F1 2021

OP
OP
Ismael Rodrigo

Ismael Rodrigo

Portalista
Portalista
F1: Mercedes e Alpine arrancam semana de expectativa

Para esta semana estão previstas cinco apresentações de monolugares para a próxima temporada, arrancando amanhã em grande com a Mercedes e a Alpine.

No final da semana apenas um carro ficará por conhecer, depois de a Ferrari ter decidido realizar uma apresentação da equipa na sexta-feira passada, deixando a primeira amostragem do SF21 apenas para o dia 10 de presente mês.

O dia de amanhã é esperado com grande expectativa, uma vez que Mercedes e Renault mostrarão pela primeira vez os respectivos contendores para a próxima temporada.

Os Campeões do Mundo iniciam a sua cerimónia virtual às 11 da manhã, podendo ser seguida nas redes sociais da equipa.

A estrutura de Brackley mantém os pilotos do ano passado, depois de Lewis Hamilton ter assinado há algumas semanas por mais uma época, sendo sempre enorme a curiosidade sobre o monolugar que enverga a estrela de três pontas, este ano o W12.

Pouco depois, às 15h00, será a vez da Alpine revelar o A521, o carro que marcará a sua estreia na categoria máxima do desporto automóvel, que poderá ser visto nas redes sociais da equipa..

A formação de Enstone recrutou Fernando Alonso para defender as suas cores, mas o espanhol não estará presente fisicamente no evento, devido as limitações criadas pela COVID-19, ficando Esteban Ocon com o fardo de enfrentar os jornalistas.

Na quarta-feira, será a vez da Aston Martin apresentar o carro que lhe permitirá regressar aos Grandes Prémios e que será a arma de Sebastian Vettel e Lance Stroll. A expectativa quanto às cores da máquina de Silverstone são muitas, muito embora se saiba que o british Racing green será predominante.

A Haas, que tem este ano uma nova dupla de pilotos (Mick Schumacher e Nikita Mazepin), terá o lançamento da sua máquina na quinta-feira, ao passo que a Williams, que mantém os recrutas do ano passado, fecha a semana de apresentações na sexta-feira.

50907.jpg

Notícia de: Jorge Girão
 
OP
OP
Ismael Rodrigo

Ismael Rodrigo

Portalista
Portalista
F1: Mercedes mostra o W12

A Mercedes apresentou hoje o seu monolugar para a próxima temporada, o W12, com o qual espera defender os títulos conquistados nos últimos sete anos.

Como era de esperar, o monolugar da próxima temporada da formação de Brackley é uma evolução do seu predecessor, adaptado ao novo regulamento, evidenciando uma traseira ainda mais estreita.

Na apresentação, foi mantida a cor preta que se verificou em 2020, com a tampa do motor em cinzento, que ostenta diversos logos da AMG.

No campo dos pilotos, a Mercedes manterá Lewis Hamilton e Valtteri Bottas, mas nenhum deles tem contrato com a equipa para lá do presente ano.

50965.jpg

Notícia de: Jorge Girão
 
OP
OP
Ismael Rodrigo

Ismael Rodrigo

Portalista
Portalista
F1: Aston Martin apresenta o seu regresso

A Aston Martin apresentou hoje em Gaydon a sua equipa e o seu carro para a próxima temporada, o AMR21, que será pilotado por Sebastian Vettel e Lance Stroll.

A marca britânica assumiu a identidade da estrutura de Silverstone, anteriormente conhecida como Racing Point, e esta quarta-feira revelou o seu primeiro contendor de Fórmula 1 desde o longínquo ano de 1960.

Como era esperado, o british Racing green domina o esquema cromático do monolugar que é uma evolução do RP20 Mercedes, mas pode ainda encontrar-se algum cor-de-rosa reminiscente da BWT, que continua a patrocinar a equipa.

No campo dos pilotos, Vettel assume o lugar de Sérgio Pérez, que rumou à Red Bull, fazendo equipa com Lance Stroll, que se mantém.

Em 2020, a estrutura de Silverstone terminou o Campeonato de Construtores no quarto lugar, com uma vitória no seu nome, mas os responsáveis da Aston Martin esperam este ano melhorar, apontando para o terceiro posto.

50969.jpg

Notícia de: Jorge Girão
 
OP
OP
Ismael Rodrigo

Ismael Rodrigo

Portalista
Portalista
F1: As soluções para “falhas COVID”

Tal como o ano passado, em 2021 todos os pilotos estarão potencialmente expostos ao novo coronavírus, podendo falhar corridas, mas a Red Bull, Mercedes, Alpine e Aston Martin parecem ter boas soluções na calha.

