Mini Aventuras do MINI Speedy Gonzalez - Mini 1000 HLE - 1984

Diários de Bordo

Mini Aventuras do MINI Speedy Gonzalez - Mini 1000 HLE - 1984

R.Rodrigues

Portalista
Portalista
Nada que umas pancadinhas de amor não resolvam, ficou impecável, a andar nem se nota..

Quanto há junta era o que montava para mim, cometic para o que é penso que não justifica... é só mesmo ter em atenção o aperto, eu nunca fiz rodagens para juntas, dou um aperto mais baixo tipo 65/66N.m duas ou 3 voltas para fazer uns ciclos de temperatura e volto a reapertar com os 67/68N.m, afinar válvulas e toca de meter lenha.

E considerar "dry deck"? tapando apenas os canais de agua no bloco, melhora e muito a circulação acaba com os hot spots do 3 e 4 cilindro e temperaturas mais constantes.
 
OP
OP
António M. Vieira e Sousa

António M. Vieira e Sousa

Gentleman Driver
Portalista
Nada que umas pancadinhas de amor não resolvam, ficou impecável, a andar nem se nota..

Quanto há junta era o que montava para mim, cometic para o que é penso que não justifica... é só mesmo ter em atenção o aperto, eu nunca fiz rodagens para juntas, dou um aperto mais baixo tipo 65/66N.m duas ou 3 voltas para fazer uns ciclos de temperatura e volto a reapertar com os 67/68N.m, afinar válvulas e toca de meter lenha.

E considerar "dry deck"? tapando apenas os canais de agua no bloco, melhora e muito a circulação acaba com os hot spots do 3 e 4 cilindro e temperaturas mais constantes.
Não mais do que as cicatrizes da vida que tem tido.

Quanto à junta, vou seguir a sugestão do aperto e ligeira rodagem, afinal a irritante rodagem da anterior nada adiantou.

“Dry deck” nunca ouvi falar, como é que funciona? É que estou mesmo interessado em melhorar o arrefecimento dos 3º e 4º cilindros.
 

Guilherme Bugalho

BUGAS03
Portalista
Não mais do que as cicatrizes da vida que tem tido.

Quanto à junta, vou seguir a sugestão do aperto e ligeira rodagem, afinal a irritante rodagem da anterior nada adiantou.

“Dry deck” nunca ouvi falar, como é que funciona? É que estou mesmo interessado em melhorar o arrefecimento dos 3º e 4º cilindros.
Uma simples procura no youtube ....





Post scriptum - uuuuupppppppppsssssssssssss - Problems com a linguagem ???
 

R.Rodrigues

Portalista
Portalista
Muito obrigado, Guilherme, entendi perfeitamente só que infelizmente é areia de mais para mim, é serviço para um profissional e portanto vai ficar para outra altura. :thumbs up:
Não necessariamente, qualquer torneiro faz as peças e abre o furo na cabeça, a junta usamos uma normal, e a tapar os canais de agua é apenas no bloco, ficamos com agua na junta na mesma, mas circula por fora. Dá para usar pontos roscados ou fazer os tacos como a MED, no caso de não tirar o bloco fora é mais fácil abrir roscas e tapar.
No meu até deixei por tapar os furos por trás do 1º cilindro, para promover circulação naquela zona.

Não é uma modificação usual, nem tudo o que se usa em competição é bom para usar em estrada e estando tudo a funcionar bem não há necessidade, mas que funciona, funciona, aconselho para qualquer motor com mais que uns pozinhos.
 
Última edição:

Guilherme Bugalho

BUGAS03
Portalista
Não necessariamente, qualquer torneiro faz as peças e abre o furo na cabeça, a junta usamos uma normal, e a tapar os canais de agua é apenas no bloco, ficamos com agua na junta na mesma, mas circula por fora. Dá para usar pontos roscados ou fazer os tacos como a MED, no caso de não tirar o bloco fora é mais fácil abrir roscas e tapar.
No meu até deixei por tapar os furos por trás do 1º cilindro, para promover circulação naquela zona.

Não é uma modificação usual, nem tudo o que se usa em competição é bom para usar em estrada e estando tudo a funcionar bem não há necessidade mas que funcionar funciona, aconselho para qualquer motor com mais que uns pozinhos.

Uma imprecisão ....

"Dry deck gasket mini" é a melhor junta e bem cara ... :) :)

 

António Barbosa

Red Line
Portalista
Não mais do que as cicatrizes da vida que tem tido.

