"Herdei" um clássico mas não estava em nome do meu pai.

Laura Santos

YoungTimer
Boa tarde.

O meu pai possuía um santuário de carros antigos... uns muito bem estimados, outros julgo que seriam para peças...

Após o recente falecimento do meu pai descobri que alguns dos carros (clássicos) que estão bem guardados na garagem não estão em nome dele e de um nem sequer encontro os documentos (acredito que os vá encontrar em alguma gaveta mas para já só tenho a certeza que não estavam em nome dele porque não encontro os IUC para pagar)...

Não sei como regularizar a situação dos veículos...

Falaram-me em registar por usocapião (desconhecia que este mecanismo também podia ser utilizado em carros)... ou em tentar entrar em contacto com os anteriores proprietários ( carros comprados à mais de 20 anos... onde vou encontrar os proprietários???)

Se me puderem ajudar...
 

Rafael S Marques

Pre-War
Membro do staff
Premium
Delegado Regional
Portalista
Olá Laura, em 1º lugar os meus sentimentos pela tua perda. Para já, podes começar por fazer um levantamento das matriculas e com elas ir à conservatória e pedires o registo delas, aí vais ficar a saber quais é que pertencem ou não ao teu pai, só depois podes avançar.

Já agora, que clássicos são, há fotos dos mesmos?

Abraço.
 

João Pedras

Pre-War
Premium
Portalista
Boa tarde, outra vez

Os meus sentimentos pelo teu pai.

Fiz uma pesquisa aqui pelo forum e encontrei este post, espero que ajude.


Alguém devia criar um post permanente com as instruções para procurar um carro:
No primeiro serviço é possível verificar qual o estado da matrícula no sistema sem pedir a certidão (que custa 10€). E se pedir a certidão fica com a morada do atual proprietário.
O segundo serviço permite verificar se existia algum seguro ativo numa determinada data (até ao ano 2000?).
O terceiro permite verificar quantas inspeções o veículo fez sem pedir a certidão (que custa 30€ ou coisa parecida).
Alguém contribui com mais recursos?
 

JorgeMonteiro

...o do "Boguinhas"
Membro do staff
Premium
Portalista
Se tiveres acesso à área pessoal do teu pai no site da Autoridade Tributária poderás ver a lista de Veículos em nome dele, os que forem anteriores a 1980 não pagam IUC, mas aparecem na lista.

Os que não aparecerem na lista, será preciso pedir a certidão na conservatória e tentar descobrir o proprietário. Poderá dar-se o caso de o proprietário ser "honesto" e fazer voluntariamente a transferência de propriedade para ti.

Os que não se conhecerem o paradeiro do proprietário, já deverá ser mais complicado, e eu nem sei como ajudar.
 
OP
OP
Laura Santos

Laura Santos

YoungTimer
Se tiveres acesso à área pessoal do teu pai no site da Autoridade Tributária poderás ver a lista de Veículos em nome dele, os que forem anteriores a 1980 não pagam IUC, mas aparecem na lista.

Os que não aparecerem na lista, será preciso pedir a certidão na conservatória e tentar descobrir o proprietário. Poderá dar-se o caso de o proprietário ser "honesto" e fazer voluntariamente a transferência de propriedade para ti.

Os que não se conhecerem o paradeiro do proprietário, já deverá ser mais complicado, e eu nem sei como ajudar.
Obrigada... Mais uma ajuda...
 

JorgeMonteiro

...o do "Boguinhas"
Membro do staff
Premium
Portalista
Obrigada... Mais uma ajuda...


Eu não sei bem como funcionam estas coisas, mas como é hábito em Portugal, poderá eventualmente haver informação mais antiga que não está informatizada, e nesses casos terás mesmo que pedir a certidão na conservatória.
 
Laura, em primeiro lugar, na minha opinião deves ir À conservatória do registo automóvel e fazer o pedido para cada viaturas " tem custos" provavelmente podes ter viaturas que não estejam informatizadas, ai aguarda para esperares mais de um ano..." já me aconteceu a mim" é a forma como trabalham alguns serviços públicos.......:(
Após isso ou tentas contactar a pessoa que vier mencionada como proprietária e podes ter a sorte de te assinar a declaração e fica tudo resolvido " eu já passei por isso, e assinaram, mas foi um filme" ou podem-te colocar problemas para tentar reaver o carro, como agora está na moda toda a gente querer o carro, que foi do pai ou do avô....
Ou podes através da lei " usucapião " para viaturas julgo que são 6 anos, mas não confirmo.......

Podes começar por aqui, para verificares se as matriculas estão canceladas......

Instituto da Mobilidade e  dos Transportes, IP

Outra forma é tentar através de um " amigo" mediador de seguros, que verifique alguma informação ou um amigo das autoridades..........;)
 

João Luís Soares

Pre-War
Membro do staff
Premium
Delegado Regional
Portalista
Resumindo e tentando dar uma ajuda mais:

1º - Verificar na área pessoal do teu pai no Portal das Finanças quais os carros que estão em nome dele.
No referido Portal, ver em Início > Os Seus Serviços > Consultar > Veículos > Veículos Actuais

2º - Se algum carro estiver em nome do teu pai e não encontrares os documentos, pedir uma segunda via dos mesmos, já em nome de quem herda. (A herança directa é gratuita, se não for, o novo registo custa cerca de 60€)

3º - Nos carros que não estão em nome do teu pai, ir a uma Conservatória do Registo Automóvel pedir a morada do último proprietário (5€) ou o registo de todos os proprietários (7€).

