O gozo de um restauro pelo sentimento

Rui Azevedo

YoungTimer
Iniciei o restauro de um Fiat 600D; à cerca de 3 anos, era pertença da minha mãe, mas quem o gozava era o sr.Azevedo, meu pai, que sempre disse que quando se reformasse o poria num brinco. Infelizmente tal não foi possivel e após 12 anos de o ver na garagem, resolvi que era de vez! Como sou da Vila das Aves, vizinho de um colega de Santo Tirso que tive o prazer de ler, lá procurei o sr. Antunes que devagar, mas com um zelo primoroso o pôs novo, "como um brinco" (sem qualquer tipo de alterações, exceptuando as caracteristicas dos peneus). Gostava que o sr. Azevedo o pudesse ver, e ter o gozo que eu tenho quando olho para ele. LINDO !!!
 

David Cunha

SAPEC
Portalista
Olá Rui,:cool:

Seja Bem Vindo....

E de facto dá muito prazer o restauro de um automóvel clássico mas também dá muitos problemas, nem que seja como a mulher ou namorada...:wacko::D

Por não percebem que temos mesmo que fazer aquilo ou outra coisa qualquer, porque se não formos nós ninguém o faz... e depois só temos o fim-de-semana logo podem esquecer a volta dos tristes aos domingos, só depois da máquina estar um brinco ai sim temos volta e ainda por cima na nova viatura...:p:D
 
Topo