Bem-vindo/a ao Portal Classicos

O Portal dos Clássicos é um sítio português dedicado aos veículos clássicos com interesse histórico. Temos como objectivos juntar a comunidade de entusiastas e prestar auxílio a todos os que pretendem adquirir, restaurar, conservar e manter veículos antigos. O que espera para se juntar à família?

Welcome to Portal Classicos, the biggest Portuguese community about historic vehicles! Change language here.

  1. Este site utiliza cookies. Ao continuar você estará de acordo com a nossa utilização de cookies. Saber Mais.
  2. Postalistas, o Portal dos Clássicos está no no Drivetribe, a rede social automotiva do trio May-Clarkson-Hammond! Junte-se à nossa Tribo
    Fechar Aviso

Revista Motor Clássico 88 - Já Nas Bancas!

Tópico em 'Imprensa e Publicações' iniciado por Adelino Dinis, 4 Jun 2014.

Tópico em 'Imprensa e Publicações' iniciado por Adelino Dinis, 4 Jun 2014.

  1. Boa tarde a todos os portalistas,


    aqui está a Motor Clássico 88, já nas bancas!
    - Nissan 300ZX - duas gerações em comparativo
    - Alfa Romeo GT Junior da GNR
    - Ferrari Mondial
    - Rali Volta ao Minho de 1960
    - Hugo Reis escolhe cinco carros de vedetas: Eusébio, Futre, Herman José, Rui Moreira e Manuel Serrão
    - Restauro de uma Vespa 50 S
    - Reid's Palace Classic
    - 500 Milhas ACP
    - Rota dos Cafés Delta
    e muito mais...


    Abraços
     

    Ficheiros Anexados:

  2. Estou com vontade de ler...

    Sobretudo o artigo do Alfa da GNR e o artigo do Hugo Reis.

    Há vários aspectos em que a revista pode e deve melhorar, mas a recordação de ralis de outros tempos é uma óptima aposta.
     
  3. Olá João,


    Se puder, diga-me em que aspectos a revista pode melhorar. É um objectivo constante e estamos sempre atentos às sugestões.
    Obrigado.
    Abraço,

    AD


     
  4. Assim de repente:

    - Penso que podem/devem abdicar de utilizar artigos traduzidos ou com fotos importadas, quando possível.

    - Dedicar um artigo a um determinado carro (seja um neo clássico, seja um guia de compra, seja o que for tirando os raríssimos dos leilões) falando apenas da parte técnica é pobre. A parte dinâmica é essencial para os clássicos e, honra seja feita, quando alguns dos redactores da MC abordam o tema, conseguem passar sensações para o papel. (Eu não ligo muito a ingleses mas depois de ler o artigo do Healey, fiquei com vontade de experimentar.)

    - Também se pode dar algum espaço a comparativos entre clássicos de diferentes marcas.

    - Talvez fosse bom abdicar de algum espaço que dão aos clássicos modernos. Eles terão o seu tempo e, numa revista relativamente pequena como é a Motor Clássico, esse espaço poderia ser melhor utilizado.

    - E porque não um espaço dedicado às marcas em si, falando de um modelo em específico em cada número, de forma rotativa em relação às marcas e modelos e aproveitando datas importantes. (Um exemplo para clarificar: em Julho um artigo sobre os 50 anos do BMC ADO17, em Agosto um artigo sobre os 50 anos do Fiat 850, em Setembro um artigo dedicado aos 60 anos do Alfa Giulietta, em Outubro sobre os 40 anos do Citroën CX, etc.) Até podiam recorrer à ajuda de entusiastas e/ou clubes afectos ao modelo/marca.

    Adelino, se calhar alonguei-me, mas vi a chave na ignição e aproveitei...
     
  5. João,

    obrigado pelas sugestões e críticas. Como imagina, ainda não conseguimos personalizar os temas da revista ao gosto de cada um - provavelmente um dia será possível, mas só se abdicarmos do suporte de papel.wink.png

    É hábito aproveitarmos as efemérides para lançarmos temas, mas essa é parte fácil, seguida por todas as publicações. O objectivo da MC é também fugir um pouco do óbvio.
    Os clássicos mais recentes e os neoclássicos não ocupam mais de 10% da revista em termos anuais e interessam a uma parte substancial dos nossos leitores, sobretudo os mais novos. É uma boa forma de cativar os entusiastas mais jovens para o tema. É natural que, depois disso, comecem a interessar-se pelos modelos mais antigos.
    A MC não usa artigos importados e traduzidos. Aproveitamos, isso sim, imagens das leiloeiras, sobretudo para automóveis que não existem em Portugal, com uma ou outra excepção.
    Os comparativos são uma ideia a que temos recorrido com alguma frequência. Já temos alguns em carteira.
    Mais uma vez, obrigado, João.
    Um abraço
     
  6. Sou assinante mais ou menos assíduo da MC, e entendo o conceito editorial, se me é permitido;

    João acho que tens toda a razão, que quando se fala da parte dinâmica, os nossos pelos eriça e essa é a parte mais importante, mas sou dos que não abdicam da parte técnica, acho mesmo que deveria ser ainda mais aprofundada.

