Bem-vindo/a ao Portal Classicos

O Portal dos Clássicos é um sítio português dedicado aos veículos clássicos com interesse histórico. Temos como objectivos juntar a comunidade de entusiastas e prestar auxílio a todos os que pretendem adquirir, restaurar, conservar e manter veículos antigos. O que espera para se juntar à família?

Welcome to Portal Classicos, the biggest Portuguese community about historic vehicles! Change language here.

  1. Este site utiliza cookies. Ao continuar você estará de acordo com a nossa utilização de cookies. Saber Mais.
  2. Portalistas, o Portal dos Clássicos está no no Drivetribe, a rede social automotiva do trio May-Clarkson-Hammond! Junte-se à nossa Tribo
    Fechar Aviso

O Regresso do velho "Shumi"

Tópico em 'Desporto Motorizado Actual' iniciado por Francisco Lemos Ferreira, 12 Jun 2011.

Tópico em 'Desporto Motorizado Actual' iniciado por Francisco Lemos Ferreira, 12 Jun 2011.

  1. Hoje a tarde foi longa no Canadá com interrupção de 2 horas e emoção ate ao fim como não se viaB)

    [​IMG]
     
  2. Quem tem unhas....tem sempre ;)
     
  3. In globoesporte.com

    12/06/2011 18h16 - Atualizado em 12/06/2011 19h01

    Com reação antológica, Button supera Vettel no fim e vence o GP do Canadá

    Em corrida que ficou duas horas parada por causa da chuva, inglês ganha após duas batidas e seis paradas; Massa arranca sexto lugar no último instante


    Por GLOBOESPORTE.COM Montreal, Canadá

    imprimir


    Faça chuva ou faça sol, Sebastian Vettel vinha dominando a Fórmula 1. E parecia pronto para ampliar o domínio no GP do Canadá, que teve chuva – a ponto de interromper a corrida por duas horas – e sol, numa aparição tímida após a relargada. O alemão da RBR controlou a prova do início até última volta, quando enfim, apareceu alguém para beliscar seu reinado. Com uma reação antológica, o inglês Jenson Button ultrapassou Vettel nos instantes finais e arrancou uma vitória improvável ao conduzir sua McLaren após duas batidas e seis passagens pelos boxes, incluindo uma punição. Quatro horas depois da largada, ninguém imaginava que o desfecho seria aquele. Mas Button teve um domingo para derrubar todos os prognósticos.
    Como se não bastasse, o britânico ainda precisa torcer contra mais uma reviravolta, já que a direção da prova está julgando dois incidentes que ele teve na corrida, um com Lewis Hamilton e outro com Fernando Alonso - os dois abandonaram.
    Um decepcionado Vettel chegou em segundo, seguido pelo companheiro Mark Webber e pelo alemão Michael Schumacher, da Mercedes. Vitaly Petrov, da Renault, foi o quinto, e Felipe Massa também tirou um feito da cartola no último instante da corrida. Após escorregar 10 posições por causa de uma parada não prevista nos boxes, o piloto da Ferrari arrancou a sexta posição quase em cima da linha de chegada, ao ultrapassar o japonês Kamui Kobayashi, da Sauber.
    button7_reu.jpg Heroico, Jenson Button festeja a vitória improvável no GP do Canadá, neste domingo (Foto: agência Reuters)
    Rubens Barrichello, da Williams, chegou em nono, na prova caótica que viu seis abandonos, incluindo Fernando Alonso, da Ferrari, e Lewis Hamilton, da McLaren. Após a batalha de Montreal, os pilotos folgam no próximo fim de semana e voltam à pista no dia 26 deste mês, para o GP da Europa, em Valência, na Espanha.
    Apesar do tropeço, Sebastian Vettel ainda é o líder isolado do campeonato, com 161 pontos. A vitória fez Button assumir o segundo lugar, com 101, seguido pelos 94 de Webber. Massa é o sexto da temporada, com 32. Veja aqui a classificação completa.
    A chuva canadense forçou uma largada sem jeito de largada, com o safety car puxando a fila. Na quarta volta, aí sim, o carro de segurança saiu de cena e a disputa começou de verdade. Alonso pressionou o pole Vettel, Massa pressionou Alonso, mas todo mundo se defendeu bem.
    safetycar_canada_afp_95.jpg O safety car foi presença constante na corrida deste
    domingo no Canadá (Foto: AFP)

    Em dez minutos, Hamilton diz adeus

    Hamilton abriu ali a montanha-russa dos seus dez minutos de corrida. Primeiro tentou forçar para cima de Webber, mas sua roda dianteira direita tocou o carro do australiano, que rodou e perdeu dez lugares na fila, caindo para 14º. O inglês caiu para sexto, atrás de Nico Rosberg e Schumacher. Afoito, tentou dar o bote no heptacampeão, mas levou um passa-fora, saiu da pista e perdeu posições. Pouco depois, na oitava volta, Lewis tentou forçar de novo, desta vez tocando o companheiro Button (veja no vídeo abaixo). Era só o primeiro percalço de Button, que caiu para 12º, mas quem se deu mal mesmo foi Hamilton, que bateu no muro e quebrou a suspensão traseira. Com a roda quase solta, continuou na pista – só por mais alguns segundos, até parar e abandonar o GP.
    Com o incidente, lá foi o safety car de novo para a pista, e àquela altura a chuva até que dava uma trégua. Quando a disputa recomeçou, Button era o mais rápido - tão rápido que, antes da saída do safety car, excedeu a velocidade e, punido, foi obrigado a passar pelos boxes. Ainda assim, ele começou a deixar adversários para trás. Webber também subia pelas tabelas e, com as paradas nos boxes, voltou à quarta posição.

