Bem-vindo/a ao Portal Classicos

O Portal dos Clássicos é um sítio português dedicado aos veículos clássicos com interesse histórico. Temos como objectivos juntar a comunidade de entusiastas e prestar auxílio a todos os que pretendem adquirir, restaurar, conservar e manter veículos antigos. O que espera para se juntar à família?

Welcome to Portal Classicos, the biggest Portuguese community about historic vehicles! Change language here.

  1. Este site utiliza cookies. Ao continuar você estará de acordo com a nossa utilização de cookies. Saber Mais.
  2. Portalistas, o Portal dos Clássicos está no no Drivetribe, a rede social automotiva do trio May-Clarkson-Hammond! Junte-se à nossa Tribo
    Fechar Aviso

Tipos de tinta e de pintura

Tópico em 'Chapa e Pintura' iniciado por Pedro Santos Jorge, 8 Jul 2006.

Tópico em 'Chapa e Pintura' iniciado por Pedro Santos Jorge, 8 Jul 2006.

  1. Olá a todos,

    Gostaría de aprender mais coisas e partilhar experiências com todos sobre o tema dos tipos de tinta e de pintura.


    Todos aqueles que tenham carros anteriores à década de 70, provavelmente terão uma tinta celulósica pois apesar de as acrílicas terem sido"inventadas" em meados dos anos 5o, é só nessa altura que a maioria dos fabricantes as passou a usar. As tintas celulósicas perdem a cor mais depressa e têm menos brilho. Assim sendo, é necessário, de vez em quando, dar um polimento para recuperar o brilho e tirar pequenos riscos. Claro que têm a vantagem de serem mais baratas (pouca gente as quer e usam menos"tecnologia"...).

    As tintas acrílicas são, mais ou menos, o contrário das celulósicas pois são muito mais duras não se riscando tanto e mantendo o brilho por mais tempo. Geralmente, as oficinas de pintura usam aquilo a que se chama "brilho directo", em que a mesma tinta proporciona a cor-base e o brilho. Usar tintas de brilho directo torna o processo de pintura fácil e barato.

    Há uns tempos, li que é possível obter resultados melhores, nomeadamente em termos de profundidade de brilho se, em vez de usar tintas de brilho directo, dar primeiro umas demãos com tinta de cor-base (baça e sem brilho) e, sobre esta aplicar umas demãos de verniz transparente.

    Será que alguém pode comentar algo?

    Um abraço,
    Pedro
     
  2. Viva

    Sem dúvida que se conseguem melhores resultados com a pintura cor base + verniz.
    O meu 02 foi pintado assim, o carro ficou muito bonito e brilhante às vezes até parece um preto metalizado...

    Neste momento ainda estou à espera que o meu bate chapa arranje um tempinho para polir o carro de modo a perder o efeito "casca de laranja" que tem em alguns sítios, poucos felizmente. O brilho vai ficar ainda muito melhor. ;)

    A pintura é sempre uma chatice porque ou se paga muito acima da média para exigir a perfeição, ou então, como acontece na grande maioria dos casos há sempre um sitio ou outro menos perfeito.

    A pintura correcta deveria ser feita em varias camadas finas e isso raramente acontece dando origem ao tal efeito de casca de laranja e em casos piores escorridos porque o s pintores querem é despachar e passar ao próximo carro.

    mas... cá para mim nada como um bom polimento, não após a pintura, mas passadas umas semanas e após algumas horas de sol, pois só aí a tinta fica madura para um polimento correcto e duradouro.

    Voltando às tintas no outro dia falaram-me em tinta cerâmica que é usada nos Mercedes e que é rija a ponto de minimizar o aparecimento de lascadelas e riscos. Salguem conhece?

    isto qualquer dia está como a informática, começa a ser difícil acompanhar a evolução :D
     
  3. O melhor tipo de pintura é como o Jorge descreve, o meu '02 e derivado á cor que era e ás condições que tinha para pintar, pintei com brilho directo, mais simples de pintar e a propria tinta dá o brilho, não sendo necessário verniz.

