Bem-vindo/a ao Portal Classicos

O Portal dos Clássicos é um sítio português dedicado aos veículos clássicos com interesse histórico. Temos como objectivos juntar a comunidade de entusiastas e prestar auxílio a todos os que pretendem adquirir, restaurar, conservar e manter veículos antigos. O que espera para se juntar à família?

Welcome to Portal Classicos, the biggest Portuguese community about historic vehicles! Change language here.

  1. Este site utiliza cookies. Ao continuar você estará de acordo com a nossa utilização de cookies. Saber Mais.
  2. Portalistas, o Portal dos Clássicos está no no Drivetribe, a rede social automotiva do trio May-Clarkson-Hammond! Junte-se à nossa Tribo
    Fechar Aviso

Modificações em clássicos:Digam de vossa justiça

Tópico em 'O nosso hobby: Clássicos' iniciado por Mike Silva, 23 Ago 2008.

Tópico em 'O nosso hobby: Clássicos' iniciado por Mike Silva, 23 Ago 2008.

  1. Sendo este fórum um espaço de debate, e não tendo encontrado recentemente entradas de amigos participantes sobre esta temática, achei por bem trazer a lume este tema.

    Inflamatório para alguns, corriqueiro para outros, a questão da modificação de automóveis clássicos tem por trás todo o tipo de motivações sejam desportivas, de cariz prático, ou por pura falta de sobressalentes.

    Creio sinceramente que este é um bom tema para debater. de certeza que encontraremos muitos fundamentalistas a jurarem a pés juntos que isso das modificações " é uma heresia" mas que se babam perante um anúncio de um Escort modificado para competição...E vão aos encontros com um carro transformado de seis para doze volts.

    Eu defendo acérrimamente a modificação por aspectos práticos, para tornar possível o uso do carro no dia-a-dia. Recentemente, mudei todo o favo do radiador do meu Seven para favo normal ( sem ser de serpentina), e instalei-lhe ignição transistorizada Lumenition. Ganhei em fiabilidade e durabilidade.( Diria velocidade, mas a fundo, dá apenas 70...Nada saudável na M6...)

    Tenho um vizinho, que possui uma das últimas camionetas Morris Commercial de cabine avançada do mundo, mas que teve de instalar um Radiador IVECO. Era isso, ou ainda estaria com ela parada , á procura.

    E os meus amigos? O que é que para voces constitui a "linha" que recusam ultrapassar? Estarão dispostos a sacrificar o vosso prazer e fiabilidade no trânsito do dia-a-dia pelo abanar de cabeça dos "técnicos" dos encontros?

    Será uma carroçaria de um Carocha, com um motor V8 à frente num chassis de longarinas e suspensão da frente de um Corvette, ainda um "Carocha"? Ou o simples facto de ter um espelho do modelo do ano a seguir " estar todo estragado"?

    Essas opiniões para cá!
     
  2. Eu sou a favor dos exemplos que o Mike deu à excepção do exemplo do Carocha. Às vezes, a dificuldade em encontrar uma determinada peça pode inviabilizar o uso do clássico, por isso defendo que se possa aplicar outra com o mesmo objectivo. A adaptação de peças novas a fim de utilizar o carro no dia a dia também não me choca nada antes pelo contrário... os tempos são outros, tem que haver adaptações por mais ligeiras que possam ser...
     
  3. eu por razões economicas tenho o meu taunus original... mas gostava de dar umas vitaminas para andar mais um bocadinho:p mas so a nivel de motor, nao alteraria nada na chapa;)
     
  4. Boa tarde,

    Eu sou a favor das alterações, desde que não comprometam em grande medida a originalidade dos carros.
    Por exemplo há aberrações como Jaguares XJ dos anos 60 e 70, e outros caroos a gasolina, onde foram ''enfiados'' motores Mercedes diesel para os tornar mais económicos... Isso é o que eu chamo uma aberração.
    Por outro lado sou completamente a favor de pequenas alterações que tornem os carros mais fiáveis e utilizaveis e seguros nos nossos dias, como por exemplo, sistemas de ignição, amortecedores mais modernos, sistemas de travagem mais actuais com discos ventilados, etc.
    Estou a pensar mesmo pôr um distribuidor elecronico no meu Daimler, porque o Lucas OPUS que vem de origem é um verdadeiro pesadelo, quer para afinar, como na fiabilidade.
    A titulo de exemplo, e perdoêm-me a publicidade, posso garantir que não tenho qualquer relação com a empresa em causa, deixo aqui o link da 123 Ignition, na Holanda que faz distribuidores electronicos (no fundo sistemas de ignição electronica), que no fundo apenas melhoram o desempenho, economia, emissões, etc dos motores e até conseguem passar despercebidos no campo estético, pois têm o aspecto de distribuidores normais. Isto é o tipo de alterações que eu considero benéficas nos classicos.

    http://www.123ignition.nl/

    Um abraço a todos,

    Jorge
     
  5. Por vezes, a adopcção de motores Diesel em alguns modelos, prendem-se precisamente com a funcionalidade.

    Uma conversão comum, é a adopção do motor Cummins 6a ( Proveniente de um autocarro) para propulsionar o Bentley MKVI.

