Escala 1/32 Os meus outros clássicos (Slot 1/32).

OP
OP
Antonio Godinho

Antonio Godinho

Veterano
Premium
Prosseguindo...
Henri Toivonen que em Março (Rally de Portugal) tinha sido um dos principais intervenientes do protesto contra as condições de segurança, passado 1 mês e no decorrer do Rally da Córsega 1986 ,despista-se ao volante do seu Delta S4. Daqui resultaram a morte do piloto e do seu co-piloto Sergio Cresto.

IMG_20201231_181250.jpg

IMG_20201231_181300.jpg


Este acidente a par com os demais acidentes mortais (Córsega 1985, Portugal 1986, Safari 1986, Hessen Rally 1986) ocorridos com carros deste Grupo, determina por parte da FISA com o fim do Grupo B.

Os principais protagonistas:

IMG_7401.JPG

WhatsApp Image 2021-02-21 at 12.43.24.jpeg
 

António José Costa

Regularidade=Navegação, condução e cálculo?
Portalista
Magníficos exemplares, muitos Parabéns!
Uma pena o original NG-81-41 ter desaparecido nos Açores.
Se me permites uma pequena nota, o primeiro modelo competição do Renault 5 Turbo não tinha nomenclatura oficial a Renault fabricou 20 modelos e vendeu 12 para competição-cliente e colocou-lhe o nome de Cévennes de Grupo 4 produzido em 1980 para a Renault e em 1981 para os clientes, teria dependendo da especificação entre 180-200cv, em Janeiro de 1983 para o Grupo B lançam então o R5 Tour de Course em honra à vitória aqui obtida anteriormente por Jean Ragnotti, foram fabricadas 20 unidades também, mas a Renault vendo o potencial e necesidade de manutenção fabrica de imediato peças para mais 50 unidades, não se sabe quantos Renault 5 foram alterados para a especificação Tour de Course à posteriori, inicialmente tinham 240cv, mas atualizações mecânicas posteriores foram elevando a potência (o do Joaquim Moutinho foi uma versão de 265cv, e as últimas tinham 285cv), o R5 Turbo Maxi mais 20 unidades, é uma máquina levada ao extremo, tão diferente que a Renault teve de fabricar e vender 200 unidades (Tipo 8221) adicionais com um motor de origem com mais de 1400cc, as especificações de potência já colocaste mas o que surpreende mais além da potência eram os mais de 400Nm, quando os Tour de Course não chegavam aos 300Nm.
Muito Obrigado pela partilha.
 
OP
OP
Antonio Godinho

Antonio Godinho

Veterano
Premium
Magníficos exemplares, muitos Parabéns!
Uma pena o original NG-81-41 ter desaparecido nos Açores.
Se me permites uma pequena nota, o primeiro modelo competição do Renault 5 Turbo não tinha nomenclatura oficial a Renault fabricou 20 modelos e vendeu 12 para competição-cliente e colocou-lhe o nome de Cévennes de Grupo 4 produzido em 1980 para a Renault e em 1981 para os clientes, teria dependendo da especificação entre 180-200cv, em Janeiro de 1983 para o Grupo B lançam então o R5 Tour de Course em honra à vitória aqui obtida anteriormente por Jean Ragnotti, foram fabricadas 20 unidades também, mas a Renault vendo o potencial e necesidade de manutenção fabrica de imediato peças para mais 50 unidades, não se sabe quantos Renault 5 foram alterados para a especificação Tour de Course à posteriori, inicialmente tinham 240cv, mas atualizações mecânicas posteriores foram elevando a potência (o do Joaquim Moutinho foi uma versão de 265cv, e as últimas tinham 285cv), o R5 Turbo Maxi mais 20 unidades, é uma máquina levada ao extremo, tão diferente que a Renault teve de fabricar e vender 200 unidades (Tipo 8221) adicionais com um motor de origem com mais de 1400cc, as especificações de potência já colocaste mas o que surpreende mais além da potência eram os mais de 400Nm, quando os Tour de Course não chegavam aos 300Nm.
Muito Obrigado pela partilha.

@António José Costa Obrigado!

O NG-81-41 ardeu, não foi?

