Bem-vindo/a ao Portal Classicos

O Portal dos Clássicos é um sítio português dedicado aos veículos clássicos com interesse histórico. Temos como objectivos juntar a comunidade de entusiastas e prestar auxílio a todos os que pretendem adquirir, restaurar, conservar e manter veículos antigos. O que espera para se juntar à família?

Welcome to Portal Classicos, the biggest Portuguese community about historic vehicles! Change language here.

  1. Este site utiliza cookies. Ao continuar você estará de acordo com a nossa utilização de cookies. Saber Mais.
  2. Postalistas, o Portal dos Clássicos está no no Drivetribe, a rede social automotiva do trio May-Clarkson-Hammond! Junte-se à nossa Tribo
    Fechar Aviso

Ford Sierra RS Cosworth

Tópico em 'História e Cultura' iniciado por Ricardo Teixeira, 8 Jul 2010.

Tópico em 'História e Cultura' iniciado por Ricardo Teixeira, 8 Jul 2010.

  1. E agora uma pequena introdução ao Sierra RS Cosworth.... talvez a asa mais marcante da história automóvel.....

    O Sierra RS Cosworth é o resultado de um projecto da Ford com o objectivo de produzir "O" vencedor por excelência para o Grupo A.

    O projecto foi liderado por Stuart Turner na primavera de 1983. Ele tinha sido recentemente nomeado chefe da Ford Motorsport na Europa, e ele percebeu de imediato que a Ford já não era competitiva nesta área.

    Turner entrou em contato com Walter Hayes, na época vice-presidente de Relações Públicas da Ford, para obter apoio para o projecto. Hayes já havia sido a força motriz por trás do desenvolvimento do Ford GT40 que venceu Le Mans em 1966, o Cosworth DFV que deu à Ford 154 vitórias e 12 Campeonatos do Mundo de Fórmula Um, durante os anos sessenta e setenta. Hayes achou o projecto muito interessante e prometeu o seu apoio.

    Turner, em seguida, convidou Ken Kohrs, Vice-Presidente de Desenvolvimento, para visitar a antiga sócia da Ford, a Cosworth, onde lhes foi mostrado um projecto desenvolvido por iniciativa da própria Cosworth, o motor YAA. Esta era um Twin Cam, 16 válvulas com base no próprio bloco da Ford T88, mais conhecido como Pinto. Este protótipo mostrou ser uma base ideal para o motor que Turner tinha em mente, e vencer no Grupo A.

    Assim foi encomendada uma versão turbo (designado YBB Cosworth), capaz de desenvolver 180cv na versão cliente e 300cv na versão de competiçãoda. A Cosworth respondeu positivamente, mas colocaram duas condições: o motor deve produzir não menos de 150 kW (204 HP), na versão de estrada, e a Ford teria que encomendar nada menos que 15 mil motores. O projecto de Turner só precisava de cerca de 5.000 motores, mas a Ford, no entanto, aceitou as condições. Os 10.000 motores extra, foram a razão pela qual a Ford também optou por desenvolver um quatro portas, segunda geração do Sierra RS Cosworth.

    Encontrar uma caixa de velocidades adequada mostrou-se ser mais difícil. A Borg-Warner T-5, também utilizada no Ford Mustang V8 5.0, foi escolhida, mas as rotações mais elevadas do Sierra causaram alguns problemas. Eventualmente a Borg-Warner teve que criar uma linha de produção dedicada para as caixas de velocidades dos Sierra RS Cosworth.

    Em abril de 1983, a equipa de Turner escolheu o Sierra como base para o projecto. O Sierra preenchia os requisitos de tracção traseira e um coeficiente aerodinâmico aceitável.

    A versão de competição também poderia ajudar a melhorar a má reputação, de certa forma injusta, que o Sierra tinha ganho desde o seu laçamento em 1982.

    Lothar Pinske, responsável pelo desenvolvimento da aerodinâmica do carro, pediu carta branca no que dizia respeito ao aspecto. Os testes demonstravam que a carroçaria hatchback do Sierra gerava elevada sustentação aerodinâmica, mesmo a velocidades relativamente baixas. Após extensos testes em túnel de vento e ensaios no circuito de Nardo, em Itália, um protótipo foi apresentado à direcção de projectos. Era baseado na carroçaria de um XR4i com apêndices provisórios em fibra de vidro e alumínio. A aparência do carro causou grande relutância, em particular a enorme asa traseira. Contudo, Pinske insistiu que as modificações eram vitais para tornar o projecto ganhador. A asa traseira era essencial para manter o contato com o solo a 300 km/h, a abertura entre os faróis era necessária para alimentação do ar para o intercooler e as extensões das cavas de roda tinha que estar lá por causa das jantes de 10 polegadas de largura da versão de corrida. Eventualmente, os designers da Ford concordaram em tentar fazer uma versão de produção baseado no protótipo.