    É uma montagem fácil, pois o motor Cummins é completamente plano no lado do volante, dispondo de várias "Bell Housing "( Culoches?)disponíveis, e permite fixar os apoios em qualquer parte.

    ( Tem 6000 cc, mas apenas 130 HP! )

    Em qualquer altura, sem deteriorar nada, pode-se instalar novamente o seis cilindros a gasolina.

    Pode parecer uma medida estapafúrdia, mas por vezes é a diferença entre ter o carro parado, e usufruir dele. A um preço mais vantajoso,ainda por cima.

    Por exemplo, grande parte dos AEC Park Royal Doubledecker estão praticamente todos convertidos utilizando o Cummins 800 DHC , ou o Detroit -Allison equivalente. Embora os proprietários guardem os originais AEC na garagem.

    Mais uma vez, é uma questão de colocar os veículos na rua , e estrada com eles!
     
  6. O problema é de alguns a querer ser mais rei do que o rei, a levar as regras enfadonhas e atrasadas da FIA como dogma sem um onça de espírito critico. Pseudos integristas cujo os únicos conhecimento são brutais copy paste e afirmações sem fundamente (o nome de Saxonette vem do saxofone :/, e a teimar) para fazer de bonitos a frente dos outros pseudo fas pelo menos tão incultos.... Bem, vou provavelmente ser banido do fórum vizinho, but who care Eu não :p
    É que ha alterações e alterações.
    Carros alterados... porque não, mas qual será o limite? No nosso mundo carros alterados serão os "retro tuning" e outros "Vintage Speed", tão apreciado la fora, e tão desprezados em terras lusas? Os sleeper? Carros profundamente alterados de mecânica, mas com visual "vintage" capaz de calar um Subaru numa prova de 400m?
    O que é aceitável? Para mi desde que não altera as linhas original.... tudo vale :)
     
  7. Concordo com as modificações quer a nível de gosto pessoal quer a nível de clara melhoria da facilidade de utilização, e maior fiabilidade... Completamente de acordo...

    Mas também gosto e aprecio veículos 100 % originais.

    cumprimentos.
     
  8. HI
    Para quem anda preocupado em encontrar parafusos da "BEES" para o vauxhall, ou com o vinyl para o tablier (tipo e cor), ou com o perfil da borracha, ou com as velas AC-VF9, ou com os filtros de oleo AC-ZR1; parece-me que estar aqui a falar não será bem visto pelos restantes membros do portal.
    Mas ........................ como cada maluco tem a sua (dele) pancada, a ver vamos.
    Para os classicos há regras, e quer queiramos ou não, elas são as da FIAA.
    Por isso para mim é essas que eu tento seguir.
    Se existem outros membros que não as respeitam o problema é deles, para mim são donos e senhores de fazer o que bem entendem dos seus bens (carros/automoveis). É um problema deles e eu não tenho que criticar (construtiva ou destrutivamente).
    Entendo porem que há diferenças entre; restauro (colocar como quando era novo), e modificações embora com o aspecto de antigo.
    O que eu pretendo fazer é um restauro, se tiver de fazer uma modificação ela que seja minima (e na impossibilidade momentanea de encontrar as ditas peças originais) e quase não se perceba.
    É certo que o dinheiro tambem conta, mas penso que o radiador acima mencionado podia ser, se não restaurado pelo menos que fosse uma réplica. Claro que a quantia envolvida podia subir, mas o que interessa é que fique igual.
    Passei alguns anos a tentar encontrar os filtros de oleo, finalmente encontrei dois (bem caros) e estou bem contente. O gozo vai ser apresentar o carro como .........
    Se existe pessoal que gosta de acelerar e exibir o que é dele conforme lhe der na "real da gana", tudo bem. Eu não gosto. E como em questões de gosto não discuto (são gostos).
    Há individuos que fazem questão em enviar para abate carros que foram seus, de modo a não serem usados por outros, manias .........
    Em resumo; cada um faz aquilo que entender (goza) dos seus bens, portanto o que os outros dizem não interessa.
    E vivam os classicos:D:D
     

  9. Isso é uma boa ideia, apesar de muitos dizerem que é um crime:wacko:...
     
  10. Por exemplo colocar sistema GPL num clássico a gasolina ou biodiesel num clássico a gasóleo muitos dizem que é um crime, mas se é um crime eles que paguem a gasolina ao preço que está e depois digam qual dos dois é crime, se é andar com combustível barato e amigo do ambiente ou andar com gasolina ao preço de ouro:wacko:...