Ao longo da temporada de 2020 foram três os pilotos que foram infectados pela COVID-19, o que os obrigou a falhar Grandes Prémios, no caso de Sérgio Pérez dois, e nos de Lewis Hamilton e Lance Stroll um cada um.

Os pilotos da Racing Point, equipa que este ano será conhecida como Aston Martin, foram substituídos por Nico Hulkenberg, ao passo que a Mercedes recorreu a George Russell, que deixou o seu Williams vago para substituir o inglês, tendo Jack Aitken se estreado na Fórmula 1 com a equipa de Grove.

Mas parece que a Mercedes pretende uma solução mais sustentável para a eventualidade de um dos seus pilotos não poder tomar parte num Grande Prémio, devendo Hulkenberg ser anunciado brevemente como piloto de reserva da equipa.

Para além de poder pilotar um Flecha Negra, o alemão pode ainda ser uma solução para a Aston Martin, na eventualidade de Sebastian Vettel ou Stroll se virem impedidos de tomar parte numa prova.

A Red Bull estará também bem apetrechada para um problema semelhante, uma vez que Alex Albon estará de prevenção para a eventualidade de Max Verstappen ou Sérgio Pérez, o piloto que o substituiu na formação de Milton Keynes, não estarem disponíveis.

A Alpine recorreu a um desempregado da marca de bebidas energéticas para garantir um piloto competente como substituto de Fernando Alonso ou Esteban Ocon – Daniil Kvyat.

O russo perdeu o seu lugar na AlphaTauri no final do ano passado, para Yuki Tsunoda, acabando por ser contratado pela formação do construtor francês como piloto de testes.

Kvyat poderá até participar nos testes de Inverno, que se realizam na próxima semana, se Alonso não estiver totalmente recuperado da lesão que sofreu no maxilar superior devido ao envolvimento num acidente rodoviário.

No campo da Ferrari, António Giovinazzi deverá ser o homem chamado, se Charles Leclerc ou Carlos Sainz forem apanhados na estreita malha da COVID-19, o que promoverá Robert Kubica a colega de equipa de Kimi Raikkonen na Alfa Romeo.

50933.jpg

Notícia de: Jorge Girão
 
OP
OP
Ismael Rodrigo

Ismael Rodrigo

Portalista
Portalista
GP de Portugal: Confirmado o regresso em Maio

A Fórmula 1 tem o prazer de anunciar o regresso da FORMULA 1 HEINEKEN GRANDE PRÉMIO DE PORTUGAL, em Portimão, entre os dias 30 de Abril e 2 de Maio, como parte das 23 provas do calendário da FIA do Campeonato Mundial de Fórmula 1 de 2021.

Em outubro de 2020, Portimão entrou no calendário da Formula 1 pela primeira vez, com o regresso a Portugal após 24 anos de ausência. O circuito contou com uma emocionante corrida que levou Lewis Hamilton ao topo do pódio, ao lado de Valtteri Bottas e Max Verstappen. Tivemos o prazer de receber durante o fim-de-semana do Grande Prémio, na temporada passada, de 27.000 fãs que puderam desfrutar dos grandes momentos de ação em pista.

Estamos a trabalhar em estreita colaboração com o promotor e o Governo português relativamente à presença de espectadores também este ano. A nossa prioridade é a segurança de todos os que nos acompanham assim como de todos os países que visitamos, tendo provado na temporada passada que é possível realizar corridas com segurança, em plena pandemia. Esperamos que seja tomada uma decisão pelas autoridades sobre a presença de espectadores nas próximas semanas e que iremos actualizar sempre que existam mais informações.

Stefano Domenicali, presidente e CEO da Formula 1: "Estamos muito entusiasmados por anunciar que a Formula 1 voltará a correr em Portimão, após o enorme sucesso da corrida no ano passado. Queremos agradecer ao Promotor e ao Governo Português pelo árduo trabalho e dedicação para o regresso da prova a Portugal. Estamos confiantes e animados com a temporada de 2021, pois conseguimos demonstrar o ano passado que é possível realizar 17 corridas em segurança e promover juntos dos nossos milhões de seguidores, corridas emocionantes mesmo em momentos difíceis. Esperamos poder receber novamente este ano, espectadores em Portimão de forma segura e estamos a trabalhar com o promotor nos detalhes desse plano".

