Bem-vindo/a ao Portal Classicos

O Portal dos Clássicos é um sítio português dedicado aos veículos clássicos com interesse histórico. Temos como objectivos juntar a comunidade de entusiastas e prestar auxílio a todos os que pretendem adquirir, restaurar, conservar e manter veículos antigos. O que espera para se juntar à família?

Welcome to Portal Classicos, the biggest Portuguese community about historic vehicles! Change language here.

  1. Este site utiliza cookies. Ao continuar você estará de acordo com a nossa utilização de cookies. Saber Mais.
  2. Postalistas, o Portal dos Clássicos está no no Drivetribe, a rede social automotiva do trio May-Clarkson-Hammond! Junte-se à nossa Tribo
    Fechar Aviso

Restauro de VW Scirocco GT de 78

Tópico em 'Volkswagen' iniciado por Daniel P Barbosa, 28 Dez 2007.

Tópico em 'Volkswagen' iniciado por Daniel P Barbosa, 28 Dez 2007.

  1. Boas, tenho um VW Scirocco GT da primeira série a restaurar a quase 1 ano de mecânica já está restaurado mas a nível de chapa tá mais difícil visto k a VW não fornece mais peças para este modelo e construíram-se poucos, se alguém me pudesse dizer onde arranjar peças para este modelo agradecia.
     
  2. Ora entao cabe-me a mim ser o primeiro a dar os Parabens pela máquina escolhida!
    Os Sciroccos sao fantásticos...e fotos do bicho??:p

    Bem, agora quanto à chapa ou paineis não sei..nunca se viram muitos em Portugal, mas eu tenho um amigo que tem 3 estaleiros de carros antigos, classicos e tem pra lá carros que nunca mais acabam...é o paraíso!!LOL
    Se quiseres ligar e perguntar se tem alguma coisa o numero é 966 040 713, é o sr Ze Neves, falas com ele e logo vês, pode ser que tenhas sorte!!

    Cumprimentos e poe fotos...
    Boa sorte!!
     
  3. Parabens pelo Scirocco, achei curioso encontrar aqui este tópico agora porque eu também adquiri á bem pouco tempo um Scirocco GT de 79 que vou restaurar.
    também eu vou precisar de algumas peças e pelo que tenho pesquisado nos ultimos dias Sciroccos são um pouco raros em Portugal e peças especificas escasseiam.
    Se a nivel de motor e mecânica é practicamente tudo igual aos Golfs MK1 já as peças especificas do Scirocco sã muito dificeis de encontrar.
    Eu, ao que parece tenho sorte porque o meu está completo, mas existem sempre algumas coisas que queremos trocar e não encontramos.
    Penso que o melhor será recorrer ao estrangeiro, na França e na Alemanha concerteza encontrará alguma casa de peças que tenha o que precisa, eu pelo menos penso que é o que irei fazer quando chegar a hora de começar as comprar peças ao meu.

    Veja aqui:
    http://la.scirocco.free.fr/PHPNUKE/index.php
    http://la.scirocco.free.fr/PHPNUKE/Forums/index.php
    http://www.scirocco.ch/
    http://www.scirocco.org/

    Boa sorte e se não fosse incomodo todos gostariamos, eu em particular, de ver fotos do carro e do restauro.

    Se quiser trocar algumas experiências sobre o restauro, sobre o Scirocco ou sobre VWs em geral estou á disposição.
    fraquito@mail.telepac.pt
     
  4. Parabéns e bem vindo!! Venham fotos do carrão ;)
     
  5. Bem vindo ao grupo! ;)

    Venham daí essas fotos

    Cumprimentos
     
  6. bem vindo!

    que máquina!

    vw é vw!

    coloque umas fotos, o pessoal está ansioso!
     
  7. Grande Máquina. Parabens
     
  8. bem vindo
    belo modelo da volkswagen ;)
     
  9. Bem-vindo ao Portal, parabens pela maquina... Entao nao conseguira arranjar o carro de chapa como se faz normalmente, ou seja arranjando o que la tem? Digo eu...

    cumprimentos.
     
  10. Seja bem vindo!;)

    Venham fotos desse belo Volkswagen!:D
     
  11. Bem-vindo ao mundo clássico.

    O desenho do Scirocco foi desenvolvido pela Karmann, que o produziu com base no Golf.
     
