Bem-vindo/a ao Portal Classicos

O Portal dos Clássicos é um sítio português dedicado aos veículos clássicos com interesse histórico. Temos como objectivos juntar a comunidade de entusiastas e prestar auxílio a todos os que pretendem adquirir, restaurar, conservar e manter veículos antigos. O que espera para se juntar à família?

Welcome to Portal Classicos, the biggest Portuguese community about historic vehicles! Change language here.

  1. Este site utiliza cookies. Ao continuar você estará de acordo com a nossa utilização de cookies. Saber Mais.
  2. Postalistas, o Portal dos Clássicos está no no Drivetribe, a rede social automotiva do trio May-Clarkson-Hammond! Junte-se à nossa Tribo
    Fechar Aviso

Relas do bloco do motor (Opel Kadett E)

Tópico em 'Opel' iniciado por Pedro Sanches, 22 Out 2010.

Tópico em 'Opel' iniciado por Pedro Sanches, 22 Out 2010.

  1. Boa noite a todos.

    Esta semana quando fui a ver o nível do depósito do líquido refrigerador, reparei que este estava em baixo e que tinha uma poça no chão da garagem.

    Depois de inspeccionar a zona do motor reparei que tinha uma rela rachada. Depois de muitas horas de pancada lá consegui retirá-la sem ferir o bloco do motor.

    Consegui meter uma rela nova só que surgiu um novo problema.

    Quando voltei a meter líquido refrigerador no sistema e pus o carro a trabalhar, reparei que saiam umas micro-gotas pela rela, o que significa que esta não estava correctamente colocada.

    Decidi então voltar a tirar o líquido todo do sistema e retirar a rela para colocar uma de diâmetro superior ou mesmo voltar a colocar melhor aquela talvez com a ajuda de algum tipo de vedante.

    Acontece que não a consegui retirar mas sim enfiá-la para dentro... Ela está ali à porta do buraco do bloco mas por ali já não sai.

    O que é que se pode fazer agora?

    Já houve uma pessoa com muitos anos disto que me disse que não era ideal a rela ficar lá dentro, mas que também não seria um problema muito grave. Eventualmente um dia se precisasse de abrir o motor lá via se conseguia retirar a rela. Alguém me sabe dizer se isto é mesmo assim ou se por outro lado é muito grave a rela lá ficar?

    A outra questão prende-se com a dimensão da rela. O buraco do bloco tem 33,6 mm de diâmetro e eu pus lá uma rela com 34 mm mas mesmo assim pareceu-me que ela entrou com demasiada facilidade, isto é, algumas pancadas e ela foi ao sítio.

    Qual a dimensão da rela adequada para esta situação? Tenho uma outra com 34,75 mm mas não sei se não será demasiado grande. Há-de haver um ponto em que uma rela sobre-dimensionada terá que se deformar em demasia para entrar no buraco, o que também não é desejável. Alguma sugestão?

    Cumprimentos a todos,
    Pedro Sanches
     
  2. O motor é UK ou métrico??
    Eu pessoalmente aconselhava a tirar.
    Aliás não gosto de "relas" :D:D
    Porque pode influenciar o fluxo da agua na refrigeração. Claro que quem deu essa opinião possivelmente viu como ela está; o que não é o meu caso (por isso a minha opinião é mais um palpite) :D:D Alem disso é mais uma fonte de oxidação,com o tempo pode "desfazer-se" e entra no circuito.
     
  3. Olá Guilherme,

    Obrigado pela resposta.

    Não percebi o que quis dizer com motor UK ou métrico...

    Sim, poderá sempre ocorrer esse caso de a rela se desintegrar e entrar no circuito, mas creio que esse será o único problema que poderá ocorrer, correcto?

    Confesso que a gostava de tirar mas isso implica que ela tem de sair por outro sítio que não o buraco por onde entrou, porque isso é impossível. E o outro sítio qual é? Acho que só abrindo o motor, não? Se retirar o carter, há possibilidade de ela sair por baixo?

    Que berbicacho...

    Cumprimentos,
    Pedro Sanches
     
  4. ups
    Asneira minha, não vi o "Kadett E".
    Para sair só pelo mesmo local.
    Pelo carter não dá mesmo :D:D ou então tinhas agua no oleo.
    Se for motor com "camisas" podes tirar, depois de tirar a "camisa"; mas para mim é um disparate enorme. Estraga a "camisa" etc etc.
    As relas "fazem" força lateral contra a parede; pode ser que estejam um pouco leves. Deves colocar um pouco de cola e "limpar" muito bem o "buraco" do bloco.
    Pede ao fornecedor "relas" com a medida do buraco.
    Pode ser é que não encontres assim tão facilmente. Não vale a pena estar a inventar, tipo abrir/alargar a rela uma pouco.
    Coloca o recomendado.
     
