Abaixo as rainhas de garagem!

Paulo Baião

Clássico
Eduardo Relvas disse:
Já agora (tou numa de ser mauzinho, hihihi) aproveito para dizer que em algumas aplicações que faço (especialmente nos motores), prefiro trocar (deliberadamente, note-se bem!) os parafusos de cabeça hexagonal pelos tipo Allen (com hexagonal interior), até porque muitas vezes são mais fáceis de adquirir com as especificações que preciso do que os tradicionais.

A maior parte dos hexagonais nem sequer são graduados, mas a maioria dos Allen que se vende são pelo menos de grau 8, por isso são os que escolho...

Se se sentirem mal a ler isto, telefonem para o 112, e eu não disse nada... :D


Ai a "Brigada"...:DD;)
 

Hugo Castelo

YoungTimer
Amigo Relvas, estou completamente de acordo com o seu desabafo e partilho da sua opinião.
Acima de tudo há que respeitar os gostos e vontades de todos. Afinal de contas se todos fossemos radicais ao ponto de querer ter exactamente o carro com "todos os parafusos" de origem ou exactamente igual aos de origem, será que este nosso pequeno grande mundo dos clássicos não se tornaria: monótono?
Ou será que não têm igual valor os que colocam um carburador webber onde anteriormente estava um hitachi apenas e simplesmente porque acha que "grita" melhor, mesmo que o rendimento ganho seja nulo?
Apesar de gostar do original, há que RESPEITAR, acima de tudo ;)

PS: é necessário que tenhamos em conta que quanto mais mentalidades/opiniões/gostos/pessoas/etc. este mundo dos clássicos abranger, mais carros serão salvos e andarão nas estradas.

Abraço a todos.
 

Vitor Dinis Reis

Pre-War
Membro do staff
Premium
Portalista
Polémico... muito polémico!

Sem entrar em fundamentalismos sempre direi que ao passar um determinado limite na questão da originalidade (ou falta dela) deixamos de falar de clássicos...

Embora concorde com muito do que foi escrito, tenho de "separar as águas". O prazer supremo de ter um clássico é ter um clássico.
Um clássico com 40 anos tem o motor que utilizavam à 40 anos, a tecnologia da altura, o cheiro a cabedal, os travões de tambor, o vidro de abrir manual, etc., etc.! Claro que uns extras ou uma preparação da época não podem ser motivo para o excluir desta categoria.

Mas eu já vi um capri com saias caseiras e entradas de ar ao tipo Honda qualquercoisa-R, já vi um mini com um motor de um civic colocado centralmente, já vi um carocha com vidros eléctricos e ar condicionado, já vi outro mini rosa-forte com bancos consola e rádio a condizer... também tinha um equipamento de som que impossibilitava a utilização dos bancos traseiros!
Quem o fez tem está no seu direito, mas não gosta de clássicos! É impossível, é contra natura!

Não devemos entrar em fundamentalismos bacocos mas devemos ter sempre presente a questão da originalidade como uma das metas a atingir ou manter, mesmo que lentamente e a longo prazo. Agora uns estofos usados, uns parafusos diferentes ou uma pintura estalada? Faz parte da história e da vida do nosso clássico, é um pouco como as nossas rugas ou cicatrizes...

rat rod's ou hot rod's? Eu gosto de aquariofilia... Para mim, fazem parte de outra história ;)
 
Quem fala assim não é gago! Não teria dito melhor. Exactamente o que penso e até já tive oportunidade de também o exprimir aqui! Os carros foram feitos para andar. o lugar deles é na estrada. Ter 1 clássico é uma paixão não se pode tornar numa obrigação de originalidade! Mas o pessoal das inspecções não pensa assim... Mas isso já é outra conversa. ;)
Mas penso que o que se discute aqui é trocar umas suspensões, melhorar uns travões, mexer o motor, caixa, etc, mas mantendo o traço original do carro... Não se está a falar de tunning... Se bem que estão no seu direito, mas é outro campeonato...
 
Eduardo Relvas disse:
Podes crer! :D




Aliás, vou ser ainda um pouco mais mauzinho... já alguém ouviu falar de rat rods? Pois eu acho o conceito engraçado, e um dia ainda hei-de construir um.

Para quem nunca ouviu falar nisso, um rat rod é um hot rod (clássico artilhado) cujo aspecto é deliberadamente deixado original sem qualquer restauro ou mesmo feito de propósito para ter um ar de quase abandono.