  12. Obrigado por esta calorosa recepção e fico contente por existir assim apreciadores de bons carros como eu :feliz: Quem desenvolveu este carro foi a Karmann Ghia mas quem o desenhou foi o Giugiaro e é graças a ele que este carro existe pois se fosse pela VW nunca teria existido e é vergonhoso uma marca de prestígio não fornecer peças para um carro com menos de 30 anos, se eu quisesse algo para um alfa com a mesma idade eu arranjava na hora, mas enfim isto é só um desabafo. De momento não tenho fotos do bólide pk tá no chapeiro todo descascado e as fotos k tinha no pc foram à vida mas quando ele estiver pronto vou por aqui as fotos.
     
  13. Subscrevo as suas palavras, realmente é uma vergonha que a VW, com todo o prestígio que adquiriu precisamente através destes antigos modelos, não lhes forneça agora peças de substituição.

    Aguardamos as as fotos.
     
  14. Parabens pela escolha do Scirocco, Mk1.

    No entanto permitam-me algumas correcções:

    a VW desenvolveu o Scirocco para substituir o karmann Ghia.

    Encomendou o desenho a Giugiaro e a construção da carroçaria bem como a montagem foi adjudicada à Karmann ( e não Karmann Ghia ).

    Aliás, era essa firma de carroçarias que construia as carroçarias e procedia à montagem dos carochas cabrio, Karmann Ghia, VW Porsche 914, Corrado.

    Assim, a concepção e desenvolvimento sempre foram responsabilidade da VW, tendo o Mk2 inclusive sido revisto, ao nível de linhas, pelos engenheiros da VW e não mais por Giugiaro.

    Quanto à raridade e dificuldade das peças, é compreensível.

    As marcas têm como objectivo o lucro e este é adquirido e potenciado pelas vendas dos carros novos e respectivas peças que têm um uso e desgaste diário.

    O mercado dos clássicos para as marcas significa um valor residual.

    Apenas as marcas inglesas, a Mercedes e a Porsche é que, de uma forma geral, continuam a fabricar as peças de modelos mais antigos.

    A Alfa Romeo, a nível de peças, não é melhor exemplo que a VW.

    Tive um Alfasud Sprint de 82 e se necessitasse de peças de carroçaria, na marca, o stock é quase igual a zero.
     
  15. Em relação ao que escrevi do Scirocco não há nenhuma correcção a fazer pois não me enganei em nada, em relação aos alfas talvez me tenha explicado mal o que eu queria dizer k é muito mais fácil arranjar peças para um alfa do que vw (tirando o carocha) pois a qualquer automobilia que eu fosse encontrava se peças para os alfas aos chutos já para o meu scirocco nepias, claro k isto tb se deve a existir poucos exemplares, mas acho k as marcas deviam dar mais suporte aos modelos k lhe conseguiram dar prestigio (deviam seguir o exemplo dos ingleses) é claro k isto não lhes interessa pk não lhes dá lucro, e para acabar um bom ano para todos e deixo aqui a história do Scirocco para não restarem dúvidas e confusões:

    "A história do VW Scirocco inicia-se com a contratação do conhecido desenhador automóvel italiano Giorgetto Giugiaro, também responsável pelo traços do VW Passat e VW Golf I, e foi-lhe pedido que desenhasse um coupé. Passado algum tempo o projecto teria alguns problemas e Wilhelm Karmann entusiasmado com esse projecto, fez um protótipo por conta própria e no dia da apresentação do mesmo em Osnabrück, todos estavam ansiosos. O protótipo foi apresentado, agradando ao público e à imprensa mas, no decorrer da apresentação, a VW surpreendeu tudo e todos ao informar que não suportaria financeiramente o projecto, pelo que a própria empresa Karmann-Ghia, financiou o projecto. O nome escolhido para o coupé foi "Scirocco", uma corrente de ar que passa pelo deserto do Sahara, também chamado de Ghibli ou Khamsin.
    A primeira aparição do Scirocco foi no Salão de Genebra em 1974, e dado que o interesse geral do público superou as expectativas, a VW lançou inicialmente, 3 versões diferentes;

    L - 1.100 cm3 50cv
    S - 1.500 cm3 75cv
    LS - 1.500 cm3 75cv

    Após um curto período de tempo a VW faria o lançamento da versão desportiva TS, equipada com o motor 1.500 cm3 com algumas modificações responsáveis pelo aumento de potência para 85cv. Essa versão possuía instrumentos adicionais na consola, bancos e volante desportivos e outras diferenças internas e externas que o diferenciavam das outras versões.

    Wilhelm Karmann realmente fez um bom trabalho, o Scirocco oferecia uma óptima condução, característica dos VW a água, baixo consumo de combustível e, com o motor na posição transversal, foi possível optimizar o aproveitamento do espaço interno.

