Bem-vindo/a ao Portal Classicos

O Portal dos Clássicos é um sítio português dedicado aos veículos clássicos com interesse histórico. Temos como objectivos juntar a comunidade de entusiastas e prestar auxílio a todos os que pretendem adquirir, restaurar, conservar e manter veículos antigos. O que espera para se juntar à família?

Welcome to Portal Classicos, the biggest Portuguese community about historic vehicles! Change language here.

  1. Este site utiliza cookies. Ao continuar você estará de acordo com a nossa utilização de cookies. Saber Mais.
  2. Portalistas, o Portal dos Clássicos está no no Drivetribe, a rede social automotiva do trio May-Clarkson-Hammond! Junte-se à nossa Tribo
    Fechar Aviso

Opel Manta A

Tópico em 'História e Cultura' iniciado por Ricardo Santos Silva, 11 Mai 2007.

Tópico em 'História e Cultura' iniciado por Ricardo Santos Silva, 11 Mai 2007.

  1. A Opel já havia produzido um veiculo desportivo especifico, o Opel GT, como tentativa de cobrir uma parte do mercado que até então havia sido descorada pela marca, o Manta cresceu segundo as mesmas linhas de orientação.

    [​IMG]

    O Opel Manta, contemporâneo do Ford Capri foi a resposta de GM/Opel à crescente procura de um coupé com caracter desportivo por parte dos consumidores da época.
    É verdade dizer-se então que o Manta resulta das mesmas conclusões da pesquisa de mercado que a Ford: existia a exigência que um carro fosse mais que uma caixa com rodas, um carro realmente bem desenhado de tamanho compacto, que oferecesse altos níveis de conforto, equipamento e performance.

    [​IMG]

    O estudo de um novo coupé, foi lançado no final da década de 60 pela General Motors; proprietária da Opel depois de 1928; Ainda durante o período de pesquisa e desenvolvimento, a viatura foi inicialmente baptizada de “Kadett coupé”, mas entretanto durante o percurso a Opel decidiu por em marcha a criação de um modelo completamente novo.

    [​IMG]

    A Opel confiaria o desenho a Chuck Jordan e George Gallion. A sua frente com um “longo nariz”, reza a história que o designer recebeu inspiração depois do visionamento durante o trabalho de uma reportagem do Comandante Cousteau. George Gallion ficou impressionado pelas linhas e ritmo majestoso da maior raia do mundo, a raia Manta. Era assim que ele via o seu novo coupé e a Opel deu o seu aval.

    [​IMG]

    Foi a 16-09-1970, que foi apresentado à imprensa o “Manta”. A GM acabaria por não seguir a Ford e ao invés de dar o nome de uma cidade ao seu novo carro, mais ao charme italiano, preferiu o exotismo de um peixe marinho.

    [​IMG]

    [​IMG]

    Tal como proclamava a publicidade da época, “falamos da sua elegância”; é verdade que esteticamente a viatura é uma ressurreição. As linhas do Manta, apelam ao Chevrolet "Camaro" de 1967 ( modelo e marca pertencentes também à GM) e também ao Ford “Mustang” com as suas 4 ópticas na frente do seu longo “nariz”. Quanto à traseira e os seus quatro farois redondos, são retirados do Opel “GT”, ele mesmo fortemente no Chevrolet "Corvette". Acima de tudo a beleza deste novo modelo seduzia pelo seu caracter verdadeiramente desportivo.

    [​IMG]

    [​IMG]

    (continua...)
     
  2. [​IMG]

    [​IMG]

    Se indiscutivelmente o Manta tinha um look agressivo, a motorização não se mostrava verdadeiramente à altura. Se com efeito o carro fazia ilusões às suas capacidades desportivas em 2ª e 3ª, a passagem da 3ª para a 4ª velocidade demonstrava a existência de um poço enorme! No entanto nada há a apontar quanto à robustez e fiabilidade dos motores desta gama, o que demonstrara também que a Opel não explorou a mecânica aos seus limites.

    [​IMG]

    [​IMG]

    Aquando do seu lançamento o Manta era proposto com duas motorizações (1600 e 1900cm3) e 3 níveis de equipamento ("Standard", "Luxe", e "SR") podendo-se optar por caixa manual ou autmática.
    No interior imprerava o preto, reflectindo a tendencia dos desportivos da época. O mostrador nas versões 1900 vinha já com um conta rotações e o 1900 SR era equipado de série com uma consola central com 3 manometros VDO (relógio, pressão do óleo e amperimetro) e diferencial autoblocante.

    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]

    A partir de 1972 a gama alargou para um nível mais acessível com o Manta 1200. Este carro já não era forte e nervoso, e o seu motor 1193cm3 foi herdado do Opel Kadett, e debitava 60cv às 5400rpm.
    No ano seguinte aparece o “Berlinetta” com o seu tecto em vinil, estofos em veludo e aplicações em madeira nas portas, era a versão mais luxuosa do Manta.

    [​IMG]

    [​IMG]

    Em 1974 foi comercializado o verdadeiro topo de gama, o Manta A GT/E. Desta vez a Opel não olhou a meios para apresentar uma motorização de acordo com o seu look. Por baixo do capot negro encontrava-se um motor de 1879cm3 com injecção Bosch.

    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]

    A 9 de Julho de 1975 cessou a produção do Manta A. O Manta B, entretanto redesenhado lutaria pela difícil sucessão...

    No total 31.463 Mantas A foram produzidos.
     
Código de Verificação:
Rascunho Salvo Rascunho removido

Partilhar Página