Citroën XM V6.24 (1993)

JP Vasconcelos

Raio de Sol
Premium
Portalista
Ei já arrisquei mandar vir um motor ee20 subaru da alemanha. Comprei um de 2013 que quando cá chegou descobrimos que tinha o número de bloco apagado. Como o original era um ee20 de 2009 os injectores cerâmicos nao eram reconhecidos pela Centralina. Tive que ir buscar os injectores do primeiro motor e troca-los por injectores reconstruidos denso da unica empres certificada, da Salvador Caetano, que o faz. Mais 900 €.
No final, após 8.000€, tive sorte o motor estava fantástico.
Sendo possivel encontrar um motor até 1.500/2.000 comprava-o, abria-o e rezava.
A fé é importante.
Claro, como sou homem de pouca fé mais tarde foi a caixa que foi para as couves.
Consegui encontrar uma em Portugal, provavelmente a unica. Mais uma vez tive sorte, a caixa estava boa.
Depois precisei de casaquinhos. Mandei vir do Japão, demoraram mais de um mês. Ficou óptimo.
A seguir entregueio carro à troca por um Renault novo.
Fiz um gajo feliz, o que acabou por ficar com o subaru, novo
Moral da história, se o arranjares não vendas o v6.
 

Edgar.Guerra

Portalista
Premium
Portalista
O meu bitaite.

Eu estudava bem o assunto, procurava referências de trabalhos semelhantes, e apostava na reparação, desde que te seja dada alguma confiança.

O mecânico não estará a ser pessimista? Não quero ser mauzinho, mas será sempre mais rápido para ele montar um motor novo do que ter lá o XM mais uns meses enquanto se reconstrói o motor.

O que significa o “nunca ficará bem?” Voltará a apodrecer, é isso?

Se a tua ideia é ficares com o XM por muitos e bons anos e se decidires comprar outro motor, talvez fosse de considerar abrir também e dos dois fazer um, metendo material novo sempre que se justifique.
 

JP Vasconcelos

Raio de Sol
Premium
Portalista
O meu bitaite.

Eu estudava bem o assunto, procurava referências de trabalhos semelhantes, e apostava na reparação, desde que te seja dada alguma confiança.

O mecânico não estará a ser pessimista? Não quero ser mauzinho, mas será sempre mais rápido para ele montar um motor novo do que ter lá o XM mais uns meses enquanto se reconstrói o motor.

O que significa o “nunca ficará bem?” Voltará a apodrecer, é isso?

Se a tua ideia é ficares com o XM por muitos e bons anos e se decidires comprar outro motor, talvez fosse de considerar abrir também e dos dois fazer um, metendo material novo sempre que se justifique.
Concordo
 

Rafael Isento

Alfa Romeo
Membro do staff
Premium
Portalista
O mecânico não estará a ser pessimista?
Eu creio que não.
As tolerâncias de montagem de camisas são de amplitudes muito reduzidas, podemos estar a falar de centésimas de milímetro.
Com o calor a que o bloco vai estar sujeito para fundir o material, as tolerâncias já eram.
Este trabalho é possível mas tem que ser muito bem feito.
Depois de encher com material novo será necessário maquinar as sedes das camisas e também dar um tratamento térmico ao bloco para aliviar as tensões localizadas e uniformizar a estrutura molecular do bloco.
Tem que ser um trabalho MUITO BEM feito ou NUNCA mais fica direito.
Honestamente, nunca ouvi falar de nenhuma empresa em Portugal que fizesse este tipo de trabalho com a qualidade que se exige. Não estou a dizer que não existe mas eu nunca ouvi falar. Conheço uma empresa perto de Esposende com capacidade técnica para este tipo de trabalho mas, que eu saiba, não trabalham com motores.
 

JorgeMonteiro

...o do "Boguinhas"
Membro do staff
Premium
Portalista
Eu costumo ver imagens fantásticas nas redes sociais da rerificadora de guimaraes e da veicomer.


 

Rafael Isento

Alfa Romeo
Membro do staff
Premium
Portalista
Eu costumo ver imagens fantásticas nas redes sociais da rerificadora de guimaraes e da veicomer.


Mas atenção, retificar é uma coisa, encher com alumínio é outra que não tem nada a ver.
Retificar é para aplainar blocos e cabeças, reparar cilindros, bielas, cambotas, árvores de cames, equilibrar volantes e cambotas, etc, etc.
Em nenhuma destas tens adição de material.
O que o Afonso precisa é algo fora do espectro das retificadoras.
 

