Fiat Diário De Bordo - Fiat 127

Eduardo Relvas

fiat124sport
Portalista
Bom, como já referi, o 127 tem estado com uso muito moderado nos últimos tempos, por culpa de alguns problemas irritantes.

Um deles, bastante ridículo, está com os dias contados... a alavanca das mudanças teima em "cair" pelo chão dentro. Depois de analisar o catálogo de peças, cheguei à conclusão que a culpa tem de ser desta menina que mandei vir agora de Itália e chegou hoje no correio:

100_9835Medium_zps48fbf05f.jpg

Esta anilha segura a esfera que faz de pivot da alavanca pelo lado de baixo, e deve-se ter partido ou simplesmente desfeito. Agora quando tiver um bocadinho já a meto no sítio, a ver se se acaba com esta parvoíce de andar sempre a "pescar" a alavanca para o sítio certo... angry.png

Bom, mas ainda há outra chatice para resolver um bocadito mais séria... mas dessa, quando tiver tempo de a diagnosticar, darei conta mais ao detalhe.

Um abraço a todos!
 

Anexos

Eduardo Relvas disse:
Bom, como já referi, o 127 tem estado com uso muito moderado nos últimos tempos, por culpa de alguns problemas irritantes.

Um deles, bastante ridículo, está com os dias contados... a alavanca das mudanças teima em "cair" pelo chão dentro. Depois de analisar o catálogo de peças, cheguei à conclusão que a culpa tem de ser desta menina que mandei vir agora de Itália e chegou hoje no correio:

100_9835Medium_zps48fbf05f.jpg

Esta anilha segura a esfera que faz de pivot da alavanca pelo lado de baixo, e deve-se ter partido ou simplesmente desfeito. Agora quando tiver um bocadinho já a meto no sítio, a ver se se acaba com esta parvoíce de andar sempre a "pescar" a alavanca para o sítio certo... angry.png

Bom, mas ainda há outra chatice para resolver um bocadito mais séria... mas dessa, quando tiver tempo de a diagnosticar, darei conta mais ao detalhe.

Um abraço a todos!
a sorte é que as avarias não são muito caras laugh.png laugh.png laugh.png
 

Anexos

Eduardo Relvas

fiat124sport
Portalista
filipe manuel raimundo disse:
a sorte é que as avarias não são muito caras laugh.png laugh.png laugh.png
Caras num carro destes nunca são, porque o material, como já referi várias vezes, é baratíssimo... este é daqueles clássicos ideais para quem tem um orçamento apertado, porque além de bastante robustos, tudo o que precisem é tão barato que chega a ser desconcertante. Pode é dar trabalho, mas eu não pago mão-de-obra... wink.png

Um abraço!
 

Anexos

Eduardo Relvas

fiat124sport
Portalista
Jorge Viegas disse:
Preciso de algo idêntico para o 5 e não encontro sad.png
Eu também nunca lá chegaria facilmente se não fosse o catálogo de peças... esta info da época dá muito jeito. Pelo número de peça de origem, fui logo dar com esta à venda em Itália.

Por vezes se soubermos o nome da peça na língua de origem torna-se mais fácil, mas... às vezes é tramado.

Um abraço!
 

Anexos

Hugo_Fiat 242

Clássico
Tramadíssimo...passo imenso tempo a tentar descobrir os nomes das peças em francês... angry.png
Em italiano é muito mais fácil...coisas da latinidade... :p

Eduardo Relvas disse:
Eu também nunca lá chegaria facilmente se não fosse o catálogo de peças... esta info da época dá muito jeito. Pelo número de peça de origem, fui logo dar com esta à venda em Itália.

Por vezes se soubermos o nome da peça na língua de origem torna-se mais fácil, mas... às vezes é tramado.

Um abraço!
 

Anexos

Eduardo Relvas

fiat124sport
Portalista
Pedro Teixeira4 disse:
Nunca mais andou o 127 desde então?
Pois é, acabei por o encostar, agarrei-me à 124 e nunca mais lhe liguei. O mal deste carro têm sido os 124. Deixei de andar com ele quando comprei o meu Spider, e agora com a Familiare é outra cena do género.

Mas não está esquecido, estou a coleccionar aos poucos o material que me faz falta para ele, e um dia destes volta a atacar. Está debaixo de telha à espera.

Se alguém souber de uma cabeça de motor em bom estado (ou seja, que não tenha uma pilha de rectificações em cima), e de preferência Fiat (não Seat), estou interessado.
 

