Bem-vindo/a ao Portal Classicos

O Portal dos Clássicos é um sítio português dedicado aos veículos clássicos com interesse histórico. Temos como objectivos juntar a comunidade de entusiastas e prestar auxílio a todos os que pretendem adquirir, restaurar, conservar e manter veículos antigos. O que espera para se juntar à família?

Welcome to Portal Classicos, the biggest Portuguese community about historic vehicles! Change language here.

  1. Este site utiliza cookies. Ao continuar você estará de acordo com a nossa utilização de cookies. Saber Mais.
  2. Portalistas, o Portal dos Clássicos está no no Drivetribe, a rede social automotiva do trio May-Clarkson-Hammond! Junte-se à nossa Tribo
    Fechar Aviso

Em quanto ficou ou esperam que vá ficar...?

Tópico em 'O nosso hobby: Clássicos' iniciado por Duarte Monteiro, 20 Mai 2015.

Tópico em 'O nosso hobby: Clássicos' iniciado por Duarte Monteiro, 20 Mai 2015.

  1. Tal como muitos de vós, tenho interesse em automóveis antigos e, se possível, recuperar e restaurar algum que, pelas mais variadas razões, nos encha o coração.
    Avançar para restauro sem fazer contas, já percebi que dá asneira. Inicia-se a obra, depois começam as dificuldades e surpresas, vem o esmorecimento e o mais certo é desistir de tudo. Pelo meio vem o arrependimento e o chorar pelo tempo e dinheiro já investido.
    Tenho visto alguns restauros (dizem que de A a Z) em que a partir de um chaço notoriamente abandonado aos anos, se consegue fazer renascer um carro tão ou mais bonito e funcional que em novo! Ora isso custa dinheiro!
    Mesmo que a mão de obra não seja contabilizada (porque o pai tem uma oficina, ou porque se percebe de chapa e mecânica...) há outros custos associados.
    Dá vossa experiência e tendo por base o estado em que iniciaram o restauro (viatura mesmo podre, viatura em mau estado mas recuperável, razoável mas com problemas ou viatura a funcionar mas a beneficiar de um facelift) quando é que já gastaram ou quanto é que estimam vir a gastar até atingirem os vossos objectivos?
     
  2. Olá Duarte,
    A pergunta que faz é praticamente impossível de responder.
    1. Tudo depende da marca, modelo e ano do carro
    2. Depende do estado inicial do carro
    3. Depende do estado final que se pretende
      1. Original ou alterado
      2. Estado de concurso ou o suficiente para andar

    Como deve compreender são demasiadas variáveis para que se possa chegar a um número mágico.

    O que lhe posso dizer é, escolha o carro e tenha um intervalo de valores até onde pode ir e parta dai.
     
    Abílio Teixeira Gomes gostou disto.
  3. Um Fiat 128 para ficar perfeito +/- 10 mil € :)

    Os outros não sei. :)
     
  4. Olá! Esse valor é tendo como base um carro em mau estado, a precisar de restauro profundo, presumo...
     
  5. Olá! Estive a ler sua saga com o Taunus. O que parecia ser uma coisa simples e de fácil recuperação - e relativamente barata - afinal há sempre uns petit-rien a atrapalhar...
     
  6. Exactamente! Para já ainda estou dentro do budget mas quase quase a rebentar. Mas agora quero e conseguir colocar o carro a rolar e tirar partido dele. Depois o resto virá com o tempo e paixão :)
     
    Jose Manuel S Lopes gostou disto.
  7. Ah sim, já me esquecia o vendedor na altura disse que isto com 300 euros e o carro estava a rolar... Pois bem já vai no dobro do que paguei por ele...
     
    Jose Manuel S Lopes gostou disto.
  8. Pelo conhecimento dos preços que se praticam e tendo só atenção á chapa e pintura para ficar em excelente estado atiro uns valores para o ar :ph34r:

    - viatura mesmo podre: 6 mil até aos.......o_O :oo
    - viatura em mau estado mas recuperável: 4 mil até aos 10 mil??
    - razoável mas com problemas: 2 mil aos 5 mil.
    - viatura a funcionar mas a necessitar de um facelift: 1 mil aos 3 mil €.

