Combustiveis alternativos - o gasogéneo

Paulo Almeida

Portalista
Portalista
O gasogéneo foi um combustivel usado por particulares durante a II ª guerra mundial devido à escassez da gasolina. Muitos automóveis foram modificados para funcionrem com esse tipo de combustivel. Deixo aqui algumas curiosas fotografias que o testemunham. o_Oo_O Pode-se ver perfeitamente na traseira do Traction e menos bem na do Ford os dispositivos utilizados. Na do meio há um atrelado próprio. :oo
 

Anexos

João Correia Santos

Escort mkII 1980
ainda as nossas geraçoes terao de utilizar invençoes desse tipo :D
tornava-se um pouco perigoso conduzir com esses "atrelados", é certo que os carros tambem nao eram muito potentes...

cumprimentos
 

Diogo Lisboa

Veterano
Verão de 1942 no Pinhal de Leiria (foto do meio), gosto muito dessa foto:DD...

De facto o gasogénio consistia em colocar madeira ou carvão vegetal dentro da caldeira, e ao arder, produzia um gás chamado gás pobre, que depois o sistema era igual ao do GPL...

Por um lado o combustível era barato, mas por outro lado dava muitas chatices por causa do grande tamanho e por causa da manutenção da caldeira, mas nada que impedisse as pessoas na altura de usar este sistema:DD...
 

Nuno Andrade

Portalista
Portalista
Tudo vale e tudo valera, quando o petroleo deixar de ser a fonte de energia viavel... e é bom que nos habituemos a pensar nisso, podera ser uma breve realidade...

cumprimentos.
 

Diogo Lisboa

Veterano
Nuno Andrade disse:
Tudo vale e tudo valera, quando o petroleo deixar de ser a fonte de energia viavel... e é bom que nos habituemos a pensar nisso, podera ser uma breve realidade...

cumprimentos.
Pelo menos os carros a gasóleo safam-se com o óleo vegetal mas os carros a gasolina será que se safam com Álcool e GPL???
 

Nuno Andrade

Portalista
Portalista
Com as devidas alteraçoes presumo que sim, e mesmo um carro movido a gasoleo precisa de umas certas e determinadas modificaçoes, pelo que eu sei...

cumprimentos.
 

Eduardo Relvas

fiat124sport
Portalista
Olá a todos,

Venho só dar uma achega neste tópico dos alternativos:

- O motor diesel pode usar qualquer derivado de óleos ou gorduras, mas devem ser reduzidas através de um processo de esterificação como se faz com o biodiesel, pois a ideia deste processo é simplesmente baixar a viscosidade do combustível, não alterando a sua combustibilidade. Se se usar óleo vegetal directamente no motor, além de reduzir a performance aumenta brutalmente as emissões poluentes porque o combustível ao ser mais viscoso não se atomiza eficazmente ao ser injectado, logo a combustão é mais pobre.

- No motor a gasolina há várias alternativas também, nomeadamente misturas de álcoois obtidos a partir de plantas.

No entanto, as reservas petrolíferas ainda darão para muitas décadas, mesmo à taxa de consumo actual. As companhias que as exploram aproveitaram o "boom" dos preços há uns anos para se equiparem com maquinarias mais sofisticadas, que permitem um melhor aproveitamento das jazidas, e que acabaram por tornar viável a exploração de outras que antes não compensaria explorar. Assim, neste momento há muito por onde sacar petróleo. O problema é que agora estamos é a viver da especulação desses ciganos, porque lhes sabe bem pagar o petróleo a preços recorde. Não há qualquer justificação para os preços actuais à excepção dessa.

Mesmo em Portugal os preços são uma anormalidade. Estamos a exportar um excedente enorme de gasolina para os EUA a preço de saldo, mas cá o preço não baixa... porquê???:wacko:

Antigamente, o gasóleo era um subproduto que se obtinha da refinação do petróleo para fazer gasolina, por isso era barato. Agora produz-se gasolina a mais para satisfazer as necessidades de gasóleo, no entanto o gasóleo continua a ser o mais barato e estamos a vender a gasolina ao desbarato para fora, mas continuamos a pagá-la cá em média a 30 cêntimos mais por litro que os espanhóis!!!!