Quanto à junta, vou seguir a sugestão do aperto e ligeira rodagem, afinal a irritante rodagem da anterior nada adiantou.

“Dry deck” nunca ouvi falar, como é que funciona? É que estou mesmo interessado em melhorar o arrefecimento dos 3º e 4º cilindros.

Eu acho que o Mini que o saudoso Sr. Faria levou à palestra no Museu em Famalicão tinha Dry Deck. Ter a válvula da chauffage ligeiramente sempre aberta não faz um efeito semelhante?
 

Luis Antonio Cardoso

Pre-War
Premium
Portalista
Viva,
No caso do Speedy, o Dry Deck não será necessário, aliás como em qualquer motor mini, que não seja para competição
A questão e já tive oportunidade de falar sobre isso com @António M. Vieira e Sousa, também reside no sistema de refrigeração o radiador normal do 998 , tem capacidade para o motor normal até o stage one, no caso do Speedy tem cabeça melhorada e cams também, já não tem capacidade de refrigeração otimizada para o motor, o ideal seria colocar um radiador novo 2Core tem cerca de mais 35% de refrigeração, e segundo Keith Calver é suficiente para motores até 160hp!
Posso dar o meu exemplo vou colocar no meu 998 a cabeça Cooper e uma cams melhorada, uma das coisas que comprei foi um radiador novo 2core, é a solução mais simples e eficaz e fácil de aplicar, melhora-se o motor, logicamente o circuito de refrigeração e o circuito de travagem!
 

Guilherme Bugalho

BUGAS03
Portalista
Viva,
No caso do Speedy, o Dry Deck não será necessário, aliás como em qualquer motor mini, que não seja para competição
A questão e já tive oportunidade de falar sobre isso com @António M. Vieira e Sousa, também reside no sistema de refrigeração o radiador normal do 998 , tem capacidade para o motor normal até o stage one, no caso do Speedy tem cabeça melhorada e cams também, já não tem capacidade de refrigeração otimizada para o motor, o ideal seria colocar um radiador novo 2Core tem cerca de mais 35% de refrigeração, e segundo Keith Calver é suficiente para motores até 160hp!
Posso dar o meu exemplo vou colocar no meu 998 a cabeça Cooper e uma cams melhorada, uma das coisas que comprei foi um radiador novo 2core, é a solução mais simples e eficaz e fácil de aplicar, melhora-se o motor, logicamente o circuito de refrigeração e o circuito de travagem!
Bem ....

Espera aí um pouco ...
Motor para competição ???
Então 7000 RPM s não são parâmetros de "competição" ???!!!!!!!!!!!!!!!!!!
 

R.Rodrigues

Portalista
Portalista
Espera aí um pouco ...
Motor para competição ???
Então 7000 RPM s não são parâmetros de "competição" ???!!!!!!!!!!!!!!!!!!
A meu ver isso é uma utilização esporádica, dura 5 segundos nas 7mil, ou fazer umas curvas na serra em que volta e meia bate lá e no meio da loucura se andamos 15min acima das 5500rmp é muito.
Competição é o tempo todo acima das 5k e a recta da meta bem acima das 7k...

Eu até sugeria eliminar a sofagem e meter um radiador extra, mas a malta ai para cima dá uso ha sofagem...

Também sou apologista de melhorar o arrefecimento, dry deck só montei no meu e num 1275 em que meti compressor, posso dar o exemplo do meu com o 2core, em 2011/2012 fiz alguns open days/ track days compressão bem perto das 12:1 e rotação era sempre acima das 5mil com picos a 7200/7500 pouco passava dos 90, mas ao fim de uns 20min tinha de abrandar o passo pois o oleo também já devia estar a ferver e não tinha arrefecimento suficiente, depois de ter posto drydeck nunca mais tive problemas de aquecimento, aliás, agora (desde 2015) com outra cabeça, menos compressão e como normalmente ando com termostato de 75ºC, em viagens com o tempo mais fresco tende a andar mais baixo do que devia, na viagem que fiz para imm depois de jantar umas bifanas em Grândola, tive de meter um papelão há frente na grelha para o carro aquecer que nem o termostato abria.

Só uma pergunta, by pass da cabeça é usado ou já foi eliminado? é que o bypass não faz mais do que circular a agua quente de volta para o motor, eliminar e fazer um furo no termostato é um descanso.
 
