Bem-vindo/a ao Portal Classicos

O Portal dos Clássicos é um sítio português dedicado aos veículos clássicos com interesse histórico. Temos como objectivos juntar a comunidade de entusiastas e prestar auxílio a todos os que pretendem adquirir, restaurar, conservar e manter veículos antigos. O que espera para se juntar à família?

Welcome to Portal Classicos, the biggest Portuguese community about historic vehicles! Change language here.

  1. Este site utiliza cookies. Ao continuar você estará de acordo com a nossa utilização de cookies. Saber Mais.
  2. Portalistas, o Portal dos Clássicos está no no Drivetribe, a rede social automotiva do trio May-Clarkson-Hammond! Junte-se à nossa Tribo
    Fechar Aviso

Desfile de eléctricos antigos do Museu da Carris - Domingo, 18 de Maio

Tópico em 'O nosso hobby: Clássicos' iniciado por Jorge Faustino, 15 Mai 2008.

Tópico em 'O nosso hobby: Clássicos' iniciado por Jorge Faustino, 15 Mai 2008.

  1. O meu amigo Pedro Barreto, tambem membro aqui do portal, mandou esta indicação para o RWDclassics, como acho o assunto deveras interessante deixo aqui a transcrição do texto que ele elaborou a este propósito, assim como as fotografias

    "Caríssimos,

    Apesar deste assunto ser "lateral" ao foro do RWDclassics, julgo que poderá ser do interesse de alguns membros, com quem já tive o prazer de conversar sobre os eléctricos da Carris, para poderem participar nesta oportunidade ainda pouco divulgada.

    Recebi um e-mail da Carris que informa o seguinte:

    Cortejo de eléctricos do Museu da Carris

    O Museu da Carris foi integrado nas comemorações do Dia Internacional dos Museus com a participação num cortejo dos eléctricos do Museu, a realizar no dia 18 de Maio, e que terminará no Museu da Carris, na Estação de Santo Amaro.

    Este cortejo percorrerá Santo Amaro – Praça da Figueira – Santo Amaro, às 10h00 e às 16h00, e terá a duração de 2 horas.

    A participação/entrada nos eléctricos do cortejo é gratuita.

    Entretanto já soube também que, entre os períodos dos cortejos (entre o meio-dia e as 4 da tarde), os seis eléctricos protagonistas irão efectuar viagens entre a Estação de Santo Amaro e Belém, integrados na carreira 15 igualmente com acesso gratuito. Trata-se de carros eléctricos que actualmente quase não saem à rua, sendo uma rara oportunidade de os poder apreciar em acção, à luz do dia.

    São seis os venerandos eléctricos que vão participar neste evento no próximo Domingo, dos quais faço uma apresentação de seguida já que a informação disponível no site www.carris.pt é escassa ou inexistente:

    O 444, eléctrico ligeiro de carroçaria fechada e plataformas abertas entrado ao serviço no dia da inauguração da tracção eléctrica em Lisboa, a 31 de Agosto de 1901 (série 400 - 474). Esteve em serviço até 1973, passando a ser o "expositor" da Carris na FIL durante alguns anos, até ter sido reservado para integrar a frota do Museu. Foi restaurado em 1999 com o aspecto que apresentava originalmente. É conhecido por "São Luís" devido à cidade de Saint Louis, nos EUA, onde se localizava a fábrica do seu construtor "Saint Louis Car Company".

    O 283, que é o primeiro de uma série de 40 eléctricos grandes de caixa aberta (283 - 322), conhecidos no início do século XX pelo epíteto de "Almanjarras" e tem uma história muito particular... Entrou em serviço em Março de 1902 e circulou nas grandes carreiras para o Lumiar, Benfica, Carnide, Algés, Poço do Bispo, etc.até Agosto de 1955, quando toda a série destes carros foi abatida ao serviço. Passou a fazer instrução de guarda-freios até 1961, ano em que foi colocado no Parque Infantil do Alvito, em Monsanto, onde "sobreviveu" às crincinhas durante 20 anos. Em 1981, a Carris foi buscá-lo, tendo sido restaurado em 1984 / 1986, ano em que voltou a circular, fazendo serviços de carácter turístico até 1992. Desde então, foi integrado na frota do Museu, sendo o que é mais frequentemente requisitado para passeios, alugueres e outros eventos.

    O 330, eléctrico "salão" de carroçaria fechada de uma série de 20 (323 - 342), que entrou ao serviço em Março / Abril de 1906. Foi o único que permaneceu até ao fim com uma particular característica: o leito (chão) em madeira, enquanto que todos os outros 19 receberam leitos metálicos entre 1959 e 1961. Foi retirado do serviço em finais dos anos 80, enqunato que os restantes 19 foram automatizados e circularam até Janeiro de 1996 (90 anos de serviço!!!). Foi restaurado em 1994 com as características o mais proximo possivel das originais, passando a integrar a frota do Museu. O meu é o primeiro desta série de "salões de 2 motores", o 323.