    No caso da tinta da MB que o jorge se refere não sei adiantar muito, mas sei que as estufas que são montadas na MB requerem uma homologação especial, pois um dos requisitos que a MB exige é que a estufa aqueca a 140º, embora a estufa nunca seja utilizada a essa temperatura para secar a tinta, mas tem uns procedimentos diferentes e julgo que seja por causa dessa tinta.

    Cumpriment02s
     

  4. Pois uma coisa somo nós a falar e depois há outra coisa que é o "caderno de encargos", já que é sempre o eurito disponivel que manda.
    Como eu costumo dizer aos meus amigos, o meu 02 podia estar melhor, mas mesmo assim está muito bom, no entanto atendendo ao que gastei na pintura está perfeito...;)
     
  5. Caros amigos,
    estou a restaurar um carro da década de 50 e estou em duvida quanto à tinta a utilizar. O chapeiro, e também pintor, disse-me que poderia optar entre "tinta de água", e que esta com o tempo queima mais depressa, ou então, como já aqui foi dito, com tinta tipo de verniz directo, igual à usada nos carros modernos. No que respeita a resultados esta será a melhor, segundo ele me disse.
    Mas, e no que toca à originalidade? Poderei pintar assim o carro? Andei a pesquisar e encontrei o regulamento tecnico do caaa: www.caaa.pt/media/pdf/regulam_tecnico.pdf no qual diz que aconselha o uso de tinta celulosa mas estou completamente às cegas porque não percebo nada de tintas. :D
    Qualquer ajuda é benvinda.
    cumps
     
  6. Tinta celulosa era o que ia aconselhar respeitando a originalidade. Se está a ter contactos com o pintor o melhor será falar com ele ,pois se for bom profissional saberá como aconselha-lo.

    Abraço
    Luis
     
  7. O pintor diz-me que acha melhor ser com brilho directo, em termos de qualidade. A minha duvida é se isto foge à originalidade :huh:
    Ele disse-me que já pintou vários desta forma, e que o resultado foi optimo mas que, tratando-se de um carro dos anos 50 e como depois será para inscrever no cpaa para eu me informar melhor.
    De qualquer forma esta semana vou à sede do clube e já saberei ;)
    cumps
     
  8. Para se pintar o carro com material de 2 componentes(tinta+endurecedor) aconselho base-fosca mais verniz, preferencia HS(altos solidos) pois conseguese melhor acabamento visto que o verniz e um bom isolante, principalmente do sol.
    Mas a minha duvida e sendo o carro dos anos 50 nao sei se sera celuloso ou sintectico visto ser tao antigo.Se for para ficar nos parametros de um classico legal. Boa sorte!
    Parabens pelo forum
     
  9. Quanto à originalidade... a tinta celulosa, mas... acho que isso é levar a originalidade muito a peito:D

    Curiosamente sempre ouvi dizer que a base fosca com o verniz em cima era a melhor opção. Foi por causa disso que optei por este processo para o meu 02.
    Hoje, estou arrependido porque o carro ficou com alguma "casaca de laranja" que não consigo tirar com o polimento, é que o problema está nas camadas da cor e teria de tirar o verniz para lá chegar.
    Se tivesse optado pelo brilho directo, hoje tinha um carro perfeito...:rolleyes

    Infelizmente a maioria das estufas não faz um trabalho a 100% e é muito raro ver um carro pintado sem qualquer tipo de defeito, e isto, é sempre de ter em conta quando se restaura um carro.

    Se olharmos com a tenção até os carros novos apresentam pinturas com mais ou menos casca de laranja, é só ter os olhos treinados para verificarmos isso.
     
  10. Posso falar pelo exemplo do meu vw 1300 de 1966 que foi recentemente alvo de um restauro de fundo e para o qual pedi expressamente que fosse pintado com cor base +verniz; o resultado foi excelente e posso dizer que não me arrependi, antes pelo contrário. Segundo me disseram, pequenos retoques tornam-se mais fáceis de executar em caso de riscos ou lascadelas; além disso, parece-me que a pintura fica mais brilhante e resistente, além de me parecer possuir propriedades hidrófugas superiores às da pintura de brilho directo. Vou tentar pôr uma foto do carro após restauro, no álbum da minha garagem para que possa apreciar o aspecto que referi. Cumprimentos clássicos...
     
