Bem-vindo/a ao Portal Classicos

O Portal dos Clássicos é um sítio português dedicado aos veículos clássicos com interesse histórico. Temos como objectivos juntar a comunidade de entusiastas e prestar auxílio a todos os que pretendem adquirir, restaurar, conservar e manter veículos antigos. O que espera para se juntar à família?

Welcome to Portal Classicos, the biggest Portuguese community about historic vehicles! Change language here.

  1. Este site utiliza cookies. Ao continuar você estará de acordo com a nossa utilização de cookies. Saber Mais.
  2. Portalistas, o Portal dos Clássicos está no no Drivetribe, a rede social automotiva do trio May-Clarkson-Hammond! Junte-se à nossa Tribo
    Fechar Aviso

"Barra de Manteiga" - Renault 4CV

Tópico em 'O nosso hobby: Clássicos' iniciado por Guilherme Coutinho, 6 Mai 2008.

Tópico em 'O nosso hobby: Clássicos' iniciado por Guilherme Coutinho, 6 Mai 2008.

  1. 1947 | 1961

    O Renault 4CV foi o símbolo do renascimento da Renault, depois da Segunda Guerra Mundial. Este modelo marcou igualmente o início da era dos automatismos na produção, sendo construído à cadência 300 unidades por dia, desde o seu lançamento.


    Muito popular, foi também o primeiro carro da marca a atingir o milhão de unidades montadas e tornou-se, paralelamente, famoso na competição, conseguindo bons resultados em muitos ralis.

    Foi apelidado de "La motte de beurre" - “Barra de Manteiga” em França. Esta alcunha devia-se à cor inicialmente utilizada.

    Também foi apelidado de "Joaninha" e de "Rabo quente"
     
  2. Com muito segredo, durante a Segunda Guerra Mundial, era desenvolvido o projecto de um pequeno automóvel no interior da fábrica da Renault, nos arredores de Paris. Desde 26 de Junho de 1940, a fábrica de Boulogne Billancourt estava sob o comando dos alemães na França ocupada. E lá não se fabricavam automóveis: eram feitos tanques, caminhões e jipes de guerra.

    Os engenheiros Fernand Picard, Charles-Edmond Serre e Jean-Auguste Riolfo pensavam num
    carro pequeno, barato e muito económico para se adaptar à nova conjuntura económica que se estabeleceria numa economia aniquilada pela guerra. Três protótipos foram construídos inspirados no modelo KdF apresentado pela Volkswagen em 1939. Era pequeno e com motor traseiro.

    Em outubro de 1944 morria o fundador Louis Renault, aos 67 anos. Em seu lugar era nomeado
    Pierre Lefaucheux como presidente da Renault, que viria a se tornar uma estatal. Aos poucos, as actividades industriais iam-se retomando. Lançado em 1937, o modelo Juvaquatre, já envelhecido, era o único carro comercializado em 1946 pela empresa do losango.

    Finalmente, em Setembro de 1946, o pequeno carro da retomada da Renault era apresentado. Só no final de 1947, porém, é que o Renault 4CV deixava as linhas de produção para ser vendido.

    Todos na cor amarelo-areia, que era usada nos veículos militares e estava com um stock altíssimo de tinta.

    O carrinho de linhas arredondadas tinha quatro portas, sendo as dianteiras do tipo "suicida", com abertura oposta ao usual. Media só 3,6 metros de comprimento e pesava 600 kg. O pequeno motor, já com cabeçote em alumínio, tinha quatro cilindros em linha, refrigeração a água e era posicionado na traseira, como no Volkswagen. Com 760 cm³ de cilindrada, desenvolvia cerca de 19 cv às 4.000 rpm. As válvulas vinham no cabeçote e a alimentação era feita por um carburador em posição invertida da marca Solex, também francesa.
    O câmbio de três marchas não tinha a primeira sincronizada. A velocidade máxima era de 95 km/h, suficiente para um carro urbano naquele tempo. Na frente haviam vários frisos que simulavam uma grade — alguns poderiam pensar que o motor era dianteiro.