    Em 1984, Walter Hayes fez visitas a vários concessionários da Ford na Europa, a fim de examinar o potencial de vendas para o Sierra RS Cosworth. Um dos requisitos para a participação no grupo A era de 5.000 carros construídos e vendidos. O feedback foi deprimente. Os concessionários estimavam que apenas podiam vender cerca de 1.500 unidades.

    No entanto Hayes não desistiu e continuou apaixonadamente com o seu projecto. Quando os protótipos começaram a estar prontos, os concessionários foram convidados para sessões de teste-drive, e isso aumentou o entusiasmo pelo novo modelo. Além disso, a Ford tomou algumas medidas radicais para reduzir o preço do carro. Como exemplo, o carro era oferecido somente em três cores exteriores (preto, branco e azul moonstone) e uma côr de interior (cinza). Também houve apenas duas opções de equipamentos: com ou sem fecho central e vidros eléctricos.

    O Ford Sierra RS Cosworth foi apresentado pela primeira vez ao público no Salão Automóvel de Genebra, em março de 1985, com planos de lançá-lo à venda em Setembro e encerramento da produção dos 5.000 carros no verão de 1986.

    Finalmente o carro correspondeu às expectativas da Ford na pista. A organização do Campeonato do Mundo de Turismos em 1987 veio mesmo a calhar para a Ford. No entanto, pilotos extremamente competitivos da BMW, alguns problemas com caixas de velocidades, entre outras coisas, e apenas 340 CV na primeira versão do Sierra RS Cosworth impediu-o de dominar a primeira metade da temporada. Em agosto de 1987, o Sierra RS500 Cosworth foi homologado. A Ford conquistou a pole position em todas as restantes seis provas, e a vitória em cinco delas.

    Apesar de ganhar o Campeonato do Mundo na pista, perdeu-o na sercretaria em 1988 após vários apelos e recursos por causa da desqualificação numa prova (a James Hardie 1000) por supostas irregularidades nas abas do painel dos guarda lamas dianteiros. Foi uma pílula amarga de engolir para a Ford. Foi-lhes retirado o título aos pilotos Steve Soper e Pierre Dieudonné e entregue ao piloto da BMW Roberto Ravaglia. A equipa Eggenberger Motorsport não obstante, reclama ainda o prémio de equipas.
     
  2. Aquela Asa é de babar qualquer um...
     
  3. Uma foto com autoria do Nuno Andrade.....
     

    Ficheiros Anexados:

  4. Ricardo,obrigado pela partilha.
    É um carro simplesmente lindo!
     
  5. Um Sierra RS Cosworth no seu habitat natural...
     

    Ficheiros Anexados:

  6. Mais uma história interessante...;)
     
  7. A razão pela qual não é possível existir um RS500 de LHD é o colector de admissão com 8 injectores. Não há espaço para a coluna de direcção e bomba de travões...

    Esse carro em particular é conhecido como sendo um dos melhores Sierra RS Cosworth existentes. Foi importado da Alemanha para a Noruega em 2002... e depois restaurado com especificações RS500 pelo proprietário. Ficou pronto em 2006.

    LHD rs500 - PassionFord
     
  8. A dias esta a escrever algumas informações no perfil do forum, e na pergunta do clássico de sonho, não fazia ideia do que responder. Claro, todos gostamos de ferraris, lamborghinis, e marcas do género dos anos 60/70/80 ... mas assim um carro clássico e mais ou menos acessível ... acho que esta Sierra RS Cosworth é sem dúvida um carro que espero um dia ter. Simples, bonito e com muito bom andamento.
     
  9. Para mim é Indiscutivelmente o meu carro de sonho!! Lebro-me perfeitamente da sua apresentação e na altura era um puto ainda muito longe de ter carta condução. tive a sorte de andar num em 1994 em Fafe que era do piloto e navagador de ralis Ricardo na côr preta Lindo Lindo.
     
  10. Boas.

    Excelente post acerca deste fabuloso carro :)

    Sou um dos felizes proprietários de um Ford Sierra Cosworth, na versão 2ª geração, também conhecida por Sapphire Cosworth.

    O exemplar que possuo, cujas fotos e historial podem ser vistos na minha garagem, é o nº91 de uma série limitada a 100 exemplares, comemorativa das varias vitórias consecutivas no BTCC, obtidas pelo mitico piloto Inglês Andy Rouse.

