Bem-vindo/a ao Portal Classicos

O Portal dos Clássicos é um sítio português dedicado aos veículos clássicos com interesse histórico. Temos como objectivos juntar a comunidade de entusiastas e prestar auxílio a todos os que pretendem adquirir, restaurar, conservar e manter veículos antigos. O que espera para se juntar à família?

Welcome to Portal Classicos, the biggest Portuguese community about historic vehicles! Change language here.

  1. Este site utiliza cookies. Ao continuar você estará de acordo com a nossa utilização de cookies. Saber Mais.
  2. Portalistas, o Portal dos Clássicos está no no Drivetribe, a rede social automotiva do trio May-Clarkson-Hammond! Junte-se à nossa Tribo
    Fechar Aviso

Mirage Dune Bug

Tópico em 'Volkswagen' iniciado por Helder Manuel Oliveira, 27 Abr 2011.

Tópico em 'Volkswagen' iniciado por Helder Manuel Oliveira, 27 Abr 2011.

  1. Boas,
    Cá está o "Mirage" recuperado do abandono mais que certo.
    De momento vai recolher à garagem e ficar como está.
    Depois de fazer um diagnóstico mais aprofundado
    aos poucos vou ver se trato do chassis e ponho o motor a trabalhar.

    Quanto à mecânica, tem motor 1.200 VW e bateria 6V.
    Partilhando também toda a mecânica e chassis "curto" do carocha.

    A seguir passo a apresentar a informação que consegui sobre este "Buggy Italiano".
     

    Ficheiros Anexados:

