FPDCVA - Federação Portuguesa de Desporto e Cultura de Veículos Antigos

Amigo Pedro,
eu sou membro fundador da ACAL(Ass.dos Classicos e Antigos da Leziria),associaçao essa que tem 18meses, 80 socios,e o que gostamos è de dar bons passeios, conviver com outros clubes da regiao etc etc, nao queremos ser nem melhores nem piores que os outros.
O elo em comum sao as nossas "loucas maquinas doutros tempos".
Se as grandes organizaçoes nao querem saber dos nossos problemas porque estao entretidos com guerrinhas entre francosaxosinosamericanosanglosteutoes e outros entao somos nos os pequenos que devemos tratar de nos proprios, portanto penso que vamos ter de tomar uma atitude do genero que referi mais acima, e se nao forem 20 irao 18 ou 15 carros é preciso é chamar a tençao de quem governa que somos tao portuguesescomo outros que tem rios dele$$$$.
Eu nao entendo como eu pagando impostos , segurança social em dia, ordenados dos meus 2 funcionarios em dia etc etc, pague 550€ de IUC por um carro com 37anos, percorrendo na melhore das hipoteses 1000Kms ano,e que um Sr com um 500SL ou um Ferrari nao do quantos , que custaram 125 ou 150 000€, percorrem algums milhares de Kms/ano paga a mesma quantia que eu;
sao estas desigualdades que neste momento tem de ser revistas a meu ver e urgentemente.
E facil o Sr Presidente deste clube ou do outro dizer
" caros socios nao paguem o IUC, nao é legal, bla, bla, bla, nimguem deve de pagar etc etc"
e quando o estado vier bater a minha porta com ordem de penhora disto ou daquilo onde estara esse Sr Presidente?
 
Armando Fonseca disse:
Nem mais, esperemos bem que:
(..)

- Continuemos sem uma entidade que previna a saida de veiculos classicos que fazem parte da historia do nosso pais
, só por curiosidade alguem sabe onde param os carros da Diabolique :huh::huh: Pois.
(...)

PS.: Vivam os Classicos em Geral
Cá estão eles:D.

As fotos são todas recentes, pelo que devem estar todos em Portugal. Dos mais significativos, só não sei do RS1800, DM-49-88, mas deve de estar na posse de Carlos Bica.
O vermelho, acho que apenas recebeu apoio da Diabolique em alguns ralis, penso que ainda está na posse de José Miguel.
 

Anexos

Pedro Pires

pedrompires
Jose Pedro Silva Machado disse:
Amigo Pedro,
eu sou membro fundador da ACAL(Ass.dos Classicos e Antigos da Leziria),associaçao essa que tem 18meses, 80 socios,e o que gostamos è de dar bons passeios, conviver com outros clubes da regiao etc etc, nao queremos ser nem melhores nem piores que os outros.
O elo em comum sao as nossas "loucas maquinas doutros tempos".
Se as grandes organizaçoes nao querem saber dos nossos problemas porque estao entretidos com guerrinhas entre francosaxosinosamericanosanglosteutoes e outros entao somos nos os pequenos que devemos tratar de nos proprios, portanto penso que vamos ter de tomar uma atitude do genero que referi mais acima, e se nao forem 20 irao 18 ou 15 carros é preciso é chamar a tençao de quem governa que somos tao portuguesescomo outros que tem rios dele$$$$.
Eu nao entendo como eu pagando impostos , segurança social em dia, ordenados dos meus 2 funcionarios em dia etc etc, pague 550€ de IUC por um carro com 37anos, percorrendo na melhore das hipoteses 1000Kms ano,e que um Sr com um 500SL ou um Ferrari nao do quantos , que custaram 125 ou 150 000€, percorrem algums milhares de Kms/ano paga a mesma quantia que eu;
sao estas desigualdades que neste momento tem de ser revistas a meu ver e urgentemente.
E facil o Sr Presidente deste clube ou do outro dizer
" caros socios nao paguem o IUC, nao é legal, bla, bla, bla, nimguem deve de pagar etc etc"
e quando o estado vier bater a minha porta com ordem de penhora disto ou daquilo onde estara esse Sr Presidente?
O Imposto Único de Circulação para os Clássicos importados é sem dúvida uma questão a ser revista, mas não nos podemos esquecer do Imposto Sobre Veículos (ISV), que é agora o que era antigamente o Imposto Automóvel (IA). Os Clássicos também são sujeitos a ISV quando são importados.