    A acrescentar a isto falta a parte mecânica....a parte elétrica ....o estofamento....
     
  9. ...a cromagem, o sistema de escape, os pneus...a legalização... ;)
     
    Manuel Pimentel gostou disto.
  10. Continuem, estou a somar valores...
     
    Abílio Teixeira Gomes gostou disto.
  11. Pois, como já foi dito isto depende de muitas variáveis.
    Há que ter também em conta se o carro (enquanto clássico) é mais ou menos comum, se há muita oferta de peças, se as mesmas estão disponíveis no nosso mercado, se existem outros custos associados (transporte, impostos, alfândegas, etc.).
    Também é preciso considerar quem vai fazer a intervenção. Para o mesmo trabalho já me cobraram valores totalmente distintos, sendo que em alguns casos a diferença era mais do dobro.
     
  12. Morris 1300 de 1970. Custou €400,00, já vai em €7.000,00 e aínda não está pronto, embora já role possa ser utilizado.
     
    Jose Manuel S Lopes gostou disto.
  13. ´Ter um clássico é uma espécie de poço sem fundo....agora é isto depois aquilo e mais outra coisa....é só somar €€€, mas ao disfrutar o mesmo tudo se esquece....pelo menos quando o vamos a conduzir...
     
  14. A nível de valores, não vou acrescentar muito ao que já foi dito, mas cá vai.

    No meu Fiat 1500 C deixei de fazer contas. Vai acima dos 3500 e ainda falta um pedaço. É um restauro total. É preciso dizer que a desmontagem e decapagem foram caseiras e "de borla" e que na mecânica só entra o custo das peças porque a mão de obra foi pura carolice de um grande amigo.

    O Fiat Panda não conta porque está na família desde novo.

    O exemplo melhor cá em casa é o Fiat 1500 do meu pai. Comprou-o em muito bom estado e passou na IPO sem lhe fazer quase nada.
    Decidiu fazer uma revisão e reparar uns pontos de chapa para evitar problemas futuros. Nestas reparações o custo total andou perto dos 2500€.

    Se vais iniciar-te neste mundo, compra um carro em bom estado, desfruta dele e vai reparando aos poucos o que for preciso sem parar o carro por muito tempo.
    Nos Diários de Bordo tens bons exemplos disso como o Datsun 1200 do Paulo Oliveira, o Fiat 1500 do meu pai, a BMW 318i Touring do Paulo Sérgio Carvalho, etc..
     
    Abílio Teixeira Gomes gostou disto.
  15. Olá Duarte,

    Acho que já é muito bom sinal abrires este tópico e expôr estas questões ao pessoal....

    No entanto é uma questão muito complexa pois existem inúmeras variaveis....

    Os valores aqui "atirados" correspondem bem à realidade, mas como podes ver, há sempre quem consiga fazer um pouco mais barato, porque tem um amigo que te faz isto e aquilo, e depois outro com umas minis e tal :) .... faz-se aquilo ....

    A componente de ter uma boa garagem em casa e ser bricolas joga o seu role também...

    Mas se é o teu primeiro classico, aconselho-te a comprar em bom estado e a andar, mesmo que seja mais caro-te, até que pelo preço de um bom restauro já compras uma boa maquina...

    Vais disfrutando dele e arranjando aos poucos, permitindo-te adquirir conhecimentos neste meio, um restauro não é tudo rosas e leva muita vezes a desistir....

    Trata-se apenas da minha opinião e só tu podes decidir...

    Cumps
     
    José de Sá gostou disto.
  16. O que o João disse serviu-me a mim que nem uma luva... quando o bicho dos clássicos apertou demais a minha solução foi comprar um carro a rolar, a um preço bom por ter algumas coisas a fazer/em falta.

    Assim estou a usufruir dele e a matar o bicho de poder ter e andar no meu clássico! Tenho andado a fazer alguns trabalhos ligeiros que posso fazer sem o parar e assim vou tendo o melhor dos dois mundos.