    Na 19ª volta, a água voltou com força. Melhor para Vettel, Massa, Kobayashi e Webber, que não tinham trocado os pneus de chuva. Seus rivais foram obrigados a parar de novo, e o mau tempo foi buscar outra vez o safety car.
    As paradas continuavam mexendo na fila, com Alonso tendo problemas e caindo para oitavo. Massa perdeu a segunda posição para Kobayashi – que manteve os pneus intermediários – e Vettel voltou em primeiro. E voltou reclamando. Pelo rádio, cobrou que não houvesse relargada naquele momento, por causa da aquaplanagem entre as curvas 9 e 13.
    Ele tinha razão, porque, na 25ª volta, a chuva venceu. Bandeira vermelha, e todos os carros pararam no grid para esperar as condições melhorarem. Vettel liderava, seguido por Kobayashi, Massa, Heidfeld, Petrov, Di Resta, Webber, Alonso, De la Rosa e - ainda lá atrás - Button.
    caminhao_chuvacanada_greu_95.jpg Enormes poças se formaram na pista e forçaram a interrupção da corrida (Foto: Reuters)
    Durante uma hora e meia, a água castigou o circuito Gilles Villeneuve. Com os carros cobertos no grid, a organização mandou máquinas à pista para lutar contra enormes poças. Já eram 16h12m (no horário de Brasília) quando a chuva, enfim, parou. O céu ficou mais claro, as lonas começaram a ser retiradas e alguns motores foram ligados, enquanto o carro da direção de prova dava suas voltas para inspecionar as condições. Outra meia hora se passou e, quando foi anunciada a relargada para as 16h50m... outra pancada de chuva. Mas a corrida recomeçou mesmo assim, com o safety car à frente.
    Até o sol, ainda que tímido, apareceu

    Enquanto os carros iam levantando spray, a torcida nas arquibancadas vibrava. Na sétima volta após o recomeço, até o sol deu uma espiada rápida na corrida. Foi quando o safety car voltou aos boxes na volta 34, e a disputa recomeçou. Vettel conseguiu abrir um certo conforto, e Massa deu o bote em Kobayashi. Chegou a ultrapassá-lo, mas o japonês deu o troco imediatamente, mantendo a segunda posição.

    Na 37ª volta, logo após sair dos boxes, Alonso se chocou com Button ao se defender de uma tentativa de ultrapassagem e foi parar no muro. O espanhol abandonou, e o inglês, no seu calvário, teve de voltar aos boxes. Nem deu para sentir saudades do safety car, que voltou à pista e ali ficou por três voltas.
    Na relargada, os três primeiros mantiveram seus postos, e a emoção ficou a cargo de Schumacher. Em sétimo lugar, ele passou Webber e, logo depois, Di Resta, que tocou Heidefeld e teve problemas no bico. Heidfeld fez o que pôde para segurar Schumi, mas não resistiu na 44ª volta.
    Dos boxes, a Ferrari pedia que Massa “tirasse Kobayashi do caminho” para perseguir Vettel, mas o japonês segurava a vice-liderança com unhas e dentes. Quando o brasileiro finalmente conseguia superar o japonês, na volta 52, veio uma manobra digna de heptacampeão: Schumacher aproveitou a disputa e ultrapassou os dois ao mesmo tempo, assumindo a segunda posição.
    Massa e Schumi pararam logo em seguida, e o brasileiro deu azar. Com pneus slick, perdeu o controle na reta, bateu no guard rail e teve de voltar para trocar a asa dianteira. Com isso, escorregou para o 12º posto. Kobayashi também perdeu posições para Webber e Button, que àquela altura já fazia uma espetacular corrida de recuperação.
    massa_efe.jpg Felipe Massa perdeu posições no fim, mas arrancou o sexto lugar no último instante (Foto: Agência EFE)
    Heidfeld, que estava em sexto, tocou Kobayashi à sua frente, quebrou a asa dianteira e bateu. A Renault agiu rápido, mas com a pista suja, não houve jeito: a 13 voltas do fim, o safety car voltou. Atrás dele, Vettel, Schumacher, Webber, Button, Kobayashi, Petrov e Barrichello. Na relargada, faltavam dez voltas.

