1984 Yamaha FJ 1100 (36Y)

vitorino

Clássico
viva

apresento e inicio aqui o log da minha BBB "Big Bore Bike" Yamaha FJ 1100 (36Y) de 1984



potência: 125 cv @ 9 000 rpm
binário: 86 Nm @ 8 000 rpm
cilindrada: 1 097 cc
motor: 4 tempos, 4 cilindros em linha, DOHC
diâmetro x curso: 74 x 63.8 mm
compressão: 9.5:1
refrigeração: ar + óleo
válvulas: 16
alimentação: 4 carburadores Mikuni BS36
embraiagem: multi-disco em banho de óleo
caixa de velocidades: 5
transmissão final: corrente
pneu dianteiro: 120/80 V16
pneu traseiro: 150/80 V16
jante dianteira: 16" liga leve
jante traseira: 16" liga leve
suspensão frontal: forquilha telescópica de 41 mm, ajustável em 3 posições, com sistema hidráulico anti-afundamento
suspensão traseira: mono-amortecedor, ajustável em 17 posições
travagem dianteira: 2 discos de 282 mm com 2 pistões cada
travagem traseira: mono-disco de 282 mm com 2 pistões
quadro: duplo-berço em aço; à volta do motor
peso: 252 kg
comprimento: 2 175 mm
altura: 1 200 mm
largura: 730 mm
distância entre eixos: 1 490 mm
altura do assento: 780 mm
distância ao solo: 140 mm
depósito de combustível: 24.5 L
consumo médio: 6 L/100 km
escapes: 2
0 - 100 km/h: 3 s
velocidade máxima: 235 km/h
ignição: digital
arranque: eléctrico
bateria: 12V 14Ah
alternador: 360W

está entre as primeiras 2 000 unidades produzidas da série original 36Y

a alma deste motor foi depois para a FJ 1200, XJR 1200, XJR 1300 e FJR 1300

está 100% original sem nenhum tipo de modificação, toda ela com peças OEM

é uma moto de uso exclusivo de férias e só sai com bom tempo

já rodei com ela cerca de 250 km até agora e tem-se portado bem

potência é algo que não lhe falta (125 cv) e ela só quer mais e mais e mais... é fácil distrairmo-nos com a suavidade do motor e pensarmos que vamos a 90 km/h, por exemplo; mas quando olhámos para o velocímetro já vamos a 140 km/h

é uma fabulosa turística, um "canhão" quando necessário e uma exemplar citadina que se manobra como uma scooter no trânsito a baixa velocidade... nunca notámos os seus 252 kg de peso; e podemos rodar em 5ª de 120 km/h até aos 30 km/h sem necessidade de reduzir de velocidade

necessito fazer algumas coisas nela (manutenção normal) assim como cuidar de uns pormenores estéticos; mas nada de "estrutural" (até agora)

vou relatando aqui as actualizações que for obtendo

boas curvas
 

José L

Clássico
Boas amigos,
Grande maquina que tu ai tens amigo Vitorino e com a cor emblematica das 1100 fj, como sabes tenho uma 1200.
A yama fabricou as Fj 1100 como esportiva, éra para ser vendida como a desportiva de maior cilindrade da marca, mas a concurencia (suzuki) foi mais longe en termos de esportividade com as gsxr 1100, o que deu origem à yama criar outra categoria (as gt), isso esplica que as 1200 teem mais binàrio mas mesno potencia .

O motor da xjr é sim o mesmo, so foi almentado legeiramente o diametro dos pistons quando passaram a 1300, mas nas fjr nao é igual, é um motor novo ;)
 
