Bem-vindo/a ao Portal Classicos

O Portal dos Clássicos é um sítio português dedicado aos veículos clássicos com interesse histórico. Temos como objectivos juntar a comunidade de entusiastas e prestar auxílio a todos os que pretendem adquirir, restaurar, conservar e manter veículos antigos. O que espera para se juntar à família?

Welcome to Portal Classicos, the biggest Portuguese community about historic vehicles! Change language here.

  1. Este site utiliza cookies. Ao continuar você estará de acordo com a nossa utilização de cookies. Saber Mais.
  2. Portalistas, o Portal dos Clássicos está no no Drivetribe, a rede social automotiva do trio May-Clarkson-Hammond! Junte-se à nossa Tribo
    Fechar Aviso

O tuning e os classicos

Tópico em 'Os Entusiastas do Portal' iniciado por José Aguiar, 22 Fev 2007.

Tópico em 'Os Entusiastas do Portal' iniciado por José Aguiar, 22 Fev 2007.

  1. Quero saudar todos os amantes dos clássicos, tenham eles um R4 ou um 2cv, ou nem tenham ainda clássico algum, e também aqueles que por moda ou questão de afirmaçao pessoal tenham um Ferrari Dino e queixam-se que o carro nao trava e nao curva como o carro do dia a dia. Gostar de um classico, é sentir o que o carro era na realidade na sua epoca, e nao inventar, alterar, ou seja o que for para melhorar a sua dinamica. Isto é desvirtuar o conceito de classico, a isso chamo tuning...Mas como em tudo na vida a moda passa e só os apaixonados ficarão cá, para as futuras retomas dos DINOS que por aí andam...ou não...
     
  2. bem vindo

    estou completamente de acordo consigo, também não sou a favor de alterações nos clássicos, mas no entanto se essas alterações forem no ambito da segurança, ai já sou a favor de algumas alterações :D
     
  3. Olá viva
    Pois chama tuning e chama muito bem, porque o tuning é isso mesmo, modifificar um carro a gosto do proprietário e nada tem de depreciativo :D
    O problema do tuning apenas tem a ver com a falta de gosto do dono do carro que infelizmente abunda por aí principalmente nos tempos que correm.
    Toda a vida se fez tuning, embora as novas vertentes tenham dado a má fama de que agora tanto se fala.
    Pessoalmente gosto de uma boa alteração num carro desde que discreta e que não desvirtue o automóvel no seu aspecto estético, claro está, sem nunca esquecer que um carro de uma determinada época apenas deve ser alvo do tuning da sua época.
    è muito mais giro e divertido ter um carro melhorado do que ter um carro 100% original e amorfo. Ou se gosta de conduzir ou ou se encara o automóvel como um mero meio de transporte.
    Dando um exemplo que me toca, o dos 02, nada como ter umas jantes especificas de 02 com um pneu com o numero acima e até umas barras estabilizadoras de 2002 num 1602. Tudo se torna mais fácil seguro e a avozinha agradece pois já não anda aos tombos lá atrás... e isto é Tunig

    Abraço
     
  4. também tem razão no que diz,
    mas quando digo que não sou grande fã do tunning é quando vejo carros que sao belos e não necessitam de alterações, com coisas que não têm nada a ver com o espirito que esse carro é suposto transmitir,
    como por exemplo um moço que vi num video, arrancou os bancos d tras a um mini e colocou-lhe um v8, acho que isso desvirtua completamente o carro e tudo o que é suposto representar.
    mas também claro que há carros que são mais adequados a alterações, um bmw é capaz d aguentar melhor alterações que um 2cv.
    novamente isto é só uma opinião pessoal que não tem qualquer desejo de ser depreciativo, pois também já vi carros alterados muito giros.
    exactamente como diz, depende do gosto dos donos.
    :D
     
  5. Bom mas isso que referes é diferente.

    Acho que embora falando de um Fiat 600 não podemos chamar de clássico desvirtuado àquilo que se vê nas fotos. também não me parece propriamente tuning o_O
     

    Ficheiros Anexados:

  6. Para mim tunig é por exemplo isto, pode-se gostar ou não. Neste caso não gosto, mas há exemplos que eu acho muito giros
     

    Ficheiros Anexados:

  7. boas para mim tuning e dinheiro mal investido ... mas cada um investe no que quer .....
    cada carro tem o seu carisma e a carros para todos os estilos e gostos... basta escolher e ter dinheiro para ele claro....
    agora quando se compra um carro lento e querem ter um aviao.... faz- se tuning
     
  8. :D
    esse acho que não é um clássico desvirtuado, pois com isso em cima não me quer parecer que seja um sequer clássico :D
    acho que esse fiat já passou de clássico a outra coisa qualquer :D

    acho que o josé tem toda a razão, se queremos um avião, não vamos concerteza comprar um fiat 600

    até porque muitas vezes as pessoas tendem a esquecer-se da segurança, estes carros não estão preparados pra levar um 200cv em cima, até porque duvido que consiga sequer chegar aos 200km/h sem perder algumas peças pelo caminho :D
     
    João Luís Soares gostou disto.
  9. Olá novamente, é com satisfação que volto a escrever, visto que partilho na generalidade com todas as opinioes manifestadas, isto é, a alterar um carro que este nao fique descaracterizado, por outro lado investir numa replica milhares de euros (ex: escort rs) e depois no livrete ler-se escort 1.1L, por amor de deus, tambem acho dinheiro deitado fora, considerando outras opçoes.
    No caso do BMW que o meu amigo fala, penso que a medida original de livrete de um 2002 é 165/13, correcto?
     
