Bem-vindo/a ao Portal Classicos

O Portal dos Clássicos é um sítio português dedicado aos veículos clássicos com interesse histórico. Temos como objectivos juntar a comunidade de entusiastas e prestar auxílio a todos os que pretendem adquirir, restaurar, conservar e manter veículos antigos. O que espera para se juntar à família?

Welcome to Portal Classicos, the biggest Portuguese community about historic vehicles! Change language here.

  1. Este site utiliza cookies. Ao continuar você estará de acordo com a nossa utilização de cookies. Saber Mais.
  2. Postalistas, o Portal dos Clássicos está no no Drivetribe, a rede social automotiva do trio May-Clarkson-Hammond! Junte-se à nossa Tribo
    Fechar Aviso

R.i.p. - Pedro Fins

Tópico em 'Off-Road' iniciado por Alberto Silva, 1 Jul 2013.

Tópico em 'Off-Road' iniciado por Alberto Silva, 1 Jul 2013.

  1. Era sem duvida um grande piloto...wink.pngsad.png
    (noticia Autosport)


    O automobilismo português ficou mais pobre! Pedro Fins, um dos mais versáteis pilotos nacionais, perdeu ontem a vida na sequência de um acidente de viação, perto de Viana do Castelo. O piloto de Braga foi transportado para o hospital local, mas viria a sucumbir ao graves ferimentos.
    Pedro Fins era natural de Braga, e residia em Viana do Castelo, onde teve início o seu percurso no automobilismo de competição. Rapidamente singrou na sua primeira época de karting, em 1999, participando em diferentes provas organizadas no Kartódromo de Viana do Castelo, vencendo a sua categoria e a Taça de Portugal, e obtendo ainda alguns bons resultados nas provas do Campeonato da Europa e do Mundo.
    Os resultados obtidos levam-no a Inglaterra, onde Pedro Fins participou na época de 2000 no Campeonato Britânico de Fórmula V, terminando no sexto lugar final. Direcionando posteriormente a sua carreira para os automóveis, Pedro Fins correu em 2001 no Troféu Honda BPI Cup Promoção, onde participou em todas as provas, para além de integrar a equipa do Hotel Cidnay, no Troféu Hyundai, onde se revelou um dos elementos mais activos e rápidos, levando a equipa a vencer seis das oito provas em que participou.
    2002 foi, para Pedro Barbosa Fins, uma época de aprendizagem, tendo como principal objectivo obter o maior conhecimento possível das pistas por onde passam as principais competições em Portugal e Espanha, preocupando-se desta forma em arrecadar o máximo de experiência. A fogosidade do piloto vem ao de cima, e mostra o que vale em pista, às vezes de forma excessiva, mas a verdade é que Pedro Barbosa Fins, sempre que podia, tentava a sua oportunidade, conseguindo no seu percurso alguns bons resultados, e afirmando-se como um dos melhores valores da nova geração.
    Em 2003 e 2004, Pedro Fins repetiu a Honda BPI Cup, com ambições de terminar nos lugares do pódio. Mostrando-se um dos pilotos mais rápidos do plantel, conseguiu regularmente tempos entre os cinco primeiros. No entanto alguns azares, próprios das corridas ou devido à fogosidade excessiva dos adversários, impediram-no de conseguir a vitória que por várias vezes esteve muito perto.
    Pedro Fins estreou-se ainda na Taça Toyota T-Sport e no Open de Velocidade, partilhando com Rui Xavier e Raquel Lages o volante do Alfa Romeo 145 que já foi conduzido pelo seu tio (Adriano Barbosa). No entanto o carro nunca se revelou competitivo, com alguns problemas técnicos à mistura. Com apoio do Kartódromo de Viana do Castelo, Pedro Fins disputou ainda algumas provas na Taça de Portugal e no Troféu Norte de Portugal, em karting.
    2004 foi a melhor época de sempre de Pedro Fins na velocidade, com um terceiro lugar, dois segundos e a vitória na última prova da época da Honda BPI Cup. Ainda nesta época, Pedro Fins enfrentou um novo desafio: os ralis, no Troféu Citroën C2. Com um programa de apenas três provas, o piloto fez uma rápida aprendizagem a esta exigente modalidade, conseguindo resultados muito interessantes para um estreante nos ralis, numa competição também estreante.
    Para 2005, todos os esforços são centrados na C2 Challenge com um programa completo no Nacional de Ralis. Com o pequeno C2 preparado pela Quintas Competições, e fazendo equipa com Paulo Fiúza, os resultados foram acima das expectativas, tendo como ponto alto o terceiro lugar no Rali Centro de Portugal.
    Em 2006 Pedro Fins tem como objectivo andar regularmente nos três primeiros do Troféu C2, pelo que muda de preparador, deixando o carro francês entregue aos cuidados da experiente Bastos Sport. Os resultados não tardam em aparecer, mas uma vez mais, alguma dose de azar, com alguns acidentes à mistura, impedem que o bom andamento demonstrado ao longo da época se faça sentir na classificação final.
    2007 foi um ano para esquecer, com diversos azares e incidentes a impedirem Pedro Fins de terminar qualquer prova na Challenge C2, não chegando sequer a terminar a época. Ficam no entanto registados alguns bons resultados face a pilotos bem mais experientes. Apostado em dar a volta por cima, Pedro Fins conta em 2008 com uma estrutura mais profissional e organizada que lhe permitisse os resultados esperados na Citroën Chalenge C2. A Bastos Sport passa a preparar o pequeno C2 e Filipe Martins acompanha Pedro Fins na navegação, mas os azares mecânicos continuam e impedem a equipa de conseguir terminar provas, ficando para o seu palmarés apenas um segundo lugar.
    2009 é um novo ano de viragem para a Pedro Fins Racing Team, com o regresso à velocidade, e ao volante de um carro único e já com palmarés em Portugal pelas mãos de Rui Bevilacqua e Adriano Barbosa. Pedro Fins alinha nesse ano no Campeonato de Velocidade de Clássicos, com o Lotus Elan 26R campeão de históricos em 1996 e 1997, num dos campeonatos mais competitivos e interessantes dos últimos anos. Os bons resultados conseguidos neste ano de estreia levam à continuidade do projecto para 2010 onde finalmente aparecem os títulos: Campeão Nacional de Clássicos na Categoria 1 e vencedor da Taça de Portugal, também na categoria 1. O carro inglês é um dos mais espectaculares em pista e ficam na memória as exibições em circuitos históricos como o da Boavista e Vila Real e ainda na rampa da Falperra.
    A comemorar 10 anos de carreira como piloto de competição, Pedro Fins obtém ainda o vice-campeonato na Ford Transit Trophy, uma competição única a nível mundial, que se revela um sucesso. Em 2011, na época seguinte, novo título na Taça de Portugal de Clássicos com o Lotus, conquistada no emblemático circuito da Boavista. Na Ford Transit Trophy e a fazer equipa com Nuno Santos fica-se pelo quarto lugar final.
    Em 2012 dá-se o tão desejado regresso aos ralis. Pedro fins nunca escondeu a sua preferência pelos ralis e disputa o competitivo desafio Modelstand, no não menos competitivo Open de Ralis, com o Peugeot 206 GTi preparado pela SFR Motorsport e com Sérgio Rocha no banco do lado direito.
    Um terceiro lugar em Castelo Branco e dois segundos em Loulé e em Baião, permitiram terminar a época no último lugar do pódio, num excelente regresso aos ralis, apesar de todas as contrariedades ao longo do ano. Pedro Fins marcou ainda presença na Rampa da Falperra, uma das suas provas preferidas, com o Lotus Elan 26R e com a Ford Transit Trophy, vencendo nas duas categorias em que competia.
    Pedro Fins optou por repetir em 2013 o Desafio Modelstand, mas a competitividade e fiabilidade do Peugeot 206 GTi não permitiam alcançar os resultados desejados. Como grande entusiasta das provas de rampa e da condução do Lotus Elan 26R, Pedro Fins preparava-se para uma breve pausa nos ralis, continuando a época no Campeonato Nacional de Montanha. Como habitualmente levou o Lotus Elan à vitória na classe na Rampa da Falperra.
    Infelizmente, a sua vida terrena viria a ser interrompida num brutal acidente de mota a 30 de Junho de 2013, perto de Viana do Castelo, e quando se dirigia para o Circuito da Boavista no Porto.
    O seu desaparecimento vai deixar um grande vazio no meio automobilístico português, já que a sua contagiante paixão pela competição continuarão a ser recordadas. A sua alegria de viver, a sua constante boa disposição e amizade continuarão jamais serão esquecidas. Até sempre Pedro.
     