    Em 1975 surge a versão desportiva GTi com motor 1.600 cm3 e injecção electrónica Bosch K-Jetronic, produzindo uns saudáveis 110cv. Para tornar o desempenho dinâmico mais eficiente, como convém num desportivo, foram aplicados amortecedores com maior carga, discos dianteiros ventilados, rodas mais largas e um radiador de óleo maior.

    Já no ano 1976, mais modificações foram realizadas, estendendo-se as mesmas a todas as versões da gama Scirocco, como um motor do limpador de pára-brisas mais forte, dado que o anterior mostrava-se insuficiente em chuvadss fortes, os bancos foram redesenhados tornando-os mais confortáveis e o motor recebeu uma melhor protecção contra a chuva e também recebia um novo propulsor, substituindo o 1.500 cm3, agora com 1.600 cm3.

    Logo a seguir, a VW fez o lançamento uma versão mais luxuosa do Scirocco, identificada pela sigla GLi Esta versão tinha como característica, os vidros escurecidos, revestimento do interior em veludo, pintura metálica e outros acessórios; recebeu o mesmo motor 1.600 cm3 com 110cv do GTi. A versão TS também foi substituída pela sigla GT.

    Em 1977 novas modificações foram introduzidas como o aperfeiçoamento dos apoios do motor diminuindo a vibração causada no veículo, nas molas da suspensão tornando-a mais suave e os retrovisores passaram a ser pintados de preto fosco.

    No ano de 1979 o motor de 1.100 cm3 e 50cv foi substituído por um novo de 1.300 cm3 debitando 60cv, recebendo também ignição electrónica e caixa de 5 velocidades. O GTi recebeu tecto de abrir, como opção.

    E, em 1980, encerrava a produção da primeira geração do Scirocco.


    Scirocco II


    Desde 1976, a VW já trabalhava na 2ª Geração do Scirocco e os serviços de Giugiaro foram novamente requisitados com a ideia clara transmitida pela VW, de que o espaço interno fosse melhorado. Enquanto a equipe técnica da VW trabalhava no desenvolvimento do Scirocco na Alemanha, Giugiaro trabalhava no desenho e soluções estilísticas para o veículo na Itália. Depois de um estudo em 1977, a VW escolheu um desenho que era totalmente diferente do Scirocco I, o carro cresceria 16,5 cm na traseira, as suas linhas tornaram-se fluídas e mais suaves com ganho em aerodinâmica, os motores eram os mesmos de 60, 70, 85 e 110 cavalos, com velocidade máxima de 160 km/h para a versão básica e 190 km/h para o GTi.

    1981 foi o ano de lançamento do Scirocco II, disponível nas versões L, GL, GT e GTi, o preço final aumentou em 10% em relação à primeira geração, mas as vendas após o lançamento foram muito melhores que o modelo anterior, tendo a versão GL sido muito bem aceite pelo público feminino.

    Os motores receberam modificações mínimas como pistons e válvulas mais leves tornando-se mais económicos e também foi introduzida uma versão com uma caixa de velocidades chamada "E-gearbox" com relação mais longa para a redução do consumo de combustível.

    Em 1983 no Salão Internacional de Frankfurt foi apresentado um protótipo com o motor 1.8 16v e 129cv. Com a boa aceitação deste, iniciou-se de imediato a produção do Scirocco II 16v antes do que muitos esperavam. Este modelo superava os 200 km/h de velocidade final.

    Existiram muitas versões especiais do Scirocco; White Cat, Tropic, Scala, Storm, Woslfsburg Edition e a GT-II tiveram um elevado sucesso comercial.

    Passados alguns anos, em 1989 a produção do Scirocco foi consideravelmente reduzida, devido à evolução dos concorrentes tendo como consequência, a redução no número de vendas. E pensando do futuro, a VW começava a projectar o Corrado, um coupé que mais tarde substituiu o Scirocco. Já no final de vida, o Scirocco só estava disponível em duas versões uma com 95cv e a 16v com 129cv.

    Em 1990 o Scirocco só era vendido sob encomenda.

    Em 1992 saiu da fábrica da Karmann-Ghia em Osnabruck,o último Scirocco.

    A 1ª Geração do Scirocco foi lançada em 1974 e saiu de linha em 1980.

    A 2ª Geração foi lançada em 1981 e parou de ser fabricada em 1992.