Eduardo Relvas

fiat124sport
Portalista
Bom, está na hora de contar a história do terceiro elemento da frota, que por estes dias regressou à linha da frente.

Antes de desmantelar a Familiare, foi preciso arranjar um plano B para as voltinhas. Era para ter sido um Prisma que por cá andou, mas entretanto tinha uma fuga no circuito do radiador e encostei-o umas semanas. Depois arranjou-se rapidamente mas arranjou uma casa nova (de alguém destas paragens) e não me adiantou de muito. Mas o plano já estava traçado.

Como o meu miúdo já anda todo entusiasmado com estas coisas, quis passar as férias na minha oficina (por vezes acompanhado de um amigo), mas na condição de ir adiantando o "seu" 127. Como entretanto eu tinha comprado outro barato (sem documentos) para tirar peças, aproveitámos a oportunidade e entre este e o outro, escolheram-se os melhores pedaços para fazer um em condições. E assim, no princípio do Outono, voltou a aterrorizar as estradas da zona o meu velho 127.



Foi trocado o motor pelo do outro (tinha cerca de 78 mil km de origem) que estava em melhor estado, mas mantivemos a caixa deste. O circuito do radiador foi todo lavado (e muita porcaria lá havia...), e mais alguns pequenos detalhes resolvidos. Foi à IPO e saíu com folha verdinha sem anotações. Mas há muito a resolver... mas o futuro dono já está a traçar os planos para ele, e a fazer listas, por isso para já nem me chateio nada com isso. O meu trabalho é mantê-lo a rodar e a fazer as voltinhas diárias quando o tempo não é favorável ao Spider (ou não apetece pura e simplesmente tirá-lo da garagem) e dar-lhe uso.

Quase todos os dias há conversas sobre como melhor resolver este ou aquele pormenor, por isso sei que o futuro deste menino está em boas mãos. E já estamos a coleccionar as peças para a recuperação da chapa... apesar de tudo não há muitos podres, mas ainda vai precisar de muito trabalho.



Para já, faz o trabalho que lhe compete sem a mínima queixa. Quer dizer, tirando o escape com uma fuga que ainda não diagnostiquei (propositadamente, estou à espera que terminem as aulas para ele me ir ajudar) e que o faz soar meio a tractor. Mas pega direitinho, trabalha bem e não aquece.

Um dos trabalhos a resolver em breve é trocar todas as borrachas das portas e janelas, porque as que lá tem são das que se costumam comprar por cá e são espessas demais, o que dificulta o fecho e obriga a muito esforço. Há uns tempos encontrei finalmente um fornecedor no estrangeiro que me conseguiu garantir um stock considerável de borracha do perfil correcto, e mandei vir logo em quantidade para ter na oficina. Já troquei num 124 S de um cliente e a diferença foi incrível,,, agora fecha como um carro novo. Mas também essa parte está à espera do futuro dono... agora os serviços vão passar a ser feitos a meias!

O que ainda não mudou é a falta de garagem... continua a dormir ao relento. Ainda esta noite a Ana se fartou de lhe fazer festas, mas ele não se comoveu e manteve-se quietinho à porta de casa! :lol:



Bem, e para já é tudo... mas esperem por novidades daqui por uns dias. É só virem as férias escolares... ;)

Um abraço a todos!
 

João Luís Soares

Pre-War
Membro do staff
Premium
Delegado Regional
Portalista
Bom, está na hora de contar a história do terceiro elemento da frota, que por estes dias regressou à linha da frente.

Antes de desmantelar a Familiare, foi preciso arranjar um plano B para as voltinhas. Era para ter sido um Prisma que por cá andou, mas entretanto tinha uma fuga no circuito do radiador e encostei-o umas semanas. Depois arranjou-se rapidamente mas arranjou uma casa nova (de alguém destas paragens) e não me adiantou de muito. Mas o plano já estava traçado.

Como o meu miúdo já anda todo entusiasmado com estas coisas, quis passar as férias na minha oficina (por vezes acompanhado de um amigo), mas na condição de ir adiantando o "seu" 127. Como entretanto eu tinha comprado outro barato (sem documentos) para tirar peças, aproveitámos a oportunidade e entre este e o outro, escolheram-se os melhores pedaços para fazer um em condições. E assim, no princípio do Outono, voltou a aterrorizar as estradas da zona o meu velho 127.