    Eu concordo com as modificações num clássico até um certo limite:feliz:...

    Substituir os platinados por módulos electrónicos, mudar de 6V para 12V, mudar radiadores, faróis, motores, etc, desde que continue a andar isso é que interessa:D...

    Por exemplo na Borgward, os faróis de trás, apenas têm luz de presença e piscas, e eu gostava que aquilo tivesse faróis com luz de presença, stop, piscas e mais um farol no meio para a marcha-trás, assim melhorava mais a nível de sinalização luminosa:feliz:...

    Um carro foi feito para andar e não para estar parado, para isso já basta os que estão nos museus:(-...

    E se o carro é para andar tem de se arranjar todas a maneiras possíveis para ele continuar a andar:feliz:...

    Por causa dessas tretas de originalidade, muitos carros estão parados em oficinas à espera de dias melhores porque é difícil de achar peças de origem:wacko:...
     
  11. HI
    Depois de responder fui ver novamente o inicio do tópico, e lembrei-me que no ano passado (por esta altura) fui a Santiago de Compostela ( de propósito) para "arranjar" umas "chapinhas" para o vauxhall.
    Nessa oficina vi um mecanico com luvas brancas !!!!!!!! a montar um motor de um "escorte". Depois na conversa com o dono olhei lá mais para dentro e vi 3 (três) carros que estavam a ser montados. A minha surpresa foi maior quando olhei para as matriculas. Portuguesas, isso mesmo.
    Portugueses ???!!!!!!
    Sim de Braga; respondeu ele.
    Não me "disseram" nada, estar a olhar para eles ou para um carro de bois foi o mesmo.
    Aliás tenho um carro de bois que me diz mais, muito brinquei eu em cima dele.
    Num restauro para mim o que está em causa (importante) é o desmanchar e voltar a montar, perceber as soluções técnicas que na altura foram aplicadas para resolver alguns problemas. Isso é que dá "pica". Depois então segue-se outra fase o "gozar" em pleno (andar) o carro.
    Um pedido a todos - que não entendam estas letras como criticas a quem quer que seja. Volto a repetir; cada um goza os seus bens como bem entender.
    A minha pancada dá pra isto:D:D:D
     
  12.  
  13. Cada um goza do seu carro como entendes, é certo (e ainda bem), mas que pensar de sabichões armados em referencia do automóvel classico a dizer que um carro alterado com critérios de época (eu não evoca por mi a adaptação de peças que é um debate muito diferente) é um crime quase passível de ser apedrejado por mais alto que seja a qualidade do trabalho, e não repara em erro evidentes num restauro, ou na qualidade do trabalho mais parecido com a obra de um trolha porque "esta todo original" . Ver a palha no olho do vizinho quando tens uma tábua no teu próprio olho?
    La fora (aonde tudo nem sempre é mais bonito) a convivência é boa, porque podemos aprendrer um com os outros, em Pt ja que automóvel classico é por alguns o privilegio de uma elite cheia de vaidade, não se pode misturar originalidade (e alguém vai ter de me convencer que um carro restaurado esta original... bela trata, esta é conforme a época) e os outros, que se afasta um pouco dos dogmas da FIAA :/
    A minha cultura VW é dos "Out law" inspirado nos anos 70, não é por isto que eu cuspa ou denigra os 100% vintage, os Volksrod, buggy e outros porque eu respeita esta mesma cultura e que temos uma paixão comum.
    A elite não.
     
  14. Eu não sou a favor de fazer modificações nos clássicos!!!! Todos os restauros que executo, tento ser o mais minucioso possivel na originalidade! O Fiat 600 que estou a restaurar para mim, é de 1956 e não possui cintos de segurança! Não faço a minima tenção de lhos pôr, embora seja uma modificação simples de fazer! Quando adquiro um carro, se vejo que não vou conseguir arranjar certa e determinada peça para o pôr de origem, simplesmente viro as costas e recuso o negócio! Mas isto é apenas a minha singela opinião.......
     