  10. O 2002 é 165/13 sim. O turbo usava 185/13.

    Mas só quem nunca conduziu um 2002 com pneuzinho de origem 165 é que pode achar muito giro...
    Há diferenças entre o tuning que se faz hoje (vulgo tupperwares) e o que muitos chamam Old School. Ou seja, nos clássicos não me xateia nada que se artilhe no espírito da época.
    Jantes de época, carburadores, artilhanços de suspensão, etc são coisas que sempre se fizeram nesses mesmos carros já na época deles.
    Não me digam que um clássico só é clássico se tiver a jante de chapa, pneu diagonal e motor asmático...
    Há sempre vertentes diferentes. Por mim, gosto tanto de ver um 100% original como um Old School...

    Pedro Henriques
     
  11. por isso é que se deve escolher bem o clássico que se quer, se realmente não queremos um carro com um motor "asmático", não compramos um mini, compramos um carro que já na altura fosse potente, como um bmw ou mercedes ou o porsche, seja o que for.
    para mim fazer alterações em carros mais "fraquitos" para os quererem realmente potentes, acho errado, parece-me que deveria ser feito a carros já preparados para isso.

    contudo se as alterações também fossem de época acho que tudo bem, pois também concordo que antigamente é que as alterações eram boas, não se metiam entradas de ar por tudo e por nada, e não se metiam carros menos potentes com motores v8 em cima.
     
  12. Então concordamos nesse tema.
    Não acho piada nenhuma a asas tipo "mesa de piquenique" ou entradas de ar que davam para alimentar um 747, mas gosto sim de ver as alterações de época.
    Só para veres: os FIAT 500 com preparações Abarth (carb, colector de escape e pouco mais) não eram desvirtuados e ficavam muito mais divertidos. Os carochas 1192cc com kit Okrasa ou compressor Judson ficavam muito melhores, os 2002 levavam carbs duplos como o ti (o meu tem...) etc.
    São filosofias diferentes, as alterações não têem de ser destrutivas.

    Se formos a pensar assim, os extras de época, mesmo da marca, nunca seriam aceites em carros "classicos"

    Cumps.

    Pedro Henriques
     
  13. Nem mais.
    Depois há outra questão que eu discutia com ainda ontem com uns amigos dos clássicos, que é o gosto de cada um. Por exemplo, eu gosto dos 02 não por serem clássicos, gosto deles porque sim...o_O e quando na referida converseta vieram à baila os Porches ficou tudo muito surpreendido quando eu disse que preferia ter um 2002 ou um Escort MKI.
    Depois quando se fala em artilhanços, não pensem que se fala em apenas num acréscimo de cavalos.
    O meu 1602 está como podem ver nas fotos da minha garagem e garanto-vos que mesmo os mais puristas se tivessem de escolher entre o meu e um que esteja como veio de fábrica... escolhia o meu, a menos que a ideia fosse encher a garagem com mais um modelo que não vai conduzir mas que vai valorizar. Sim muita gente pensa nisto como um investimento...
     
  14. boa
    tenho uma pergunta

    mesmo fazendo alterações de época será que se mantém com a condição de clássico?
    do tipo alargar um pouco o eixo e afins...
     
  15. Boas, as alterações sempre se fizeram e continuarão a ser feitas. Umas simplesmente com bom gosto e outras não. Quanto ao se fazerem nos clássicos desde que sejam á epoca não me choca nada. Lembro-me perfeitamente das consolas com conta-rotações, amperímetro, pressão de óleo, temp. água, etc., das bolachas para "alargar" os eixos, quem não tinha dinheiro para comprar jantes, juntava um dinheiro e mandava alargar as de origem. Por isso e para mim existem duas vertentes nos clássicos, ou seja a "purista" que tem o carro 100% original (ou faz por isso) e a outra que também me atrai que é o "old tunning" (alterações á época) nada de digital ou que não existisse na altura . Qual de nós não gosta de ver um Escort MK1 alterado, um BMW, um 131, Mini, etc. Cumps.
     
  16. Ora aí está existem duas vertentes, para já não considerar outras, e o que é preciso é haver respeito e compreensão de parte a parte. Não raramente vejo muitas vezes os "puristas" a dizer mal dos outros (não todos como é óbvio) e a relegá-los para um submundo de destruidores,considerando-se superiores. O mais giro é que muitas vezes falam falam mas têm telhados de vidro :rolleyes

    Resumindo, em clássicos também é o que eu gosto: old tuning. Curiosamente o radicalismo de transformações para clássicos de corrida sem esse fim em concreto... Já acho um exagero, mas lá está cada um sabe de si, come do que gosta e os outros não têm de criticar.
     

  17. Acho que existe um espaço para carros modificados segundo o que havia na época assim como para réplicas, mas ao certo também não sei já que não é isso que me preocupa.
     
Código de Verificação:
Rascunho Salvo Rascunho removido

Partilhar Página