    Ford Sierra RS Cosworth 4x4 304R Andy Rouse - Garagens Jorge Ribeiro - Portal dos Clássicos

    Dos 100 carros previstos para serem produzidos desta série, apenas 67 foram construidos, sendo que os respectivos proprietários podiam escolher á data da compra o numero da unidade que quisessem, no caso do meu exemplar escolheram o nº91. No entanto dessas 67 unidades produzidas, a nº91 foi a unica LHD, todas as restantes eram RHD, pois eram destinadas ao mercado interno do Reino Unido.

    Esta unidade é LHD e sempre foi Nacional, pois foi comprada por um Inglês que residia no Algarve, e que encomendou o carro com esta especificação.

    Esta versão especial homologada pela Ford, traz consigo uma placa de homologação de chassis colocada no pilar B do lado do condutor, assim como uma carta assinada pelo próprio Andy Rousse, que atestam que o carro foi testado e conduzido por ele durante algum tempo, de forma a garantir que tudo estava de acordo com as suas especificações ;)

    Em termos de performances, penso ser o Sierra Cosworth mais potente homologado pela Ford, a seguir ao mitico RS500, com 500 cv's....e esta versão fica-se "apenas" pelos 265Cv's.

    Cumps

    Jorge Ribeiro
     
  11. Boas....
    É na verdade um carro fantástico e lindo.
    Deixo uma foto do meu.
    Cptos
    HC
     

    Ficheiros Anexados:

  12. E aqui fica uma foto do meu... autoria do Nuno Andrade mais uma vez...
     

    Ficheiros Anexados:

    • q.jpg
      q.jpg
      Tamanho:
      83.8 KB
      Visitas:
      38
  13. Agora falando um pouco mais detalhadamente sobre os motores dos Sierra RS Cosworth..

    Como disse anteriormente, eles nasceram do protótipo YAA aspirado e viram a luz do dia como motores de 204cv turboalimentados e designados YBB. Estes são os motores dos Sierra RS Cosworth de 3 portas.

    Entretanto, e aproveitando a maturidade do desenvolvimento em competição, alguns detalhes foram aperfeiçoados, e assim nasceu o motor do Sierra RS500 com 225cv na versão de estrada para homologação, designado YBD.

    Os detalhes homologados foram:

    - Bloco mais espesso, para aguentar pressões de turbo maiores.
    - Um maior turbo - Garret T4
    - Um intercooler maior (ocupa quase toda a frente do carro)
    - Um colector de admissão com 8 injectores de gasolina (apesar de apenas 4 estarem ligados)

    Nos motores do campeonato do mundo de turismos, a potência atingia 540cv, mas a designação do RS500 nasceu mesmo do número mínimo de unidades que era obrigatório construir para ser homologado (assim como os 190E Evo 1 e 2).

    A empresa contratada para a montagem dos RS500 foi a Tickford (da Aston Martin), parceira antiga da Ford a fazer modificações nos seus modelos.

    As diferenças externas dos RS500 são:

    - Spolier por baixo do pára-choques dianteiro
    - Abertura suplementar por baixo da grelha para entrada de ar no intercooler
    - Segunda asa na tampa da mala, por baixo da original
    - Lábio da asa original mais pronunciado
    - Alguns emblemas discretos

    Em 1988 e 1989, para a primeira geração dos Cosworth 4 portas (Sapphire), os restos dos motores YBB foram utilizados, mas depois na versão 4x4 um novo motor surgiu, inclusivamente com melhorias do RS500, e era designado por YBJ (sem catalizador) e a versão ecológica YBG (green- tampa valvulas verde)

    Finalmente, em 1995 foi lançada a versão YBT no Escort Cosworth 4x4 com turbo T34, que posteriomente foi substituido pelo mais pequeno T25 de forma a reduzir o atrado de entrada do mesmo.

    Abraço,
    R
     
  14. O RS500 não têm 500cv... Antes tivesse.
     
  15. Desculpe, mas os RS500 que corriam no BTCC tinham 500 cv's, era a esses que eu me referia e não aos RS500 "civis" que existiram.

    Cumps

    JR
     
  16. Adoro os modelos de 3 portas, principalmente em branco, são lindos !

    Parabéns pela sua máquina.

    JR
     
  17. Um detalhe interessante para quem gosta da marca.

    A Cosworth foi fundada em 1958 por Mike Costin e Keith Duckworth, resultando daí o nome da mesma empresa (COStin e duckWORTH)
     
  18. E quem quiser aprender a pronunciar, o JC ensina:

    YouTube - Clarkson's Car Years - Ford Escort RS Cosworth Buttertub's

    :D
     
Código de Verificação:
Rascunho Salvo Rascunho removido

Partilhar Página