Nada como um especialista da marca para nos dar uma lição de História... :thumbs up::)
 
Magníficos exemplares, muitos Parabéns!
Uma pena o original NG-81-41 ter desaparecido nos Açores.
Se me permites uma pequena nota, o primeiro modelo competição do Renault 5 Turbo não tinha nomenclatura oficial a Renault fabricou 20 modelos e vendeu 12 para competição-cliente e colocou-lhe o nome de Cévennes de Grupo 4 produzido em 1980 para a Renault e em 1981 para os clientes, teria dependendo da especificação entre 180-200cv, em Janeiro de 1983 para o Grupo B lançam então o R5 Tour de Course em honra à vitória aqui obtida anteriormente por Jean Ragnotti, foram fabricadas 20 unidades também, mas a Renault vendo o potencial e necesidade de manutenção fabrica de imediato peças para mais 50 unidades, não se sabe quantos Renault 5 foram alterados para a especificação Tour de Course à posteriori, inicialmente tinham 240cv, mas atualizações mecânicas posteriores foram elevando a potência (o do Joaquim Moutinho foi uma versão de 265cv, e as últimas tinham 285cv), o R5 Turbo Maxi mais 20 unidades, é uma máquina levada ao extremo, tão diferente que a Renault teve de fabricar e vender 200 unidades (Tipo 8221) adicionais com um motor de origem com mais de 1400cc, as especificações de potência já colocaste mas o que surpreende mais além da potência eram os mais de 400Nm, quando os Tour de Course não chegavam aos 300Nm.
Muito Obrigado pela partilha.
Uma pequena nota o maxi é 1527cc o tour de corse (e antecessor) é 1397cc
 

António José Costa

Regularidade=Navegação, condução e cálculo?
Portalista
@António José Costa Obrigado!

O NG-81-41 ardeu, não foi?

Nada como um especialista da marca para nos dar uma lição de História... :thumbs up::)

Sim no Rali dos Açores de 1986, se não estou em erro fuga de combustível, por causa de acidente.
Ver anexo 1204315

Uma pequena nota o maxi é 1527cc o tour de corse (e antecessor) é 1397cc

Correcto, o tour de Corse mantinha a cilindrada original, a mesma poderia ser aumentada, assim para o Renault 5 Maxi, foi lançado o Tipo 8221, com um bloco original de 1432cc, que poderia ser aumentado até aos 1527cc e ficaria ainda na classe pretendida pela Renault (1527*1,4= 2138cc, ainda dentro da classe B12 que permitia um peso baixo).
 
OP
OP
Antonio Godinho

Antonio Godinho

Veterano
Premium
Hoje vamos à minha marca de sonho...

Corria o ano de 2010 e durante umas férias de verão pelo sul da Alemanha, surgiu a oportunidade de visitar o Porsche Museum. Gostei de 99,999...% do que vi exposto, sendo que a área reservada aos 917 me deixou siderado...

Alemanha 2010 447.JPG

decidi então replicar em slot à escala 1.32 os modelos destas fotos...

Alemanha 2010 448.JPG
Alemanha 2010 460.JPG

Alemanha 2010 461.JPG
Alemanha 2010 462.JPG
Alemanha 2010 463.JPG
Alemanha 2010 467.JPG

E ao fim de 6 anos consegui reunir os 6 modelos...

DSCN9145.JPG

DSCN9155.JPG

sendo que o 917/20 "Pink Pig" e 917 LH "Martini" foram os mais complicados de arranjar. Le Mans Miniatures em resina...

DSCN9151.JPG
 
Última edição:

JorgeMonteiro

...o do "Boguinhas"
Membro do staff
Premium
Portalista
Por falta de disponibilidade andava a adiar a leitura deste tópico porque percebi que já havia muito para ler. Estou maravilhado. Não tinha noção que levavam esta "brincadeira" tão a sério.

Gosto de todo o enquadramento histórico e da forma criteriosa como é feita a seleção dos exemplares adquiridos.

A construção da pista também deve ter sido uma aventura entusiasmante. Fartei-me de rir com a "Godin Brothers Circuit" :lol:
 
OP
OP
Antonio Godinho

Antonio Godinho

Veterano
Premium
Por falta de disponibilidade andava a adiar a leitura deste tópico porque percebi que já havia muito para ler. Estou maravilhado. Não tinha noção que levavam esta "brincadeira" tão a sério.

Gosto de todo o enquadramento histórico e da forma criteriosa como é feita a seleção dos exemplares adquiridos.

A construção da pista também deve ter sido uma aventura entusiasmante. Fartei-me de rir com a "Godin Brothers Circuit" :lol:

Olá Jorge :)

Obrigado pelos comentários.

