Bem-vindo/a ao Portal Classicos

O Portal dos Clássicos é um sítio português dedicado aos veículos clássicos com interesse histórico. Temos como objectivos juntar a comunidade de entusiastas e prestar auxílio a todos os que pretendem adquirir, restaurar, conservar e manter veículos antigos. O que espera para se juntar à família?

Welcome to Portal Classicos, the biggest Portuguese community about historic vehicles! Change language here.

  1. Este site utiliza cookies. Ao continuar você estará de acordo com a nossa utilização de cookies. Saber Mais.
  2. Portalistas, o Portal dos Clássicos está no no Drivetribe, a rede social automotiva do trio May-Clarkson-Hammond! Junte-se à nossa Tribo
    Fechar Aviso

Clube Carocha da Madeira - Visita ao Centro de Vulcanologia - 25 Abril 2010

Tópico em 'Clubes e Eventos' iniciado por Marco Pestana, 26 Abr 2010.

Tópico em 'Clubes e Eventos' iniciado por Marco Pestana, 26 Abr 2010.

  1. Fotos : Marco Pestana

    Caros Carochistas,

    No próximo dia 25 de Abril vamos organizar o 1º evento deste ano, desta vez iremos fazer uma visita às Grutas de S. Vicente (Centro de Vulcanologia).

    Almoçaremos no caminho Estalagem da Encumeada, com a ementa conforme documento anexo.

    Após o almoço dsceremos às Grutas de S. Vicente, conforme anúncio junto.

    Na próxima semana saberemos se os nossos afilhados nos acompanharão.

    Cumprimentos carochistas.

    Até breve.



    Pela Direcção

    Manuel Rosa
    Um abraço do meio do Atlântico


    ----------

    Clube Carocha da Madeira - 25 de Abril - Passeio ao centro de Vulcanologia da Madeira - São Vicente ! Num belo dia de Sol !


    HUGO bOSS em Segunda Abr 26, 2010 9:25 am

    Realmente foi um excelente dia...
    Todos os ingredientes estavam reunidos:
    - Dia de Verão
    - VWs a Ar
    - Malta excelente
    - Boa disposição
    - Os nossos Afilhados...

    Foram 22 os veículos presentes, tendo estando presentes no almoço apenas 21 e com grande variedade... a saber:

    1 - 181
    1 - Type 2 Split Double Cab
    1 - Type 2 Baywindow
    1 - Type 3 Squareback
    1 - Type 3 Fastback
    1 - Buggy
    1 - 1303S Fuel Injection Cabriolet (original)
    1 - 1302S Cabriolet (original)
    1 - Oval Ragtop
    1 - 1200 Ragtop (57-60)
    1 - 1200 STD (1971)
    1 - 1200 1965
    2 - 1200 (61-64)
    2 - 1500 Fusca
    2 - 1302S
    1 - 1300 Cabriolet
    2 - 1300 (67-73)
    1 - 1302

    Foi um leque variado de modelos e de cores que em muito alegraram as nossas estradas, onde podemos igualmente constatar as "cicatrizes" que ainda existem nas zonas que passamos, devido à acção da "Mãe Natureza"... com grande destaque para as estreias que o Marco já mencionou, que esperemos que estejam presentes no "Dia Mundial do Carocha" para serem apreciadas em detalhe.

    A GRANDE ESTREIA DO DIA !

    A LIIIIIIIIIIIIIIINNNNNNNNDDDDDDDDAAAAAAAA Typ 2 de 1962 do amigo Pablito.

    Tem a particularidade de estar a gosto do seu dono, que 90% do restauro passou-lhe literalmente pelas mãos !

    Parabéns ao " Pablito ", que após anos e anos de horas vagas aplicadas no seu restauro, " salvou " literalmente esta preciosidade madeirense!

    DSC07175.jpg


    Outro VW Typ 1 Sunroof muito bonito !