A Federação, só irá intervir em nome dos associados dos Clubes que se associarão nela, perante determinados requisitos que espero que não se tornem em fundamentalismos, falo da originalidade a 100%. Ou seja o particular não inscrito em nenhum Clube, temo que não irá ser defendido, basta ver a postura que até agora o ACP e CPAA têm tido e são eles 2 dos fundadores da dita Federação. Dou o exemplo dos IPO's para os carros do CPAA que são temporalmente mais alargados que para um carro vulgar, devido ao facto de estarem homologados, com os custos inerentes ao pedido de certificação, já para não falar do custo para colocar o veículo ao critério da exigente comissão técnica desse Clube. Só em homologações, já é um grande negócio.

Cito agora o site do CPAA, a propósito dos IPO's:

«VISTORIAS - Circulação Automóvel

A legislação portuguesa exige que obrigatória e anualmente todos os veículos com mais de quatro anos se submetam a uma inspecção, efectuadas nos centros oficialmente reconhecidos, no mês indicado no livrete.

Contudo, o Despacho n.º 10298/2001 - 2ª Série da Direcção Geral de Viação, isenta dessa obrigatoriedade anual os automóveis de fabrico anterior a 1 de Janeiro de 1960, desde que reconhecidos como veículo antigo, pela Comissão Técnica do CPAA - Clube Português de Automóveis Antigos.

Para o reconhecimento como veículo antigo, necessita que este esteja homologado pelo CPAA. Esta homologação será feita pela Comissão Técnica do Clube de acordo com a classificação FIVA.

Os veículos matriculados depois de 1 de Janeiro de 1960, podem também ser homologados pelo clube, após prévia certificação em qualquer I.P.O. oficial.

O Certificado de Homologação, emitido pela Comissão Técnica, tem uma duração Pré-determinada que é a seguinte:

Categoria A 10 anos
Categoria B 10 anos
Categoria C 8 anos
Categoria D 8 anos
Categoria E 6 anos
Categoria F 4 anos
Categoria G 4 anos »
 
Fábio Silva disse:
Cá estão eles:D.

As fotos são todas recentes, pelo que devem estar todos em Portugal. Dos mais significativos, só não sei do RS1800, DM-49-88, mas deve de estar na posse de Carlos Bica.
O vermelho, acho que apenas recebeu apoio da Diabolique em alguns ralis, penso que ainda está na posse de José Miguel.
Boas,

Muito obrigado pelas informações, dei o exemplo da Diabolique por ter sido a equipa que mais se destacou no desporto automovel Nacional e seria uma pena ver uma parte importante da historia desportiva automovel deixar terras lusas.

Fico contente por saber que se encontrarem por ca bem preservados :D

Abraço
 
Pedro Pires disse:
Ou seja o particular não inscrito em nenhum Clube, temo que não irá ser defendido, basta ver a postura que até agora o ACP e CPAA têm tido e são eles 2 dos fundadores da dita Federação.
Ora ai esta uma dos pontos interessantes, não sei o que pensam, mas eu estou um pouco cansado de entrar numa seguradora e dizer que quero um seguro para um classico e a resposta é imediatamente esta :

Seguradora:"A viatura esta homologada no CPAA?"
EU:"Não"
S:"Entao é considerado uma viatura normal"
E:"Mas o carro tem mais de 25 anos"
S:"Pois mas tem de estar inscrito no CPAA"

Esta conversa passou-se a semana passada,

Basta abrir as paginas de uma revista Inglesa e comparar com as nossas revistas e ver a quantidade de ofertas de seguros que eles tem com condições especiais para classicos em relação a nos.