    Ficheiros Anexados:

  2. Meu amigo de infância..e também meu cliente já que o Pedro trabalhava como técnico de uma farmácia do Pai.
    Estava com ele de vez em quando nas corridas e em Viana, a nossa terra comum. Fiquei estarrecido ontem.

    Vi este puto crescer.. Muita adrenalina sempre.. E infelizmente as nossas estradas são uma roleta russa por isso é mais um caso para nos recordar que todo o cuidado é pouco, seja de moto, seja de carro.

    Obrigado por terem colocado a notícia, o Fins merecia uma homenagem pelos feitos e paixão que sempre demonstrou pelo desporto automóvel.

    Está a ser um choque..
     
  3. (DEP) Descansa em paz Pedro.
     
    Francisco Lemos Ferreira gostou disto.
  4. Infelizmente quando saimos de casa todos os dias para trabalhar, nunca sabemos se regressamos no final do dia.
    Morre muita gente nas estradas, existe muita coisa a melhorar para que seja evitados muitos acidentes.

    RIP Pedro Fins, e condolências aos familiares e amigos.
     
    Francisco Lemos Ferreira gostou disto.
  5. Infelizmente a vida do Pedro foi ceifada de forma ingrata. Um bom amigo, maluco pelas corridas e sempre pronto a ajudar o próximo. Soube da pior maneira o que tinha acontecido, estava na esplanada de um café da zona e vi passar um reboque com a moto do Fins em cima. Ainda passei no local do acidente, foi-me dito que tinha saído de lá com vida mas em estado critico.

    As mais sentidas condolências á família, o pódio será eternamente do Pedro.

    Cumprimentos
     
    Helder Manuel Oliveira gostou disto.
  6. Que descanse em Paz!

    As minhas condolências aos familiares e amigos!
     

Partilhar Página