Eu é que não abasteço cá... só mesmo quando não tenho hipótese é que meto 5 ou 10 euritos para chegar lá e atestar. Ainda bem que vivo a 20 km da fronteira! :wacko:

De qualquer forma, e voltando ao gasogéneo, foi uma ideia de recurso, que bem desenvolvida até poderia ter viabilidade. No entanto, o maior inconveniente era mesmo o tempo dispendido até poder arrancar, dado que nalguns modelos tinha de se acender a caldeira uns bons 30-45 minutos antes de se poder sair... Houve modelos já mais sofisticados que reduziram esse tempo para 5-10 minutos, mas foram pouco divulgados, e assim que terminou a guerra a ideia foi abandonada quase por inteiro, havendo hoje muito poucos carros ainda equipados com este sistema.

Cá para mim, pessoalmente, qualquer sistema é bom desde que não implique grandes inconvenientes e mantenha o motor de explosão, porque sinceramente na miha opinião um carro movido a motor eléctrico é um electrodoméstico e não um automóvel... :D

Um abraço a todos!
 

Diogo Lisboa

Veterano
Eduardo Relvas disse:
Olá a todos,

Venho só dar uma achega neste tópico dos alternativos:

- O motor diesel pode usar qualquer derivado de óleos ou gorduras, mas devem ser reduzidas através de um processo de esterificação como se faz com o biodiesel, pois a ideia deste processo é simplesmente baixar a viscosidade do combustível, não alterando a sua combustibilidade. Se se usar óleo vegetal directamente no motor, além de reduzir a performance aumenta brutalmente as emissões poluentes porque o combustível ao ser mais viscoso não se atomiza eficazmente ao ser injectado, logo a combustão é mais pobre.

- No motor a gasolina há várias alternativas também, nomeadamente misturas de álcoois obtidos a partir de plantas.

No entanto, as reservas petrolíferas ainda darão para muitas décadas, mesmo à taxa de consumo actual. As companhias que as exploram aproveitaram o "boom" dos preços há uns anos para se equiparem com maquinarias mais sofisticadas, que permitem um melhor aproveitamento das jazidas, e que acabaram por tornar viável a exploração de outras que antes não compensaria explorar. Assim, neste momento há muito por onde sacar petróleo. O problema é que agora estamos é a viver da especulação desses ciganos, porque lhes sabe bem pagar o petróleo a preços recorde. Não há qualquer justificação para os preços actuais à excepção dessa.

Mesmo em Portugal os preços são uma anormalidade. Estamos a exportar um excedente enorme de gasolina para os EUA a preço de saldo, mas cá o preço não baixa... porquê???:wacko:

Antigamente, o gasóleo era um subproduto que se obtinha da refinação do petróleo para fazer gasolina, por isso era barato. Agora produz-se gasolina a mais para satisfazer as necessidades de gasóleo, no entanto o gasóleo continua a ser o mais barato e estamos a vender a gasolina ao desbarato para fora, mas continuamos a pagá-la cá em média a 30 cêntimos mais por litro que os espanhóis!!!!

Eu é que não abasteço cá... só mesmo quando não tenho hipótese é que meto 5 ou 10 euritos para chegar lá e atestar. Ainda bem que vivo a 20 km da fronteira! :wacko:

De qualquer forma, e voltando ao gasogéneo, foi uma ideia de recurso, que bem desenvolvida até poderia ter viabilidade. No entanto, o maior inconveniente era mesmo o tempo dispendido até poder arrancar, dado que nalguns modelos tinha de se acender a caldeira uns bons 30-45 minutos antes de se poder sair... Houve modelos já mais sofisticados que reduziram esse tempo para 5-10 minutos, mas foram pouco divulgados, e assim que terminou a guerra a ideia foi abandonada quase por inteiro, havendo hoje muito poucos carros ainda equipados com este sistema.

