50 anos Trabant

  • Thread starter Jorge Aguiar
  • Data de início
J

Jorge Aguiar

Guest
Este é um clássico que fez ontem 50 anos, veio no Público de 13.11.2007 :
"O Trabant é, mais do que qualquer outra coisa, um ícone da divisão do mundo, tal como o século XX o conheceu, em duas esferas ideológicas. Que o digam os turistas que visitam a Berlim moderna e que trazem a bagagem cheia de réplicas em miniatura para oferecer, como quem leva de Paris pequenas Torre Eiffel de presente.

Começado a construir em 1957, mais precisamente a 7 de Novembro, na fábrica da Sachsenring (que justifica o S que distingue a marca), na cidade de Zwickau, o Trabant, cujo nome remete para a típica expressão comunista de camarada, neste caso “camarada de viagem”, foi pensado para fazer face à escassez de meios e materiais com que o Leste da Europa se confrontava.

Feito de uma espécie de fibra de vidro misturada com algodão reciclado, o Trabant foi feito para durar, apesar dos desafios que o frio extremo do Leste europeu colocava aos frágeis materiais. Mas sobreviveu. Sobreviveu à queda dos regimes comunistas para cujos ideais foi construído. E é hoje um objecto de culto dos alemães e checos que não se desfazem dos seus Trabant. E é também uma dor de cabeça para quem se dedica à reciclagem de carros usados, uma vez que o seu material reciclado, ironicamente, é quase impossível de reciclar.
 
J

Jorge Aguiar

Guest
Este é um clássico que fez ontem 50 anos, veio no Público de 13.11.2007 :
"O Trabant é, mais do que qualquer outra coisa, um ícone da divisão do mundo, tal como o século XX o conheceu, em duas esferas ideológicas. Que o digam os turistas que visitam a Berlim moderna e que trazem a bagagem cheia de réplicas em miniatura para oferecer, como quem leva de Paris pequenas Torre Eiffel de presente.

Começado a construir em 1957, mais precisamente a 7 de Novembro, na fábrica da Sachsenring (que justifica o S que distingue a marca), na cidade de Zwickau, o Trabant, cujo nome remete para a típica expressão comunista de camarada, neste caso “camarada de viagem”, foi pensado para fazer face à escassez de meios e materiais com que o Leste da Europa se confrontava.

Feito de uma espécie de fibra de vidro misturada com algodão reciclado, o Trabant foi feito para durar, apesar dos desafios que o frio extremo do Leste europeu colocava aos frágeis materiais. Mas sobreviveu. Sobreviveu à queda dos regimes comunistas para cujos ideais foi construído. E é hoje um objecto de culto dos alemães e checos que não se desfazem dos seus Trabant. E é também uma dor de cabeça para quem se dedica à reciclagem de carros usados, uma vez que o seu material reciclado, ironicamente, é quase impossível de reciclar.
 

Anexos

Carlos Jorge Sol Teixeira

CorollaMania
Portalista
Diogo Lisboa disse:
Se aparecesse aí um barato, comprava-o:D...
:DD:DDou trocavas por uma fiambreira :DD:Dmeu pai teve um na Africa do Sul, diz ele que as 4 da manha nunca pegava por causa do frio e era preciso empurrar :DD:DD:Dde resto até que é porreiro de se ver......:huh:
 

Carlos Jorge Sol Teixeira

CorollaMania
Portalista
Diogo Lisboa disse:
Se aparecesse aí um barato, comprava-o:D...
:DD:DDou trocavas por uma fiambreira :DD:Dmeu pai teve um na Africa do Sul, diz ele que as 4 da manha nunca pegava por causa do frio e era preciso empurrar :DD:DD:Dde resto até que é porreiro de se ver......:huh:
 

Walter Lacasta

YoungTimer
O Trabant exerce um estranho fascinio. É uma das viaturas mais desprezadas de sempre em todo o mundo, mas ao mesmo tempo uma das mais interessantes. Porquê? cada um de nós
terá a sua opinião, e todas válidas certamente.Tal como o Diogo Lisboa, tambem me deixei encantar por esta obra paleolítica ( sem ofensa para o Neanderthal...). A tal ponto que cometi a extravagancia de aquirir uma coisa destas na Bulgária e trazê-la para cá. Correndo todos os riscos, afirmo que este carro é de facto um marco incontornável de cultura ( pelo menos cultura automobilistica). Não me compete realizar o sonho do Diogo, mas posso perfeitamente oferecer-lhe um passeio de Trabant. É só dizer.
Saudaçõesclássicas. Walter :feliz:
 

Jose Manuel S Lopes

ESCORT79
Delegado Regional
Portalista
Walter Lacasta disse:
O Trabant exerce um estranho fascinio. É uma das viaturas mais desprezadas de sempre em todo o mundo, mas ao mesmo tempo uma das mais interessantes. Porquê? cada um de nós
terá a sua opinião, e todas válidas certamente.Tal como o Diogo Lisboa, tambem me deixei encantar por esta obra paleolítica ( sem ofensa para o Neanderthal...). A tal ponto que cometi a extravagancia de aquirir uma coisa destas na Bulgária e trazê-la para cá. Correndo todos os riscos, afirmo que este carro é de facto um marco incontornável de cultura ( pelo menos cultura automobilistica). Não me compete realizar o sonho do Diogo, mas posso perfeitamente oferecer-lhe um passeio de Trabant. É só dizer.
Saudaçõesclássicas. Walter :feliz:
Hoje estava um na Moita...não seria o seu??;)
 
Topo