Bem-vindo/a ao Portal Classicos

O Portal dos Clássicos é um sítio português dedicado aos veículos clássicos com interesse histórico. Temos como objectivos juntar a comunidade de entusiastas e prestar auxílio a todos os que pretendem adquirir, restaurar, conservar e manter veículos antigos. O que espera para se juntar à família?

Welcome to Portal Classicos, the biggest Portuguese community about historic vehicles! Change language here.

  1. Este site utiliza cookies. Ao continuar você estará de acordo com a nossa utilização de cookies. Saber Mais.
  2. Postalistas, o Portal dos Clássicos está no no Drivetribe, a rede social automotiva do trio May-Clarkson-Hammond! Junte-se à nossa Tribo
    Fechar Aviso

Sensibilidade feminina, insensibilidade masculina!!!

Tópico em 'Off-Road' iniciado por José Luís Serôdio Nunes, 9 Mai 2011.

Tópico em 'Off-Road' iniciado por José Luís Serôdio Nunes, 9 Mai 2011.

  1. Olá caros portalistas

    Abri este tópico só para vos relatar uma situação caricata que só demonstra que nós, os homens, somos na realidade uns brutos.

    Na passada 6ª Feira fui jantar fora com a minha mulher e, dado que o restaurante tinha música ao vivo, um casal amigo ficou de passar por lá mais tarde e ir tomar um cafezinho connosco.

    Quando chegaram, cumprimentamo-nos com naturalidade e eles sentaram-se. A nossa amiga, para vos ser sincero, pareceu-me igual e que nada tinha de diferente, no entanto, a minha esposa, perguntou logo de imediato:

    - Então cortas-te o cabelo, não foi?

    - Sim, fui à cabeleireira X, que é sempre onde costumo ir, ela é óptima e devias lá ir...

    Aí eu interrompi a conversa e disse:

    - É impressionante, como descobriste que ela tinha cortado o cabelo? para mim o cabelo está tal e qual como da última vez que estivemos juntos.

    Ao que a minha mulher respondeu:

    - Como é possível não teres reparado? Vocês homens são mesmo uns brutos, podemo-nos arranjar e aperiquitar todas que vocês nunca reparam em nada.

    Entretanto, conforme já terão lido num outro tópico meu recente, troquei as jantes à minha carrinha Mercedes, de 16" para uma de 17", de somente 5 braços, portanto muito mais "abertas" e desportivas, sem falar que os pneus mudaram de uns 205/55/16 para uns 225/45/17.

    Dado que tenho garagem onde costumo guardar a Mercedes todos os dias, nessa 6ª Feira, foi a primeira vez que a minha mulher saiu comigo em que fomos na carrinha Mercedes.

    Portanto, foi a primeira vez que ela esteve ao pé das jantes e, antes de entrar na carrinha olhou para as jantes, sem no entanto nada dizer. Enquanto estivemos no restaurante, estivemos perto de uma janela onde se via a carrinha perfeitamente e, quando saímos do restaurante, ainda estivemos perto de 15 minutos a conversar mesmo ao lado da carrinha e...

    Julgam que elas reparam nas jantes? nada... e ainda falam na falta de sensibilidade masculina.

    Nós não conseguimos distinguir se elas cortaram dois dedos de cabelo nas pontas do cabelo mas, por outro, elas não conseguem reparar numas jantes de 17" que não têm absolutamente nada a ver com as anteriores.

    Afinal, nesta história toda, quem serão os brutos, nós os homens, elas as mulheres, ou ambos?

    Penso que será caso para dizer, venha o diabo e escolha...

    Abraço
    Luís Nunes
     
  2. Eu acho que isso reflete-se nos nossos interesses, sendo "típico" de cada sexo ter os seus interesses.
     
  3. Por acaso a minha esposa nota quando mudo algo nos carros, pelo saldo da conta...:D
     
  4. Que sorte!
    Este natal, pergunta-me ela:
    -"Que queres de prenda?"
    - "Nada, não preciso de grande coisa. Olha, dá-me 40 euros que eu preciso de comprar umas borrachas para o KE"
    Diz-me ela:
    - "Para o carro não te dou nada" :wacko:
    - "Olha, então compra uns sapatos" (Acabou por dar quase o dobro... Vá-se lá entender!)

    Quanto a mim, nem lhe pergunto porque não vale a pena. Este anos "exigiu" umas calças todas xpto e não podiam ser umas quaisquer, fui ao Porto de propósito. Aquela merd@ custou-me os olhos da cara...

    O pior é que da primeira vez que as vestiu, olhou para o espelho e disse:
    -"Não gosto muito, pensei que assentassem melhor"
    - O quê!?!?!?!?!?!?!?!? Escolhe, voltas a escolher e vestes não sei quanto pares e dizes que não te assentam bem!?!?!?!:wacko::wacko::wacko:

    Quando eu conseguir entender a mulher suicido-me porque a minha missão neste mundo acabou!!!!!
     
  5. Quando eu conseguir entender a minha, combinamos e suicidamo-nos os dois...:D::D::D:

    Um grande abraço
    Luís Nunes
     
  6. Bem pessoal

    A minha mulher só não dá pelas alterações (algumas, não todas) que faço aos carros porque no que respeita a contas, cada um é responsável por si.

    Das contas do mês a pagar, umas são minhas e outras são dela, ou seja, cada um paga as suas.

    Por exemplo, ela paga a senhora da limpeza e as contas da casa (água, luz, telefone, etc.) e alguma alimentação.

    Eu, pelo meu lado, faço frequentemente as compras da casa (peixe, fruta, legumes, etc.), pago a prestação do empréstimo dos carros e da garagem, e aos fins de semana todas as refeições são por minha conta.

    A partir daí, nem eu quero saber quanto é que ela tem no banco, nem tão pouco ela tem que saber quanto tenho na conta ou no que é que eu vou gastar o meu dinheiro.

    Ela tem as suas poupanças e eu tenho as minhas, bem como também temos algumas poupanças em comum.

    Assim, ninguém chateia ninguém sobre a forma como gastamos o dinheiro, ela pode comprar 20 pares de sapatos num mês que eu estou nem aí. Também, se eu quiser mudar as jantes, ou comprar qualquer outra coisa para mim, não tenho que pedir a opinião dela.

    Desde que casamos que adoptamos este modelo e, sinceramente, até agora não nos temos dado mal com ele.

    Isso não quer dizer, é claro, que se ela tiver que pagar a revisão do carro e estiver apertada de dinheiro (como já aconteceu), o carro dela não deixa de ir à revisão em tempo útil, e eu pago a conta.

    O inverso também é válido, já houve alturas em que ela pagou contas minhas.

    Mas essas são excepções, porque a norma é que cada um paga as suas contas.

    Depois, algumas contas são comuns, como é o caso das férias, que são pagas em metade para cada um. Compra de uma mobilia para a casa, metade a cada um. Passear um fim de semana fora, as refeições são minhas mas as restantes despesas (viagem, hotel, etc.), metade cada um.

    Abraço
    Luís Nunes
     

Partilhar Página