    DSC07162.jpg

    Descer a montanha até são Vicente, é meus amigos, uma experiência fantástica renovada em cada dia especial, com sol, mesmo para nós Madeirenses!


    VW Typ 1 entre a natureza e montanhas majestosas, tão belas quão perigosas...Por vezes!...

    Outra estreia do dia , o Carocha azul em primeiro plano . Muito bonito ( ou não seja azul !
     

    Ficheiros Anexados:

  2. Muito bom, os meus parabéns!

    Esperemos que todos vós que participaram possam nos acompanhar no dia 11 de Julho no 2º encontro madeirense portal dos clássicos.

    Podemos dizer que qualquer uma das "vistas" são extraordinárias...

    Um abraço
     
  3. Outra como nova...
    DSC07173.jpg
    DSC07175-1.jpg
    DSC07176.jpg

    DSC07180.jpg
    DSC07181.jpg
    DSC07185.jpg
    DSC07188.jpg
    DSC07192.jpg
    DSC07194.jpg
    DSC07196.jpg
    DSC07201.jpg


    A paisagem a partir das porta-janela do restaurante...
    DSC07214.jpg
    DSC07221.jpg
    DSC07222.jpg

    DSC07223.jpg

    Na direcção correcta...
    DSC07236.jpg
    DSC07226.jpg
    DSC07237.jpg
    DSC07239.jpg

    DSC07240-1.jpg

    DSC07241.jpg
    DSC07242.jpg
    DSC07243.jpg

    DSC07244.jpg
    DSC07245.jpg

    DSC07246.jpg

    DSC07247.jpg
    DSC07250.jpg
    DSC07251.jpg
     

    Ficheiros Anexados:

  4. Descubram as diferenças ...
     
  5. Depois do Almoço...

    Ala que é tarde ! Em direcção ao Concelho de São Vicente , e para visitar o centro de Vulcanismo da Madeira...


    DSC07261.jpg

    Podem ter uma ideia geral do bonito e interessante centro, onde além da visita propriamente dita às grutas de origem vulcânica, que traduzem a génese violenta e vulcânica da Ilha da Madeira, possui um interessante espaço de exposição e de projecção de vídeo 3D sobre essa mesma origem.

    centro1.jpg
    centro95.jpg
    centro93.jpg

    Muito interessante num passeio familiar. Visitando as grutas, desfrutando dos jardins em redor, e instalações de lazer, e ainda do centro de vulcanismo.

    Grutas e Centro do Vulcanismo de São Vicente

    As grutas ( pormenor )

    grutas992.jpg
    grutas97.jpg
    grutas96.jpg
    grutas98.jpg



    A " galeria " do espaço e das grutas :

    Grutas e Centro do Vulcanismo de São Vicente



    "O Centro do Vulcanismo

    está localizado junto às Grutas de São Vicente, na falésia do lado oposto à Ribeira de São Vicente numa encantadora Vila da Costa Norte da Madeira, no fundo do vale, onde se iniciou a formação da Ilha. Alia a cultura e o conhecimento ao lazer e à animação, num pavilhão que permite que os cerca de 90 visitantes possam assistir, de uma forma pedagógica e lúdica, aos espectáculos audiovisuais que fazem a recriação da evolução geológica das grutas, à erupção dum vulcão e ainda à simulação do nascimento do Arquipélago da Madeira. Este espaço pretende, assim, complementar a visita às Grutas, explicando-as enquanto exemplo de formação geológica da Madeira, e difundir informação técnica e científica enquanto centro agregador deste conhecimento. O Jardim com predominância das plantas endémicas, percorrido por uma série de percursos pedonais, onde os elementos florestais e os cursos de água se compatibilizam em harmonia, procuram fazer uma homenagem à água e à vida.

    Visita ao Pavilhão do Centro de Vulcanismo

    Constituído por 3 salas e um elevador simulador, tem capacidade para cerca de 90 pessoas em simultâneo, com uma dimensão de 12 metros de comprimento por 7 metros de altura e 10 de largura.