    Uma curiosidade é que o Scirocco era fabricado na fábrica da Karmann-Ghia em Osnabruck, e a VW só enviava o sistema de transmissão e as suspensões, sendo a carroçaria toda fabricada pela Karmann. O Corrado também foi feito pela Karmann e também os Golfs Cabrios."
     
  16. Em relação ao que escrevi do Scirocco não há nenhuma correcção a fazer pois não me enganei em nada, em relação aos alfas talvez me tenha explicado mal o que eu queria dizer k é muito mais fácil arranjar peças para um alfa do que vw (tirando o carocha) pois a qualquer automobilia que eu fosse encontrava se peças para os alfas aos chutos já para o meu scirocco nepias, claro k isto tb se deve a existir poucos exemplares, mas acho k as marcas deviam dar mais suporte aos modelos k lhe conseguiram dar prestigio (deviam seguir o exemplo dos ingleses) é claro k isto não lhes interessa pk não lhes dá lucro, e para acabar um bom ano para todos e deixo aqui a história do Scirocco para não restarem dúvidas e confusões:

    "A história do VW Scirocco inicia-se com a contratação do conhecido desenhador automóvel italiano Giorgetto Giugiaro, também responsável pelo traços do VW Passat e VW Golf I, e foi-lhe pedido que desenhasse um coupé. Passado algum tempo o projecto teria alguns problemas e Wilhelm Karmann entusiasmado com esse projecto, fez um protótipo por conta própria e no dia da apresentação do mesmo em Osnabrück, todos estavam ansiosos. O protótipo foi apresentado, agradando ao público e à imprensa mas, no decorrer da apresentação, a VW surpreendeu tudo e todos ao informar que não suportaria financeiramente o projecto, pelo que a própria empresa Karmann-Ghia, financiou o projecto. O nome escolhido para o coupé foi "Scirocco", uma corrente de ar que passa pelo deserto do Sahara, também chamado de Ghibli ou Khamsin.
    A primeira aparição do Scirocco foi no Salão de Genebra em 1974, e dado que o interesse geral do público superou as expectativas, a VW lançou inicialmente, 3 versões diferentes;

    L - 1.100 cm3 50cv
    S - 1.500 cm3 75cv
    LS - 1.500 cm3 75cv

    Após um curto período de tempo a VW faria o lançamento da versão desportiva TS, equipada com o motor 1.500 cm3 com algumas modificações responsáveis pelo aumento de potência para 85cv. Essa versão possuía instrumentos adicionais na consola, bancos e volante desportivos e outras diferenças internas e externas que o diferenciavam das outras versões.

    Wilhelm Karmann realmente fez um bom trabalho, o Scirocco oferecia uma óptima condução, característica dos VW a água, baixo consumo de combustível e, com o motor na posição transversal, foi possível optimizar o aproveitamento do espaço interno.

    Em 1975 surge a versão desportiva GTi com motor 1.600 cm3 e injecção electrónica Bosch K-Jetronic, produzindo uns saudáveis 110cv. Para tornar o desempenho dinâmico mais eficiente, como convém num desportivo, foram aplicados amortecedores com maior carga, discos dianteiros ventilados, rodas mais largas e um radiador de óleo maior.

    Já no ano 1976, mais modificações foram realizadas, estendendo-se as mesmas a todas as versões da gama Scirocco, como um motor do limpador de pára-brisas mais forte, dado que o anterior mostrava-se insuficiente em chuvadss fortes, os bancos foram redesenhados tornando-os mais confortáveis e o motor recebeu uma melhor protecção contra a chuva e também recebia um novo propulsor, substituindo o 1.500 cm3, agora com 1.600 cm3.

    Logo a seguir, a VW fez o lançamento uma versão mais luxuosa do Scirocco, identificada pela sigla GLi Esta versão tinha como característica, os vidros escurecidos, revestimento do interior em veludo, pintura metálica e outros acessórios; recebeu o mesmo motor 1.600 cm3 com 110cv do GTi. A versão TS também foi substituída pela sigla GT.

    Em 1977 novas modificações foram introduzidas como o aperfeiçoamento dos apoios do motor diminuindo a vibração causada no veículo, nas molas da suspensão tornando-a mais suave e os retrovisores passaram a ser pintados de preto fosco.

    No ano de 1979 o motor de 1.100 cm3 e 50cv foi substituído por um novo de 1.300 cm3 debitando 60cv, recebendo também ignição electrónica e caixa de 5 velocidades. O GTi recebeu tecto de abrir, como opção.

    E, em 1980, encerrava a produção da primeira geração do Scirocco.