    Mas claro, já vi que algumas coisas vão requerer mais tempo e portanto vou ter o parar por alguns períodos, mas nada como o que levaria para fazer um restauro fundo. Quem sabe um dia.

    Portanto para mim também te aconselho a optar ou por um razoável mas com problemas ou por um a funcionar mas a necessitar de um facelift.

    Depois vais ganhando experiência e contactos no meio e vai ser muito mais fácil fazer um restauro profundo, quer seja no que compres ou noutro que invistas depois!

    Valores? "Sky is the limit" B):thumbs up:

    *Edit* O Bruno também disse no mesmo sentido, portanto também estou de acordo com ele... hehehe
     
    Bruno Coelho e José de Sá gostaram disto.
  17. Está aqui a receita perfeita. :)
     
    Bruno Coelho e José de Sá gostaram disto.
  18. Um restauro profundo de um restauro normal não difere muito nos custos. Excepto no bate-chapas ou se eventualmente tiver muito incompleto. :)

    Eu no meu 128 não faço a mínima ideia quanto gastei. Há uns valores que ficaram na cabeça mas os pormenores não estão contabilizados. Gastava muito mas se não tivesse eu feito alguma coisa e podia pagar o dobro que não tinha o carro como eu gosto (original). Claro que se fosse hoje não cometia os erros do 1º restauro e conseguia poupar bastante.

    Comprar um carro restaurado nunca, a precisar de restauro é uma opção. Para começar eu ia sempre por algo a andar mas em muito bom estado de conservação, mesmo que mais recente até.
     
  19. Eu estive um mês com o carro parado quando lhe troquei o motor, já estava a entrar em ressaca, imagino quem tem o carro meses ou anos parado a ser recuperado. -_-

    Como disse o João Bento, comprar um carro restaurado não tem piada porque não tens nada a fazer-lhe, não aprendes, o carro no fim não fica com um toque teu.
    Em muito mau estado também não convém por razões óbvias.
    Como aí disseram o melhor é mesmo algo com algumas necessidades mas que esteja a circular sem problemas. Coisas que se vão resolvendo com o tempo, sem parar o carro até à eternidade.
    O meu precisa de um arranjo de chapa, mas já vai um ano e meio a rolar e eu adio sempre. Felizmente posso adiar isso e ir andando com ele :)
     
    afonsopatrao gostou disto.
  20. Obrigado pelas vossas respostas!
    De facto e apesar de ter dois carros relativamente antigos em casa, não me sinto habilitado nem capaz de agarrar, mesmo que seja no que está em melhor estado, e iniciar o restauro. Percebo que seja necessário algum percurso anterior e experiências antes de me aventurar nesses trabalho. Ando a "namorar" (e a expressão não é desajustada...) um Opel Kadett B L, de 70. Não é um carro consensualmente bonito ( mas a mim agrada-me...), circula com regularidade, está completo, tem IPO e está bem estimado. Pintura é a de origem, tal como bancos e estofos/forros interiores. Mossas e danos na chaparia não são visiveis Já andei a espreitar por baixo e não encontrei cancros. Cromados em bom estado, com um ou outro ponto castanho, mas sem manchas de ferrugem.
    Começamos as negociações nos 2.000, já vamos em 1.300 e oferta de uns extras (2 farois, 4 farolins, bomba de água, tampões das rodas, 2 pneus e mais umas coisas, por exemplo um leitor de cartuchos da National com colunas !
    A pintura terá de ser nova, naturalmente. Tem risco e nalgumas partes está comida pelo sol. Os bancos estão em bom estado sem cortes (abençoada mania de outrora em que se punham capas...) e os forros (tejadilho, portas, piso), não estando danificados, estão envelhecidos. Fazendo contas olho e caso não apareçam surpresas, devo contar com outros 1.500....?
     
    afonsopatrao gostou disto.
Código de Verificação:
Rascunho Salvo Rascunho removido

Partilhar Página