OP
OP
António M. Vieira e Sousa

António M. Vieira e Sousa

Gentleman Driver
Portalista
Eu acho que o Mini que o saudoso Sr. Faria levou à palestra no Museu em Famalicão tinha Dry Deck. Ter a válvula da chauffage ligeiramente sempre aberta não faz um efeito semelhante?
Agora que mencionas... realmente o motor do mini dele tem, do lado da embraiagem, um tubo que liga o bloco à cabeça, desconhecia que é o tal “dry deck”, aliás nunca o indaguei sobre esse tubo, agora reconheço que devia tê-lo feito.

A válvula da chauffage aberta (por vezes até ligo o ventilador) tenho-a usado, por cautela, sempre que noto a temperatura nos 180ºF e funciona mas não tem sido suficiente para evitar a queima da junta. Devo frisar que há uns anos a temperatura ultrapassou os 190ºF, mesmo com a válvula aberta e ventilador ligado, somente quando o termostato deu o berro o que só aconteceu uma vez e dias depois a junta foi-se. Em Janeiro deste ano encontrei uma fuga no radiador da chauffage tendo desligado os tubos, vedei-os com rolhas de cortiça tendo o líquido de refrigeração deixado de circular por eles mas sem originar altas temperaturas... e a junta voltou a não aguentar, rebentou agora.

Viva,
No caso do Speedy, o Dry Deck não será necessário, aliás como em qualquer motor mini, que não seja para competição
A questão e já tive oportunidade de falar sobre isso com @António M. Vieira e Sousa, também reside no sistema de refrigeração o radiador normal do 998 , tem capacidade para o motor normal até o stage one, no caso do Speedy tem cabeça melhorada e cams também, já não tem capacidade de refrigeração otimizada para o motor, o ideal seria colocar um radiador novo 2Core tem cerca de mais 35% de refrigeração, e segundo Keith Calver é suficiente para motores até 160hp!
Posso dar o meu exemplo vou colocar no meu 998 a cabeça Cooper e uma cams melhorada, uma das coisas que comprei foi um radiador novo 2core, é a solução mais simples e eficaz e fácil de aplicar, melhora-se o motor, logicamente o circuito de refrigeração e o circuito de travagem!
Ainda não pus a hipótese de trocar o radiador porque raramente a temperatura chega aos 190ºF e €200 é muito peso para o meu físico. O projecto que idealizei para o carrito ainda está longe de concluído o problema foi, a partir de certa data, a falta daquilo com que se compra melões; não estava nada à espera!

A meu ver isso é uma utilização esporádica, dura 5 segundos nas 7mil, ou fazer umas curvas na serra em que volta e meia bate lá e no meio da loucura se andamos 15min acima das 5500rmp é muito.
Competição é o tempo todo acima das 5k e a recta da meta bem acima das 7k...

Eu até sugeria eliminar a sofagem e meter um radiador extra, mas a malta ai para cima dá uso ha sofagem...

Também sou apologista de melhorar o arrefecimento, dry deck só montei no meu e num 1275 em que meti compressor, posso dar o exemplo do meu com o 2core, em 2011/2012 fiz alguns open days/ track days compressão bem perto das 12:1 e rotação era sempre acima das 5mil com picos a 7200/7500 pouco passava dos 90, mas ao fim de uns 20min tinha de abrandar o passo pois o oleo também já devia estar a ferver e não tinha arrefecimento suficiente, depois de ter posto drydeck nunca mais tive problemas de aquecimento, aliás, agora (desde 2015) com outra cabeça, menos compressão e como normalmente ando com termostato de 75ºC, em viagens com o tempo mais fresco tende a andar mais baixo do que devia, na viagem que fiz para imm depois de jantar umas bifanas em Grândola, tive de meter um papelão há frente na grelha para o carro aquecer que nem o termostato abria.

Só uma pergunta, by pass da cabeça é usado ou já foi eliminado? é que o bypass não faz mais do que circular a agua quente de volta para o motor, eliminar e fazer um furo no termostato é um descanso.
Já a algumas juntas atrás que o termostato é de 75ºC com um furo de 4mm e o tubo bypass da cabeça foi eliminado. Com tempo fresco a temperatura não passa dos 170ºF mesmo pondo a uso a grelha de inverno que é mais fechada.
 