    Na primeira sala do Pavilhão – Os Vulcões os Dragões da Terra, encontra-se uma exposição composta por painéis ilustrativos e informativos, tendo em vista a divulgação e valorização dos processos geológicos, dos célebres da vulcanologia, dos tipos de erupções vulcânicas, da localização mundial da actividade vulcânica através de um mapa mundo, dos mitos, das crenças, do poder de criação e destruição de um vulcão.

    Em relação ao célebres da vulcanologia, Gaspar Frutuoso foi considerado um dos primeiros vulcanólogos do mundo civilizado no século XVI, já no século XX, foram Zbyzewski, José Agostinho, Mendonça Dias, etc. No entanto, os vulcões sempre fascinaram os grandes filósofos gregos, como Heraclito, Pitágoras, Platão, Aristóteles, Empédocles e Plínio, sendo estes considerados os Pais da Vulcanologia. O jesuíta alemão Kircher, Déodat de Gratet de Dolomieu e Lord Hamilton, foram considerados os percursores da Vulcanologia no século XVIII e o vulcanólogo Francês Alfred Lacroix no século XX, por ter investigado a erupção na Montanha Pelada, em Martinica, que provocou uma “nuvem ardente” devastadora. Saber sobre os vulcanólogos Contemporâneos (Haroun Tazzief e o casal francês Maurice e Katia Krafft) é também possível nesta sala.

    A constituição e os tipos de erupções vulcânicas como seja o Havaiana, Stromboliana, Pliniana e Vulcaniana; os vulcões como fontes de vida, as erupções históricas (Pompeia em vinte e quatro de Agosto de 1979, Pinatubo nas Filipinas em quinze de Junho de 1991, entre outras); o poder de criação e destruição que têm os vulcões; os benefícios para o homem a nível da saúde (fontes termais) e como fonte de energia (Central da Ribeira Grande em São Miguel); na produção de geoprodutos (enxofre, bórax, rochas ígneas e pedras preciosas como o diamante, quartzo, feldspato e ao olivina) e o fenómeno do Vulcão dos Capelinhos na Ilha do Faial, a 27 de Setembro de 1957, são temas que estão muito bem evidenciados nesta sala. Sala esta que desvenda e permite ver de perto toda a actividade vulcânica mundial representada num mapa mundo. A mitologia e as crenças destes fenómenos são também temas que não faltam nesta visita como seja a Hekla considerada a Porta dos Infernos na Islândia; o Hefesto, Deus do Fogo na Grécia; O Pele, a Deusa do Fogo no Havai; o Lengai, o Dono da Vida e da Morte na África; o Castigo de Bromo na Indonésia e o Fujiama, o Protector no Japão. Ver e conhecer de perto o material projecto por um vulcão é também possível nesta sala, com a exposição de cinzas, lapilli, pedra-pomes, lava encordoada, disjunção colunar, obsidiana, etc.

    Saber sobre a Origem e a Evolução do Sistema Solar e da Terra, só é possível se atravessarmos o Túnel do Tempo situado no Pavilhão, onde explica todo este processo ocorrido há cerca de 4550 milhões de anos. Este Túnel leva-nos a uma segunda sala onde a Origem e a Evolução do Arquipélago da Madeira está particularmente bem evidenciado, onde proporciona a realização de um espectáculo audiovisual com duração de 10 minutos, que, de uma forma pedagógica e lúdica, explica a forma do nascimento da Terra, nomeadamente das Ilhas da Madeira, Porto Santo, Desertas e Selvagens, resultantes da recriação de erupções vulcânicas. O espectáculo pretende ser complementar à visita das Grutas, explicando-as enquanto exemplo da geologia da Madeira.