Abraço
 

Pedro Pires

pedrompires
Armando Fonseca disse:
Ora ai esta uma dos pontos interessantes, não sei o que pensam, mas eu estou um pouco cansado de entrar numa seguradora e dizer que quero um seguro para um classico e a resposta é imediatamente esta :

Seguradora:"A viatura esta homologada no CPAA?"
EU:"Não"
S:"Entao é considerado uma viatura normal"
E:"Mas o carro tem mais de 25 anos"
S:"Pois mas tem de estar inscrito no CPAA"

Esta conversa passou-se a semana passada,

Basta abrir as paginas de uma revista Inglesa e comparar com as nossas revistas e ver a quantidade de ofertas de seguros que eles tem com condições especiais para classicos em relação a nos.

Abraço
O que sinto é que por detrás das homologações deve estar um bom negócio. Desconheço quanto se paga, mas presumo que não seja barato. Se eu lá for homologar o meu carro e ele não passar, possivelmente não me é restituido o dinheiro ou parte dele. Se o meu carro for homologado e um dia o vender, será que ele perde a homologação e o novo proprietário terá de gastar outro tanto para o homologar novamente?

Armando, mas nem todas as seguradoras exigem a homologação. Omeu 2002 não está homologado e tem acesso a um seguro para veículo antigo, sem restrições à circulação.
 

Rui Rego

bmw2002t
Quando li esta noticia, fiquei um pouco "assustado" ou desconfiado, se o objectivo desta nova comissao for defender o interesse dos clássicos/actividades, ajudar na regulamentação de pontos ausentes sobre clássicos, e for nosso porta voz para aquele que ignora ou seja o Estado, então as minhas desconfianças não têm qualquer fundamento.

Digo isto pelo seguinte facto, quando surgiu o boom dos passeios e actividades turisticas Todo Terreno, tambem foi constituida a FPTTT-Federação Portuguesa De todo terreno turistico, e foi feito um protocolo com a administraçao Interna para se poder "passear" em zonas protegidas/floresta sem haver problemas, tudo para dar a conhecer o interior, etc., só que tudo não eram rosas, para se poder organizar passeios tinham de ser empresas ou clubes registados,, mesmo que sem fins lucrativos, até aqui tudo bem, mas para isso tinhamos de ser associados da FPTTT, e na altura que me informei há uns 6 anos , havia a joia e quota anual o que dava 600 e poucos euros, depois por cada passeio havia um seguro obrigatorio por participante ,7€, que devia figurar junto à inscrição e por cada inscrição a FPTTT ficava com uma parte ou taxa ou coisa assim, depois foi criado um produto novo , o cartão de praticante, comprava-se directamente a FPTTT e tinha o seguro obrigatorio já incluido. Fazendo as contas eram milhares de euros que entravam e que poucas vezes saiam para o que devia ser, houve diversas queixas que depois de diversas actividades licenciadas as mesmas não puderam ser realizadas pois a FPTTT não comunicava a GNR que naquele dia realizava-se um passeio na zona e um grupo de 30 ou 40 jipes iam "passear e conhecer a regiao". Se pesquizarem em foruns Todo Terreno vão encontrar lá estas ideias, depois também houve quem se queixasse de perseguição, se o passeio não tivesse o aval da FPTTT era ilegal e logo as autoridades eram comunicadas para tomar conta do caso.

Só espero que não seja mais um caso destes, actividades com clássicos licenciadas que agora era a Fpak é que tratava disso, encontros não licenciados são considerados ajuntamentos e estacionamento indevido, etc, espero não estar a fazer um bicho de sete cabeças, mas já vi um filme começar muito bem e o fim acabar muito mal.
 
Pedro Pires disse:
Armando, mas nem todas as seguradoras exigem a homologação. Omeu 2002 não está homologado e tem acesso a um seguro para veículo antigo, sem restrições à circulação.
Pois eu sei que sim Pedro, a ultima simulação que fiz deu 120€ anuais sem restrições :feliz:

Mas fico "ao contrario" cada vez que me fazem essa pergunta.

