Bem-vindo/a ao Portal Classicos

O Portal dos Clássicos é um sítio português dedicado aos veículos clássicos com interesse histórico. Temos como objectivos juntar a comunidade de entusiastas e prestar auxílio a todos os que pretendem adquirir, restaurar, conservar e manter veículos antigos. O que espera para se juntar à família?

Welcome to Portal Classicos, the biggest Portuguese community about historic vehicles! Change language here.

  1. Este site utiliza cookies. Ao continuar você estará de acordo com a nossa utilização de cookies. Saber Mais.
  2. Postalistas, o Portal dos Clássicos está no no Drivetribe, a rede social automotiva do trio May-Clarkson-Hammond! Junte-se à nossa Tribo
    Fechar Aviso

Velho ou clássico?

Tópico em 'O nosso hobby: Clássicos' iniciado por Rui Rego, 7 Set 2006.

Tópico em 'O nosso hobby: Clássicos' iniciado por Rui Rego, 7 Set 2006.

  1. na minha opinião essa classificação não é linear. pois cada um deve considerar um carro velho ou classico conforme os seus gostos, sendo o carro classico aquele que gostamos de conduzir, guardar e estimar para não desaparecer.
     
  2. Um classico é um veiculo que se detingue dos outros pela raridade ou por outro factor digno de rigisto seja desenho motor ou história.
    Um alfa romeo spider de 1995 é um clasico, Seat Ibiza do mesmo ano é um carro velho...
     
  3. Pois esta discussão faz-me lembrar sempre uma outra ligada ás motas que tem a ver com o ser ou não ser, motard, ou motociclista…
    Nisto dos carros, e apenas segundo o meu ponto de vista, também nunca percebi este tipo de rótulos. Para mim todos os carros devidamente mantidos têm interesse histórico e nem consigo entendê-lo de outra forma.
    A única diferença que consigo ver está relacionada com o nº de unidades existentes e com a vontade que as pessoas têm de os ter, variando apenas o valor em dinheiro necessário para os comprar.
    Não percebo quando se diz que determinado carro tem interesse histórico e outro não, pois de certeza que ambos tiveram o seu papel no tempo em que foram lançados.
    Por exemplo, e pegando num modelo aqui falado, o Alfa SprintVeloce quanto a mim não tem mais interesse histórico que o e o Renault 5 GTL, isto, volto a lembrar, segundo o meu ponto de vista, pois cada um foi determinante com as suas características no seu tempo. Agora, se me perguntarem qual eu gostava de ter… :D Claro que era o Alfa… ;) provavelmente a maioria também e daí a diferença de valores.
    Por isso todos os carro com determinada idade são clássicos.
     
  4. Da nova enciclopédia portuguesa, vol. 6, pág.498 : Clássico - Diz-se de um estilo reconhecido universalmente como modelo perfeito, ou quase, que pode ser analisado, seguido ou até mesmo imitado para além da sua época.
    Do dicionário da língua portuguesa, Porto Editora, 8.ª Edi. : Clássico - ...que corresponde a uma determinada época de perfeição artistica; que é de estilo impecável; inveterado no uso...
    Na minha modesta opinião, de facto, apesar de todos os veículos poderem ter o seu interesse , que poderão ser de diversa ordem, nem todos cabem nas anteriores defenições, ou seja, por muito que custe nem todos os carros antigos, assim como todo os objectos em geral, podem ser classificados como clássicos. Se assim fosse, a unica definição para clássico seria ''velho'' ou ''antigo'' o que está longe de corresponder à realidade.
    Nos automóveis, assim como em tudo na vida, existem alguns que se podem considerar como modelos de inovação, disign, performance, etc.
    Em alguns construtores, com determinadas caracteristicas, quase todos os modelos que produziram ou produzem são, ou virão a ser, ''clássicos'' e outros, pontualmente, produziram ou virão a produzir modelos que de alguma forma também virão a caber nesta definição.
    Posso referir um ou dois exemplos que considero determinantes: quando hoje, ao fim de 40 e poucos anos, observamos a forma de um Porsche 911 Turbo de ultima geração não podemos deixar de nos lembrar dos primeiros 911 ou até dos 356... Quando olhamos para um BMW actual poderemos ver as formas clássicas que o fabricante adotou à muitos anos e que se podem ainda ver nos seus modelos ( olhem para um 635CSI e para um série 6 actual ). Isto para não falar dos Mini e dos VW Carocha, que conseguem ser clássicos antigos e actuais!!!
    O mesmo não se passa, infelismente ou não, com a generalidade dos contrutores. Tenho a certeza que actualmente estão a ser produzidos alguns clássicos para o futuro, mas, ninguêm me pode convencer que daqui a 40 anos, um dos meus veículos actuais, um Chevrolet Matiz, vai ser um Clássico!!!
    Quanto muito seria uma raridade... se durasse todos esses anos.
    Será o que se passa actualmente: dos muitos carros, infelismente deveriam ser mais, que actualmente circulam e de que nós gostamos muito, e ainda bem, alguns são verdadeiramente Clássicos ( por defenição ) e outros ( atenção: não tenho de modo algum em consideração o seu valor monetário ) são raridades que de algum modo sobreviveram, felismente, ao tempo e aos maus tratos de uma vida, que possivelmente por serem mais comus, tiveram.
    Por mim, independentemente do seu valor ou história, todos, desde que bem tratados e estimados, continuam a ter o seu cantinho. Por isso me mete dó algumas viaturas abandonadas na via pública que deveriam ser, ou reconvertidas, ou então desmanteladas para que as suas peças podessem fazer renascer outras.
     
