Bem-vindo/a ao Portal Classicos

O Portal dos Clássicos é um sítio português dedicado aos veículos clássicos com interesse histórico. Temos como objectivos juntar a comunidade de entusiastas e prestar auxílio a todos os que pretendem adquirir, restaurar, conservar e manter veículos antigos. O que espera para se juntar à família?

Welcome to Portal Classicos, the biggest Portuguese community about historic vehicles! Change language here.

  1. Este site utiliza cookies. Ao continuar você estará de acordo com a nossa utilização de cookies. Saber Mais.
  2. Portalistas, o Portal dos Clássicos está no no Drivetribe, a rede social automotiva do trio May-Clarkson-Hammond! Junte-se à nossa Tribo
    Fechar Aviso

Alfa Romeo Alfa Romeo Spider (Aerodinamica) +50posts

Tópico em 'Diários de Bordo' iniciado por HugoSilva, 23 Jul 2015.

Tópico em 'Diários de Bordo' iniciado por HugoSilva, 23 Jul 2015.

  1. A Origem

    Tirem já o cavalinho da chuva que eu não tenho nenhuma história incrivelmente nostálgica e apaixonante para contar sobre o quão "gosto disto desde os 4 anos", isso é lá para os gaiatos que participam nos programas de talentos da SIC... para vos ser sincero nem me recordo quando percebi pela primeira vez que gostava de carros aparentemente à muito esmagados pela imparável força titânica que é a evolução tecnológica que presenciamos todos os dias mas provavelmente deve ter sido um misto de alguma coisa que vi no grande ecrã (outra predileção minha) com algum avistamento em público de um chaço com uma estética muita "fora da caixa". Enfim, pouco importa.

    forgotten-car-collection-10.jpg

    Com a ajuda dos progenitores que fizeram o favor de juntar uns trocos ao longo dos anos para me entregar quando fizesse os 18 anos e após alguns anos a exercer aquilo que a faculdade me ensinou decidi que era uma excelente altura para estoirar dinheiro numa coisa que faz muito tempo estava lá mas que nunca tinha tido a hipótese de nutrir.

    Ontem

    Detesto também avisar desde já que não tive a sorte (?) de ter carros carismáticos na família mas há um pouco de tudo. Para os amantes da Fiat os meus pais tiveram um humilde 125, salvo erro azul escuro, um problemático Escort da 3ª série que quando não estava a dar problemas andava a planear a melhor maneira de dar chatices e finalmente um AX pelo qual foi paga a obscena quantia de 800 contos e que ainda hoje a minha mãe recorda como "o carro onde tínhamos de puxar o ar" (como se os outros também não precisasse de tal!). Recordo-me que o meu padrinho também chegou a ter uma Dyane.

    Polski_Fiat_125p_1300_in_Kraków.jpg

    Adiante porque na verdade estes carros não patrocinaram em nada o gosto pelos clássicos e hoje o único que não me chocava ter na garagem era mesmo o 125.

    Há 1 ano atrás

    A história do Spider começa com uma pancada severa pelos... Mini (tudo a ver hein?!) que ia vendo no OLX e aos quais achava um piadão. Uma coisa levou à outra e lembrei-me que conhecia alguém dos tempos da faculdade que partilhava do mesmo sentimento pelo que fomos ver um negócio que poderia ser interessante.
    Feliz ou infelizmente, ao chegar ao local (no meio de uma cidade mas ainda assim para lá do sol posto) cedo se percebeu que estávamos a entrar no círculo cinzento do pessoal que faz dinheiro a desmontar carros e a vender às peças. Por razões que nunca cheguei totalmente a perceber, este sujeito em particular tinha um Mini Cooper S em cima do elevador e, segundo ele, estava a pensar restaurar para guardar. Adicionalmente tinha mais dois Mini que estava a vender, uma carroçaria vermelha e uma outra que seria doadora, eram essas que eu ia ver mas tudo me pareceu demasiado estranho e saí de lá de mãos a abanar.

    $_86.JPG

    Após algum tempo a contactar os proprietários de anúncios de Minis que por uma razão ou por outra nunca me conseguiam convencer a avançar com a compra comecei a perder a confiança... decidi subir a fasquia, armei-me em espertinho e fui bater à porta de um aficionado que tem um vasto conhecimento acerca destes "brinquedos". Bem dita a hora!
    Após uma lavagem cerebral de algumas horas regressei a casa com uma certeza, um Mini não seria o meu primeiro carro clássico e as razões pouco importam, mas todo o sumo que extraí desse tete a tete também fez com que voltasse ao inicio e repensasse o que é que eu queria e o que é que significava para mim manter um carro clássico.

