Frascofilia & Garrafas

Amaro Pereira

Clássico



Novamente


Depois de um período de ausência ( Férias )


Estou de volta ao " Portal " para continuar a dar o meu contributo.


E começo por agradecer a todos os que continuam a darem o seu contributo para que este forum continue a prestar a sua função que é dar a conhecer aquilo que há de melhor no nosso país e não só, bem como a nível mundial.

E hoje começo por partilhar 2 garrafas pirogravadas da fabrica " A Imperial Setubalense ",
Trata-se de 2 garrafa dos refrigerantes " TODY "

Apesar de eu não estar a juntar garrafas pirogravadas ( salvo raras excepções ), acho que estas garrafas me merecem consideração. Foram adquiridas muito recentemente numa viagem que fiz ao continente.


" TODY " pode ser muita coisa, pode ser uma avenida, pode ser uma marca de cacau e pode ser como as imagens documentam uma marca de refrigerantes. Também me parece que apesar de tudo não são muito conhecidas
ou pelo menos são pouco partilhadas, é uma pena, por isso fica aqui o meu contributo, já que eu por enquanto não faço questão de retirar aquilo que até agora partilhei com todos os entusiastas, coleccionadores e visitantes deste portal " Tópico das garrafas "

DSC07343.JPG DSC07344.JPG DSC07345.JPG DSC07346.JPG DSC07347.JPG




Um grande abraço para todos, e assim uma vez mais acontece.
Amaro Pereira​
 

Anexos

Última edição:

Amaro Pereira

Clássico




" Grande descoberta "


Novidade


Depois de muita procura, e atendendo a que tenho a convicção de que houve a reutilização de garrafas de grés para comercializar o ginger beer por parte de outros pequenos produtores de forma muito artesanal ( produções caseiras familiares ), normalmente desenvolvidas por um ou 2 trabalhadores, dado que o consumo na altura à mais de 160 anos era muito reduzido. O que eu não esperava era que aparecesse uma nova bebida.


" GINGEBIA "

É aqui que entra a grande descoberta, a tal novidade, quem diria que depois destes anos todos seriamos surpreendidos por uma nova bebida da família da cerveja e ginger beer, chamada de " Gingebia ". Sem ter a certeza, deduzo por puro empirismo que se trata de uma espécie de ginger beer, uma nova versão, assim sendo torna este achado fenomenal e histórico, e uma vez mais me sinto um felizardo por o descobrir.

" A importância deste achado por tratar-se de uma nova e desconhecida bebida é tão mais importante pelo facto de agora existir uma prova documental ( garrafa com o rotulo ), que pelo facto de ser uma peça centenária, com perto de 110 anos, resistiu ao tempo e à tentação do " deitar fora ".

É com enorme satisfação que partilho esta peça com todos os entusiastas, coleccionadores e visitantes em geral, apesar de ter dito a algum tempo atrás que não ia partilhar mais fotos de garrafas de grés de cerveja ou ginger beer da Madeira ou nacionais, abro aqui e agora a excepção, porque também acho que uma vez que este achado é deveras importante e no superior interesse coleccionista e histórico, fica aqui o registo para memoria futura.


Sem mostrar mais garrafas de grés de cerveja e ginger beer, sempre vou adiantando que esta aquisição não veio só, e que foram adquiridas para além deste exemplar mais outros dois exemplares de outros 2 produtores, que no seu conjunto totalizam já 26 exemplares diferentes na minha modesta colecção.

Quando comecei a juntar este tipo de garrafas nunca imaginei a quantidade e a sua variedade, estou agradavelmente surpreendido e simultaneamente satisfeito, esta colecção por ser de garrafas todas elas centenárias, com idades que variam entre os 110 anos e os 160 anos tem uma importância acrescida.

A ilha da Madeira que por influencia dos Ingleses, desenvolveu e comercializou esta bebida ( cerveja e ginger beer ), em garrafas de grés, fê-lo como nenhuma outra região do país, apesar da dimensão das grandes cidades como Lisboa e Porto, pelo menos no que diz respeito às garrafas gravadas em baixo relevo ou impressas.