    O 535, eléctrico ligeiro construído pela Carris nas suas oficinas em 1929 com material eléctrico e mecânico proveniente da Inglaterra, cuja carroçaria foi protótipo dos actuais eléctricos das colinas, pertenceu a uma série de 20 (532 - 551). Passou parte da sua vida a rebocar atrelados mas nos últimos anos fazia serviço nas colinas. Saíu de serviço em Dezembro de 1990, quando terminou a automatização da frota, onde não foi incluído. Foi restaurado em 1998, incorporando a frota do Museu.

    O 802, eléctrico "salão" fechado construido pela Carris nas suas oficinas em 1939, o segundo da série 801 - 805 com 4 motores de 45 HP (não foram construídos mais devido à II Guerra Mundial, que impediu o fornecimento das partes electricas e mecânicas provenientes da Inglaterra); Foi um dos eléctricos mais potentes (mas também mais pesados) da rede lisboeta, circulando maioritariamente, por esse motivo, na linha marginal entre a P. Comércio e a Cruz Quebrada / Estádio Nacional. A dada altura da sua vida, trocou de n.º com o 801, coisa que só mais tarde foi descoberta durante o seu restauro em 1991 /92, meia dúzia de anos depois de ter saído de serviço, que lhe devolveu as características originais assim como o seu número.

    Finalmente, o 2. Trata-se de um dos "São Luis", o antigo 435, que foi "transformado" para turismo em 1965, passando a ostentar a cor vermelha com decalcomanias e bancos forrados a veludo. Nos 30 anos seguintes efectuou inúmeros alugueres e, entre 1989 e 1995, o "circuito das Colinas". Desde 1999, alterna com o 1 (o outro "São Luis" - ex 437 - que foi alvo do mesmo tratamento em 1965) o transporte dos visitantes do Museu da Carris, num pequeno percurso no interior da Estação de Santo Amaro.

    Segundo consegui saber, há ainda um sétimo eléctrico "de reserva" para o caso de alguma substituição de última hora.

    É o 508, que é "apenas" o primeiro eléctrico da primeira série de eléctricos (508 - 531) integralmente construídos nas oficinas de Santo Amaro entre 1924 e 1926. Esteve em serviço até 1980, tendo sido objecto de restauro em 1990, passando a fazer ocasionalmente o "Circuito das Colinas" a par do 1 e do 2 até 1995 e alugueres até ter sido incorporado na frota do Museu. Tendo passado os últimos 3 anos em exposição estática "à chuva e ao sol" na Estação de Miraflores, num pedestal, regressou há alguns meses a Santo Amaro, onde foi objecto de algumas reparações que o puseram de novo operacional.

    Anexo algumas fotografias destes eléctricos que tirei no dia em que a Carris celebrou o centenário da tracção eléctrica em Lisboa - 31 de Agosto de 2001 - e no âmbito do seu 128º aniversário - 22/9/2001.

    Saudações RWDclássicas
    Pedro Moniz Barreto"

    pois é o P. Barreto para alem de 02 é um grande entusiasta dos nossos eléctricos, de tal modo que tem um só dele e bem guardado ;)
    ops... não sei se devia ter contado isto... mas já está. ;)
     

    Ficheiros Anexados:

  2. Obrigado pela divulgação! Eu também sou um "apanhado" pelos caminhos de ferro Carris, Cp...ou seja depois do encontro mensal do portal não posso perder uma viagem dessas ainda por cima à "borliu":feliz:

    O quê o nosso amigo tem um electrico no quintal??? era o meu sonho... e estiveram a venda muitos a partir dos cem mil escudos, com e sem motor, ele que post aqui a foto para o pessoal ver.
    Abraço!;)
     
  3. Bons belos tempos e muito ecológicos.
     
  4. Belos eléctricos!!:D

    Nunca andei em nenhum:( porque nunca houve por estes lados, mas há-de vir a oportunidade:D...

    Sei de 2 eléctricos abandonados em Fátima, não sei como, mas estão lá.:rolleyes..
     
  5. Jaafa, andei muitos anos com carros desses no (28) mas depois fartei-me e vendi-os ? Mas já estou arrependido porque eram mais económicos que os de hoje . Uma pessoa agora mete 100€ de gasoil e não anda nada.
    Antigamente comprava o passe por 300 paus e fartava-me de andar, a malta agora só quer cú tremido?

    Um abraço!
    CR.
     
Código de Verificação:
Rascunho Salvo Rascunho removido

Partilhar Página