  5. B)
    Esta discução tem pano para mangas.
    Por exemplo
    Se o matiz resistir 40 anos então não tenho duvidas que será na altura um classico:huh:
    Mesmo porque tal como o mini ele surgiu para responder a uma população mais especifica e aos condicionalismos do nosso transito e como tal tem o seu lugar na história.
    Tenho um exemplo cá em casa:
    Os Fiats com 6 anos de diferença são encarados de maneira diferente. mesmo a carrinha sendo mais rara, não se encaixa nos mesmos padrões de classico que o carro, sendo muito menos valorizada.
    Outro exemplo que até acho caricato é o seguinte o meu fiat 128 de 1971 tem muito menos valor que um 600 do mesmo ano. Mas na altura dele éra sem sombra de duvida muito mais desejavel e fora do alcance da maioria das bolsas.
    Resumindo: tudo é muito subjectivo, mas a verdade é que sem sombra de duvida todo e qualquer veiculo tem o seu lugar na história.
     
  6. Pois, os exemplos que deu , quanto a mim, só reforçam o que eu acho, ou seja: tudo e todos, incluindo os automóveis, têm o seu lugar na história, só que alguns desempenharam o seu papel de maneira diferente. E isto acontece com os livros, os filmes, sei lá... os relógios...por isso alguns que na altura em que sairam, por vezes, pareciam ter pouca importância, passados uns anos são os tais exemplos.
    São o caso do Mini e do Fiat 600. Ainda hoje eles nos servem de referência quando nos lembramos do protótipo de carros pequeninos, para cidade, para as senhoras, etc., são os verdadeiros clássicos (talvez aì mais o Mini...).
    Daqui a uns anos vai continuar a ser assim, mas quem é que se vai lembrar das ''chinezices'' e ''japonezices'' que hoje são feitas? Acho que ninguêm, a não ser que sobrem um ou dois, bem guardados em qualquer lado, de tantos modelos que têm sido fabricados por diversas marcas...
     
  7. Acrescento ainda que sem os automoveis de massas não haviam versões especiais ou veículos raros.
    Concerteza que todos tem o seu lugar na história.

    Imagino que no meios da década de 30 o Ford T era mato que ninguém queria... agora é o carro do século e poucos recusavam um na garagem.

    Também a mim é difícil imaginar um Punto ou um Megane como clássico, mas dentro de 40 anos quantos existem? E imaginam a dificuldade em recuperar um carro destes, com todos os plásticos e electrónica que existe?
    Aliás, dentro de 40 anos ainda existirão automóveis a combustão? Imagino que não, o que torna qualquer carro um pedaço de história e um potencial automóvel clássico.

    Agora podemos discutir quem quer um clássico como os referidos Megane ou Punto (nas versões de entrada)? Eu certamente que não, mas há 70 anos muitos não queriam o T....