Não imaginas como esta "brincadeira" é levada tão a sério. Ainda não entrei no capítulo das preparações e regulamentos para competição "à seria" à semelhança dos campeonatos e corridas 1:1 (velocidade, Ralis e Regularidade). A pandemia fechou grande parte das lojas, clubes e pistas, pelo menos em Portugal. Em Espanha, pelo menos na Catalunha a coisa perdeu algum dinamismo, com a falência de alguns dos principais fabricantes, mas os campeonatos continuam mesmo que a um menor ritmo.

Quanto ao nome da pista caseira, eu e o meu irmão fazemos parte da mesma equipa. Daí o nome. Eu tenho o meu circuito caseiro e o meu parque automóvel e ele tem o dele... :p
 
Última edição:
OP
OP
Antonio Godinho

Antonio Godinho

Veterano
Premium
Continuando com os 917...

Este sport protótipo participou em provas de resistência de 1969 a 1971. Venceu por diversas vezes as 24 Horas de Le Mans (1970 e 1971) tendo estabelecido um recorde de 397 voltas (mais de 5000km rodados), recorde este que se manteve até 2010. Porém para conseguir essa façanha, esse carro tinha um segredo: era construído em magnésio, um material bem mais leve, mas muito inflamável. Ninguém sabia, nem mesmo os pilotos. Mas foi suficiente para ganharem a prova e estabelecerem o recorde.

A partir de 1971, as regras estabelecidas pela FIA fizeram com que apenas carros com motores menores de 5 litros competissem, o que fez com que o 917 fosse banido das pistas.

O carro teve algumas subdivisões de modelos, como o 917 K, o 917/30, o 917 LH e os 917/10 e 917/20 que corriam pelo campeonato americano Can-Am. Neste campeonato, as regras eram praticamente as de que, o carro teria que ser um carro de dois lugares, sem teto, e tivesse 4 rodas.

Vamos às fotos...

Gulf livery

917K

DSCN9610.JPG

DSCN9616.JPG



DSCN9615.JPG

917 LH

DSCN9605.JPG

DSCN9607.JPG

917 - 10

DSCN9604.JPG

DSCN9603.JPG

917 - Spyder

DSCN9611.JPG

DSCN9612.JPG

917K (Preparação de competição)

DSCN9618.JPG

DSCN9619.JPG

DSCN9621.JPG

O conjunto...

DSCN9629.JPG

DSCN9630.JPG
 
OP
OP
Antonio Godinho

Antonio Godinho

Veterano
Premium
...

Gostei do pormenor do nome do piloto.

Faz parte, faz parte... :)

O mundo do Slot Car através dos seus diversos clubes tenta replicar nas escalas 1:32 ou 1:24 aquilo que se passa nas provas de competição reais. Por ex: na altura do ano em que se realizam as 24 Horas de Le Mans, são vários os clubes de slot que realizam a mesma prova mas na escala 1:32. Podem ser constituídas equipas de 2 ou 3 elementos e a prova tem a duração de 24 horas devendo os carros ser equipados com luzes dianteiras e traseiras. Os regulamentos em si também são semelhantes.

O mesmo se passa relativamente aos ralis e às provas de velocidade monomarca. Em muitos casos e para não haver vantagem de uns carros sobre outros, os regulamentos proíbem o uso de motores que excedem um determinado valor magnético, tudo isto para reduzirem o efeito de íman sobre as calhas metálicas. Sim, e mesmo no caso dos carros trazerem íman de origem, o mesmo deverá/terá de ser retirado ficando a habilidade dos pilotos mais exposta.

Casos há, em que o valor de inscrição na prova já inclui o motor e os pneus a utilizar. Dessa forma garante-se que em termos de motores e de pneus todas as equipas estão em pé de igualdade.

O peso dos carros também é controlado, havendo um peso mínimo a partir do qual os carros não podem participar. O tipo de patilhão, das patilhas e os números de dentes quer da coroa, quer da cremalheira ficam ao critério de cada qual. A disposição do motor, em linha, em diagonal ou de lado bem como a utilização de suspensões (rijas, moles ou intermédias) e a dureza dos chassis idem.

À semelhança das corridas reais, antes das provas os carros passam pelas verificações (controlo técnico) e se estiverem OK! ficam estacionados em parque fechado até ao início da respetiva prova :cool:
 
Topo