Cá para mim, pessoalmente, qualquer sistema é bom desde que não implique grandes inconvenientes e mantenha o motor de explosão, porque sinceramente na miha opinião um carro movido a motor eléctrico é um electrodoméstico e não um automóvel... :D

Um abraço a todos!


Olha que isso não é bem assim do óleo vegetal directo, desde que se tenha um permutador de aquecimento do óleo vegetal, as performances mantêm-se e polui menos, agora se chegar ali e puser óleo vegetal sem esse permutador a história é outra...

Incrível que lá nos EUA, o preço do petróleo sobe mas o preço dos combustíveis mantêm-se, ou seja lá pagam 1.42dol ao litro o que equivale a 0.50€ cá, e ganham mais que nós...

E o petróleo, que ainda é mais caro que a gasolina e o gasóleo juntos, uns vendem a 3€ e outros a 2.29€ ao litro, como já me aconteceu...

Deviam era importar álcool para cá, andam sempre a dizer que devemos optar por energias e combustíveis renováveis, mas estou a ver que é só conversa...
 

Eduardo Relvas

fiat124sport
Portalista
Diogo Lisboa disse:
Olha que isso não é bem assim do óleo vegetal directo, desde que se tenha um permutador de aquecimento do óleo vegetal, as performances mantêm-se e polui menos, agora se chegar ali e puser óleo vegetal sem esse permutador a história é outra...

Incrível que lá nos EUA, o preço do petróleo sobe mas o preço dos combustíveis mantêm-se, ou seja lá pagam 1.42dol ao litro o que equivale a 0.50€ cá, e ganham mais que nós...

E o petróleo, que ainda é mais caro que a gasolina e o gasóleo juntos, uns vendem a 3€ e outros a 2.29€ ao litro, como já me aconteceu...

Deviam era importar álcool para cá, andam sempre a dizer que devemos optar por energias e combustíveis renováveis, mas estou a ver que é só conversa...
Caro Diogo,

Quando me referia ao óleo vegetal era no uso directo como já vi muita gente fazer. Sim, se se pré-aquecer o óleo resolve-se pelo menos em parte o problema da viscosidade, mas a solução mais eficaz continua a ser a utilização dos ésteres.

Quanto ao preço dos combustíveis nos EUA, eles defendem-nos de unhas e dentes... basta ver as guerras em que se metem para isso... cá fazem guerra é ao consumidor... :D

E como já disse noutro tópico, podem convencer-se disto: O ambiente ainda não passou de uma simples moda, e nunca irá passar enquanto alguém puder ganhar dinheiro com isso. Ainda está para nascer a verdadeira primeira medida de protecção do ambiente, tudo o que se fez até hoje foi mandar areia para os olhos do zé povinho. Falta uma dose maciça de bom-senso em tudo isto.

A minha citação favorita de resposta a toda essa treta é a do Jay Kay, o vocalista dos Jamiroquai. Uma jornalista um dia perguntou-lhe se não sentia a consciência pesada por ter 16 carros, sendo que qualquer um deles era bastante poluente (o senhor tem uma colecção invejável). Resposta:

"Porque havia eu de me sentir mal??? Estou a impedir 15 pessoas de andarem com eles!!"

É raro, mas ainda há quem tenha cabeça para ver além dessa cortina de fumo chamada ambiente.

Um abraço!
 

Diogo Lisboa

Veterano
Eduardo Relvas disse:
"Porque havia eu de me sentir mal??? Estou a impedir 15 pessoas de andarem com eles!!"

É raro, mas ainda há quem tenha cabeça para ver além dessa cortina de fumo chamada ambiente.

Um abraço!
Isso é bem verdade...