Última edição:

vitorino

Clássico
@José L as FJ 1100 realmente eram para ser as desportivas mais rápidas do mundo (e foram-no por um curto período de tempo); mas depois da concorrência ter ferrado os dentes a Yamaha decidiu apostar (e bem) na vertente sport-touring da FJ

por conseguinte a FJ 1100 tem o título da "1ª moto sport-touring do mundo"

em relação à FJ 1200, eu pessoalmente gosto mais das linhas originais da FJ 1100 porque acho que são mais equilibradas

gosto também da polivalência da FJ 1100 que de manhã pode ser um "R", de tarde uma "ST" e à noite uma "C"

o meu estilo de condução é super-relaxado e tranquilo, porquanto as prestações puras e velocidade de ponta não me dizem nada; mas é melhor ter potência a mais (125 cv) do que a menos, pois o motor está sempre a ronronar a baixa rotação e sem esforçar os componentes internos... e quando for preciso, numa ultrapassagem por exemplo, basta rolar o punho (nem é preciso pôr uma abaixo) e ela desenvolve como se nada fosse...

em relação aos motores das XJR e FJR eu falei em "alma", não no bloco 100% original per se :cool:

boas curvas
 

José L

Clássico
As normas de poliçao fizèram que a yama acabàsse com a fabricaçao desse motor, é uma pena. Eu tenho uma fj que està ai e tem neste momento 138 000km, e jà é a segunda xjr que tenho, a primeira vendina com 100 e poucos mil e a actual tem 188 000km (as três compràdas novas), fora 2 camions de pneus e de pastilhas, mais a compra de açoes na repsol :), pouco mais foi perciso, nenhum dos 3 motores foi aberto, nem têve qualquer problema .
 

Rui Durão

Veterano
Premium
São excelentes motas, pouco reconhecidas entre nós. O motor é fenomenal, e toda a ciclística é ainda hoje muito atual. A minha é de 1986 (1TX), o primeiro ano das 1200. Mantém a tendência desportiva da FJ1100, mas ganha 5cv e algum binário. A última foto que tenho dela é do fim de semana passado (e também por isso - mas não só - é que o Saab não tem avançado):

664b7093-27f1-4517-a2b6-9983904962d3.jpg

Afinação da folga das válvulas. Valeu a pena, o motor parece outro (ainda melhor).
 

José L

Clássico
Ai em Portugal é raro ver uma, mas cà em França foi um succésso, mesmo agora ainda se vê algumas.
Cà as fj 1100 e prencipalmente as 1200 foram as motas mais equipàdas com sidecar, uma grande pourcentagem dessas attelages ainda se encontram andar regularmente .

uma foto, por o que me parresse tiràda (nao por mim) nas cupes moto legende em Dijon

Fj.PNG

Este modêlo com sid cométe e as jantes alpina turbo é o mais corrente.
Ps: se olharem bem o motor dèsta tem uma particularidàde ;)
 

vitorino

Clássico
@José L : até agora, mesmo circulando de automóvel nunca vi nenhuma FJ 1100 nem FJ 1200 na estrada

pessoalmente não gosto muito de modificações, sejam elas em motos ou em carros; porquanto prefiro os veículos 100% originais e sem quaisquer modificações internas ou externas

por outro lado, mais dia menos dia vai chegar as inspecções periódicas às motos e depois vai haver muita gente a "berrar" porque as suas motos modificadas chumbaram na inspecção por não estarem devidamente homologadas nem cumprirem requisitos fundamentais de segurança

cumprimentos
 
Última edição:

José L

Clássico
Eu nao sou muito radical, mas é verdade que à cada vez mais malta a fazer alteraçoes, e por vêzes mudando totalmente a estabilidade da mota, o que é mais que pregoso.

O motor da fj que està na foto, foi certamente trocàdo por estar cansàdo ( muitos kms ), e ficar mais baràto encontrar um em bom estado de xjr batida, que de reconstruir o de origem .

Bom, amanha vou dar mais uma voltinha com a minha madame e ums amigos, de mota jà se sabe !!! ;)
Boas curvas para vos tambem !!

Ps: Desculpem pêlos erros que comêto, resulta de 50 anos a viver fora de Portugal

Cumprimentos
 
Última edição:

Rui Durão

Veterano
Premium
Faz sentido que as FJ1200 sejam usadas para montar sidecar. O motor tem um binário absolutamente fenomenal, sobretudo para a idade e para um motor refrigerado a ar. Já tive duas Hayabusas, e apesar de ser um motor com menos 20 anos, as diferenças (de binário) não são assim tão grandes...
 