Última edição:
OP
OP
António M. Vieira e Sousa

António M. Vieira e Sousa

Gentleman Driver
Portalista
Sempre que uma junta rebenta e a substituo, durante algum tempo (mais tempo ou menos tempo) tudo corre bem até que um dia começa-se a ouvir um grilar quando se acelera a fundo, não adianta mexer no distribuidor, só piora. Com o passar do tempo (Km) o grilar vai aumentando de frequência (devem ser grilos e grilas que entram no cio e reproduzem-se à fartazana gerando tantos semelhantes que o espaço se torna exíguo) até que a junta rebenta; isto tudo sem altas temperaturas e tanto faz o pé direito ser pesado como levezinho, com rodagem ou sem rodagem. E como não tenho encontrado empenos nas faces do bloco e cabeça; e pelas contas que fiz a taxa de compressão (10,2:1) até está dentro de limites aceitáveis, inclino-me para o exagerado aperto nos pernos e má qualidade das juntas, que tenho aplicado. Tenho de alterar procedimentos.
 

R.Rodrigues

Portalista
Portalista
Todo o mal fosse esse, por enquanto as juntas do mini ainda vão sendo baratas e numa tarde está resolvido, eu também tive a minha maré de azares ha uns anos, falta de conhecimento, uso abusivo, material inadequando para o uso que lhe estava a dar, estalei uma cabeça, descolei um disco de embraiagem, derreti velas, entretanto abri motor para revisão e alterar a caixa com 12k km lixei bronzes, touches, bomba de oleo uma cames picada (RE13), distribuição, e sei lá mais o quê.... uma vez parti o pino que engrena os selectores das mudanças dentro da caixa, uma das primeiras coisas a montar na caixa e por ultimo volante de embraiagem (ultraleve) que já não estava em condições, mesmo assim decidi montar, fez 700km, foi até apertar com ele até ao red line, afrouxou, do bloco aproveitei pistons, bielas e bloco depois de ter sido verificado alinhamento... Agora acho que anda desde 2015 sem problemas de maior...

Só um offtopic acerca do dry deck, no 998 não é aplicação directa, a menos que tenham uma cloche cooper S (rara) sem respiro, tem de se gastar a base do respiro para dar espaço para o tubo.

Dry deck 998.png

12072013287.jpg
 
OP
OP
António M. Vieira e Sousa

António M. Vieira e Sousa

Gentleman Driver
Portalista
Todo o mal fosse esse, por enquanto as juntas do mini ainda vão sendo baratas e numa tarde está resolvido, eu também tive a minha maré de azares ha uns anos, falta de conhecimento, uso abusivo, material inadequando para o uso que lhe estava a dar, estalei uma cabeça, descolei um disco de embraiagem, derreti velas, entretanto abri motor para revisão e alterar a caixa com 12k km lixei bronzes, touches, bomba de oleo uma cames picada (RE13), distribuição, e sei lá mais o quê.... uma vez parti o pino que engrena os selectores das mudanças dentro da caixa, uma das primeiras coisas a montar na caixa e por ultimo volante de embraiagem (ultraleve) que já não estava em condições, mesmo assim decidi montar, fez 700km, foi até apertar com ele até ao red line, afrouxou, do bloco aproveitei pistons, bielas e bloco depois de ter sido verificado alinhamento... Agora acho que anda desde 2015 sem problemas de maior...
Puuuuxa...! Isso foi azar elevado ao cubo, desconfio que nem esta minha amiga ajudava:
Bruxa muito boa.jpg

Só um offtopic acerca do dry deck, no 998 não é aplicação directa, a menos que tenham uma cloche cooper S (rara) sem respiro, tem de se gastar a base do respiro para dar espaço para o tubo.

Ver anexo 1225447

Ver anexo 1225448
Motor 1000 com cabeça 1300?
 
OP
OP
António M. Vieira e Sousa

António M. Vieira e Sousa

Gentleman Driver
Portalista
Anteontem dei um salto a Viana a buscar o jogo de juntas encomendado, o farol só lá para o final do mês... com sorte. Raisparta o Brexit! Às tantas ainda vem lá da... Ásia, via UK.

O jogo de juntas:
2021.10.12 Jogo juntas GUG702506HG.jpg

E paguei:
2021.10.12 Factura.jpg

Sendo assim, ontem à tarde dediquei-me ao motor do Speedy, decapitei-o e encontrei a mazela, mais uma vez entre os 3º e 4º cilindros:
2021.10.13 (1).jpg

A face do bloco e os topos dos pistões, antes e depois de limpos:
2021.10.13 (2).jpg
2021.10.13 (3).jpg

A face da culassa pronta para mais uma limpeza:
2021.10.13 (4).jpg

E por ontem foi tudo.

Hoje à tarde tenciono continuar com os trabalhos, com calma, devagarinho e minucioso; há quem diga que sou picuinhas, se calhar têm razão.
 
Topo