    Abraços,
     
  8. Boas. Apenas com o intuito de dar um pouco de humor a esta questão "velho ou clássico" eu digo que clássico é um automóvel em boas condições de utilização (claro + de 25 anos), e usa "platinados". Cumps.
    Ps.: Clássico é um veículo que pelas suas caracteristicas foram "marcos" de uma determinada marca.
     
  9. Antes de mais penso que a questão clássico ou não é uma coisa que se sente... quando olhamos para um veiculo com uns certos anos!!!

    Mas como o sentimento de cada pessoa é diferente de individuo para individuo, por vezes existem discordias!!!

    Na minha prespectiva gosto de carros que marcaram a minha infancia ou os carros um pouco mais velhos, pois quando vejo 1 carro dessa altura sinto "aquela nostalgia" de quando era "miudo" aquele cheiro , aquelas cenas do costume...

    Mas se formos a ver uma pessoa com mais 20 anos do que eu ja deve sentir isso com carros mais velhos do que daqueles que eu gosto, e ja pode não achar tanta piada aos carros que eu gosto !!!

    Para mim classifico um classico, pelo seu estilo "rustico" com poucos plasticos , os seus cromados e sem ausencia de alguns materiais nobres, na minha prespectiva um Uno já me custa a ser um Clássico mesmo sendo um Turbo i.e , para alem de eu me babar com o MK1 turbo i.e...

    No meu gosto pessoal gosto muito de carros desde os anos 60 a anos 70 e poucos do ano 80... não curto muito "calhambeques" antigos mas isso é o meu gosto pessoal...
     
  10. bem antes de mais daqui a 40 anos ja nao deve haver propriamente carros, com um pouco de sorte andamos todos pelo ar a velocidades exorbitantes, mas isto ja sou eu a sonhar alto:D
    a muita boa gente que diz que, um classico é um carro com mais de x anos que fez historia devido a sua avançada tecnologia para a epoca ou que saiu numa ediçao limitada.
    outros dizem que, um classico é um carro com mais de x anos que tem cromados e pouco plastico
    e ainda a outros que dizem que qualquer carro é um classico desde que, tenha mais de x anos.
    pois bem para mim um classico sao as três alinias, claro que cada uma mais ''correcta'' que outra, mas todas fazem sentido.
     
  11. No final, quem faz o clássico somos nós, desde o momento que o preservamos e começamos a tratar dele, pode não ter valor para mais ninguem, mas para nós tem, pode não ter grande história, mas se quiseremos ele pode fazer parte da história da nossa vida, e podemos contar as aventuras passadas juntos, isto já parece um romance:D , mas é assim um carro moderno compramos porque preenche uns certos requisitos, familia/gosto pessoal/trabalho, o carro antigo é o mesmo compramos por gostamos dele, a familia gosta ou talvez não:huh: , ou porque fez parte da nossa vida, o importante é gostarmos de disfrutar o classico que temos independentemente da opinião dos outros.
     
  12. Estou inteiramente de acordo com a sua opinião, e acho até que faz falta neste meio mais gente que defenda esta tese, e combata tal como "nós" esta linha de pensamento, sob pena de daqui por alguns anos termos apenas meia duzia de marcas e outros tantos carros, que, perteçamente serão classicos, remetendo todos os outros para a sucata.
    Se o problema se prende com o titulo (classico) e o seu significado de acordo com o diçionario, então mude-se o titulo.
    TODOS OS CARROS INIÇIAM A NASÇENCA, E NATURALMENTE O SEU PERCURSO PARA CLÁSSICO OU O QUE QUER QUE LHE QUEIRAM CHAMAR.
     
  13. Gostei desta :D





    EU por acaso não troco o meu Renault 5 L de 1987, 1108cc, por nenhum Alfa Romeo Sprint desta vida, simplesmente porque foi o meu primeiro carro, e tenho por ele um carinho que não me vai deixar com que me desfaça dele. Antes foi o também o primeiro carro da minha irmã,(depois comprei-o) e para além de muitas peripécias, fez toda a Universidade comigo.
    Portanto, um clássico sem duvida. :D :D :D

    Moreira
     
Código de Verificação:
Rascunho Salvo Rascunho removido

Partilhar Página