Cada vez olho com mais interesse para as motos, as antigas e as actuais com design mais vintage.
Não tenho carta de moto e a minha experiência nas duas rodas resume-se a ter tido umas scooters na adolescência.
Aos 46 anos pondero seriamente mergulhar na aventura motard :p.

A tua Yamaha é um bom exemplo de tentação que tenho sentido ultimamente...
 

José L

Clássico
Amigo Hugo salte o passo, porque mais tarde vai têre pêna de nao o tere feito, as motas é uma doença, mas uma doença boa.;)

PS; Esta foto foi tiràda no baloiço no alto da serra da Lousa, se alguem quiser là ir ;)
 
Começo por lhe dar os parabéns pela sua FJ. Está em Mint condition!
Sempre foi um modelo que me passou ao lado, até surgir um negócio por um valor muito aliciante e acabei por comprar uma. É uma FJ1200 ABS de 92. Estou apaixonado, a mota está em más condições a nível de suspensão, pneus etc e mesmo assim fiquei entusiasmado. O objectivo seria vender a mota mas em vez disso vou restaura-la e vai ficar por cá e 100% original! Agora só falta encontrar algum tipo de feedback de um bom mecânico na zona de Lisboa/Setúbal ou até mesmo zona Oeste. Tive tantas más experiencias que estou traumatizado e não estou a conseguir confiar a minha FJ para afinação de válvulas e restauro dos Carburadores ( alguma sugestão é bem vinda :) )

cumprimentos
 

Anexos

São excelentes motas, pouco reconhecidas entre nós. O motor é fenomenal, e toda a ciclística é ainda hoje muito atual. A minha é de 1986 (1TX), o primeiro ano das 1200. Mantém a tendência desportiva da FJ1100, mas ganha 5cv e algum binário. A última foto que tenho dela é do fim de semana passado (e também por isso - mas não só - é que o Saab não tem avançado):

Ver anexo 1183952

Afinação da folga das válvulas. Valeu a pena, o motor parece outro (ainda melhor).
Recomenda algum sítio para fazer afinação de válvulas? a minha também precise! obrigado:thumbs up:
 

Rui Durão

Veterano
Premium
Fui eu que fiz a afinação das válvulas. Mas qualquer oficina Yamaha saberá fazer isso - implica ter uma peça específica para trancar a válvula (custou 30€) e ter pastilhas da medida certa. Eu fui pelo caminho mais longo: medi a folga das válvulas que tinha; verifiquei a medida de todas as pastilhas que estavam montadas; fiz as contas; fui comprar duas pastilhas; voltei a abrir a tampa e troquei várias pastilhas de sítio; voltei a verificar a folga.

Numa oficina não será um trabalho barato porque: cobraram-me 11€ por cada pastilha, o que acho bárbaro; é um trabalho demorado, portanto a mão-de-obra vai pesar na conta final.
 
Fui eu que fiz a afinação das válvulas. Mas qualquer oficina Yamaha saberá fazer isso - implica ter uma peça específica para trancar a válvula (custou 30€) e ter pastilhas da medida certa. Eu fui pelo caminho mais longo: medi a folga das válvulas que tinha; verifiquei a medida de todas as pastilhas que estavam montadas; fiz as contas; fui comprar duas pastilhas; voltei a abrir a tampa e troquei várias pastilhas de sítio; voltei a verificar a folga.

Numa oficina não será um trabalho barato porque: cobraram-me 11€ por cada pastilha, o que acho bárbaro; é um trabalho demorado, portanto a mão-de-obra vai pesar na conta final.
Muito obrigado pelo input. Eu estive a ver no manual da HAYNES como é o procedimento e não me parece o fim do mundo. Sou capaz de tentar- :thumbs up: provavelmente irei fazer da mesma forma: Fazer a medição e verificar quantas são realmente necessárias. Também quero fazer uma limpeza de carburadores, tive a ver no manual mas isso sim já deve ser mais complicado. Ela está a perder gasolina pelo tubo do respiro, tenho mesmo que dar um miminho nos carbs.
 
Topo