    Sou claramente de acordo com a ideia de mais comparativos, entre outras que evocas-te, sou dos que acho que os neo-clássicos são bem vindos, não gosto do aproveitamento de imagens/fotos de outras publicações sejam elas anteriores ou não com qualidade mais do que duvidosa.

    Penso que seria bom existir mais informação relativamente a passeios ou encontros a realizar pelo pais atempadamente, sei que outras publicações o fazem e pode não ir de encontro ao pretendido pela edição da revista mas é mais uma opinião.

    Abraço,
     
  7. Afinal João, tudo o que disseste em tom de sugestão e até por convite da parte interessada, é pura especulação.

    O primeiro passo para evitar o erro é saber que ele existe, mas também é o passo mais complicado.
     
  8. Depois deste tópico nunca mais cá tivemos a partilha da capa da Motor Clássico. É pena.

    No último número - nº 91 de Setembro de 2014 - vários dos pontos que apontei repetem-se, o que também é pena.

    Continuo a ser assinante da revista porque me parece que temos de dinamizar as coisas "cá dentro" para ver se começamos a dar passos firmes na consolidação de um mercado de clássicos digno desse nome.

    Tomando mais uma vez como exemplo o número 91 da revista...

    Mais uma vez digo que Guias de Compra, artigos sobre clássicos modernos (que também são guias de compra) e outros do género sem falar da parte dinâmica do carro com base em experiências reais é pobre.
    Em jeito de comparação: eu não me atrevo a aconselhar a ninguém um bom restaurante em Viseu. Já me falaram de vários, mas eu nunca lá fui nem nunca lá comi, por isso não sei.

    As fotos do Ferrari 550 Maranello são mais uma vez importadas, quando há cá em Portugal vários exemplares para fotografar. Só no standvirtual estão 2 à venda.

    As fotos do Tucker compreendo que sejam importadas pela raridade do carro.
    As fotos do Alfa Romeo Duetto não consigo ver nenhum motivo para serem importadas. Há cá vários exemplares de muitas cores e de várias séries diferentes. Há cá especialistas Alfa Romeo e há cá clubes Alfa Romeo. Eles até podiam esclarecer que o título do artigo ("Alfa Romeo Duetto & Spider Serie 1") está errado. Não é Duetto e Spider Serie 1. Ou é "Duetto" ou é Spider Serie 1.
    E não faz sentido nenhum fazer um Guia de Compra de um Alfa Duetto numa revista portuguesa com fotografias e texto adequados a um Alfa Romeo americano. O carro tem um sistema de alimentação diferente, tem piscas extra dos lados, tem os pára-choques diferentes... E ainda por cima este não está original!

    Repito que não estou a atacar a revista. Estou é a dar a minha opinião de melhoramentos que podem facilmente ser feitos.
    Se todos os artigos tivessem a qualidade de escrita dos do Hugo Reis, se todos os ensaios, guias de compra e afins transmitissem as sensações de estarmos a conduzir como vários do Adelino Dinis, se as fotografias fossem um motivo de orgulho por termos cá clássicos de qualidade (que temos!)... Então aí eu estaria "calado" e escreveria aqui todos os meses a felicitar que produzisse essa revista.

    Até lá, mantenho a esperança.
     
  9. Uma coisa que me desagrada na revista é sem duvida o excesso de reportagens (chamemos assim aos "guias de compra" aos "neo-classicos", etc etc) com carros que estão para venda nos Stands, aceito perfeitamente que são sempre carros que merecem destaque, ou que estão em perfeitas condições para o artigo mas quer me parecer que se estão a fazer favores a alguem (leia-se publicidade) e que por vezes ate os acho desadequados em comparação com outros (mas isto é apenas a minha opinião) que mereciam mais estar e que concerteza nos identificariamos mais, porque por vezes, por exemplo, nos guias de compra aparecem modelos completamente desadequados ao nosso mercado e que aparece um por cá quando o rei faz anos.


    mas claro, todo este testamento é a minha opinião, vale essencialmente para mim.
    Para mim, estamos perante a melhor revista da especialidade em Portugal, eu gosto muito.
     
    João Luís Soares gostou disto.
  10. Estou plenamente de acordo contigo nos 2 pontos que citei, Tiago.
     
    Tiago Filipe Santos gostou disto.
  11. Este mês fiquei desagradado essencialmente com o artigo do Alfa.

    Sou da opinião do Tiago, acho sinceramente que é a melhor revista da especialidade, mas tambem tem ainda muito por onde melhorar.
    Não me desagrada a situação dos neo clássicos, os adolecentes de 16 anos tambem compram revistas e são assim mais fáceis de conquistar, e quem sabe se apaixonarem e apreciarem clássicos mais tarde, os sonhos tambem nascem ai.

    PS: A 1º coisa que leio sempre, é o artigo do Hugo Reis.
     
  12. Ontem reparei num "pormenor" nesse artigo.

    As imagens usadas são de um Alfa destinado ao mercado americano, que é alimentado por injecção mecânica, esse ponto até é referido no artigo.

    Depois vamos ler a caixa de texto "Dicas e Mercado" e, no "Cabaz de peças" o primeiro item é um kit de reparação para o carburador Weber.
     
Código de Verificação:
Rascunho Salvo Rascunho removido

Partilhar Página