Abraço
 

Pedro Pires

pedrompires
Rui Rego disse:
Quando li esta noticia, fiquei um pouco "assustado" ou desconfiado, se o objectivo desta nova comissao for defender o interesse dos clássicos/actividades, ajudar na regulamentação de pontos ausentes sobre clássicos, e for nosso porta voz para aquele que ignora ou seja o Estado, então as minhas desconfianças não têm qualquer fundamento.

Digo isto pelo seguinte facto, quando surgiu o boom dos passeios e actividades turisticas Todo Terreno, tambem foi constituida a FPTTT-Federação Portuguesa De todo terreno turistico, e foi feito um protocolo com a administraçao Interna para se poder "passear" em zonas protegidas/floresta sem haver problemas, tudo para dar a conhecer o interior, etc., só que tudo não eram rosas, para se poder organizar passeios tinham de ser empresas ou clubes registados,, mesmo que sem fins lucrativos, até aqui tudo bem, mas para isso tinhamos de ser associados da FPTTT, e na altura que me informei há uns 6 anos , havia a joia e quota anual o que dava 600 e poucos euros, depois por cada passeio havia um seguro obrigatorio por participante ,7€, que devia figurar junto à inscrição e por cada inscrição a FPTTT ficava com uma parte ou taxa ou coisa assim, depois foi criado um produto novo , o cartão de praticante, comprava-se directamente a FPTTT e tinha o seguro obrigatorio já incluido. Fazendo as contas eram milhares de euros que entravam e que poucas vezes saiam para o que devia ser, houve diversas queixas que depois de diversas actividades licenciadas as mesmas não puderam ser realizadas pois a FPTTT não comunicava a GNR que naquele dia realizava-se um passeio na zona e um grupo de 30 ou 40 jipes iam "passear e conhecer a regiao". Se pesquizarem em foruns Todo Terreno vão encontrar lá estas ideias, depois também houve quem se queixasse de perseguição, se o passeio não tivesse o aval da FPTTT era ilegal e logo as autoridades eram comunicadas para tomar conta do caso.

Só espero que não seja mais um caso destes, actividades com clássicos licenciadas que agora era a Fpak é que tratava disso, encontros não licenciados são considerados ajuntamentos e estacionamento indevido, etc, espero não estar a fazer um bicho de sete cabeças, mas já vi um filme começar muito bem e o fim acabar muito mal.
Espero que cá no nosso burgo não chegue a esse ponto, por este relato do Rui há apenas a lamentar a atitude dessa dita Federação de Todo o Terreno.

Existem muitos projectos portugueses, no seio dos clássicos, que não constituem associações mas comunidades virtuais e que organizam de vez enquando bons passeios proporcionando horas de salutar convívio entre muitos entusiastas. Nada poderá impedir que um grupo de amigos com carros antigos se juntem para convívio em espaços públicos. Seria no minímo impensável que orgãos públicos e autoridades negassem a possibilidade de haver encontros de pessoas com automóveis clássicos não filiadas numa Federação de carros antigos em zonas públicas.

Mas voltanto ao tema, e alargando a sua abrangência, como será a relação futura entre a FPVA e a FPAK no âmbito de organização de provas desportivas de clássicos?
 

Pedro Pires

pedrompires
Armando Fonseca disse:
Pois eu sei que sim Pedro, a ultima simulação que fiz deu 120€ anuais sem restrições :feliz:

Mas fico "ao contrario" cada vez que me fazem essa pergunta.

Abraço
No meu caso é por filiação a um clube que me proporciona o pagamento de 65€/ano de seguro, ou seja, 50€ pelo básico e mais 15€ por assistência em viagem (facultativo). Para além deste encargo, tenho a quota anual de 25€. O custo de seguro do 2002, para mim representa 95€ (seguro + quota do clube).
 
Fabricio Estebes disse:
Porreiro, afinal sempre alguém consegui levar por diante esta aventura.
Espero muito sinceramente que não se torne mais um CPAA e um ACP clássicos.
Caríssimo, Milagres não há, de certeza que os envolvidos são os mesmos e os clubes tambem...
Vamos continuar a ver defendidos os interesses dos clássicos de elite e os seus proprietários.
Os outros, os populares só lucram por arrasto...
 
