Betume na chapa?

brunolopes

YoungTimer
Boa noite.
Peço descumpa pela pergunta mas queria saber porque razão é que os carros antigos, como o meu FIAT 126 , tem entre a pintura e a chapa uma camada de algo tipo "betume".
Isto porque cada vez que me ponho a raspar a pintura para tirar as ferrugens sai sempre aquela coisa.
Se a pergunta for "estupida" e já estiver respondida noutro tópico as minhas desculpas.
cumps
 

M Bento Amaral

Barão da Sopa da Pedra!!
Portalista
ahhmmm... entao.... deixa ca ver... o betume serve para tapar as iregularidades da chapa, depois é lixado ate ficar lisinho e no fim de pntado apresenta a superficie lisinha e bonita!
É como as senhoras, gostamos delas com a pele macia e lisinha! :D
 

Jose Manuel S Lopes

ESCORT79
Delegado Regional
Portalista
Boas, "vizinho" tambem já reparei nisso parece uma subcapa, tipo primário que davam para proteger e alizar deficiências na chapa, o que nos carros recentes já não usam devido ao processo de fabrico ser diferente com outros tipos de produtos ao nivel de tintas e derivados, isto é o que me parece.
Um abraço!;):gear
 
Ois

Isso dentro de certos limites é normal, a tinta nunca é aplicada directamente na chapa.Há sempre um primário e muitas vezes o tal betume de enchimento que tapa as pequenas irregularidades da chapa.
Só é menos legitimo quando a espessura é muita.
Algumas vezes aparece tipo "entremeada" de primario tinta, pimario tinta que revela uma repintura menos cuidada.
 

João Correia Santos

Escort mkII 1980
boas!!! antigamente nao existia betume... o que os antigos utilizavam eram estanho para desempenar a chapa... deve ser isso que voçe encontra entre a chapa e a tinta... eu no meu ford tambem encontrei disso, estanho ou chumbo muito bem desempenado que mal se notava, mas eu pareçe-me que era estanho...
qualquer coisa.. é so falar!!
 
O betume não era só usado nos carros antigos.. qualquer carro que leve um toque e seja reparado, as mossas mais pequenas terão sempre de ser disfarçadas com betume..
O que havia muito antigamente, eram os bate-chapas "javardões" que tapavam buracos na chapa e corrosão diversa com betume.. sempre durava uns tempos com bom aspecto.. o pior era depois :D

Há também uns primários de enchimento que são dados nas peças, para depois lixar para retirar irregularidades e então aí pintar por cima

O betume tem aguns problemas, é poroso e absorve a água.. por isso após ser dado o betume, mal seque convém dar tinta por cima.. além disso, se fôr uma camada muito grande ao fim de uns tempos com o calor etc, desata a estalar e a chapa por baixo enferruja..
 

amadeu pires

Clássico
é simples.
se notares uma camada uniforme e finíssima sob a tinta, então isso é o aparelho ou primário.
se a espessura fôr razoável - 0,5mm ou mais - e aparecer aqui e alem e lascar com facilidade, isso é sinal de reparação no painel, por outras palavras: ali houve toque.
......

existe outra forma de verificar onde houve toques: olhar a superfície de um ângulo muito fechado - quase raso - e reparar no espelhado. se vires ligeiros ondulados, ali houve trabalho de reparação de chapa e consequente aplicação de betumes.

cps
A.P.
 

Antonio Costa

Clássico
Antigamente as batidelas depois de alisar o mais possivel a chapa era dada uma passagem de primário depois betumadas as irregularidades e lixado para ficar bem direito e liso depois levava novamente primário e a tinta
 

José Sabino

Clássico
" Betume "
O material que hoje é usado,tem uma qualidade incalculável são betumes de 2 componentes e com derivados de inumeras matérias. A literatura destes componentes é tão vasta e complexa que daria conversa para muito tempo.
O que se verifica nos carros com mais idade é um material que os proprios pintores fabricavam nas suas oficinas.Uma massa macia á base de água e pó de nome "Alvaiade e
cré". Geralmente em camadas mais espessas pois a chapa era mais forte e os acessos dificeis.Além disso não havia o material de substituição que temos hoje.
Os bate chápas até eram melhores pois a dificuldade de material, era enorme.Um Abraço!J.S.
 

amadeu pires

Clássico
não me recordo de ver em oficina de bate-chapa essa utilização de "Alvaiade e cré" sendo mais visto em construção civil esse tipo de mistura.
no entanto o improviso de gente sem recursos, na hora de necessidade dá para tudo.
nos anos 80 ainda vi profissionais taparem buracos com o velhinho "desperdício" e betume, à época ainda chamado de "massa-de-ferro", juntamente amassados, quando era já prática comum meter rede de gaiola para estruturar o betume.
atenção que ainda se podem ver restauros de buracos feitos com essa rede mas agora solidificada com fibra de vidro e poliester ou epoxy.

cps
 

Nuno Viana

YoungTimer
E o belo do BETUME PEDRA OU MASSA PEDRA?

Que opinião podem dar sobre essa "argamassa"?

Foi o que me recomendaram para tapar e alisar pequenos pontos de ferrugem. Alguma sugestão melhor?
 

amadeu pires

Clássico
Nuno Viana disse:
E o belo do BETUME PEDRA OU MASSA PEDRA?

Que opinião podem dar sobre essa "argamassa"?