    Scirocco II


    Desde 1976, a VW já trabalhava na 2ª Geração do Scirocco e os serviços de Giugiaro foram novamente requisitados com a ideia clara transmitida pela VW, de que o espaço interno fosse melhorado. Enquanto a equipe técnica da VW trabalhava no desenvolvimento do Scirocco na Alemanha, Giugiaro trabalhava no desenho e soluções estilísticas para o veículo na Itália. Depois de um estudo em 1977, a VW escolheu um desenho que era totalmente diferente do Scirocco I, o carro cresceria 16,5 cm na traseira, as suas linhas tornaram-se fluídas e mais suaves com ganho em aerodinâmica, os motores eram os mesmos de 60, 70, 85 e 110 cavalos, com velocidade máxima de 160 km/h para a versão básica e 190 km/h para o GTi.

    1981 foi o ano de lançamento do Scirocco II, disponível nas versões L, GL, GT e GTi, o preço final aumentou em 10% em relação à primeira geração, mas as vendas após o lançamento foram muito melhores que o modelo anterior, tendo a versão GL sido muito bem aceite pelo público feminino.

    Os motores receberam modificações mínimas como pistons e válvulas mais leves tornando-se mais económicos e também foi introduzida uma versão com uma caixa de velocidades chamada "E-gearbox" com relação mais longa para a redução do consumo de combustível.

    Em 1983 no Salão Internacional de Frankfurt foi apresentado um protótipo com o motor 1.8 16v e 129cv. Com a boa aceitação deste, iniciou-se de imediato a produção do Scirocco II 16v antes do que muitos esperavam. Este modelo superava os 200 km/h de velocidade final.

    Existiram muitas versões especiais do Scirocco; White Cat, Tropic, Scala, Storm, Woslfsburg Edition e a GT-II tiveram um elevado sucesso comercial.

    Passados alguns anos, em 1989 a produção do Scirocco foi consideravelmente reduzida, devido à evolução dos concorrentes tendo como consequência, a redução no número de vendas. E pensando do futuro, a VW começava a projectar o Corrado, um coupé que mais tarde substituiu o Scirocco. Já no final de vida, o Scirocco só estava disponível em duas versões uma com 95cv e a 16v com 129cv.

    Em 1990 o Scirocco só era vendido sob encomenda.

    Em 1992 saiu da fábrica da Karmann-Ghia em Osnabruck,o último Scirocco.

    A 1ª Geração do Scirocco foi lançada em 1974 e saiu de linha em 1980.

    A 2ª Geração foi lançada em 1981 e parou de ser fabricada em 1992.

    Uma curiosidade é que o Scirocco era fabricado na fábrica da Karmann-Ghia em Osnabruck, e a VW só enviava o sistema de transmissão e as suspensões, sendo a carroçaria toda fabricada pela Karmann. O Corrado também foi feito pela Karmann e também os Golfs Cabrios."
     
  17. Em relação ao que escrevi do Scirocco não há nenhuma correcção a fazer pois não me enganei em nada, em relação aos alfas talvez me tenha explicado mal o que eu queria dizer k é muito mais fácil arranjar peças para um alfa do que vw (tirando o carocha) pois a qualquer automobilia que eu fosse encontrava se peças para os alfas aos chutos já para o meu scirocco nepias, claro k isto tb se deve a existir poucos exemplares, mas acho k as marcas deviam dar mais suporte aos modelos k lhe conseguiram dar prestigio (deviam seguir o exemplo dos ingleses) é claro k isto não lhes interessa pk não lhes dá lucro, e para acabar um bom ano para todos e deixo aqui a história do Scirocco para não restarem dúvidas e confusões:

    "A história do VW Scirocco inicia-se com a contratação do conhecido desenhador automóvel italiano Giorgetto Giugiaro, também responsável pelo traços do VW Passat e VW Golf I, e foi-lhe pedido que desenhasse um coupé. Passado algum tempo o projecto teria alguns problemas e Wilhelm Karmann entusiasmado com esse projecto, fez um protótipo por conta própria e no dia da apresentação do mesmo em Osnabrück, todos estavam ansiosos. O protótipo foi apresentado, agradando ao público e à imprensa mas, no decorrer da apresentação, a VW surpreendeu tudo e todos ao informar que não suportaria financeiramente o projecto, pelo que a própria empresa Karmann-Ghia, financiou o projecto. O nome escolhido para o coupé foi "Scirocco", uma corrente de ar que passa pelo deserto do Sahara, também chamado de Ghibli ou Khamsin.
    A primeira aparição do Scirocco foi no Salão de Genebra em 1974, e dado que o interesse geral do público superou as expectativas, a VW lançou inicialmente, 3 versões diferentes;

    L - 1.100 cm3 50cv
    S - 1.500 cm3 75cv
    LS - 1.500 cm3 75cv

    Após um curto período de tempo a VW faria o lançamento da versão desportiva TS, equipada com o motor 1.500 cm3 com algumas modificações responsáveis pelo aumento de potência para 85cv. Essa versão possuía instrumentos adicionais na consola, bancos e volante desportivos e outras diferenças internas e externas que o diferenciavam das outras versões.