Jose Pedro Silva Machado disse:
Eu nao entendo como eu pagando impostos , segurança social em dia, ordenados dos meus 2 funcionarios em dia etc etc, pague 550€ de IUC por um carro com 37anos, percorrendo na melhore das hipoteses 1000Kms ano,e que um Sr com um 500SL ou um Ferrari nao do quantos , que custaram 125 ou 150 000€, percorrem algums milhares de Kms/ano paga a mesma quantia que eu;
sao estas desigualdades que neste momento tem de ser revistas a meu ver e urgentemente.
E facil o Sr Presidente deste clube ou do outro dizer
" caros socios nao paguem o IUC, nao é legal, bla, bla, bla, nimguem deve de pagar etc etc"
e quando o estado vier bater a minha porta com ordem de penhora disto ou daquilo onde estara esse Sr Presidente?
Eu acho que esse problema vai acabar agora com a Federação, porque de certeza que muitos dos envolvidos têm ou querem clássicos nessas circunstancias. Será com certeza uma das prioridades que até se torna bem visível dando prestigio à instituição..
Se fosse algo que não afectasse também a elite bem que nunca vias o problema resolvido.:D
 
Pedro Pires disse:
No meu caso é por filiação a um clube que me proporciona o pagamento de 65€/ano de seguro, ou seja, 50€ pelo básico e mais 15€ por assistência em viagem (facultativo). Para além deste encargo, tenho a quota anual de 25€. O custo de seguro do 2002, para mim representa 95€ (seguro + quota do clube).
Pedro, os seguros de clássicos a 50 e poucos euros não implicam a filiação em qualquer Clube.
Seguros a este preço foram o chamariz para muitos se inscreverem, acho que já é tempo de se desmistificar esse assunto.
Hoje basta ir à net ou assinar uma revista e consegue-se isso na boa.:rolleyes:
É altura dos clubes chamarem gente mostrando realmente as vantagens de se pertencer a clube.
 

Pedro Pires

pedrompires
Jorge Faustino disse:
Pedro, os seguros de clássicos a 50 e poucos euros não implicam a filiação em qualquer Clube.
Seguros a este preço foram o chamariz para muitos se inscreverem, acho que já é tempo de se desmistificar esse assunto.
Hoje basta ir à net ou assinar uma revista e consegue-se isso na boa.:rolleyes:
É altura dos clubes chamarem gente mostrando realmente as vantagens de se pertencer a clube.
Não digo o contrário Jorge, no entanto alio o útil ao agradável. Gosto do convivio entre os entusiastas e de frequentar eventos do clube onde me filiei, dai ter o seguro por intermédio deles.

Muitas vezes vejo pessoas a quererem entrar no clube unica e exclusivamente pelo seguro, as quais aconselho desde logo a procurar esse beneficio na seguradora. Ou se gosta do clube pelo prazer que eles nos proporciona e participar na sua vida ou se pretendemos apenas o seguro não vale a pena serem filiados.

Isto é a mesma coisa do Benfica, Sporting ou Porto, se gostamos de viver a vida do clube e participar activamente nele vale a pena o vinculo de sócio, se é apenas para ver alguns jogos e ser um mero adepto não vale a pena se vincular.

Mas temos de ter em atenção que existem clubes que não oferecem apenas como benefício o seguro, existem outros benefícios celebrados através de protocolos com outras entidades, umas ligadas ao ramo automóvel e outras não.
 

Pedro Pires

pedrompires
Esqueci-me de referir há pouco um caso raro, uma pessoa filiada no clube onde também estou, com uma colecção de perto de 50 veículos antigos, na maioria cabriolet e não tem um único seguro pelo clube, no entanto e por gostar de viver o clube mantém o vinculo de sócio.

Existem também outros casos de pessoas sem seguro pelo clube e associadas em vários clubes.

Ser sócio dum clube, mais que pelos benefícios oferecidos, é sê-lo porque se gosta do clube e se gosta de participar na sua vida. Hoje em dia, infelizmente, o vínculo de sócio prende-se pelas vantagens oferecidas e não pelo gosto do clube.
 