Foi trocado o motor pelo do outro (tinha cerca de 78 mil km de origem) que estava em melhor estado, mas mantivemos a caixa deste. O circuito do radiador foi todo lavado (e muita porcaria lá havia...), e mais alguns pequenos detalhes resolvidos. Foi à IPO e saíu com folha verdinha sem anotações. Mas há muito a resolver... mas o futuro dono já está a traçar os planos para ele, e a fazer listas, por isso para já nem me chateio nada com isso. O meu trabalho é mantê-lo a rodar e a fazer as voltinhas diárias quando o tempo não é favorável ao Spider (ou não apetece pura e simplesmente tirá-lo da garagem) e dar-lhe uso.

Quase todos os dias há conversas sobre como melhor resolver este ou aquele pormenor, por isso sei que o futuro deste menino está em boas mãos. E já estamos a coleccionar as peças para a recuperação da chapa... apesar de tudo não há muitos podres, mas ainda vai precisar de muito trabalho.



Para já, faz o trabalho que lhe compete sem a mínima queixa. Quer dizer, tirando o escape com uma fuga que ainda não diagnostiquei (propositadamente, estou à espera que terminem as aulas para ele me ir ajudar) e que o faz soar meio a tractor. Mas pega direitinho, trabalha bem e não aquece.

Um dos trabalhos a resolver em breve é trocar todas as borrachas das portas e janelas, porque as que lá tem são das que se costumam comprar por cá e são espessas demais, o que dificulta o fecho e obriga a muito esforço. Há uns tempos encontrei finalmente um fornecedor no estrangeiro que me conseguiu garantir um stock considerável de borracha do perfil correcto, e mandei vir logo em quantidade para ter na oficina. Já troquei num 124 S de um cliente e a diferença foi incrível,,, agora fecha como um carro novo. Mas também essa parte está à espera do futuro dono... agora os serviços vão passar a ser feitos a meias!

O que ainda não mudou é a falta de garagem... continua a dormir ao relento. Ainda esta noite a Ana se fartou de lhe fazer festas, mas ele não se comoveu e manteve-se quietinho à porta de casa! :lol:



Bem, e para já é tudo... mas esperem por novidades daqui por uns dias. É só virem as férias escolares... ;)

Um abraço a todos!
Uns quantos anos depois, esse 127 vai voltar a ser sala de aula...
 

JorgeMonteiro

...o do "Boguinhas"
Membro do staff
Premium
Portalista
Passei revista ao tópico, que desconhecia.

Tens muita sorte de teres tido a oportunidade de o guardares para o teu filho recuperar. O mais comum é os nossos carros de juventude não resistirem às tormentas a que os sujeitamos. Mais tarde arrepende-mo-nos.

Também tens sorte de o teu filho demonstrar algum interesse em mexer nele. Os meus fartam-se de gozar comigo por gostar de carros velhos e não creio que alguma vez venham a demonstrar esse interesse.

Que este retorno à estrada seja o pretexto para mais uns melhoramentos de forma a prolongar a vida útil dele. Não creio que se justifique um grande investimento para já, pois qualquer dia ele vai tirar a carta e dar-lhe a mesma vida que lhe deste quando tinhas 18 anos. :xD::D
 
Ui, que sonho! 3 gerações de uma máquina intemporal.
Apanhei este tópico na lista das novas mensagens e até me assustei com a data... Não sabia que era por tão boa causa.
O que mais me deixa feliz é que no meio do marasmo preto e cinzento, aparece uma máquina verde a pregar sustos a BMW e entusiasmar crianças! Bora lá!
 

Eduardo Relvas

fiat124sport
Portalista
Passei revista ao tópico, que desconhecia.

Tens muita sorte de teres tido a oportunidade de o guardares para o teu filho recuperar. O mais comum é os nossos carros de juventude não resistirem às tormentas a que os sujeitamos. Mais tarde arrepende-mo-nos.

Também tens sorte de o teu filho demonstrar algum interesse em mexer nele. Os meus fartam-se de gozar comigo por gostar de carros velhos e não creio que alguma vez venham a demonstrar esse interesse.

Que este retorno à estrada seja o pretexto para mais uns melhoramentos de forma a prolongar a vida útil dele. Não creio que se justifique um grande investimento para já, pois qualquer dia ele vai tirar a carta e dar-lhe a mesma vida que lhe deste quando tinhas 18 anos. :xD::D
A sorte tem alguma coisa a ver com o assunto, mas acima de tudo este carro ainda existe porque, para começar, foi sempre mantido razoavelmente bem. Desde que veio para as minhas mãos, passou a ter os cuidados que o meu pai nunca lhe deu. Mas também se deve dar algum crédito à qualidade do material, porque isto é material que tem de ser bom, para aguentar quase 40 anos a ser escafiado regularmente... não é qualquer um que aguenta!