Ainda dizem que nós não somos amigos do ambienteo_O...
 
o_O
Meus caros...
O ambiente é sem duvida uma preocupação legitima porem sem os exceços extremistas que hoje em dia se verificam.
Fundamentalismos é uma coisa que sempre detestei.
Questiono uma coisa um carro abandonado num sucateiro, muitas vezes com bastantes hipoteses de prestar um serviço a alguem, a enferrujar e a libertar acidos diversos da degradação do metal, assim como a energia e materiais utilizados na cinstrução de veiculos novos em demasia não são factores poluentes?
Os combustiveis alternativos são uma realidade e são mais eficazes do que faz crer pela industria petrolifera.
O Planeta não está a sofrer alterações climaticas por causa dos carros mas sim porque essa é a sua ordem natural.
já noutros tempos tivemos epocas glaciares e secas muito antes da existencia dos automoveis... já pensaram nisso?
Fiquem com a imagem da Lisa Simpson ao descobrir num episodio que a reciclagem pode encher os bolsos dos ricos...
 

Nuno Andrade

Portalista
Portalista
Luis fernando Silva disse:
o_O
Meus caros...
O ambiente é sem duvida uma preocupação legitima porem sem os exceços extremistas que hoje em dia se verificam.
Fundamentalismos é uma coisa que sempre detestei.
Questiono uma coisa um carro abandonado num sucateiro, muitas vezes com bastantes hipoteses de prestar um serviço a alguem, a enferrujar e a libertar acidos diversos da degradação do metal, assim como a energia e materiais utilizados na cinstrução de veiculos novos em demasia não são factores poluentes?
Os combustiveis alternativos são uma realidade e são mais eficazes do que faz crer pela industria petrolifera.
O Planeta não está a sofrer alterações climaticas por causa dos carros mas sim porque essa é a sua ordem natural.
já noutros tempos tivemos epocas glaciares e secas muito antes da existencia dos automoveis... já pensaram nisso?
Fiquem com a imagem da Lisa Simpson ao descobrir num episodio que a reciclagem pode encher os bolsos dos ricos...
Compreendo o que esta a dizer, e por acaso ja vi esse episodio, e tenho consciencia que ao reciclar esta-se a dar dinheiro a alguem, mas temos que o fazer... veja por exemplo este off-topic, mas que tem a haver com o assunto, veja o meu caso por exemplo, que ja faço separaçao de lixo á bastante tempo, e antes de o fazer levava sempre 2 a 3 sacos de lixo ao contentor por semana, lixo organico e nao reciclavel, a partir do dia que comecei a fazer separaçao 1 saco de lixo organico dura para 1 semana, quase 2, ora por este ponto de vista se nao fizesse separaçao estava a contribuir para o aumento dos aterros, ou da queima residual com libertaçoes para o meio ambiente, ora o espaço disponivel para aterro nao é infinito, e o que poupamos a queimar os residuos da para andarmos com os nossos classicos á vontade pois o saldo continuaria a ser possitivo para o meio ambiente. O mesmo acontece com os carros, alguns têm que ser salvos, outros têm que ir para abate, e quando se fala nos sucateiros oxala todos sofressem uma fiscalizaçao, é que ja que nao vendem os carros pois apresentam preços irrisorios, haviam de pagar multas, e ficarem sem um bem que lhes podia dar algum e bom dinheiro...

Como conclusao tenho a dizer que todos nos devemos fazer um esforço para contribuir para um melhor ambiente no futuro, e nao é pela nossa minoria de amantes de classicos que se vai poluir o ambiente, um Porsche Cayenne Turbo S gasta mais que muitos classicos juntos... é preciso ter mentalidade para o futuro, eu que tenho 22 anos penso, que futuro teram os meus filhos e os meus netos???...

cumprimentos.
 