Rita Marques, Secretária de Estado do Turismo de Portugal: "A realização de grandes eventos no nosso país, é muito importante para a imagem e promoção Internacional de Portugal como destino turístico e, por isso, é com enorme agrado que vemos o retorno da Fórmula 1 ao Algarve, em 2021. Quero agradecer à FIA e à F1 pela confiança demonstrada em Portugal, no Algarve e no Autódromo Internacional do Algarve, escolhendo o nosso país para receber mais uma ronda do calendário da F1 e expressar o nosso total compromisso de tornar o evento num grande sucesso."

50773.jpg

Notícia de: A.I.
 
OP
OP
Ismael Rodrigo

Ismael Rodrigo

Portalista
Portalista
F1: Hamilton não sabe se continua em 2022

Lewis Hamilton não tem contrato válido para o próximo ano, mas não relaciona a sua continuidade na Fórmula 1 com uma obtenção de um oitavo título.

A renovação do inglês foi uma das grandes novelas da temporada passada, sendo a assinatura de um novo acordo protelada ao longo da época até que acabou ser anunciado em 2021 mais um ano de colaboração entre as duas partes, quando no passado foram assinados contratos com a duração de três anos.

Segundo o que se conseguiu perceber durante a apresentação do Mercedes W12, na semana passada, terá sido Hamilton a não se sentir confortável em estender a sua ligação à equipa de Brackley para lá de mais uma época.

Com cada vez mais interesses fora da categoria máxima, uma das possibilidades aventadas para esta decisão do inglês passava pela possibilidade de pretender abandonar a competição depois de conquistar o seu oitavo ceptro, o que constituiria um recorde.

Contudo, Hamilton sublinha que esse não será um motivo que o ajude a tomar uma decisão, sendo antes o sentimento que nutre pelo desporto a determinar o seu futuro. “A importante decisão que tomei na minha vida é que esse (n.d.r.: a conquista do oitavo título) não será o motivo para definir o futuro. Entrei nas corridas porque as adorava e acredito que esse terá sempre de ser o sentimento dominante. Se o caminho fosse apenas alcançar conquistas, penso que perderia o foco”, afirmou o piloto da Mercedes, que acrescentou: ”É claro que é um sonho, mas não será factor que decidirá se saio ou continuo, tem mais a ver com eu manter o sorriso dentro do capacete sempre que saio das boxes. O último ano foi duro para todos, para mim também, mas houve momentos impactantes. Será esse o caso este ano? Veremos. Terei tanto prazer? Neste momento estou entusiasmado, portanto, tenho a certeza de que sim, terei”.

50877.jpg

Notícia de: Jorge Girão
 
OP
OP
Ismael Rodrigo

Ismael Rodrigo

Portalista
Portalista
F1: As novidades do V6 da Ferrari

A Ferrari criou uma unidade de potência completamente nova para este ano para tentar melhorar a sua competitividade, tendo abordado o novo projecto de todos os ângulos.

O carro de 2020 da Scuderia encerrava vários problemas, mas o V6 turbohíbrido de Maranello era a fonte dos maiores males do SF1000, tendo a equipa começado logo no início do ano passado a trabalhar numa unidade completamente nova, na tentativa de poder recuperar, pelo menos, parte da sua desvantagem de potência face à Mercedes.

Enrico Gualtieri, o chefe do departamento de motores, foi o responsável máximo pelo desenvolvimento do V6 turbohíbrido e explicou que o 065/6, o nome de código do propulsor, foi alvo de uma abordagem sistemática que teve foco em todas as suas áreas.

A unidade de potência deste ano da Ferrari foi fruto da colaboração dos diversos departamentos da equipa com o intuito de melhorar a sua integração no chassis, o que aparentemente foi conseguido, dado os flancos serem mais curtos e delgados relativamente ao seu predecessor.

O motor de combustão interna foi alvo de profunda atenção com o intento de melhorar o nível de eficiência térmica, tendo o fornecedor de combustíveis e lubrificantes, a Shell, sido determinante para alcançar os objectivos – foi registado pela equipa um melhoramento de mais de um décimo segundo por volta só nesta área.

O sistema híbrido e a eletrónica não ficaram esquecidos estão ainda ser desenvolvidos, esperando os técnicos de Maranello também conquistar ganhos significativos de modo a poder ter uma unidade de potência verdadeiramente competitiva, muito embora não espere alcançar a paridade com a Mercedes.

Esse desiderato pretende conquistar no próximo ano, quando adoptar a configuração estreada pela formação de Brackley em 2014, em que o turbo e o compressor estão separados, uma solução que não foi ainda implementada para o V6 turbohíbrido de 2021.

50992.jpg

Notícia de: Jorge Girão
 
Topo