A classic ford deste mês trás um artigo de um rat rod cortina mk1. ;)
 
De certo modo sinto-me um "Velho do Restelo" ...:D

Todos mais ou menos sabem que sou um adepto do original. Sinto gozo na pesquisa, na procura, na luta de perceber quais foram as alterações que a marca foi introduzindo ao longo da vida de um modelo.

Gosto de andar nas sucatas à procura daquela peça que até se podia fazer em poliuretano, daqueles parafusos que no meu foram substituidos por outros mais modernos, daquele botão que era o que vinha de origem, apesar de haver parecidos novos!

Sinto que gosto de um clássico pelo que ele é, pela suas história, pelas suas histórias. E por isso tenho o meu Manta à espera de uma pintura à dois anos, tenho riscos e pontos de ferrugem, e até mesmo frisos amolgados! Mas essas marcas são parte dos 36 anos de história do Manta, nada que me envergonhe, são as suas rugas e até nisso me custa meter botox!

No entanto concordo plenamente com o Eduardo, o meu carro não é para estar num pedestral. Os carros foram feitos para andar e se as especificações dizem que ele dava 170km/h ... eu já os comprovei, cada vez que chove um pouco não tenho medo de sair com ele à rua ... as rotundas são como endorfina para mim e para o carro!:p
É com prazer que olho para o retrovisor e vejo os outros carros a travar cada vez que vêm a traseira do Manta de lado numa curva mais apertada!
E para o meu tipo gozo não senti até agora necessidade de lhe meter uns webber 40 ou uma cx de 5 velc. e uma panela de escape com saida central!

Esta é a minha forma de viver os clássicos!:D

E tal como os outros se insurgem quando os criticam e lhes apontam o dedo ... espero que não mo apontem a mim... embora isso não me afecte minimamente.
:huh:

Aprecio bastante uma preparação bem feita, e exemplo maior disso mesmo, é o Escort do Armando aqui no Portal.

Para tudo há limites, e cada um é como cada qual.
;)
 

Eduardo Relvas

fiat124sport
Portalista
Bem, já estou a agitar demais a caixa... :D

Vitor, naturalmente que um Capri com alargamentos e entradas de ar totalmente dissonantes do carro ou um Mini com motor Honda e coisas afins também não os vejo como clássicos, isso é o xuning no seu melhor. Uma coisa é elogiar o carro, outra coisa é torná-lo xunga e descaracterizado.

É por isso que mesmo nos hot rods, street rods e rat rods nem tudo é aprazível, há sempre quem não entenda bem o que se pretende e faça a sua versão "puto de 5 anos" de um carro que se calhar até podia ter sido giro. Eu quando vejo esses tipos digo sempre que também já sonhei com carros assim... quando andava na primária! Mas depois cresci... :D

A mim não me ofende que se use uma carcaça de um carro impossível de recuperar, mas ofende se for feito de forma muito diferente do que lá haveria antes. Mas felizmente ainda se fazem réplicas do chassis do Ford B para se poder manter alguma semblança de autenticidade, e o carro a que me referia tinha o aspecto de ser algo que alguém poderia ter feito na década de 40, não havia modernices à vista.

Como já referi em várias discussões dentro desta linha, para mim o código mais simples é: seria possível ser feito assim na época do carro? Se sim, tudo bem. Senão, deve ponderar-se muito bem o que se vai fazer. Algo que não respeite e elogie o carro deve ser deixado de parte.

Quanto a modificações que melhorem o desempenho e não sejam perceptíveis, acho que se devem implementar. O meu Spider tem uns quantos "toques" deste tipo. Nada visível, nem que altere de forma alguma o manuseamento do carro, mas simplesmente que o tornam mais fiável e seguro.

Refiro-me a ignição electrónica (mas a minha ainda usa os platinados por isso nem nisso se vê, até a bobine disfarcei para ter o mesmo aspecto da original), travões de circuito duplo em vez de simples, faróis equipados com lâmpadas de halogéneo, um carburador levemente modificado, uma bomba de gasolina eléctrica em vez de mecânica. Tudo isto é invisível e, se um dia o desejar, reversível. Mas isso deve ser só quando deixar de conduzir... :D

Ricardo, acho muito bem a tua maneira de ver o teu clássico, e espero que continues a tirar prazer dele, seja de que forma for. Não é mau nem de forma alguma redutor ser-se exigente na demanda da originalidade, é uma determinação que deve ser elogiada e não reprovada.