Nelson Lopes

Clássico
Nuno Andrade disse:
Compreendo o que esta a dizer, e por acaso ja vi esse episodio, e tenho consciencia que ao reciclar esta-se a dar dinheiro a alguem, mas temos que o fazer... veja por exemplo este off-topic, mas que tem a haver com o assunto, veja o meu caso por exemplo, que ja faço separaçao de lixo á bastante tempo, e antes de o fazer levava sempre 2 a 3 sacos de lixo ao contentor por semana, lixo organico e nao reciclavel, a partir do dia que comecei a fazer separaçao 1 saco de lixo organico dura para 1 semana, quase 2, ora por este ponto de vista se nao fizesse separaçao estava a contribuir para o aumento dos aterros, ou da queima residual com libertaçoes para o meio ambiente, ora o espaço disponivel para aterro nao é infinito, e o que poupamos a queimar os residuos da para andarmos com os nossos classicos á vontade pois o saldo continuaria a ser possitivo para o meio ambiente. O mesmo acontece com os carros, alguns têm que ser salvos, outros têm que ir para abate, e quando se fala nos sucateiros oxala todos sofressem uma fiscalizaçao, é que ja que nao vendem os carros pois apresentam preços irrisorios, haviam de pagar multas, e ficarem sem um bem que lhes podia dar algum e bom dinheiro...

Como conclusao tenho a dizer que todos nos devemos fazer um esforço para contribuir para um melhor ambiente no futuro, e nao é pela nossa minoria de amantes de classicos que se vai poluir o ambiente, um Porsche Cayenne Turbo S gasta mais que muitos classicos juntos... é preciso ter mentalidade para o futuro, eu que tenho 22 anos penso, que futuro teram os meus filhos e os meus netos???...

cumprimentos.
Concordo contigo, Nuno.
 

Diogo Lisboa

Veterano
Uma simples resposta, produção e mercado automóvel em baixo...

Então o que é que fazem, destroem os antigos dizendo que estão a fazer bem ao ambiente, para construir novos, mas numa coisa eles enganaram-se, a construção de novos veículos agora polui mais do que fazer um antigo, devido aos materiais e componentes...

Por isso, continuo a dizer que os antigos é que são amigos do ambiente...
 

Francisco Costa

Portalista
Portalista
Diogo Lisboa disse:
Uma simples resposta, produção e mercado automóvel em baixo...

Então o que é que fazem, destroem os antigos dizendo que estão a fazer bem ao ambiente, para construir novos, mas numa coisa eles enganaram-se, a construção de novos veículos agora polui mais do que fazer um antigo, devido aos materiais e componentes...

Por isso, continuo a dizer que os antigos é que são amigos do ambiente...

O problema Diogo é que os clássicos não são amigos do Estado!! ;)

Pagam pouco ou nenhum imposto (por enquanto), enquanto um novo dá uma porrada de dinheiro em IA e IVA, além do imposto ser exponencialmente superior.
Por isso o governo tanto insiste em que os clássicos poluem imenso, e todos devem substitui-los por novos.
 

Eduardo Relvas

fiat124sport
Portalista
Meus amigos,

Conforme já se disse em várias partes deste apreciado fórum, os clássicos fazem imenso sentido e mesmo em termos de ambiente fazem mais do que se julga.

Ao manter um carro antigo em circulação e em bom estado, não se polui assim tanto... basta que esteja afinadinho e em boa conservação de mecânica. O meu Spider, quando foi testado aquando da vinda de Itália, acusou 251 g/km, e ainda nem tinha a ignição electrónica. Há por aí muito monstro moderno a mandar cá pra fora muito mais que isso, e então se formos ver as emissões dos diesel que estão tão em voga no nosso mercado, ainda pior.

As emissões são directamente proporcionais à cilindrada do carro, por isso um clássico popular pode ser mais amigo do ambiente que muita modernice que por aí anda. Mas como já se disse e muito bem, rendemos pouco ao estado e aos fabricantes de automóveis então... Quem quer um carro que dure uma vida inteira? Eles não, certamente... é por isso que os carros modernos qualquer dia já trazem data de validade, como os iogurtes... :D

E apesar de a reciclagem também implicar um impacto ambiental, é para o bem geral, não é? Geral dos fabricantes... matéria-prima mais barata e fica bem nas relações públicas.

