Fiat Punto 55S (1994) - Diário de Bordo

fernando tavares

Portalista
Premium
Portalista
Olá
Há já vários anos que sigo o Portal dos Clássicos e tenho-me deliciado sobretudo com os Diários de Bordo. De tal maneira que me decidi a fazer o diário de bordo de um dos meus "chaços", visto ainda não terem idade para serem apelidados de clássicos.
Apresento então o Fiat Punto 55s de Junho de 1994 que tem sido o carro do dia a dia da minha esposa.
DSC00032.JPG

DSC00036.JPG

DSC00035.JPG

Tem o motor Fire de 1108cc de 55 cavalos e conta actualmente com 244.000 Km

DSC00031.JPG

DSC00038.JPG

Como carro de senhora nunca foi escafiado pelo que o motor continua a puxar bem sem consumo de óleo. Com isto não quer dizer que não tenha problemas.
A luz da injeção anda a acender e o radiador está cheio de ferrugem, mas durante este ano vamos tratar disso.
A pintura já não é original, como encarnado que é com o sol já estava laranja pelo que há três anos dei-lhe um banho já com as novas tintas à base de água e verniz bi-componente. Foi a minha primeira experiência com compressores e pistolas de pintura e não ficou muito mal. Claro que foi um banho sem tratamento de ferrugem pelo que estão novamente a aparecer, mas lá mais para o verão iremos tratar disso.

Ferrugem na lateral traseira
DSC00034.JPG

e também junto ao parabrisas

DSC00037.JPG

Uma mossa no capot

DSC00033.JPG
 

fernando tavares

Portalista
Premium
Portalista
Boas PedroLopes303
Moro perto de Sintra onde existe sempre alguma humidade. Penso que também poderá ter influenciado o ter andado alguns anos com a tinta queimada pelo Sol.
 

João Luís Soares

Pre-War
Membro do staff
Premium
Delegado Regional
Portalista
É giro ver estes carros a merecerem cuidado e atenção.

Ainda bem que há quem os aprecie.
 

Diogo Alfama

Clássico
Tive um desses quando fui para a Alemanha, foi o meu primeiro carro lá! :p

Ainda bem que decidiste tratar dele, assim como o colega @João Luís Soares disse, é bom ver estes carros serem apreciados!
Muitos deles morrem em xunices e afins...

Bom trabalho! :thumbs up:
 

fernando tavares

Portalista
Premium
Portalista
Amigo Carlos Vaz é bom observador. O conta rotações só vinha nos equipados como SX, os S traziam um relogio e uma luz vermelha que só acendia quando o motor estava todo esturrado, daí eu ter optado por trocar o quadrante original (que ainda conservo guardado) por um do SX que indica a temperatura do liquido de refrigeração e já me evitou a troca de algumas juntas de cabeça quando as relas começam a abrir furos.
 

fernando tavares

Portalista
Premium
Portalista
Ano de 2017 - Banho de tinta

O antes:

traeira.jpg


e o depois:

Punto vermelho nova tinta traseira.jpg

DSC04485.JPG

O ano pass
ado levamo-lo para férias e no último dia, estávamos de regresso, na descida da autoestrada do sul
a caminho das portagens da ponte 25 de Abril a temperatura começa a subir rapidamente. Ponho em ponto morto e
saio em direção ao centro sul parando num parque de estacionamento onde era o campo do cova da piedade. Espero que arrefeça, abro o radiador e tem liquido de refrigeração. Estranho. Chamo a assistência em viagem e lá vem de reboque para casa. Chegado a casa ponho a trabalhar e verifico que não pinga liquido pelo que relas não é, abro o radiador e não há bolhas, pelo que junta da cabeça também não será. mas a temperatura
sobe rapidamente.
Ponho o meu ar de inteligente e chego à conclusão que é o termostato que pifou fechado. Vou à arrecadação buscar um termostato novo e monto, encho de líquido (G12) e ponho a trabalhar. A temperatura continua a subir rapidamente.
Ponho o meu ar de superinteligente e chego à conclusão que se não é o termostato só pode ser a bomba de água. Volto á arrecadação para ir
bus
car uma bomba de água nova e começo a desmontar a bomba de água e ouço cair uma peça de metal no chão. Não dava para acreditar, nunca tinha visto uma destas

IMG_20190901_203147.jpg

Então percebi a razão de o radiador andar cheio de uma pasta castanha que não é mais do que ferrugem resultante do metal do rotor da bomba
que des
apareceu. Claro que depois da nova bomba montada a temperatura voltou ao normal.
 
Última edição:
É muito positivo, quem tem estes modelos, dedicarem-se á sua preservação, apesar de ainda não ser um clássico e ainda aparecem alguns a circular diariamente. Em 1994 comprei novo um 55 que esteve comigo 6 anos e 150000 km. Teve uns problemas elétricos, mas de motor sem problemas. Inclusive deu-me uma lição, que foi eu ter adiado a revisão de mudança da correia, e na A1 a chegar a Lisboa, acendeu a luz do motor e parou. Para espanto meu, quando o mecânico me liga no dia seguinte, a informar que tinha partido a correia de distribuição, e este motor está preparado para este problema que não danifica as válvulas. Revisão feita com a respectiva correia e foi seguir viagem até o trocar. Bom trabalho.
 

fernando tavares

Portalista
Premium
Portalista
Este também já partiu a correia de distribuição aos 45.000 Km. Defeito do material. De resto os únicos problemas frequentes tem sido as
relas.
Em es
trada faz consumos de 5,5 aos 100Km a velocidade de 100 Km/hora e consegue chegar aos 145 Km/hora. Também não o puxo mais
porque o material já esta muito rodado.
 

António José Costa

Regularidade=Navegação, condução e cálculo?
Premium
Portalista
É sempre de saudar que preserva estás máquinas que nos acompanharam sem reclamarem é que infelizmente demasiado facilmente são despachadas.
Parabéns pela resiliência de manter o Punto, os motores são muito fiáveis e andam bem. Cuidado com essas ferrugens perto do mar é tramado.
Boas curvas.
 

JoãoSousa

Veterano
Adoro estes Puntos, vermelho fica uma cor bem bonita, agora era só pôr umas jantes à maneira, as originais em liga leve ficam bem.
 
Última edição:
Topo