O que eu quero dizer é que um clássico continua a ser um clássico desde que seja respeitado. Ser respeitado significa que se honre a sua idade, a sua época de origem, e que o que se mude, mude para algo que não lhe roube o carácter. E um carro continua a ser a nossa expressão de individualidade, por isso há que respeitar os gostos de cada um.

Eu também tiro prazer na investigação e busca das especificações e peças originais do meu carro, ainda há alguns pormenores que tenho de repôr correctamente e não descansarei enquanto não o fizer. Ainda por cima tendo a responsabilidade de ter uma versão tão rara. Mas nunca na vida deixarei que essas coisas me impeçam de tirar o maior dos prazeres em o usar. O dia em que deixar de ter prazer na condução, é porque de certeza algo em mim já passou da validade.

Aliás este é o meu grande problema, é que o maior prazer que tiro dos meus carros é conduzi-los. É por isso que não consigo ter um carro parado demasiado tempo por este ou aquele motivo, fico com ânsias, fico doido. Acho que para mim um restauro profundo seria algo que só poderia executar com um carro que nunca tivesse conduzido para não saber o que estava impedido de disfrutar, e mesmo assim... ainda caía na tentação de ir dar uma volta no chassis com a mecânica e sentado numa grade de cerveja virada ao contrário! :D

Um abraço a todos!
 
Eduardo, não podemos é parar de agitar a caixa...
Precisamos é deste tipo de debates e discução de ideias ao invés de comentários demasiádo estéreis do tipo "grande carro, exelente!!!".
:D

Eduardo Relvas disse:
O que eu quero dizer é que um clássico continua a ser um clássico desde que seja respeitado. Ser respeitado significa que se honre a sua idade, a sua época de origem, e que o que se mude, mude para algo que não lhe roube o carácter. E um carro continua a ser a nossa expressão de individualidade, por isso há que respeitar os gostos de cada um.
Acho que isto resume a bem a nossa discussão e nos coloca a ambos no "mesmo lado da barricada"
;)
 

Hugo Castelo

YoungTimer
Exacto, concordamos que não gostamos dessas xuninguices! Nem lá perto sequer.
Por mim falo, apenas em alterações de época sem extremismos desse tipo ;)
 

Rafael S Marques

Pre-War
Membro do staff
Premium
Delegado Regional
Portalista
Belas palavras, apesar de gostar dum classico original, concordo plenamente contigo, cada um deve reparar como bem intender e a seu gosto. Nao vai deixarde ser o nosso carro e para mais somos nos que vamos conduzir, e nao os outros.
 

Ricardo Teixeira

Gasolina nas veias
Portalista
Acho que aqui existem duas palavras a manter:

- Contemporâneo
- Passado

Eu pessoalmente penso que practicamente todas as modificações, alterações, acessórios e extras contemporâneos ao carro são válidas! Fazem parte da época em que o carro circulava, combinam com a utilização que lhe era dada, retrata os seus proprietários... e acho que já toquei nesse ponto no tópico
http://www.portalclassicos.com/forum/showthread.php?t=6982&highlight=STRL

Existem algumas exepções aceitáveis, tais como pneus radiais, ignições electrónicas, etc, que facilitam e encorajam a utilização diária dos clássicos.

Em relação ás marcas do passado em cada viatura, eu confesso que prefiro os estofos em pele estalada e com "patine", instalações eléctricas forradas a tecido (odeio as novas, isoladas a plástico:wacko:), etc.. etc... Cada carro vale também pela sua história, e pelas "estórias" que tem para contar do seu passado.

Uma máquina desgasta-se, mas só se estraga se estiver PARADA.... e os carros são máquinas..

PS: eu faço questão de utilizar todos os clássicos lá de casa como viaturas normais. Faço milhares de Km por ano com todos eles... desde Corvettes a Hondas S800 (antigamente).. desde Espanha ao Algarve... e não me arrependo de nada... nem me envergonho de ir ás compras com qualquer um...

Abraço,
R
 

Eduardo Relvas

fiat124sport
Portalista
Esqueci-me de uma modificação... meti um "windage tray" (como se dirá isto em português?) no motor... mas desse só me lembro quando o atiro para uma curva longa para a direita e não fico sem pressão de óleo... :cool:

Por isso é que não me lembrei, tava a escrever isto aqui paradinho no gabinete... :D

Um abraço a todos!
 