  5. Olá Pedro,

    Provavelmente o buraco é mesmo de 34 mm, ou então foi assim rectificado se a medida era fora do normal, já vi trabalhos desses...

    O ideal é retirares a rela, sem dúvida, porque perturba o fluxo do circuito de arrefecimento em torno das camisas, que é algo que definitivamente não queres ter. Além disso, como o amigo Guilherme referiu e bem, corres o risco de ela começar a quebrar com corrosão e fornecer mais material pare entupir os favos do radiador ou da chauffage.

    Se a conseguires torcer ligeiramente para ficar perpendicular ao buraco, com um bom alicate de canos conseguirás tirá-la. Não é fácil, mas é mesmo o melhor a fazer para evitar riscos desnecessários.

    Quanto ao colocar a rela no lugar, normalmente não é difícil de fazer e não oferece muita resistência, meia dúzia de marteladas para alinhar e colocar no sítio chegam (os lados não são paralelos, alargam para fora, se é que me entendes, por isso não há muita superfície a fazer pressão e a gerar atrito), mas convém é cobrir a superfície da junta com vedante, e o mesmo na rela. Sem exageros, porque os excessos vão depois criar borras que andam a passear pelo circuito com os mesmos efeitos mencionados acima. É só mesmo para evitar que haja ranhuras a deixar passar água, isso acontece porque a superfície de junção está riscada ou picada pela corrosão e não lisa como deveria.

    Deves depois dar um tempo para o vedante secar e só então encher o circuito.

    Quanto à questão que me enviaste por MP, segundo sei o Paraflu vende-se na rede de concessionários Fiat e acho que já alguém aqui mencionou que também se vende na Norauto. Quanto ao Bluecol, nunca ouvi falar...

    Um abraço!
     
  6. Eu já nem tiro as estragadas, meto uma rela nova que entre ajustada dentro da velha, meto bastante cola instantanea da melhor que há para tapar qualquer fisura, e assim nem tenho o trabalho de a tirar nem estrago o assento.....até agora tem funcionado. As relas da minha Renault 21 que vão por baixo dos colectores têm agora duas novas, uma dentro da outra, colocadas a semana passada, vamos a ver quanto duram......:D :D :D
     
  7. Pois... espera um tempito e depois falamos.

    Normalmente esse tipo de soluções, mais cedo ou mais tarde, põe o pescoço de fora para nos assombrar...

    No teu caso, reza para que nunca haja formação de vapor no bloco, ou simplesmente que a cola seja estável em presença de químicos agressivos a alta temperatura...

    Não podes seriamente sugerir uma solução dessas, quando nem sequer sabes se resulta decentemente ou não. Esse é exactamente o mal da internet, porque enquanto uns se esforçam para contribuir soluções correctas, outros desinformam... desculpa se pareço crítico demais, mas é mesmo essa a situação!

    As soluções do estilo "para mim resulta, até ver" não têm cabimento algum nestas coisas de automóveis, ainda por cima se estamos interessados em manter o bem-estar correcto das nossas máquinas.

    No que toca a um clássico, já bem bastam os anos, os abusos, as manutenções tardias e o uso infrequente, dispensam-se soluções de atalho a não ser que sejam mesmo temporárias para chegar a casa no meio de uma viagem. Se sempre existiu um método correcto de fazer as coisas até agora, é porque as restantes soluções simplesmente não aguentam... certo?

    Um abraço!
     
  8. Obrigado Eduardo pela resposta expedita e concisa.

    Quanto a retirar a rela pelo método que sugeriu (torcê-la para ficar perpendicular ao buraco) já o tentei fazer. Acontece que a distância entre a face interior da parede exterior e a parte interior do bloco propriamente dita é muito pequena e não permite rodar a rela.

    Acha que não há mesmo outro local pelo qual eu a possa retirar? Sem ter que estar a tirar a cabeça do motor, claro.

    Percebi perfeitamente o que disse em relação às abas da rala estarem ligeiramente abertas para fora e faz todo o sentido.

    Já agora, sabe dizer qual o tipo de vedante mais adequado? Terá que ser uma cola com boas características que resista a temperaturas elevadas, mas qual e onde a poderei adquirir?

    Quanto ao líquido refrigerante, o manual do Haynes que tenho dá-me a seguinte indicação:

    Acha que vale a pena tirar partido destas percentagens? Penso que só fará sentido a dos 28% e mesmo assim, no nosso país, acho complicado se atingir a temperatura de -15ºC.

    Ainda para mais porque os anti-congelantes que por aí se compram já com o etilglicol diluídos andam à volta dos 5%.

    Mais uma vez Eduardo, obrigado pelo seu tempo e disponibilidade.

    Cumprimentos,
    Pedro Sanches
     
  9. Será possível fazer um furo na rela e depois roscar-lo, e assim sacar a rela do bloco? O maior cuidado será com a limalha que vai com certeza cair para dentro do circuito de refrigeração...
     