HugoSilva

"It’s gasoline, honey. It’s not cheap perfume."
Premium
Portalista
Eventos Team
Salvo erro já me falaram bem da veicomer para este tipo de trabalhos de reparações, por exemplo, de cabeças que precisam de ser reparadas onde o alumínio apodreceu e já era.
 

Joaquim Hermenegildo

Portalista
Portalista
Quanto estamos constipados, qualquer médico de clínica geral será capaz de nos prescrever o medicamento certo.

Quando alguém tem um enfarte e miocárdio, mesmo que este tenha sido diagnosticado por um médico de clínica geral, o seu tratamento e acompanhamento é feito por um especialista que lida com esses problemas no dia a dia, ou seja, por um cardiologista.

O XM está neste ponto. O mecânico que está a tratar da sua "saúde", manifesta a sua "incompetência" para resolver o problema detectado. Adicionalmente, e porque não tem confiança no trabalho que a rectificadora venha a realizar, conjugado com a sua quota parte de responsabilidade na montagem do bloco e cabeça, aconselha a procura de um outro "coração" (motor).

A minha opinião é este ser o momento de procurar um especialista. O Jorge Monteiro já deixou um endereço que, se fosse comigo, contactaria em primeiro lugar. Nunca tive necessidade de recorrer a esta empresa mas, pelo feedback que tenho são altamente profissionais. Pela informação no site estão encerrados até dia 16.


Aproveito e deixo um outro endereço, ao qual já recorri, partilhando a minha experiência, numa altura em que deixei uma cabeça para desarmar, testar, facear e rearmar num qualquer "mechânico". Este personagem detectou que a cabeça estava estalada e indicou o local da estaladela. Na sua superior sapiência, o problema só teria solução adquirindo uma cabeça nova (cerca de 1500€ na origem), ou, comprando uma cabeça nova da "concorrência" fabricada em Espanha e que custava 700€.
A hipótese de comprar uma cabeça na sucata, segundo a sua experiência, era um tiro no escuro pois "elas costumam partir todas no mesmo sítio onde a sua está partida". Recolhi a cabeça e fui pensar para casa.
O que este "mechânico" não sabia, é que um amigo que é veterinário, quando lhe falei do sucedido, e a bem da "ciência", pediu-me que trouxesse a cabeça ao consultório para a mesma ser radiografada. Ainda tenho algures as imagens das radiografias tiradas ao "paciente" que não revelaram qualquer fissura.
De seguida, a cabeça foi entregue a um "especialista", ao qual nada foi contado sobre estas peripécias. Solicitei unicamente que a mesma fosse testada e caso estivesse ok fosse faceada. No dia seguinte e 60€ depois, fui recolher a cabeça que não tinha nenhuma fissura (isso já eu sabia) e que só precisou de uma rectificação a 1/10 de milímetro.
Cabeça armada e montada no bloco com junta standard, e siga viagem. A viagem até nem foi muito longe... Lisboa - Estugarda - Lisboa, com umas derivações pelo caminho, ou seja, 6.000 Kms de puro prazer. À chegada, controle do óleo e líquido de refrigeração para verificar que o seu consumo foi quase nulo.

A empresa é esta:


Em qualquer dos casos, aconselho a levar o bloco com todo o restante "hardware" (cambota, pistões, bielas,...) e pedir orçamento para reparar e voltar a armar o bloco. O mecânico onde o carro está a ser reparado fará o trabalho de casar o bloco com as cabeças.

Cpts,
 

Pedro Bastos Tondela

Portalista
Portalista
Eu creio que não.
As tolerâncias de montagem de camisas são de amplitudes muito reduzidas, podemos estar a falar de centésimas de milímetro.
Com o calor a que o bloco vai estar sujeito para fundir o material, as tolerâncias já eram.
Este trabalho é possível mas tem que ser muito bem feito.
Depois de encher com material novo será necessário maquinar as sedes das camisas e também dar um tratamento térmico ao bloco para aliviar as tensões localizadas e uniformizar a estrutura molecular do bloco.
Tem que ser um trabalho MUITO BEM feito ou NUNCA mais fica direito.
Honestamente, nunca ouvi falar de nenhuma empresa em Portugal que fizesse este tipo de trabalho com a qualidade que se exige. Não estou a dizer que não existe mas eu nunca ouvi falar. Conheço uma empresa perto de Esposende com capacidade técnica para este tipo de trabalho mas, que eu saiba, não trabalham com motores.
(Tinha recomendado o que o @JorgeMonteiro e o @HugoSilva falaram, daí ter editado).

