Carros Emigrados

Rafael Isento

Simplify, then add lightness!
Membro do staff
Premium
Portalista
É a terra dos bacocos, dos tais que nunca dão valor às coisas dos outros. Assim não vamos a lado nenhum...
Pior, é a terra onde se reclama de tudo mas ninguém mexe uma palha para exercer um dever. Assobia-se para o lado que quem vier atrás fará algo.
Reclamando no sítio certo e expondo estes casos às entidades que podem difundir a nível nacional e internacional, dar visibilidade, talvez a coisa vá mudando.
Reclamar de mãos nos bolsos é que não produz nada.
 

António José Costa

Regularidade=Navegação, condução e cálculo?
Portalista
Um excerto interessante da entrevista que me pareceu importante:

"Anos antes de transportar os seus tesouros para Málaga, João Magalhães tentou que ficassem em Portugal. Mas o país, queixa-se, fechou-lhe as portas: «Ninguém quis saber disto para nada. Há 15 anos, tentei instalar-me em Famalicão, num terreno bem situado, perto de tudo: a 25 quilómetros do Porto, de Braga e de Guimarães e a cem quilómetros de Vigo.» Mas no terreno «só se podia construir para fins industriais» e «um museu não é uma indústria». Foi esse, de resto, o argumento utilizado na altura pela CCRN (hoje CCDRN, Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional Norte) para recusar o projeto. Virou-se para Madrid, onde, garante, o seu projeto foi recebido de braços abertos."

É a terra dos bacocos, dos tais que nunca dão valor às coisas dos outros. Assim não vamos a lado nenhum...
Infelizmente o acompanhamento das entidades públicas é na maioria das vezes lamentável.
 

JorgeMonteiro

...o do "Boguinhas"
Membro do staff
Premium
Portalista
Eu não gosto de tomar partido pelo lado que me interessa assim tão facilmente. Só na posse de todos os factos é que poderíamos avaliar o caso. Só temos a versão de uma das partes.

Quem nos garante que o senhor não quis montar um museu dentro de uma zona industrial, pensando que estava acima da lei só porque tinha muitos carros bonitos?

Não podemos umas vezes reclamar e julgar quem atropela a lei e outras vezes achar que a lei não é para cumprir.
 

Tiago Baptista

Portalista
Portalista
@João Pereira Bento, lembro-me, também, de ver o anúncio do Audi na FS. Aparece agora no albúm dos modelos que já foram vendidos. Sei que esteve temporariamente exposto no Museu do Caramulo e, se a memória não me falha, tinha matricula francesa.


 
Última edição:

Rafael Isento

Simplify, then add lightness!
Membro do staff
Premium
Portalista
Eu não gosto de tomar partido pelo lado que me interessa assim tão facilmente. Só na posse de todos os factos é que poderíamos avaliar o caso. Só temos a versão de uma das partes.

Quem nos garante que o senhor não quis montar um museu dentro de uma zona industrial, pensando que estava acima da lei só porque tinha muitos carros bonitos?

Não podemos umas vezes reclamar e julgar quem atropela a lei e outras vezes achar que a lei não é para cumprir.
Pois, não seríamos nós a reclamar certamente, teria que ser o próprio.
É tipo o IUC dos importados pós-2007, a AT acabou por se cansar de tanta denúncia e batalhas judiciais perdidas.
Só assim se consegue fazer a mudança.
 

José de Sá

"Life's too short to drive boring cars"
Portalista
Pois, não seríamos nós a reclamar certamente, teria que ser o próprio.
É tipo o IUC dos importados pós-2007, a AT acabou por se cansar de tanta denúncia e batalhas judiciais perdidas.
Só assim se consegue fazer a mudança.
Eles não se cansaram.... saiu foi pela 2ª vez uma decisão da Comunidade Europeia a dizer que era uma Ilegalidade.
Foi por causa das reclamações de pessoas como o dono do Q7 e o do Mini que isto acabou por andar mais depressa pois ainda há poucos meses o Centeno dizia que o imposto era para continuar.

Sobre a questão do museu era fácil resolver....... se era para instalar num parque industrial bastava registar o "museu" como uma oficina ou como stand.
 
Última edição:

JorgeMonteiro

...o do "Boguinhas"
Membro do staff
Premium
Portalista
Sobre a questão do museu era fácil resolver....... se era para instalar num parque industrial bastava registar o "museu" como uma oficina ou como stand.
Pois, mas provavelmente o senhor queria era isenções e benefícios fiscais, não era despesas e obrigações.

É claro que estou a fazer especulações, apenas para mostrar que nem sempre o melhor caminho é o de tentar contornar ou ignorar a lei.

Imaginem que no vosso bairro residencial aparecia um "xico esperto" e montava uma vacaria a largar cheiro e registava como alojamento local? Não era bem esse o tipo de vacas que queriam como vizinhas, pois não?


Se o senhor tinha assim tanta vontade de ter os carros em PT, certamente teria dinheiro para o fazer de forma legal.
 

Pedro Pereira Marques

Pre-War
Premium
Portalista
Autor
Pois, mas provavelmente o senhor queria era isenções e benefícios fiscais, não era despesas e obrigações.

É claro que estou a fazer especulações, apenas para mostrar que nem sempre o melhor caminho é o de tentar contornar ou ignorar a lei.

Imaginem que no vosso bairro residencial aparecia um "xico esperto" e montava uma vacaria a largar cheiro e registava como alojamento local? Não era bem esse o tipo de vacas que queriam como vizinhas, pois não?



Se o senhor tinha assim tanta vontade de ter os carros em PT, certamente teria dinheiro para o fazer de forma legal.
E o "Xico-esperto" foi para Espanha porque lá a "espertice" dele deu para abrir um museu e atrair turistas.

Por cá ele era "Xico-esperto", lá acharam que não.
 

Antonio Godinho

Portalista
Premium
Portalista
E o "Xico-esperto" foi para Espanha porque lá a "espertice" dele deu para abrir um museu e atrair turistas.

Por cá ele era "Xico-esperto", lá acharam que não.

Tal qual como no caso das "Mães de Bragança". Por cá as senhoras da cidade e alguns moralistas acharam uma ameaça a presença das brasileiras. Do lado de lá os espanhóis consideraram ser uma oportunidade. Para além de embelezarem a cidade, devido ao seu maior poder de compra dinamizaram o comércio local… :)
 
Topo