Quero também referir que apesar de eu não estar a coleccionar garrafas com rótulo de papel, há excepções, e, esta garrafa tem um " papel " ( rótulo ), muitíssimo importante.


DSC07369.JPG DSC07370.JPG DSC07371.JPG DSC07372.JPG DSC07374.JPG DSC07373.JPG



E assim uma vez mais acontece.
Amaro Pereira​
 

Anexos

Última edição:

Amaro Pereira

Clássico



Comboios de Portugal


A meter água à mais de 30 anos


Hoje vou falar de uma garrafa da CP, que era usada para engarrafar água supostamente gaseificada.

Estas garrafas eram usadas para consumo interno, e são muito similares às garrafas gaseosas Espanholas, por esse facto iam passando despercebidas, e só por mero acaso me deparei com uma garrafa destas, que ao invés das gaseosas Espanholas que eram pirogravadas, esta é gravada em alto relevo com o logotipo da CP.

Trata-se então de uma garrafa com fecho de arame e tampa de cerâmica da CP, com a capacidade de 900ml, que adquiri na ultima viagem que fiz ao continente, e que como disse a adquiri por mero acaso, porque desconhecia a existência de garrafas deste género usadas pela CP, e quando reparei nesta garrafa associei logo às garrafas pirogravadas Espanholas ( que não me dizem nada ), só à segunda passagem é que depois de olhar com olhos de ver me apercebi que se tratava de uma garrafa nacional.


Mais uma garrafa com história, para recordar por aqueles que delas beberam, e para memoria futura dos actuais e futuros coleccionadores de garrafas.


Seguem as imagens da dita, acompanhada de uma outra garrafa da CP, esta já mais conhecida.


DSC07348.JPG DSC07350.JPG DSC07351.JPG





E assim acontece
Amaro Pereira
 

Anexos

Boa noite.

Encontrei aqui no Brasil mais um frasco português. Trata-se de um frasco dos “SAES DAS AGUAS DE MOURA”, encontrado em contexto (depósito de lixo) datável entre 1890 e 1910. Ele mede 6,5 cm de altura e 2,3 cm de diâmetro na base e foi soprado em moldo duplo. Sua base é plana, polida a fogo, mas ainda apresenta vestígios da marca ou cicatriz de ponteio.

IMG_3144A.JPG

IMG_3146A.JPG
IMG_3151A.JPG

Anúncio veiculado no jornal O Paiz, do Rio de Janeiro, em 12 de agosto de 1888 informa o preço (2$500 réis), a posologia (duas colherinhas), detalhes da embalagem e os nomes do fabricante português (Assumpção Torres & Cia., Lisboa) e de seu agente no Rio de Janeiro (Correia de Azevedo e Fontes).

O Paiz [Rio de Janeiro], ano V, n. 1405, 12.8.1888, p. 6 (recorte).JPG

Alguém tem mais alguma informação sobre o fabricante ou frascos semelhantes?

Abraço a todos.

Daury de Paula Júnior
 

Anexos

Pedro Soares

Ferreira
Boa tarde

Ficam estas imagens da Cerveja Simões de Ponte de Sôr, com a particularidade de serem diferentes na altura, e ainda da pirogravagem ser diferente no tamanho das espigas e das letras.

Cumprimentos
João Barroca
Tenho uma garrafa Simões repetida igual a essas mas a pirogravura é um amarelo mais acinzentado e não é a pirogravura gasta ;)
 

Paulo jr Silva

Veterano
De volta ao forum, para um pedido de informação sobre 3 garrafas que encontrei enterradas no lodo
uma garrafa incolor com relevo picotado e na frente com um circulo liso, suponho para o rotulo em papel
por baixo da garrafa em relevo diz
refrigerantes cartaxo !!
outra garrafa em vidro verde escuro quase castanha com o gargalo esgui tipo de vinho
por baixo V M P S vimeiro meleçaço e pedras salgadas suponho !

A ultima garrafa de vidro verde um pouco larga e tem em relevo Carvalhelhos
Penso que serão garrafas dos anos 50
depois meto fotos
qualquer informação agradecia
 
Topo