@afonsopatrao eu falava com a Veicomer e explicava a situação. Não há nenhum especialista internacional capaz de lidar com estes motores, que já tenha a experiência necessária? Seria sempre a quem recorreria primeiro.

O motor que estava no Teo Martin, chegaste a ter resposta?

Um abraço
 

afonsopatrao

Portalista
Portalista
Obrigado a todos pelos bitaites e pelas opiniões. E obrigado especialmente ao @António José Costa, por me aturar a ignorância ao telefone.

Quanto às ajudas que aqui me foram dando:
1. Não tenho dúvidas (e o mecânico também não tem) que há quem faça este enchimento a ponto de ficar aquilo bem. A rectificadora em que o motor está disse que o fazia, e que tem experiência em fazê-lo — embora em motores diferentes. A Veicomer ou outras casas de renome fá-lo-ão também. A questão não é essa.
A questão é saber se, no sítio em que é, sujeito às elevadíssimas temperaturas que ali se farão sentir, se a resistência do material reparado vai alguma vez ser idêntica à de um bloco bem tratado que esteja com o alumínio de fábrica, sem ter tido acrescentos. Dito de outro modo: a minha reserva não é quanto à viabilidade da reparação; é quanto à sua durabilidade.

2. É por essa razão que não tenho tanta certeza que estejamos aqui perante a lotaria de procurar um motor ou a certeza absoluta da qualidade da reparação. A meu ver, há aqui duas lotarias. Resta saber qual é aquela que tem mais probabilidades de sucesso.

3. Tenho ainda tudo em aberto, mas a minha inclinação actual é jogar nas duas frentes. Procurar e informar-me quanto à reparação deste bloco (tenho ir mostrá-lo à Veicomer, à Decomotores e a outras rectificadoras de que tenha boas referências); e ao mesmo tempo ter o olho aberto à procura de um motor destes (ZPJ4, para quem quiser ajudar) que possa ser uma lotaria com as mesmas probabilidades de sucesso.
Se vier a fazer as duas coisas (encontrar outro motor e reparar este) não me parece, para já, uma estupidez total. Não conto vender o carro e, mesmo que o quisesse fazer, o baixo preço por que o comprei autoriza algumas destas loucuras.

4. Sendo certo que o motor está neste momento numa rectificadora que diz que faz o trabalho. Não tenho é referências dela para arriscar.

Assim, vou reflectindo. E agradecendo, sempre, toda a vossa ajuda.
 

Samuel

Portalista
Portalista
Obrigado a todos pelos bitaites e pelas opiniões. E obrigado especialmente ao @António José Costa, por me aturar a ignorância ao telefone.

Quanto às ajudas que aqui me foram dando:
1. Não tenho dúvidas (e o mecânico também não tem) que há quem faça este enchimento a ponto de ficar aquilo bem. A rectificadora em que o motor está disse que o fazia, e que tem experiência em fazê-lo — embora em motores diferentes. A Veicomer ou outras casas de renome fá-lo-ão também. A questão não é essa.
A questão é saber se, no sítio em que é, sujeito às elevadíssimas temperaturas que ali se farão sentir, se a resistência do material reparado vai alguma vez ser idêntica à de um bloco bem tratado que esteja com o alumínio de fábrica, sem ter tido acrescentos. Dito de outro modo: a minha reserva não é quanto à viabilidade da reparação; é quanto à sua durabilidade.

2. É por essa razão que não tenho tanta certeza que estejamos aqui perante a lotaria de procurar um motor ou a certeza absoluta da qualidade da reparação. A meu ver, há aqui duas lotarias. Resta saber qual é aquela que tem mais probabilidades de sucesso.

3. Tenho ainda tudo em aberto, mas a minha inclinação actual é jogar nas duas frentes. Procurar e informar-me quanto à reparação deste bloco (tenho ir mostrá-lo à Veicomer, à Decomotores e a outras rectificadoras de que tenha boas referências); e ao mesmo tempo ter o olho aberto à procura de um motor destes (ZPJ4, para quem quiser ajudar) que possa ser uma lotaria com as mesmas probabilidades de sucesso.
Se vier a fazer as duas coisas (encontrar outro motor e reparar este) não me parece, para já, uma estupidez total. Não conto vender o carro e, mesmo que o quisesse fazer, o baixo preço por que o comprei autoriza algumas destas loucuras.

4. Sendo certo que o motor está neste momento numa rectificadora que diz que faz o trabalho. Não tenho é referências dela para arriscar.