Para já, o plano é mesmo ir mantendo e melhorando algumas coisas enquanto se planeia um restauro como deve ser. Ele tem muita estima no carro e quer tê-lo todo direitinho. Eu apoio completamente esta ideia, porque lhe vai saír do bolso e do pêlo em boa parte, e lhe vai dar outro empenho em cuidar dele e o preservar em condições.

Ui, que sonho! 3 gerações de uma máquina intemporal.
Apanhei este tópico na lista das novas mensagens e até me assustei com a data... Não sabia que era por tão boa causa.
O que mais me deixa feliz é que no meio do marasmo preto e cinzento, aparece uma máquina verde a pregar sustos a BMW e entusiasmar crianças! Bora lá!
Este já anda a aterrorizar as estradas desde 78... o meu pai hoje raramente o admite, mas mesmo ele nunca andou devagar! :) O meu miúdo adora o carro, e desde que eu lhe disse que podia ficar com ele então foi a loucura total... e os amigos dele têm uma certa inveja! :lol:

Os meus miúdos desde pequenos que apreciam carros, e em especial os clássicos, porque na minha casa nem podia ser de outra maneira. Aqui ninguém liga a futebol ou vê sequer muita televisão, mas a paixão pelas 4 rodas é fortíssima.
 

Eduardo Relvas

fiat124sport
Portalista
O Leão tem continuado o serviço diário sem hesitações, e aos poucos vai recebendo os mimos que faltam. Primeiro foi a resolução da fuga de escape, que foi o resultado de uma distração na montagem do motor, os parafusos que seguram o colector de escape à cabeça estavam frouxos e a junta queimou numa das pontas. Com uma cirurgia de precisão, resolveu-se o problema e ficou com o rugido normal. A semana passada foi a vez do elevador do vidro do pendura que estava descolado da base do vidro, e uma das luzes traseiras que não fazia stop. Aos poucos vai indo...

Entretanto, no fim-de-semana do fim de ano, estava eu na cavaqueira com dois amigos entusiastas do TT que comentavam que tinham feito um trilho nos seus jipes que estaria bastante complicado de passar, e que ambos recearam ficar atascados passando só com tracção a 2 rodas, e que seria um caminho só mesmo adequado a 4x4.

Como já estou farto destes comentários (e já fiz vários trilhos dos passeios deles com a 124) e queria calar as bocas de vez, disse logo que no dia seguinte o ia fazer de 127... ao que fui logo apelidado de maluco e logo se ofereceram para me escoltar nos jipes com umas cordas para quando inevitavelmente me tivessem de tirar do meio da poça maior (que tinha cerca de 10 metros de comprimento e certamente uns bons 2 palmos de profundidade). Ainda para mais, nesse dia choveu ainda mais durante toda a manhã.

Obviamente que o 127 foi... e passou, Não vou negar que foi difícil, ainda deu alguma luta encontrar o sítio certo para conseguir aderência porque a poça era funda e com lama muito macia, e os pneus largos com rasto de estrada não ajudam. Mas fez o percurso todo e calou os cépticos do TT.



Aqui com a "escolta"...



Depois disto, ainda fizemos o resto do caminho. A parte pior já estava vencida, o resto foi um passeio no campo. Fez-se bem, e foi um bom teste. Teste? Sim, porque malucos como somos, já nos propusemos a meter o 127 na nova edição da prova que fiz na 124 em 2016, que vai ter lugar a 21 deste mês.

Já encomendei uns pneus finos (ele "calça" 155/70, mas a medida original é 135/80) com rasto de inverno para montar num jogo de jantes originais, porque já fomos avisados que há zonas muito enlameadas mesmo. Mas nada mete medo ao Leão... :)



Como neste momento o carro está simplesmente em uso sem grandes considerações, é a altura ideal para o submeter a este tipo de desafio. Lá mais para o final do ano, estamos a planear arrancar com o restauro que ele bem merece, mas para já queremos é lama, e muita! :D
 

João Luís Soares

Pre-War
Membro do staff
Premium
Delegado Regional
Portalista
Com uns pneus mais largos, não haverá mais superfície de contacto e portanto o mesmo peso assente numa área maior (Kg/cm2)?
Em pisos enlameados pode ser uma vantagem ir "serpenteando" e mexendo com a direcção... Sei isso por experiência.
O meu Panda, graças a essa vantagem, já ajudou a desenterrar um Vitara!
 
Topo