    Wilhelm Karmann realmente fez um bom trabalho, o Scirocco oferecia uma óptima condução, característica dos VW a água, baixo consumo de combustível e, com o motor na posição transversal, foi possível optimizar o aproveitamento do espaço interno.

    Em 1975 surge a versão desportiva GTi com motor 1.600 cm3 e injecção electrónica Bosch K-Jetronic, produzindo uns saudáveis 110cv. Para tornar o desempenho dinâmico mais eficiente, como convém num desportivo, foram aplicados amortecedores com maior carga, discos dianteiros ventilados, rodas mais largas e um radiador de óleo maior.

    Já no ano 1976, mais modificações foram realizadas, estendendo-se as mesmas a todas as versões da gama Scirocco, como um motor do limpador de pára-brisas mais forte, dado que o anterior mostrava-se insuficiente em chuvadss fortes, os bancos foram redesenhados tornando-os mais confortáveis e o motor recebeu uma melhor protecção contra a chuva e também recebia um novo propulsor, substituindo o 1.500 cm3, agora com 1.600 cm3.

    Logo a seguir, a VW fez o lançamento uma versão mais luxuosa do Scirocco, identificada pela sigla GLi Esta versão tinha como característica, os vidros escurecidos, revestimento do interior em veludo, pintura metálica e outros acessórios; recebeu o mesmo motor 1.600 cm3 com 110cv do GTi. A versão TS também foi substituída pela sigla GT.

    Em 1977 novas modificações foram introduzidas como o aperfeiçoamento dos apoios do motor diminuindo a vibração causada no veículo, nas molas da suspensão tornando-a mais suave e os retrovisores passaram a ser pintados de preto fosco.

    No ano de 1979 o motor de 1.100 cm3 e 50cv foi substituído por um novo de 1.300 cm3 debitando 60cv, recebendo também ignição electrónica e caixa de 5 velocidades. O GTi recebeu tecto de abrir, como opção.

    E, em 1980, encerrava a produção da primeira geração do Scirocco.


    Scirocco II


    Desde 1976, a VW já trabalhava na 2ª Geração do Scirocco e os serviços de Giugiaro foram novamente requisitados com a ideia clara transmitida pela VW, de que o espaço interno fosse melhorado. Enquanto a equipe técnica da VW trabalhava no desenvolvimento do Scirocco na Alemanha, Giugiaro trabalhava no desenho e soluções estilísticas para o veículo na Itália. Depois de um estudo em 1977, a VW escolheu um desenho que era totalmente diferente do Scirocco I, o carro cresceria 16,5 cm na traseira, as suas linhas tornaram-se fluídas e mais suaves com ganho em aerodinâmica, os motores eram os mesmos de 60, 70, 85 e 110 cavalos, com velocidade máxima de 160 km/h para a versão básica e 190 km/h para o GTi.

    1981 foi o ano de lançamento do Scirocco II, disponível nas versões L, GL, GT e GTi, o preço final aumentou em 10% em relação à primeira geração, mas as vendas após o lançamento foram muito melhores que o modelo anterior, tendo a versão GL sido muito bem aceite pelo público feminino.

    Os motores receberam modificações mínimas como pistons e válvulas mais leves tornando-se mais económicos e também foi introduzida uma versão com uma caixa de velocidades chamada "E-gearbox" com relação mais longa para a redução do consumo de combustível.

    Em 1983 no Salão Internacional de Frankfurt foi apresentado um protótipo com o motor 1.8 16v e 129cv. Com a boa aceitação deste, iniciou-se de imediato a produção do Scirocco II 16v antes do que muitos esperavam. Este modelo superava os 200 km/h de velocidade final.

    Existiram muitas versões especiais do Scirocco; White Cat, Tropic, Scala, Storm, Woslfsburg Edition e a GT-II tiveram um elevado sucesso comercial.