Polui muito mais a produção de um Toyota Prius que a de um Hummer, e mesmo as fábricas mais limpas ainda poluem imenso. A produção de um automóvel moderno implica um processo muito mais complexo que antigamente, pelo que apesar das melhorias em algumas fases da produção com vista à redução da factura ambiental, a verdade é que se polui mais agora do que no antigamente. Mas isso não fica bem nas brochuras... :huh:

Resumindo (e antes que eu fique ainda mais rabugento...:D), cuidem bem dos vossos clássicos... e continuem a fazer frente à estupidez global. Somos mais amigos do ambiente que muito boa gente que por aí anda.

E por amor de todos os deuses, impeçam toda a gente de comprar um Prius, ou qualquer outro híbrido... são a coisa mais horrível que alguém já fez em nome do ambiente.

Um abraço a todos!
 

Diogo Lisboa

Veterano
Eduardo Relvas disse:
Meus amigos,

Conforme já se disse em várias partes deste apreciado fórum, os clássicos fazem imenso sentido e mesmo em termos de ambiente fazem mais do que se julga.

Ao manter um carro antigo em circulação e em bom estado, não se polui assim tanto... basta que esteja afinadinho e em boa conservação de mecânica. O meu Spider, quando foi testado aquando da vinda de Itália, acusou 251 g/km, e ainda nem tinha a ignição electrónica. Há por aí muito monstro moderno a mandar cá pra fora muito mais que isso, e então se formos ver as emissões dos diesel que estão tão em voga no nosso mercado, ainda pior.

As emissões são directamente proporcionais à cilindrada do carro, por isso um clássico popular pode ser mais amigo do ambiente que muita modernice que por aí anda. Mas como já se disse e muito bem, rendemos pouco ao estado e aos fabricantes de automóveis então... Quem quer um carro que dure uma vida inteira? Eles não, certamente... é por isso que os carros modernos qualquer dia já trazem data de validade, como os iogurtes... :D

E apesar de a reciclagem também implicar um impacto ambiental, é para o bem geral, não é? Geral dos fabricantes... matéria-prima mais barata e fica bem nas relações públicas.

Polui muito mais a produção de um Toyota Prius que a de um Hummer, e mesmo as fábricas mais limpas ainda poluem imenso. A produção de um automóvel moderno implica um processo muito mais complexo que antigamente, pelo que apesar das melhorias em algumas fases da produção com vista à redução da factura ambiental, a verdade é que se polui mais agora do que no antigamente. Mas isso não fica bem nas brochuras... :huh:

Resumindo (e antes que eu fique ainda mais rabugento...:D), cuidem bem dos vossos clássicos... e continuem a fazer frente à estupidez global. Somos mais amigos do ambiente que muito boa gente que por aí anda.

E por amor de todos os deuses, impeçam toda a gente de comprar um Prius, ou qualquer outro híbrido... são a coisa mais horrível que alguém já fez em nome do ambiente.

Um abraço a todos!

Esse exemplo do Prius é bem verdade...

Há uns tempos, vi numa revista, um protótipo de um automóvel descartável, tinha a validade de 4 ou 5 anos penso eu e depois era reciclado...

Quer dizer isto é uma estupidez...

O que as pessoas devem fazer não é enfardar o carro antigo para comprar novo, mas sim deixar de utilizar o carro quando não é preciso (dá-se o exemplo, de pessoas que vivem nas cidades há 100m do trabalho e tiram o carro de propósito da garagem para ir para lá em vez de irem a pé), para passar a outros meios de transporte, que foram abandonados há mais de 20 anos, como os autocarros, comboios, bicicletas, motos...
 
J

Jorge Aguiar

Guest
Meus caros amigos,
Já pensaram porque Deus nos deu 2 pernas??? É para andar!!! Ah pois!!!:huh:
Com tanta salsada qq dia temos que os empurrar ou andar no carro do Armando, um bocadinho a pé e um bocadinho andando....:D
Combustível fixolas era mesmo aquele que era usado no filme "regresso ao futuro", lixo lá para dentro e zupa, tá no ir...:DD:DD

um grande abraço para os "verdes"...
 
Topo