    Andei uns dias a bater mal mas não desisti de continuar a mirar o que ia aparecendo "por aí" mas agora com um foco diferente. Com os Mini fora do baralho decidi refletir com que tipo de carro me identificaria mais e fruto da idade ou não decidi que a minha tendência seria sempre para algo mais "desportivo" signifique lá o que isso significar porque não sou de todo o condutor mais habilidoso nem o que mais explora os motores dos carros que já tinha conduzido mas ao final do dia eram sempre os carros com linhas mais agressivas e um ronco mais gutural que me chamava à atenção.

    Com a maior consolidação das ideias ficou claro que os carros "clássicos" que eu mais apreciava pertenciam na sua grande maioria às décadas de 60 e 70 e regra geral tinham dois inconvenientes, ou estavam em mau estado e requeriam restauros dispendiosos ou estavam em bom estado mas os valores saltavam fora do meu orçamento (salvo erro nesta altura andava nos €5000).
    Num último esforço de me manter nas décadas douradas, e já mentalizado que os €5K's não iam chegar para o que eu pretendia, fui mais uma vez ver, e desta vez ser conduzido, num Spitfire da quarta série. Ao valor pedido pelo carro, que já era bastante acima do orçamento original, estava pelo menos e logo ao virar da esquina uma pintura integral e o facto de ser um carro que de desportivo só se fosse a curvar, porque o motor, por mais bem intencionado que fosse, não fazia milagres e falhou em convencer-me e acabou por afogar as minhas expectativas com toda a sua simultaneamente majestosa e barulhenta anemia.

    5306182470_d41479689a_b.jpg

    Ultrapassada a desilusão este carro serviu ao menos para me lembrar que os descapotáveis eram um desejo secreto de há muito tempo e se calhar não era má ideia alargar o meu horizonte a esse tipo de carroçarias e como quem corre por gosto não cansa a pica nunca esmoreceu e continuei na minha até agora inglória busca pelo primeiro clássico!

    O Tal

    Não sei se foi de manhã, se foi de tarde, se tava de férias, se tava no escritório, se tava a tocar uma música inspiradora na rádio, honestamente não sei, sei que abri o site daquele stand que "não é real", espetei uns critérios de pesquisa manhosos e eis que se não quando me salta à vista uma viatura que não me sendo completamente alienígena nunca me tinha passado pela cabeça ser uma opção válida. Tinha uma estética subjetivamente fantástica, aparentemente em bom estado de conservação, numa garagem "logo aqui ao lado" e decidi entrar em contacto com o vendedor, afinal não havia nada a perder, já tinha estado ao lado de um descapotável vermelho que me desiludiu, seria isso o pior que poderia acontecer desta vez.
    Marcámos o dia, marcámos a hora, saí do trabalho com fogo no rabo, peguei no meu irmão e na respetiva namorada (só pro caso de ser preciso andar à porrada hehe) e lá fomos os 3 ver o bólide pela primeira vez.
    Fomos recebidos por um senhor que podia ser meu avô e por sinal estava algo irritado com o nosso atraso mas é quando não convém que eles aconteçam que eles batem à porta e cheguei mais de 20min atrasado, foi preciso engolir em seco, dar 3 pulos e pedir desculpa cerca de muitas vezes - o homem tava capaz de me comer vivo, que vergonha!

    Acontece que o senhor era dono de uma coleção invejável e se estava a desfazer de vários carros para ficar só com os que ele gostava mesmo. Nos armazéns onde guardava "O Tal" estavam também por exemplo um Pagoda, um E-Type (que ele tinha à venda e achava um estúpido, devido ao seu enorme V12 e o qual só saía da garagem porque a mulher o levava com ela às compras), um Mustang cabrio dos anos 60 e lá atrás escondido sob uma capa preta um Porsche mas não consegui identificar o modelo, que pouco interessava dado que segundo o senhor, "já tinha tido quase todos os Porsches". Segundo consta, quem o conhece melhor, sabe que aqueles são só os menos favoritos, os mesmos bons não mora naquele armazém... enfim, adiante!

    jag_etype_red_08_987.jpg

    Apesar de tudo foi muito prestável e deu-me o privilégio de ver o carro por baixo (com um elevador de oficina é outro luxo!) para verificar que não haviam podres. Fomos dar uma voltinha na qual ele não se coibiu, apesar da estrada de terra batida e toda esburacada, de calcar o pé direito até ao chão, e não viesse um jipe em sentido contrário após uma curva até teria sido um test drive bem descansadinho... velhos são os trapos!