  11. Aqui vai uma foto do carro após restauro com pintura envernizada.
     

    Ficheiros Anexados:

  12. ola pedro ja pintei os meus para choques de plastico 2 ou 3 vezes e o que acontece e que a tinta nao aagarra.havera algum produto no mercado que possa dar antes da pintura e assim evitar que isso aconteça.obrigado.
    vitor
     
  13. Sim amigo existe um producto para dár no plástico antes de se pintár, mas se não me engano existe tintas próprias para os parachoques.
     
  14. Caro Pedro Santos,se voce quiser pintar com celuloso,facca isto.As ultimas 2 demaos,misture verniz celulosos na tinta,sempre respeitando as misturas,mas para quem tem pratica o olhometro funciona perfeitamente,penso k isto resolve muitos problemas,se precisar de mais explicacao,para esta pratica diga.
     
  15. cumprimentos a todos.os carros dos anos 50-60 etc eram pintados a sintetico.o processo consistia em pintar com esta tinta e depois o carro tinha que secar cerca de 2,3 dias e era entao todo polido a mao.era dai que vinha o brilho.para mim o melhor e pintar com base fosca+verniz pois o acabamento fica melhor e se de tempos em tempos o carro levar uma polidela como deve ser o efeito do brilho vai se prolongar durante bastantes anos.em relaçao ao efeito "laranja" deve se ou a mal lacagem ou a quantidade de material que esta na peça por ex betume em excesso aparelho primario que nao tem secagem como deve ser etc.todo o trabalho para ficar bem feito tem de levar o material necessario e a secagem devida.por isso ha pintores que levam 45e para pintar um capot e outros que levam 80e.
     
  16. Boas caros colegas, em especial para ti, (Pedro Serro) é Baptista a cumprimentar. Agora remetendo-me á questão aqui posta de qual será a melhor tinta (em termos de originalidade) para um veículo de 1950 é sem dúvida o Celuloso, mas como é do conhecimento público por questões ambientais, essas tintas saíram de circulação embora se encontre nalguns sítios mas camuflados.
    A tinta celulosica só lhe torna o seu carro mais original, mas tráz-lhe uma carga de trabalhos na questão da manutenção ou seja terá que o polir pelo menos uma vez por ano ou mais consoante a exposição que o mesmo vai ter ao tempo. Eu também tenho alguns clássicos e o meu maior erro foi pintar o meu carocha em acrílico + verniz, em cima do celluloso, mesmo com um bom isolante ao fim de 6 anos está a ganhar bolhas. Se calhar sou de ideias fixas mas eu tenho também um Polo G40 com 18 anos e pintei-o há 14 anos com Sintético e está imaculada a pintura apesar de ter dormido alguns anos ao relento. Neste momento estou a restaurar uma Renalt 4L de 1976 e um Fiat 124 S de 1970 e vou pintá-los a Sintético, apesar de ir contra a vontade do pintor, mas na minha modesta opinião o Sintetico funciona melhor em cima do celuloso do que o acrílico ou estas novas tintas de água.
    Desculpem lá a seca, um grande abraço para todos e boa sorte no restauro dessa máquina que ainda nã sabemos a marca.
    António Baptista
     
  17. Isso dos polimentos é muito relativo, caso uma pessoa cuide da pintura, faça as lavagens correctas no carro aplique cera de 5 em 5 meses, uma pintura celulosa consegue manter o brilho.
     
  18. Ao ler o tópico fiquei com uma dúvida...por exemplo um Alfa Romeo de 1970 era pintado com tinta tipo celuloso ou já não?
     
  19. sim ha! aditivo próprio para se dar antes da tinta directamente ao plastico 800r da dupont muito bom!
     
Código de Verificação:
Rascunho Salvo Rascunho removido

Partilhar Página