Foi o que me recomendaram para tapar e alisar pequenos pontos de ferrugem. Alguma sugestão melhor?
esses eram os nomes antigos para o actual betume de poliester, que é muito mais macio de cortar (lixar).
o da CIN (passe a publicidade) é dos bons que eu conheço.

em relação a pequenos pontos de ferrugem, têm de se atacar tal e tal o que os dentistas fazem com as cáries: rapar tudo até ficar o material limpo.
caso se chegue à perfuração da chapa não aconselho ficar-se só pelo betume, sendo necessário aplicar algum elemento estrutural, p.ex. um pouco dessa massa de fibra de vidro que existe à venda em kits e de muito simples aplicação.
 

Nuno Viana

YoungTimer
amadeu pires disse:
esses eram os nomes antigos para o actual betume de poliester, que é muito mais macio de cortar (lixar).
o da CIN (passe a publicidade) é dos bons que eu conheço.

em relação a pequenos pontos de ferrugem, têm de se atacar tal e tal o que os dentistas fazem com as cáries: rapar tudo até ficar o material limpo.
caso se chegue à perfuração da chapa não aconselho ficar-se só pelo betume, sendo necessário aplicar algum elemento estrutural, p.ex. um pouco dessa massa de fibra de vidro que existe à venda em kits e de muito simples aplicação.
OK. Foi muito esclarecedor. Obrigado.

Já agora, não querendo abusar da boa vontade, gostaria que dessa uma vista de olhos nestes podres e opinasse em relação ao melhor processo a utilizar neste caso específico.

Agradeço desde já a sua disponibilidade.
 

Anexos

amadeu pires

Clássico
Nuno Viana disse:
OK. Foi muito esclarecedor. Obrigado.

Já agora, não querendo abusar da boa vontade, gostaria que dessa uma vista de olhos nestes podres e opinasse em relação ao melhor processo a utilizar neste caso específico.

Agradeço desde já a sua disponibilidade.
é como foi dito anteriromente: comece por raspar tudo com a rebarbadora até aparecer o metal limpo.
decerto vão aparecer zonas em que não vai sobrar metal. se estas forem extensas não exclua a possibilidade de meter um remendo em chapa zincor (já vem tratada).
nesta situação é recomendada a actuação de um especialista, pois a chapa tem de ser formada e a soldadura tem de ser cuidadosa para não empenar muito a zona.
um habilidoso também poderá fazer o serviço só que terá de fazer o trabalho de forma a deixá-lo abaixo do nível de superfície para depois poder "carregar" com betume.
se fôr este o caso não esqueça de recortar as zonas pôdres de forma a ficarem buracos o mais quadrangulares possível.

nota: não se esqueça de quando trabalhar com a rebarbadora usar sempre óculos, prot. auricular e nesta caso uma máscara para não engolir muito pó da ferrugem :)
 

Nuno Viana

YoungTimer
...se estas forem extensas não exclua a possibilidade de meter um remendo em chapa zincor (já vem tratada).


Muito, muito obrigado.

Tenho tido muitas respostas a esta pergunta, mas, a maior parte remete para links de outros restauros. Penso que os Amigos do Portal o fazem com a melhor das intenções, muito embora, um acompanhamento dedicado como o seu para ajudar na resolução de um "problema" em concreto, é sem dúvida, mais esclarecedor.

Uma sugestão para os entendidos que se prestam a ajudar os nabos como eu; muitas vezes estão a lidar com pessoas que não percebem "patavina" do assunto e que precisam de respostas básicas. Penso que falo por muitos, que têm a paixão, mas não têm o tostão, e que sem perceberem nada disto, metem mãos à obra pelo amor pelas máquinas.

O meu muito obrigado a todos os que aqui auxíliam os "tesos com boa vontade" e um bem-haja pela existência deste portal.

Já agora, o que devo considerar extenso? 2, 3 cm?

Muito obrigado. Um abraço,
 

amadeu pires

Clássico
caro amigo,

eu não sou especialista na matéria, mas já vi muito trabalho ser feito e já experimentei tambem eu próprio muita coisa nesta área técnica de tratamento de carroçaria.

de momento até prefiro fazer coisas de raíz (www.viseudesign.com/Sevenesque.htm) do que restaurar, precisamente por esses 'bicos de obra' que é e desmanche de um carro, reparar tudo e montar de novo. tiro o chapeu a quem tem essa paciência.

no que toca ao auxílio do próximo, no que sei estou sempre pronto a ajudar ao máximo, pois é o que gosto/gostaria que me fizessem quando preciso.

esses buracos de 2-3cm se fosse comigo já dava para meter um retalhinho de chapa.

qualquer dia faço-lhe uma visita para ver a obra ;)

cps
A.P.
 

amadeu pires

Clássico
Betume na chapa - grandes extensões

já agora e para não criar um outro tópico, aqui vai uma dica para quando se usam grandes quantidades de betume em espessura e extensão:

1-betumar com uma espátula serrilhada de forma a criar uma superfície estriada.
2-cortar o betume com uma talocha o mais comprida possível para evitar o típico ondeado em paineis batidos.
3-esta operação permite regularizar a superfície pelos 'picos' criados pelo betume estriado, assim não é necessário cortar tanto betume, tornando-se menos cansativo, fazendo menos pó e poupando lixa.
4-depois de considerada a superfície regularizada, aspirar tudo muito bem e encher os sulcos que ficaram com betume, mas agora só a rapar.
5-parte-se de princípio que em teoria os 'picos' foram bem cortados e formam a superfície real a pintar, os sulcos que restaram têm de ser cheios. é só isto.

espero que tenham entendido. esta técnica não é usada pelos pintores, mas pode ser muito útil na preparação de grandes extensões.

não é necessário ser profissional para fazer isto. experimentem primeiro num painel velho, uma ou duas vezes. vão ver que à terceira o resultado é óptimo e até vos dá vontade de se tornarem profisionais ;)
 
Topo