4º - Contactar os proprietários ou tentar registar os carros por usucapião. Neste caso, convém fazer a coisa bem feita com a ajuda de um advogado.
.
5º - Se precisar de mais ajuda, voltar a perguntar aqui.

6º - Mostrar algumas fotos dos carros, que nós somos cuscos e viciados.
 

afonsopatrao

Pre-War
Conservatória do Registo Automóvel, rapidamente e em força. Como o que está em causa aqui é a titularidade dos direitos, interessa pouco a base de dados tributária ou técnica (do IMT).
Aí se verificará quais são os automóveis que estão em nome do seu pai e quais não estão; e quanto aos que não estão, faz-se a justificação (o processo de invocação de usucapião) directamente na conservatória, sem necessidade de advogado.

O meu último conselho é, se possível, ir a uma conservatória especificamente de registo automóvel (e não a uma de serviços agregados), pois os funcionários terão muito mais experiência nos processos de justificação.

Em todo o caso, são coisas relativamente simples e baratas. Só haverá complicação se alguma das matrículas tiver sido cancelada no varrimento de 2006... caso contrário, não há nada a temer.
Felicidades.
 

Fernando Reis

Clássico
Olá,
Penso que por não pagar IUC, nem estar informatizado pode nem aparecer na AT, que era o meu caso,
embora eu não tivesse dúvidas quanto à propriedade, porque eu tinha os documentos, e felizmente a "herança" não se deveu a falecimento.
Também não tive a má experiência de esperar um ano para a informatização do registo, demorou apenas uns dias.
Boa sorte
Fernando
 
Olá,
Penso que por não pagar IUC, nem estar informatizado pode nem aparecer na AT, que era o meu caso,
embora eu não tivesse dúvidas quanto à propriedade, porque eu tinha os documentos, e felizmente a "herança" não se deveu a falecimento.
Também não tive a má experiência de esperar um ano para a informatização do registo, demorou apenas uns dias.
Boa sorte
Fernando


Fernando eu tive a experiência de esperar mais de um ano e depois de muitas insistências, consegui falar com uma senhora que era onde estava o arquivo " Beja ou Évora" já não me recordo e em 20 minutos ficou tudo informatizado..................
 
Infelizmente nos nossos serviços públicos, depende muito da pessoa que nos atende. Há pessoas 5 estrelas, simpáticas e que nos ajudam a resolver os problemas outros que por comodismo ou casmurrice acham que nos estão a fazer um frete e que lhes devemos vassalagem... Infelizmente já encontrei de tudo um pouco...

Mas nada de desistências Laura! Muitas vezes as coisas avizinham-se mais simples de resolver do que imaginamos.
 

Fernando Reis

Clássico
Mesmo sem documentos, se encontrar as declarações de venda, acho que deverá ser o suficiente para efectuar um registo novo.
 

João Luís Soares

Pre-War
Membro do staff
Premium
Delegado Regional
Portalista
Olá,
Penso que por não pagar IUC, nem estar informatizado pode nem aparecer na AT, que era o meu caso,
(...)

Se o registo de propriedade foi feito correctamente, tem de aparecer na lista dos veículos actuais.

Infelizmente nos nossos serviços públicos, depende muito da pessoa que nos atende. Há pessoas 5 estrelas, simpáticas e que nos ajudam a resolver os problemas outros que por comodismo ou casmurrice acham que nos estão a fazer um frete e que lhes devemos vassalagem... Infelizmente já encontrei de tudo um pouco...
(...)

Já foi mais assim. Mas o melhor é fazer como diz o Afonso: ir a uma Conservatória do Registo Automóvel, em vez de ir ao IMT ou à loja do cidadão.
A experiência dos funcionários conta muito. Se só tratam de registos automóveis, naturalmente são melhores profissionais nesse campo do que um funcionário que trate de muitas coisas diferentes todos os dias.
Eu já pedi vários registos e já mudei a propriedade de alguns veículos e fui sempre bem atendido, com simpatia e rapidez.
 
Se o registo de propriedade foi feito correctamente, tem de aparecer na lista dos veículos actuais.



Já foi mais assim. Mas o melhor é fazer como diz o Afonso: ir a uma Conservatória do Registo Automóvel, em vez de ir ao IMT ou à loja do cidadão.
A experiência dos funcionários conta muito. Se só tratam de registos automóveis, naturalmente são melhores profissionais nesse campo do que um funcionário que trate de muitas coisas diferentes todos os dias.
Eu já pedi vários registos e já mudei a propriedade de alguns veículos e fui sempre bem atendido, com simpatia e rapidez.


Verdade João, quem trata de muitos assuntos normalmente não é especializado e desconhece pequenos detalhes que podem fazer a diferença mesmo no que diz respeito aos detalhes que determinam o uso capião para os veículos que não têm documentos.
 

Samuel

Portalista
Portalista
Fernando eu tive a experiência de esperar mais de um ano e depois de muitas insistências, consegui falar com uma senhora que era onde estava o arquivo " Beja ou Évora" já não me recordo e em 20 minutos ficou tudo informatizado..................

Comigo também demorou um pedaço mas nem tanto. Talvez meio ano é porque se lembraram de enviar os documentos para a morada que estava nos registos manuais e que nem estava atualizada pelos registos manuais dos documentos.

Acredito que uns casos sejam mais fáceis de resolver que outros mas há que ter esperança.

Não acredito muito na boa fé dos amigos proprietários (pelo que já se disse e porque ter um clássico está na moda) por isso sugeria que antes de qualquer contacto com os eventuais antigos proprietários, se tenha esclarecido os processos e os direitos com um advogado, de preferência, amigo :)
 
Topo