    Passados alguns anos, em 1989 a produção do Scirocco foi consideravelmente reduzida, devido à evolução dos concorrentes tendo como consequência, a redução no número de vendas. E pensando do futuro, a VW começava a projectar o Corrado, um coupé que mais tarde substituiu o Scirocco. Já no final de vida, o Scirocco só estava disponível em duas versões uma com 95cv e a 16v com 129cv.

    Em 1990 o Scirocco só era vendido sob encomenda.

    Em 1992 saiu da fábrica da Karmann-Ghia em Osnabruck,o último Scirocco.

    A 1ª Geração do Scirocco foi lançada em 1974 e saiu de linha em 1980.

    A 2ª Geração foi lançada em 1981 e parou de ser fabricada em 1992.

    Uma curiosidade é que o Scirocco era fabricado na fábrica da Karmann-Ghia em Osnabruck, e a VW só enviava o sistema de transmissão e as suspensões, sendo a carroçaria toda fabricada pela Karmann. O Corrado também foi feito pela Karmann e também os Golfs Cabrios."
     
  18. Em relação ao que escrevi do Scirocco não há nenhuma correcção a fazer pois não me enganei em nada, em relação aos alfas talvez me tenha explicado mal o que eu queria dizer k é muito mais fácil arranjar peças para um alfa do que vw (tirando o carocha) pois a qualquer automobilia que eu fosse encontrava se peças para os alfas aos chutos já para o meu scirocco nepias, claro k isto tb se deve a existir poucos exemplares, mas acho k as marcas deviam dar mais suporte aos modelos k lhe conseguiram dar prestigio (deviam seguir o exemplo dos ingleses) é claro k isto não lhes interessa pk não lhes dá lucro, e para acabar um bom ano para todos e deixo aqui a história do Scirocco para não restarem dúvidas e confusões:

    "A história do VW Scirocco inicia-se com a contratação do conhecido desenhador automóvel italiano Giorgetto Giugiaro, também responsável pelo traços do VW Passat e VW Golf I, e foi-lhe pedido que desenhasse um coupé. Passado algum tempo o projecto teria alguns problemas e Wilhelm Karmann entusiasmado com esse projecto, fez um protótipo por conta própria e no dia da apresentação do mesmo em Osnabrück, todos estavam ansiosos. O protótipo foi apresentado, agradando ao público e à imprensa mas, no decorrer da apresentação, a VW surpreendeu tudo e todos ao informar que não suportaria financeiramente o projecto, pelo que a própria empresa Karmann-Ghia, financiou o projecto. O nome escolhido para o coupé foi "Scirocco", uma corrente de ar que passa pelo deserto do Sahara, também chamado de Ghibli ou Khamsin.
    A primeira aparição do Scirocco foi no Salão de Genebra em 1974, e dado que o interesse geral do público superou as expectativas, a VW lançou inicialmente, 3 versões diferentes;

    L - 1.100 cm3 50cv
    S - 1.500 cm3 75cv
    LS - 1.500 cm3 75cv

    Após um curto período de tempo a VW faria o lançamento da versão desportiva TS, equipada com o motor 1.500 cm3 com algumas modificações responsáveis pelo aumento de potência para 85cv. Essa versão possuía instrumentos adicionais na consola, bancos e volante desportivos e outras diferenças internas e externas que o diferenciavam das outras versões.

    Wilhelm Karmann realmente fez um bom trabalho, o Scirocco oferecia uma óptima condução, característica dos VW a água, baixo consumo de combustível e, com o motor na posição transversal, foi possível optimizar o aproveitamento do espaço interno.

    Em 1975 surge a versão desportiva GTi com motor 1.600 cm3 e injecção electrónica Bosch K-Jetronic, produzindo uns saudáveis 110cv. Para tornar o desempenho dinâmico mais eficiente, como convém num desportivo, foram aplicados amortecedores com maior carga, discos dianteiros ventilados, rodas mais largas e um radiador de óleo maior.

    Já no ano 1976, mais modificações foram realizadas, estendendo-se as mesmas a todas as versões da gama Scirocco, como um motor do limpador de pára-brisas mais forte, dado que o anterior mostrava-se insuficiente em chuvadss fortes, os bancos foram redesenhados tornando-os mais confortáveis e o motor recebeu uma melhor protecção contra a chuva e também recebia um novo propulsor, substituindo o 1.500 cm3, agora com 1.600 cm3.

    Logo a seguir, a VW fez o lançamento uma versão mais luxuosa do Scirocco, identificada pela sigla GLi Esta versão tinha como característica, os vidros escurecidos, revestimento do interior em veludo, pintura metálica e outros acessórios; recebeu o mesmo motor 1.600 cm3 com 110cv do GTi. A versão TS também foi substituída pela sigla GT.