  10. Eu também não aconcelho a deixar ficar a rela velha dentro do bloco, já tirei largas dezenas delas e as vezes também entram e só apetece deixá-las ficar, mas isso não é solução, se lhe agarrares com uma alicata (alicate de bico de papagaio) ou com um alicate de pressão e com uma chave de fendas fazes força ela tem que saír.
    Um abraço.
     
  11. Pedro,

    As percentagens dependem largamente do nível de protecção que pretendemos. Não podes esquecer que embora chamemos ao produto anticongelante, ele também é antiebulente (impedindo a água de ferver aos 100º) e acima de tudo anticorrosivo, essa sim a função mais crítica, especialmente num clássico.

    Eu costumo usar o Paraflu a 50%, porque os motores Fiat têm a questão de a cabeça ser alumínio e o bloco em ferro, o que causa mais propensidade para a corrosão interna. Num motor inteiramente em ferro poderá usar-se uma percentagem inferior, na volta dos 30%.

    De resto, não confundas um anticongelante decente com essas águas de autoclismo coloridas que se vendem nos supermercados... isto é material a sério.

    O vedante que deves utilizar será um produto próprio para juntas, do tipo RTV ou semelhante, um dos que costumo utilizar chama-se Hylomar e costumo comprá-lo no Station Marché (agora chama-se Roady, acho eu). Mas há muitos produtos deste tipo, basta procurares um vedante para juntas. A consistência é tipo silicone, mas com formulação específica para estas aplicações.

    A remoção de relas é um exercício de paciência... tens de levar o teu tempo e caçá-la. Nos meus motores também não é fácil manobrá-las, e as tácticas vão variando de sessão em sessão, recordo que uma das últimas técnicas que usei foi enfiar uma chave de fendas das maiores por trás dela e fazer força para a torcer, tipo carica...

    Um abraço!
     
  12. Obrigado a todos pela ajuda.

    Vou debruçar-me mais sobre o assunto e ver o que consigo fazer.

    Mas volto a perguntar, não haverá outro local melhor para a tirar? Só há mesmo duas opções? Sair pelo buraco, ou sacar a cabeça do motor?

    Vou ver se compro uma embalagem de Hylosil. Obrigado Eduardo.

    Já agora queria também perguntar-lhe o seguinte:
    Pelo que consegui apurar da pesquisa que fiz, existem alguns tipos de Paraflu:

    http://www.flitalia.it/en/fl/component/option,com_dspcatprod/Itemid,254/

    Qual o mais adequado?

    Ao que consta, os diferentes compostos destes tipos de líquidos podem ser mais adequados para motores mais antigos ou mais recentes, mas ainda não consegui perceber bem a diferença.

    Cumprimentos,
    Pedro Sanches
     
  13. Já agora, e não querendo estar a insistir muito no assunto, o interior do carter não tem nenhuma junta que separe o óleo das galerias onde passa o líquido de refrigeração?

    Tirá-la por aí era mesmo o ideal se desse.

    Cumprimentos
     
  14. Por acaso não percebi essa do vapor.....mas o unico problema que creio que possa surgir será devido ás relas serem do mesmo material e estarem em contacto uma com a outra ( não me lembro o nome do processo ) que pode acelerar a corroção, por isso a cola e para tapar qualquer micro fissura. A minha ideia é que se a primeira rela aguenta uns 10 anos a segunda deve durar uns 5 mais....com um bocadinho de sorte já não mudo mais relas na minha vida...:D :D :D O resultado disto espero nem saber.....se não funcionar, paciencia.
     
  15. Pedro, não existem mais alternativas para a saída da rela... as galerias de arrefecimento são criadas com a fundição do bloco, e não existe nenhuma separação simples a não ser que o motor tenha alguma placa de acesso na traseira do bloco, e mesmo assim era preciso ter a sorte de a rela conseguir lá chegar (os blocos twin-cam Fiat têm uma placa assim, mas as relas não passam entre o bloco e a camisa). E de qualquer maneira, a placa só tem acesso depois de se separar o motor da caixa e o volante do motor da cambota... bem mais trabalho!

    Podes usar força bruta na rela e no interior do bloco sem problemas, não convém é danificar muito a superfície de montagem da dita rela por razões óbvias...

    Quanto ao Paraflu, o normal que se encontra à venda é o Paraflu 11, há formulações específicas para certos modelos e marcas, ou para zonas com climas extremos, bem como outras já previamente diluídas, o 11 é o básico adequado para a nossa zona.

    Francisco, o que eu pretendia com o vapor era gases sob pressão junto da rela colada, é uma boa maneira de exercer força mais que suficiente para a fazer saltar do sítio, por isso é só um dia ter o azar de se reter ou formar ali uma bolha...

    Um abraço a todos!
     
Código de Verificação:
Rascunho Salvo Rascunho removido

Partilhar Página