    Muitos acharam-no demasiado pequeno e a colocação traseira do motor não agradou muitos aos franceses.

    No entanto, a Renault já tinha vencido a batalha, ao conceber um carro que tinha um espaço interior agradável e performances muito interessantes para o seu tamanho, além de linhas consideradas modernas e um excelente comportamento dinâmico, graças às suspensões independentes.

    Os Franceses, e não só, habituaram-se rapidamente ao 4CV, que acabou por se transformar num fenómeno de vendas, ultrapassando 1,1 milhões de exemplares.

    As expectativas mais optimistas foram ultrapassadas e o 4CV ficou na história da Renault como o carro que colocou a marca no caminho do sucesso pós-Guerra.

    O pequeno 4CV teve, paralelamente, muito sucesso na competição, especialmente nos Ralis, graças ao seu bom desempenho e baixo peso. Até nas mais famosas pistas brilhou e, em 1950, por exemplo, três 4CV monopolizaram os lugares do pódio da sua classe nas 24horas de Le Mans.
     
  3. Concorrência Forte

    O Renault 4CV teve sucesso num período de crise em que nasceram outros carros famosos.

    O objectivo inicial de produzir 300 unidades diárias rapidamente foi alcançado e esse número subiu para 500 em 1949 e, pouco depois para 1000, para responder às encomendas.

    Isto numa época em que, em Inglaterra, o Morris Minor era o primeiro carro a atingir a produção de 1 milhão de unidades, o “Carocha” relançava a alemnhã e, em Itália, o 500 Nuov, sucessor do Topolino, invadia a península e avançava em outros países europeus.

    Mesmo em França, nascia nessa época mais um fenómeno da insdútria automóvel, o Citroën 2CV,. Por tudo isto, o sucesso do Renault 4CV é ainda mais impressionante.
     
  4. 4CV (várias versões);)
     

    Ficheiros Anexados:

  5. Bom tópico!:D

    Que eu saiba a alcunha do Renault 4Cv é Joaninha, nunca ouvi falar da alcunha Barra de Manteiga:D:D:D...
     

  6. A "Barra de Manteiga" é a alcunha francesa.

    E deve-se à sua cor inicial.
     
  7. Ok!;)

    Pensei que te estivesses a referir à alcunha portuguesa:feliz:...
     


  8. No texto já está mais duas alcunhas: joaninha e rabo quente.
     
  9. há uns dias atrás vi um vermelho recém restaurado na Inspecçao
     
  10. exelente tópico, e agora deixo aqui uma pergunda, quero ver se sabem:D
    qual foi o sucessor da 4cv?
     
  11. é mais do que obvio:huh:
     

  12. Foi a Renault 4 e o Renault Dauphine.


    ;);)
     
  13. Desenhos das várias versões
     

    Ficheiros Anexados:

  14. como andas a fazer o trabalhinho de casa já levaste o prestigio ;)
     
  15. Obrigado;);)
     
  16. Várias imagens do Renault 4 CV (várias versões);)
     

    Ficheiros Anexados:

  17. Bom tópico Guilherme.
    Permita-me uma correcção: inicialmente eram equipados com motorizações de 747 cc e posteriormente para 760 cc.
     

    Ficheiros Anexados:

  18. O derivado de olhos em bico :feliz:. Montagem oriental

    HINO RENAULT 4CV


    Principais diferenças: a notória grelha, piscas aplicados nos g-lamas e vários adornos interiores/exteriores.
     

    Ficheiros Anexados:

  19. Os outros derivados » Os "Especiais"



    RENAULT 4 CV BRISSONEUAU & LOTZ
     

    Ficheiros Anexados:

  20. O 4CV BARQUETTE RISPAL :huh:
     

    Ficheiros Anexados:

Código de Verificação:
Rascunho Salvo Rascunho removido

Partilhar Página