  2. Segue o historial assinado pelo "mentor" do projecto. (tradução google)

    HISTÓRIA DE MARIO DE FABRICANTE DO ZODÍACO buggy

    Caro Sr. Ezio
    Obrigado pela sua resposta amável e complimeti gratificante e, novamente, para o programa excelente.
    Em anexo, envio algumas das fotos "históricas" na minha produção e, posteriormente, um resumo da história de buggies italiano (o cha mesmo enviei há algum tempo aos seus colegas "dunebuggy.it).
    Em 1968 (eu tinha 25 anos), quando eu trabalhava com meu pai em seu prédio empresa de construção civil, eu vi um filme, "The Thomas Crown Affair", onde o protagonista, Steve McQueen usado, de fato, um buggy.
    O 'amor', por assim dizer, foi à primeira vista. Eu vi o filme quatro vezes mais, e para mim, comecei a sonhar em ser capaz de um dia ter o meu próprio.
    Tal como acontece com o meu pai, no trabalho, eu não fui bem juntos, no mesmo ano decidiu separar-se dele e iniciar meu próprio negócio, e desde sempre teve uma paixão por motores, com pouco dinheiro e muitos sacrifícios, Eu abri um pequeno salão de Bolonha revenda de carros de todos os tipos, chamado "All Cars".
    Entretanto, a idéia do buggy passou pela minha cabeça, até que, o ovo pequeno ninho salvou-se, foi para a Califórnia e comprei um kit básico de o mais clássico de buggy dinâmico e enviou-o na Itália.
    Quando ele chegou, começou a montar, principalmente à noite, porque o dia que eu tinha que tentar vender mais carros possível pagar os custos, enorme para mim naquele momento.
    Em setembro de 68 o primeiro buggy estava pronto, e finalmente eu poderia tirá-lo de uma pequena oficina mecânica de um amigo em que eu tinha montado e montado numa das placas de "Test" (I, propriedade de vendas de automóveis), lancei-me para o primeiro passeio do teste. Foi grande sentimento de liberdade e leveza foi incrível.
    Todos olharam para a "criatura" novo e eu me senti como um rei.
    Eu vim para minha casa para tirar um pouco de gordura em mim e eu tinha estacionado o carrinho na frente da porta (eu morava no centro de Bolonha).
    Enquanto eu estava no banheiro sentiu chifre diferentes da rua. Pensando em um acidente, eu me vestia para sair e ver o que estava acontecendo.
    Quando eu abri a porta, eu não podia acreditar nos meus olhos: o trânsito estava bloqueado por uma pequena multidão foi assistir ao meu carrinho novo.
    Naquele momento ele percebeu o potencial da máquina. Comecei então a dar os primeiros passos para começar a colocar no mercado.
    Alguns dias mais tarde, depois de ter falado com Beppe Seragnoli, dono de Velas barcos que construiu barcos a vela, o carrinho desmontado novamente, eu modifiquei um pouco para o corpo e as velas de barcos entregues para a construção do molde.
    Depois de alguns meses Velas Barcos entregou-me dois corpos. Agora todas as peças estavam faltando, o pára-brisa, rodas, pneus, aos assentos, faróis e centenas de outras pequenas peças, infelizmente, todos essenciais.
    O trabalho foi hercúleo, especialmente quando você considera que o dinheiro que eu dispunha eram poucas e que, durante o dia, para ganhar, eu tinha que continuar a vender carros, tanto quanto possível.
    Entretanto, em maio de 69 eu tinha dois carros prontos e mais alguma coisa que eu já tinha encontrado todos os fornecedores estão dispostos a ajudar-me a colocar em produção, os buggies.
    Alguns dias mais tarde, formou a companhia Autozodiaco Srl, para a fabricação de carros e fundiu os dois nomes, e Autozodiaco todos os carros, as vendas continuaram a fazer na minha pequena sala de estar, todos os carros, exatamente.
    Enquanto isso, os jornais começaram a se interessar por dedicar espaço buggies e amplificadores mais.
    Em novembro eu fui convidado por uma fábrica de baterias para fazer um dos meus carros em seu estande no Salão Automóvel de Turim.
    Como o show aberto, o sucesso foi imediato e eu comecei a receber os primeiros pedidos que, gradualmente, tornou-se mais numerosos. Agora todo mundo queria um buggy, cantores, atores, esportistas, etc. mas, acima de tudo, agências de publicidade, para anunciar uma grande variedade de produtos.
    O problema agora foi a aprovação do empreendimento.
    A aprovação do Ministério dos Transportes vinculativo sobre a permissão para a aprovação oficial da Volkswagen, porque eu usei o seu chassi encurtado e, portanto, potencialmente perigoso.
    Volkswagen, que no primeiro tinha manifestado a favor da construção de uma série de buggies, quando me pediram para solicitar o consentimento, é claro, eu não julgo a altura de uma produção em massa, patrocinada oficialmente por ela e eu me recusei a permissão.
    Você pode imaginar meu desespero, eu tinha centenas de pedidos, a chance de campo, mas eu não poderia fazer isso sozinho.
    Eu disse-me que de alguma forma eu tinha que encontrar uma solução para superar a "grande recusa".
    Fui a Roma, o Ministério dos Transportes e me deu todos os processos relativos às aprovações concedidas 1945-1969. Eu li as centenas, de tratores para bicicletas e, finalmente, após quatro dias de buscas, eu encontrei um datado de 1947, relativa à caminhões americanos que cortar o quadro de transformá-los em "caminhões", escavadoras, etc.
    Para a aprovação destes caminhões houve necessidade de permissão dos pais, então eu disse para mim mesmo, se a lei não tivesse mudado, deve ser igual para todos e, portanto, deve dar permissão também.
    E, de fato, por isso foi em outubro de 1969, embora com a obrigação de dar um preview de cada empresa do PRA de Bolonha, finalmente eu consegui imprimir o quadro * AZ * 00001: o sonho estava se tornando realidade.
    Ora, havia um outro problema: onde construir carrinhos e com que dinheiro.