Assim, vou reflectindo. E agradecendo, sempre, toda a vossa ajuda.
Parece-me uma boa opção evoluir nessas duas frentes.
Tentaria também uma opinião ou informação junto de quem perceba bem desses motores - provavelmente já tens estado a fazer isso também.

Desculpa não opinar mais expansivamente mas este tema deprime-me bastante :(
 

JP Vasconcelos

Raio de Sol
Premium
Portalista
Obrigado a todos pelos bitaites e pelas opiniões. E obrigado especialmente ao @António José Costa, por me aturar a ignorância ao telefone.

Quanto às ajudas que aqui me foram dando:
1. Não tenho dúvidas (e o mecânico também não tem) que há quem faça este enchimento a ponto de ficar aquilo bem. A rectificadora em que o motor está disse que o fazia, e que tem experiência em fazê-lo — embora em motores diferentes. A Veicomer ou outras casas de renome fá-lo-ão também. A questão não é essa.
A questão é saber se, no sítio em que é, sujeito às elevadíssimas temperaturas que ali se farão sentir, se a resistência do material reparado vai alguma vez ser idêntica à de um bloco bem tratado que esteja com o alumínio de fábrica, sem ter tido acrescentos. Dito de outro modo: a minha reserva não é quanto à viabilidade da reparação; é quanto à sua durabilidade.

2. É por essa razão que não tenho tanta certeza que estejamos aqui perante a lotaria de procurar um motor ou a certeza absoluta da qualidade da reparação. A meu ver, há aqui duas lotarias. Resta saber qual é aquela que tem mais probabilidades de sucesso.

3. Tenho ainda tudo em aberto, mas a minha inclinação actual é jogar nas duas frentes. Procurar e informar-me quanto à reparação deste bloco (tenho ir mostrá-lo à Veicomer, à Decomotores e a outras rectificadoras de que tenha boas referências); e ao mesmo tempo ter o olho aberto à procura de um motor destes (ZPJ4, para quem quiser ajudar) que possa ser uma lotaria com as mesmas probabilidades de sucesso.
Se vier a fazer as duas coisas (encontrar outro motor e reparar este) não me parece, para já, uma estupidez total. Não conto vender o carro e, mesmo que o quisesse fazer, o baixo preço por que o comprei autoriza algumas destas loucuras.

4. Sendo certo que o motor está neste momento numa rectificadora que diz que faz o trabalho. Não tenho é referências dela para arriscar.

Assim, vou reflectindo. E agradecendo, sempre, toda a vossa ajuda.
Acho que estás a pensar bem
 

afonsopatrao

Portalista
Portalista
A minha decisão de jogar nas duas frentes (reparar este motor e comprar outro) deu um primeiro fruto: descobri um motor em Espanha de um XM sinistrado.
Alguém faz ideia de empresas que se dediquem a transportá-lo? Sou um ignorante no tema. As transportadoras clássicas pedem 2000€ pelo transporte (?!?!?!).
 

Nuno Filipe Pinto Ferreira

Titulo
Portalista
A minha decisão de jogar nas duas frentes (reparar este motor e comprar outro) deu um primeiro fruto: descobri um motor em Espanha de um XM sinistrado.
Alguém faz ideia de empresas que se dediquem a transportá-lo? Sou um ignorante no tema. As transportadoras clássicas pedem 2000€ pelo transporte (?!?!?!).
Eu conheço um transportador que leva de certeza 500 euros ou mesmo menos se calhar, tem é de ficar no caminho da sua rota em direção a Portugal diz-me a morada aonde se encontra o carro que eu falo ja hoje com a secretaria , se ela puder eu dou-te o contacto delà e tratas tu do resto . Em relaçao a cabeça do motor se quiseres posso expor o teu problema num forums de amantes de Citroen e XM , ( deve haver) em França a ver o que j’me dizem posso até tentar encontrar-te um motor ou uma cabeça de motor sonresselente se quiseres .
 

afonsopatrao

Portalista
Portalista
Eu conheço um transportador que leva de certeza 500 euros ou mesmo menos se calhar, tem é de ficar no caminho da sua rota em direção a Portugal diz-me a morada aonde se encontra o carro que eu falo ja hoje com a secretaria , se ela puder eu dou-te o contacto delà e tratas tu do resto . Em relaçao a cabeça do motor se quiseres posso expor o teu problema num forums de amantes de Citroen e XM , ( deve haver) em França a ver o que j’me dizem posso até tentar encontrar-te um motor ou uma cabeça de motor sonresselente se quiseres .
500€ continuam a parecer-me francamente excessivos. Estou a ver mal a coisa? São 600kms.
 
Topo