --CJ--, foi cancelada e passou a obter uma nova matricula --/--/AR, sendo esta ultima bem sucedida e enviada para a conservatoria. Passados 6 meses o dono deste veiculo foi as Finanças para pagar o IUC e la estavam 2 viatuas com as 2 matriculas para pagar € 550 por cada uma. Consultada a Conservatoria neste contexto, sobre a primeira matricula --CJ--, a mesma informou e passou uma declaraçao a dizer que, nao havia qualquer registo com esta matricula, por esta declaraçao ainda teve que se pagar € 3.00. Agora pergunto eu? O erro foi do proprietario? Essa da conservatoria dar informaçao para as Finanças traz agua no bico, deve haver mais cruzamentos de dados nao especificados. Mas se o dono fosse TOLO, pagaria o IUC 2 vezes por apenas um veiculo e para poupar algum ainda teve de pagar e provar que os serviços do estado e´que estavam enganados.
 

Carlos Pedrosa

Capri-Manta
Olá

Esse Carro, se é de 1984, como parece, foi abatida a matricula automaticamente ( visto que parece não ter feito inspecçõa após 01JAN2003), por força do novo decerto-lei que saiu há poucos dias. Logo, não será colocado nas finanças para efeitos de IUC.

espero ter ajudado

carlos
 
Topo