Ricardo Teixeira

Gasolina nas veias
Portalista
Mas Eduardo, o "windage tray" só reduz a perda de potência por chapinhagem da cambota, e aumenta a vida útil do óleo evitando a espuma... certo? o_O

Não quererias dizer "baffled sump" quando te referias á pressão de óleo versus G-lateral? :feliz:
 

Eduardo Relvas

fiat124sport
Portalista
Sim, essencialmente seria isso, mas este acaba por ser uma mistura das duas coisas porque foi desenhado e fabricado tendo em mente também a contenção do óleo na zona do chupador da bomba de óleo quando se curva para a direita (o ponto fraco dos twin-cam quando o nível do óleo está baixo).

Como na altura ainda não tinha o motor nas mãos, fizemos o tabuleiro (foi fabricado por um amigo do Colorado e depois retocado por mim) modelando com outros 1438 cc e fez-se logo assim para ser só montar e não ter que ainda andar a modificar o cárter, o objectivo era mesmo apenas o uso regular e com alguma condução agressiva à mistura, não é um motor de competição... ;)

Um abraço!
 

Jose Manuel S Lopes

ESCORT79
Delegado Regional
Portalista
É isso mesmo pessoal um clássico é para andar faça sol ou chuva obviamente temos que ter um cuidado mais atencioso ou não se trata-se de um "oldcar" como nós quando formos mais velhotes, temos que continuar andar até puder e sempre com mais cuidados redobrados.

Há que usufruir e "rematando" as mazelas que aparecerem.
Abraço;)
 
Boas para todos!!!
Ora aí está amigo eduardo e restantes "postadores" deste tópico que me deu imensa alegria a ler.........
Também já sofri dessas maleitas,até fui marginalizado e rejeitado por outro forum por causa de umas alteraçoes que fiz no meu carro......
Nao podia estar mais de acordo com tudo o que foi aqui dito,e brevemente vou andar no meu clássico todos os dias.
Senao vejam-
http://ttaunus.blogspot.com


Abraço para todos
 

Simao Reis

Prego a fundo...
Jose Manuel S Lopes disse:
É isso mesmo pessoal um clássico é para andar faça sol ou chuva obviamente temos que ter um cuidado mais atencioso ou não se trata-se de um "oldcar" como nós quando formos mais velhotes, temos que continuar andar até puder e sempre com mais cuidados redobrados.

Há que usufruir e "rematando" as mazelas que aparecerem.
Abraço;)


100% de acordo!! mai nada!!! :p :p :p
 

Eduardo Relvas

fiat124sport
Portalista
Jose Manuel S Lopes disse:
É isso mesmo pessoal um clássico é para andar faça sol ou chuva obviamente temos que ter um cuidado mais atencioso ou não se trata-se de um "oldcar" como nós quando formos mais velhotes, temos que continuar andar até puder e sempre com mais cuidados redobrados.
Há que usufruir e "rematando" as mazelas que aparecerem.
Abraço;)
Eu cá por mim por enquanto ando mesmo numa de transplantes e cirurgias de alto nível para garantir que tá tudo em cima... Pelo menos a nível técnico, o estético vem depois, que mesmo não estando a 100% dá bem prás voltas... :D

Obviamente não ando a comprovar todos os dias os tempos dos 0 aos 100 ou a velocidade máxima, mas sei que ele é capaz disso. E quase todos os dias passa um bocadinho dos 100... quer dizer, dependendo da estrada, mas todos os dias quando vou para o trabalho tenho um pedaço de estrada que é quase uma autoestrada... e em cross-country então, faz umas médias de tirar o fôlego a muita dessas coisas asmáticas que se vendem hoje... :D

Há que manter a forma... :p
 
Nao haja duvidas que nao há nada que chegue a um belo clássico a trabalhar impecável....:D

Aquela sensaçao de passar num sitio e toda a gente a olhar e a sussurrar:"que carro é aquele,o meu avô teve um igual!!!!".
Entao se der para dar uma "ratada" a um menino lindo com um pópó novo ainda melhor!!!


Pessoal,abraço para todos e já sabem,na proxima automobilia vai aparecer por lá um ford taunus preto que é cá uma máquina!!!!!!!!!
 
Topo