    Desfecho espetacular

    O atual campeão conseguiu escapar bem na ponta, mas os três seguintes vinham colados. Webber chegou a passar Schumi, mas errou e permitiu não só o troco, mas a ultrapassagem de Button. Após seis paradas nos boxes, incluindo uma punição, o inglês foi para cima do alemão e não demorou nada para ultrapassá-lo. Webber também conseguiu deixar Schumi para trás e resistiu aos seus ataques, arrancando um pódio suado.
    Na última volta, a cereja no bolo da reação de Jenson Button. O inglês partiu para cima de Vettel, que, pressionado, cometeu um erro e viu a quinta vitória escorrer pelos dedos. Com uma ultrapassagem improvável, contra tudo e contra todos, Button cruzou em primeiro.
    Massa ainda teve tempo para perseguir Kobayashi e arrancar a sexta posição de forma dramática, quase em cima da linha de chegada. Com tantas reviravoltas na parte final, o Canadá já pode se orgulhar de ter visto neste domingo uma das melhores corridas de Fórmula 1 nos últimos tempos.
    Confira o resultado final do GP do Canadá (309,396 quilômetros):
    1 - Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) - 70 voltas em 4h04m39s539
    2 - Sebastian Vettel (ALE/RBR-Renault) - a 2s709
    3 - Mark Webber (AUS/RBR-Renault) - a 13s828
    4 - Michael Schumacher (ALE/Mercedes) - a 14s219
    5 - Vitaly Petrov (RUS/Renault-Lotus) - a 20s395
    6 - Felipe Massa (BRA/Ferrari) - a 33s225
    7 - Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari) - a 33s270
    8 - Jaime Alguersuari (ESP/STR-Ferrari) - a 35s964
    9 - Rubens Barrichello (BRA/Williams-Cosworth) - a 45s100
    10 - Sebastien Buemi (SUI/STR-Ferrari) - a 47s000
    11 - Nico Rosberg (ALE/Mercedes) - a 50s400
    12 - Pedro de la Rosa (ESP/Sauber-Ferrari) - a 1m03s600
    13 - Vitantonio Liuzzi (ITA/Hispania-Cosworth) - a 1 volta
    14 - Narain Karthikeyan (IND/Hispania-Cosworth) - a 1 volta
    15 - Jerome D'Ambrosio (BEL/MVR-Cosworth) - a 1 volta
    16 - Timo Glock (ALE/MVR-Cosworth) - a 1 volta
    17 - Jarno Trulli (ITA/Lotus-Renault) - a 1 volta
    18 - Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) - a 3 voltas/acidente
    Não completaram:
    Pastor Maldonado (VEN/Williams-Cosworth) - a 9 voltas/mecânico
    Nick Heidfeld (ALE/Renault-Lotus) - a 15 voltas/acidente
    Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) - a 21 voltas/acidente
    Fernando Alonso (ESP/Ferrari) - a 34 voltas/acidente
    Heikki Kovalainen (FIN/Lotus-Renault) - a 42 voltas/mecânico
    Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes) - a 63 voltas/acidente
    Melhor volta: Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) - 1m16s956, na 69ª
     

    Ficheiros Anexados:

  4. Corrida bastante interessante,gostei de ver.
     
  5. Quando é que o nabo do Hamilton aprende que não vale tudo?

    Duas penalizações no Mónaco pelos vistos não lhe chegaram porque voltou a dar toques em mais dois pilotos...
     
  6. Esta cena ainda me fez rir um bocado, mas a coisa estava complicada, o homem escorregava por todo o lado.
     
  7. Foi o mais improbabel dos GP de F1!!! é para esquecer.
     
  8. Esta corrida só valei pelo desempenho do Schumi... JLS, o Hamilton foi mal penalizado pelo menos 1 vez no Mónaco... Além disso nesta corrida aconteceu devido ao piso. Tem tido azar ao mostrar o que vale, agora não o crucifiquem. Mas esperemos por Spa, e aí sim, vão haver toques.
     
  9. André, foi do piso?

    Aquele choque com o Webber não é do piso... É da nabice... Outros não chocaram.

    Ele no Mónaco não foi mal penalizado... Que eu saiba a equipa dele nem piou.

    Atenção que eu não tenho nada pessoal contra o Hamilton, mas detesto deslealdade e sobretudo detesto gajos que se fazem de santos sem o ser...
     
  10. Repara na trajectória correcta que o carro da frente faz, e repara o que o Maldonado faz para se mandar para cima do Hamilton... Cortou tanto que até passou com o carro quase todo em cima dos correctores, falhando o APEX de propósito... Digas o que disseres isto não foi culpa do Hamilton... Agora o rapaz têm tido azar, mas por amor de Deus... E aquilo é o Mónaco, o Maldonado bateu porque quis 182 houvesse contacto.

    YouTube - ‪F1 2011 Monaco Grand Prix - Race - Lewis Hamilton and Pastor Maldonado Crash‬‏
     
Código de Verificação:
Rascunho Salvo Rascunho removido

Partilhar Página