    Em 1977 novas modificações foram introduzidas como o aperfeiçoamento dos apoios do motor diminuindo a vibração causada no veículo, nas molas da suspensão tornando-a mais suave e os retrovisores passaram a ser pintados de preto fosco.

    No ano de 1979 o motor de 1.100 cm3 e 50cv foi substituído por um novo de 1.300 cm3 debitando 60cv, recebendo também ignição electrónica e caixa de 5 velocidades. O GTi recebeu tecto de abrir, como opção.

    E, em 1980, encerrava a produção da primeira geração do Scirocco.


    Scirocco II


    Desde 1976, a VW já trabalhava na 2ª Geração do Scirocco e os serviços de Giugiaro foram novamente requisitados com a ideia clara transmitida pela VW, de que o espaço interno fosse melhorado. Enquanto a equipe técnica da VW trabalhava no desenvolvimento do Scirocco na Alemanha, Giugiaro trabalhava no desenho e soluções estilísticas para o veículo na Itália. Depois de um estudo em 1977, a VW escolheu um desenho que era totalmente diferente do Scirocco I, o carro cresceria 16,5 cm na traseira, as suas linhas tornaram-se fluídas e mais suaves com ganho em aerodinâmica, os motores eram os mesmos de 60, 70, 85 e 110 cavalos, com velocidade máxima de 160 km/h para a versão básica e 190 km/h para o GTi.

    1981 foi o ano de lançamento do Scirocco II, disponível nas versões L, GL, GT e GTi, o preço final aumentou em 10% em relação à primeira geração, mas as vendas após o lançamento foram muito melhores que o modelo anterior, tendo a versão GL sido muito bem aceite pelo público feminino.

    Os motores receberam modificações mínimas como pistons e válvulas mais leves tornando-se mais económicos e também foi introduzida uma versão com uma caixa de velocidades chamada "E-gearbox" com relação mais longa para a redução do consumo de combustível.

    Em 1983 no Salão Internacional de Frankfurt foi apresentado um protótipo com o motor 1.8 16v e 129cv. Com a boa aceitação deste, iniciou-se de imediato a produção do Scirocco II 16v antes do que muitos esperavam. Este modelo superava os 200 km/h de velocidade final.

    Existiram muitas versões especiais do Scirocco; White Cat, Tropic, Scala, Storm, Woslfsburg Edition e a GT-II tiveram um elevado sucesso comercial.

    Passados alguns anos, em 1989 a produção do Scirocco foi consideravelmente reduzida, devido à evolução dos concorrentes tendo como consequência, a redução no número de vendas. E pensando do futuro, a VW começava a projectar o Corrado, um coupé que mais tarde substituiu o Scirocco. Já no final de vida, o Scirocco só estava disponível em duas versões uma com 95cv e a 16v com 129cv.

    Em 1990 o Scirocco só era vendido sob encomenda.

    Em 1992 saiu da fábrica da Karmann-Ghia em Osnabruck,o último Scirocco.

    A 1ª Geração do Scirocco foi lançada em 1974 e saiu de linha em 1980.

    A 2ª Geração foi lançada em 1981 e parou de ser fabricada em 1992.

    Uma curiosidade é que o Scirocco era fabricado na fábrica da Karmann-Ghia em Osnabruck, e a VW só enviava o sistema de transmissão e as suspensões, sendo a carroçaria toda fabricada pela Karmann. O Corrado também foi feito pela Karmann e também os Golfs Cabrios."
     
  19. Sem entrar em polémicas, devo dizer-lhe que a fonte de onde retirou o historial do Scirocco não é totalmente fidedigna.

    Actualmente, na Net, existem muitas informações incompletas, deturpadas e a maior parte das vezes, cheias de inexactidões, com especial destaque para as que têm origem brasileira.

    Neste caso concreto, apenas lhe digo que a empresa não se chama Karmann-Ghia, mas sim Karmann.

    E o Scirocco Mk2 foi totalmente desenvolvido, mesmo ao nível da carroçaria, pelos engenheiros da VW e não por Giugiaro.

    Dificilmente encontra em Portugal peças para esse Scirocco, porque esse modelo foi muito pouco divulgado e vendido pelos concessionários VW: o preço, cerca de 25% mais caro do que o Golf e a fraca habitabilidade traseira, assim o determinavam.
     
Código de Verificação:
Rascunho Salvo Rascunho removido

Partilhar Página