    Entrei com um amigo Paolo Pazzaglia por profissão, eu sei, até à data, "Play Boy", mas o herdeiro de uma família muito rica bolonhesa, com quem accordai que o abaixo-assinado que cuidar de tudo, enquanto ele iria pagar apenas o que necessários para produzir as máquinas, até a si mesmo.
    No que se refere, no entanto, onde a construção, eu accordai com uma oficina mecânica em Bolonha, o "Mirage", que o proprietário pagaria um tot para cada buggy montado.
    Felizmente ou infelizmente (como veremos mais adiante), quando eu anunciei a todos os clientes em potencial dos buggies que iriam iniciar a produção em massa em alguns dias, cheguei a 109 contas, com o qual eu finanziai-estima.
    Então Paolo Pazzaglia não tem que vir acima com sequer um centavo e, igualmente, ele encontrou-se proprietário de dell'Autozodiaco 50%.
    Por razões que se poderia chamar de "papel principal" (a empresa com o meu nome e, claro, os jornalistas me entrevistaram) meu amigo começou a tentar desacreditar Pazzaglia, aparentemente livre da empresa, assim que eu era obrigado a propor a liquidação.
    Estranhamente, Pazzaglia aceitou imediatamente, e assim o liquidai com uma figura para mim, naquele momento, enorme. Em nada, curta a gastar, em poucos meses ganhou mais de 80 milhões de liras.
    No entanto, como as coisas estavam indo muito bem, eu não tenho medo de ficar sozinha.
    Subitamente, porém, um gerente de produção da manhã meu me ligou para me avisar que estava faltando a apresentação da oficina de buggy em primeiro lugar, que "especial" com o chassi AZ * 00001 *.
    Liguei para a polícia e fez a denúncia do ritual.
    Poucos dias depois, recebi um alerta que o carrinho foi No. 1 na garagem da casa de Paolo Pazzaglia.
    Eu me escondi fora de sua casa com a câmera pronta e quando ele abriu a porta da garagem apareceu no meu buggy. Obviamente, os fotografados e as fotos retornou à polícia, que obteve o mandado, revistaram a casa e agarrou meu buggy n º 1. O número do quadro, no entanto, foi cancelada e em seu lugar um novo símbolo foi gravado (só dois anos depois ele veio com o processo).
    Poucos dias depois de "Baby" (como era apelidado o proprietário dell'Automirage me disse que por "razões pessoais" já não continuar a montar o buggies.
    Em outras palavras, o meu amigo e ex-adjunto havia roubado o buggy # 1, e com muito cuidado "preparado" para aprovar rapidamente, com segurança e sem sobressaltos, os novos "Mirage".
    O plano, pelo menos no papel, ele era perfeito: eu tinha deixado sem loja onde carrinhos de construir, com muito pouco dinheiro, para piorar, estava ciente de toda a organização minhas vendas.
    Felizmente eu encontrei alguns dias para um acordo com os donos da Giannini (preparou o Fiat 500) e imediatamente começou a montar o "Deserter" no seu estabelecimento de Roma.
    Então, é como fez o Automirage.
    Enquanto isso, os buggies abaixo reunir em Roma era uma agonia real, eu tinha que ir 3-5 vezes por semana, em Roma, além do fato de que a "pontualidade" Roman é bem conhecida.
    E assim, alguns meses mais tarde, mudou sua fábrica para Pianaoro (8 km. Partir de Bolonha), onde ele deixa todos os carros, também mudou o escritório de vendas.
    "Coincidentemente, quando saí de Roma, nasceu o" Puma "e os Giannini.
    Enfim, eu finalmente colocar uma fábrica real e eu poderia me dedicar ao estudo de outros modelos mais "italiano".
    Isso deu origem a "Damac" (o projeto de que eu tinha dado a Tom Tjaarda, ex-designer da De Tomaso Pantera), cujo nome, "Damac" foi escolhido através de um concurso organizado em cooperação com a Autosprint e venceu por um tal Carlo Maddalena, Palermo. DA.MA.CA. significa, de fato, dada pela MA (Madalena x) CA (x Carlo), que ganhou, de fato, uma Damac.
    Siga o "Tubarão" transformação "California" e "Kirby". Qust'ultima nasceu com o pedido da fábrica da Skoda para construir um buggy com seus mecânicos.
    Mesmo em termos de vendas, as coisas não estavam mal, porque em 1973 fui contactado pela BMW Itália, com o qual chegamos a um acordo de distribuição exclusiva dos meus carros através da sua rede de concessionários.
    Nesse mesmo ano, comprou uma pequena fábrica Rubiera (entre Modena e Reggio Emilia) e eu fundamos o "Motozodiaco" para a fabricação de motocicletas e triciclos com rodas grandes.
    No final de 1974 foi-me oferecido para vender as fábricas, que, dada a figura atraente, eu concordei.
    Juntei o seu amigo Sandro Munari, para a fabricação de óleos lubrificantes, com Sandro Munari Motor Oil e esportivas com Sandro Munari Sport Line ", então, no final desse ano" inventada "e começou a organizar o Motor Show de Bolonha, em colaboração com Sandro Munari, Giacomo Agostini, Niki Lauda e Renato Molinari, as atividades que eu então vendida em 1981, Alfredo Cazzola
    Desde então, deixou a Itália para "passear" ao redor do mundo em um veleiro e "pouso" no Panamá, onde moro há muitos anos.
    Claro, existem milhares de anedotas e fatos, bonito, menos bonito e feio, relativas às minhas atividades e minha vida (com quem, no entanto, não vou aborrecê-lo), mas enfim esta é a história de buggies.
    Em anexo estão algumas fotos que irá enviar os correspondentes à apresentação oficial de cada modelo. Ele vai enviar um pouco de cada vez, porque se eu enviá-los todos juntos, sobrecarregando meu computador às vezes trava (eu vivo no campo, onde, novamente, ele usa a conexão dial-up).
    Quanto a minha visita final à Itália, obrigado pelo convite. Eu, certamente, aconselhá-lo.
    Cordiais saudações.
    Mario zodíaco
    PS:. Sabe perdoar algum "deslize" menores devido aos muitos anos passados ​​os eventos e erros de ortografia, devido aos muitos anos de vida fora da Itália.
     