  15. O teu carro esta todo 100% nos, sem uma fuga a uma peça de origem FIAT? Na boca de alguns é crime ter uma junta que não seja de origem... O integrismo tem esses preço.
     
  16. Bem eu tento ter os carros originais, no GT Junior Bertone ficará 100% original, não me considero 100% purista..no Moke que comprei com alterações e como "fun car" que é vitaminei já que tinha o Bloco do Cooper levou 2 carburadores a condizer, e mais umas oisas que não são de origem mas poderão considerar-se Up grades de época...o Moke anda quase o dobro de quando o comprei, mas esforçei-me para obter os piscas redondos originais ( estou à espera) e mandei fazer os 2 paineis laterais com tampas que quando foi restaurado retiraram, mas os bancos por exemplo a estrutura e igual ao de origem mas estofados de preto como estao dao um ar mais moderno e muito mais confortavel. cintos não ponho. A Simca esta como saiu e as solex estao de origem 100%.

    abraços
     
  17. Perdoem-me por estar sempre a falar sobre Jaguares, mas é do que eu gosto e do que mais conheço...

    Em relação ás tranformações de classicos com vista a melhorar a fiabilidade, segurança e até reduzir de forma significativa as emissões de CO2, temos várias empresas que se dedicam a isso nesta marca. Claro está, que os carros vão perder algo em originalidade, há que pesar os prós e os contras e além do factor $$$ que é decisivo em qualquer processo de restauro ou recuperação, temos de pensar no objectivo que para o qual queremos os nossos clássios, se é para estarem num museu e irem exporádicamente a concursos, onde se pertende aferir o estado de conservação da originalidade dos carros, é obvio que é algo que não devemos fazer...
    Se o que queremos é um clássico que possamos utilizar no dia a dia, ou quase, como por exemplo em viagens maiores, em que a filiabilidade , a segurança, o consumo e os custos de manutenção serão factores a ter em conta, então, se calhar, a ''modernização'' de alguns componentes será algo considerar muito sériamente.

    Aqui ficam, a titulo de exemplo alguns links de ''preparadores'' que ''modernizam'' Jaguares clássicos:

    XJ S3 e XJS - http://www.kwengineering.org/kwe_frameset.html

    E type - http://www.eaglegb.com/

    MKII - http://www.vicarage.co.uk/

    É claro que não será barato, mas os resultados são no minimo surpreendentes...

    Boa noite e um abraço a todos,

    Jorge
     
  18. Sim amigo! O meu carro está de origem e todas as peças são da Fiat! Nem seqer tem peças da concorrência!!!! Ainda me há-da explicar por pm o que é que tem contra mim, uma vez que sou sempre alvo dos seus sarcasmos.....
     
  19. Olá Luis,

    Penso que o que o nosso colega queria dizer, é que é raro que isso aconteça, para já não dizer, e não me leve a mal, sem grande vantagem económica, pois a Fiat, e qualquer outra marca, não faz a maior parte das peças, apenas lhes pôe o nome, e na maioria das vezes cobra mais por isso.
    Eles não fazem, quase de certeza, discos de travão, pastilhas, lampadas, tubagens, cabos eléctricos, carburadores, distribuidores, velas, sensores de todo o tipo, panelas de escape, juntas, parafusos, etc etc...
    Portanto, na mioria das vezes, consegue comprar, a mesma peça, feita pelo mesmo fabricante, com a mesma qualidade, por um preço mais reduzido ou mesmo uma de qualidade superior...(respeitando os perceitos da época e originalidade)
    Claro que há outras peças também mais baratas e qualidade inferior, é tudo uma questão de procurar e escolher.
    Aqui não estou a falar em transformações, apenas na questão de comprar as peças na marca (pelo menos as que pensamos serem da marca) ou não.

    Um abraço,

    Jorge
     
  20. Antes de mais, acho que o classico, tem de ser ao gosto do dono.
    Ninguem quer ter um carro para agradar aos outros, o meu carro é para me agradar primeiramente a mim.

    Mesmo aqueles classicos que ficam irreconheciveis, e que nao agrada a maior parte da comunidade, como um 500 que esteve ai a ser votado, mais vale ficar assim, do que ir para a prensa.

    Se fosse rico, tinha 3 unidades de cada modelo: 1 originalissima, outra, ao meu gosto, e a outra extremamente, abusadamente, estupidamente desportiva! :D
     
Código de Verificação:
Rascunho Salvo Rascunho removido

Partilhar Página