    centro92.jpg

    O longo processo evolutivo, que deu lugar à extraordinária variedade de seres vivos que constituem a flora e a fauna madeirense que hoje povoam, reforça o atractivo natural e o valor ecológico desta Terra é demonstrado através de painéis devidamente elaborados ao pormenor, onde é possível observar as jóias nativas, como o Pombo trocaz (Columba trocaz H.), o Bis-bis (Regulus ignicapillus madeirensis H.), o Tentilão (Fringilla coelebs madeirensis S.), a lesma (Phaenacolimax madeirovitrina ruivensis), um molusco gastrópode terrestre que usa a sua língua serrada para cortar os alimentos, a lagartixa (Lacerta dugesii M.) e ainda espécies endémicas de insectos caracterizam um ecossistema insular atípico e por isso ainda mais interessante. Em relação à flora, apenas estão expostas as árvores predominantes da Laurissilva como, o Loureiro (Laurus azorica S.), o Til (Ocotea foetens Ait.), o Vinhático (Persea indica L.) e o Barbusano (Appollonias barbujana ssp. barbujana Cav.). Em suma, não é só um tesouro natural de grande valor ecológico, mas também um belo e surpreendente mosaico onde a vida adopta formas que não se encontram em nenhum outro lugar do mundo e a sua importância económica-social, quer no regime hidrológico da Ilha, quer na sua valorização paisagística, já tiveram reconhecimento internacional, de que resultam as honrosas classificações de Reserva Biogenética do Conselho da Europa em 1992 e de Património Mundial Natural sob a égide UNESCO em 1999.



    Conhecer ao pormenor e ver de perto as magníficas paisagens do Vale de São Vicente que proporcionam um vista esplendorosa sobre o mar e sobre terra, descobrir onde se encontram as mais antigas formações da ilha (sítio dos Lameiros), que emergiram há mais de 5 milhões de anos é agora possível através de uma maqueta (1/2400) do Vale de São Vicente presente no Centro de Vulcanismo.

    A terceira sala do Pavilhão permite-nos conhecer a enorme riqueza natural do Arquipélago da Madeira, que só é comparável à sua beleza - as Reservas Naturais da Ilha da Madeira como seja, a Reserva Natural das Ilhas Desertas, a Reserva Natural das Ilhas Selvagens, a Reserva Natural do Garajau, a Reserva Natural da Rocha do Navio e a Floresta Laurissilva estão muito bem conseguidas através de uma projecção audiovisual, cujo objectivo é aprender, conhecer e preservá-las.

    Quem nunca desejou descobrir o que está para além da superfície terrestre? Agora é possível dar largas ao espírito aventureiro e ir até onde ninguém se atreveu a ir até hoje e sentir o pulsar das profundezas da Ilha numa fantástica viagem ao interior da Terra. Atingir o núcleo da Terra só é possível através da descida simulada do elevador, que proporciona ao visitante o atravessamento de um tubo de lava incandescente. Chegado ao núcleo da Terra, constituído essencialmente por ferro, níquel e alguns sulfuretos, é possível verificar as diferentes reacções que o constituem através de um jogo de espelhos. Todo este percurso pretende simular uma distância de 3000 Km, que pretende caracterizar as diferentes unidades terrestres: a Crosta (superfície da Terra), o Manto e o Núcleo.

    A visita ao Pavilhão de Vulcanismo termina com uma projecção audiovisual muito bem concebida, onde estão recriados todos os passos necessários para o entendimento das próprias Grutas. A recriação desta espectacular e moderna projecção contempla os seguintes momentos: o Big Bang; a Formação do Universo; a Formação da Terra; os Oceanos; os Vulcões; a Ilha; a Água; os Seres Vivos, a Vida e a Madeira de hoje.

    A visita ao Centro de Vulcanismo termina com a vista para o grande jardim das plantas endémicas. "
     

    Ficheiros Anexados:

Código de Verificação:
Rascunho Salvo Rascunho removido

Partilhar Página