  3. Grande Helder, foste buscar o carro. Assim é que é menos conversa e mais obras.
    É claro que é preciso espaço e t€mpo também, mas espero que em breve o coloques a rolar nesse teu Algarve que tem o clima ideal para esse menino.
     
  4. Thanks Paulo,

    Foram uns dias a pensar no assunto e pronto... mais um retirado do abandono.B)
    Agora o resto logo se vê...
    Estou a juntar material para me ocupar quando fôr reformado...:D:D

    Segue um video do filme que contagiou os adeptos dos Baggys.

    YouTube - Affair - Dune
     
  5. Conseguiste então falar com o dono ?? Espectacular meu amigo :D!! É um carro muito apreciado no Brasil :D
     
  6. Ó Hélder, estás feito!

    Agora vais ter de arranjar outro Toyota para ficares com 1 par de VWs, 1 de Fiat e 1 de Toyota! :huh:

    Bom salvamento!

    Aí no Algarve deve "saber bem" ter um brinquedo assim...
     
  7. Sim, com alguma dose de sorte à mistura.;)
    Também são apreciados em Portugal, especialmente no Algarve.
    Pena é que já não se pode andar na praia.:wacko:
     
  8. Boa !!! ;)))))


    Obrigado epla partilha.

    Esse motor deve ter 34 cv e será um pouco "curto" apesar de um buggy ser leve.
    Um 1500 ficava melhor, mas talvez precisasses de uma caixa 1500 cuja adaptação já dá mais trabalho.... e ficavas com rodas de 4 buracos atrás e 5 a frente.. a não ser que aplicasses o eixo do 1500 com discos, mas não sei se dá para esses chassis....

    Aguardamos o continuar do projecto.


    nuno g
     
  9. Porreiro teres sido tu a salvar esse menino, assim fica em boas mãos ;)

    Vou seguir o teu projecto, ai no Algarve este carro dá sempre jeito :D
     
  10. Pois João, se encontrar um Toyota debaixo de uma alfarrobeira,
    lá terá de ser.:huh:
    O curioso é que só o VW Roadster (que foi oferecido por um primo) e o Tractor que veio com o terreno, os outros estavam todos debaixo de alfarrobeiras em vários locais.:D
    Abraço.
     

  11. Epá Nuno, não me desorientes.:D:D
    Para já quero mante-lo como está (€) e tratar as ferrugens, ou seja separar o chassi
    pintá-lo e voltar a montar.
    Sim, este motor é fraquinho, mas também é um dos mais robustos.
    Há uns vinte anos, tive um carocha com esse motor que andava na praia como um jeep sem problemas.:D
     
  12. Jorge, não resisti...:rolleyes
    Abraço.
     
  13. Ontem foi o dia da transfega.:D:D
     

    Ficheiros Anexados:

  14. Assim ao longe parece novo B)
     
  15. Parece, mas tem ainda algum trabalho.
    O motor parece estar preso. Não roda de maneira nenhuma.
    Depois vou retirar as velas, meter bastante spray e ver se roda.
     
  16. Este tópico tinha-me passado!


    Espectáculo!



    A garagem ainda tem mais espaço?:D
     
  17. Zé, lotação esgotada!...:D:D
    Abraço.
     
  18. Restauro do volante.
     

    Ficheiros Anexados:




  19. O volante e espetacular, ta muito bom esse restauro.
     
Código de Verificação:
Rascunho Salvo Rascunho removido

Partilhar Página