So uma achega acerca do ACP e CPAA.
Sou socio do CPAA, tenho Matra homologado pelo CPAA ate 2010, e o Mustang ate 2012, seguro para os 2 veiculos uma ninharia,55€ os dois juntos,quotas 75€/ano,as homologaçoes para os socios 50€ uma so vez.
Agora o que eu nao entendo é que estes clubes com tantos socios e certamente peso tanto humano como financeiro nao consigam pôr em marcha as suas ideias e defender os seus socios, nao quero acreditar que hajam outros interesses escondidos.
 

Pedro Pires

pedrompires
Jose Pedro Silva Machado disse:
So uma achega acerca do ACP e CPAA.
Sou socio do CPAA, tenho Matra homologado pelo CPAA ate 2010, e o Mustang ate 2012, seguro para os 2 veiculos uma ninharia,55€ os dois juntos,quotas 75€/ano,as homologaçoes para os socios 50€ uma so vez.
Agora o que eu nao entendo é que estes clubes com tantos socios e certamente peso tanto humano como financeiro nao consigam pôr em marcha as suas ideias e defender os seus socios, nao quero acreditar que hajam outros interesses escondidos.
Não sei se é verdade ou não, mas um sócio do clube onde pertenço, não sendo associado do CPAA, disse-me que para um Mercedes pagou 300€ para o carro ser vistoriado com vista a homologação e esse carro foi chumbado porque a pintura apesar de nova apresentava riscos muito ligeiros provenientes da secagem por pano após a lavagem.

O Mercedes está todo de origem e com um aspecto quase novo, foi chumbado e arderam 300€.

300€ pedidos para não sócios do CPAA com vista á homologação será verdade?
 

Carlos Antunes

Fordmaníaco
Boas. Interesses sempre houve e haverá (infelizmente). O que mais me custa é ver o elitismo, pois nem todos têm os meios financeiros para pertencer á "elite", mas tenho a certeza que a paixão pelos "velhinhos" é mais genuína e não por ser moda a posse de um. Nem todos nós podemos ter um "velhinho" cheio de status. Eu falo por mim dá-me tanto prazer ver um Fiat 600 como um Aston Martin (pois tudo é relativo). Espero ter-me feito entender. Cumps.
 
Pedro Pires disse:
Não sei se é verdade ou não, mas um sócio do clube onde pertenço, não sendo associado do CPAA, disse-me que para um Mercedes pagou 300€ para o carro ser vistoriado com vista a homologação e esse carro foi chumbado porque a pintura apesar de nova apresentava riscos muito ligeiros provenientes da secagem por pano após a lavagem.

O Mercedes está todo de origem e com um aspecto quase novo, foi chumbado e arderam 300€.

300€ pedidos para não sócios do CPAA com vista á homologação será verdade?

Amigo Pedro,como lhe disse sou socio e amigo dos funcionarios da delegaçao de Lisboa.
para as inspecçoes com vista a homologaçao posso lhe dizer que tambem eu estava muito apreensivo em relaçao ao "SR engenheiro" ou fosse o que fosse aquele sujeito.
pois estava redondamente equivocado, de facto o meu matra para quem o conhece nao estara de todo nas melhores condiçoes do mundo, nao esta em estado de "CONCOURS" mas no entanto tenho ca o "livrete dele com N° de homologaçao e foto com matricula legivel.
Agora o que la esta é material de origem, desde jantes, espelhos retrovisores, cor da tinta,interruptores interiores,travoes,filtros e outras coisas, agora o que eu tive de retirar e na hora foi o autoradio, esse ja mais recente.
Agora quanto a preços bem eu pago as minhas quotas tenho de ter algum retorno em alguma coisa, se eu fosse socio e tivesse de pagar 300€ para isto eu entregava era logo o cartao.
passa-se o mesmo com o clube do qual voce faz parte em relaçao ao seguro, pois no meu clabe a ACAL, tambem temos para os nossos socios um seguro mais barato que nada tem a ver para as pessoas de fora.
Mais uma vez em relaçao ao CPAA, nada como la ir e passar ver ,falar com quem la anda.
 
Topo