    O Bom e o Mau

    Bem... a pintura não estava isenta de riscos e pequenas mazelas... os plásticos não estavam espetaculares... os interiores não eram limpos à anos... os cromados já tinham visto melhores dias... não era de todo a versão mais cobiçada... OK, a verdade é que o carro estava a precisar de mimos porque não era nem de perto nem de longe o menino lá de casa, era um carro que tinha sido entregue como retoma num negócio anterior, para ajudar este senhor tinha vendido à poucos dias um Duetto, ele tinha boas razões para não ser este um dos seus favoritos.
    Por outro lado estava dentro do orçamento, não tinha efetivamente podres nem ferrugens óbvias, estava todo original e não aparentava ter sido restaurado, pneus ainda com muito piso, fiquei com a ideia que seria um carro bastante honesto, não ia ganhar nenhum concurso mas também não me ia deixar ficar mal visto. Espero ter razão!

    O Alfa Romeo Spider de 1985

    Sopro este ano as mal logradas 30 velas e essa é também a data de matrícula original alemã deste carro, um detalhe irrisório mas que para mim tem muito valor, não fosse a década de 70 provavelmente a mais interessante nestas andanças e não me importava de só conduzir carros deste ano, afinal é o meu ano! Felizmente os poucos quilómetros que já fiz com ele foram de total fiabilidade e só os últimos 50 ou 60 é que começaram a revelar uma espécie de "engasgar" no motor, parece que um dos carburadores volta e meia se embrulha, espero que não seja nada de grav€!!..

    IMG_0660_25.jpg
     
    #1 HugoSilva, 23 Jul 2015
    Última edição: 24 Jul 2015
  2. Agora que está aberto o DB, é só preciso continuar descrever os passeios com o Alfa Romeo, sem esquecer as fotos... B)
     
    Nelson C. Santos e HugoSilva gostaram disto.
  3. Parabéns pela bela maquina ;) Adoro os Spider e há quem não goste mas eu até simpatizo com os Rubertail.
    No verão passado ainda estive em negócio com um serie 4 de 1992.
    Da 2ª vez que o fui ver levei a minha mulher a qual olhou para ele e perguntou logo se a nossa filha ia na mala! Lá tive de desistir no negócio :(

    Bons passeios:)
     
    HugoSilva gostou disto.
  4. Curiosamente é um carro ingrato para "diários" de bordo por ser um carro tipicamente para o bom tempo, de qualquer das formas vou tentar encher o peito e mesmo em dias frios de outono/inverno, assim que uma tarde de sol espreitar, pegar nele e fazer-me à estrada para ir postando aqui qualquer coisa de quando em vez.

    É, acho que o facto de ninguém gostar deles é que me fez começar a gostar mais, isso ou o facto de ser a única série que caía dentro do orçamento hehh

    Até tive alguma sorte, o preço foi ajustado e é um "S3a", dos primeiros S3, onde o painel de instrumentos ainda é partido em dois, é de duplo carburador e não de injeção SPICA/Bosch e é a motorização mais interessante de 2000cc.

    Até agora estou muito satisfeito, zero problemas e é um íman de atenção, toda a gente acha piada ao carro e este design é a maneira perfeita de "enganar" o olho, parece bem mais antigo do que é. A matrícula é que denuncia que ainda é um jovem nos seus 30's mas isso infelizmente acho que vai ficar assim porque não me vejo a dar os €250 ou €300 que pedem para ter a matrícula à antiga.

    Estes últimos dias esteve no "cabeleireiro", foi todo polido, ficou engraçado mas ao mesmo tempo também revelou a bela bosta que foi a última pintura, zonas em casca de laranja, picos de humidade junto ao friso do pára-brisas e riscos superficiais com fartura mas pronto, para o olhar menos entendido tá impecável e espero que o consiga manter assim muitos anos. Mesmo assim ontem levou dois espelhos novos e os aros dos faróis, tava tudo picado da humidade, ficou com outro aspeto, acho que fez sentido visto que vai a um evento relevante! Será o carro dos noivos, vou tirar algumas fotos para atualizar o diário ;)
     
    #4 HugoSilva, 25 Jul 2015
    Última edição: 31 Jul 2015
  5. Só hoje tive tempo para ler este DB.
    Parabéns pela compra e, tal como já foi aqui dito: Venham fotos das saídas com o Italiano!
    ;)

    Podem ser já as do "casório"!
    :D:
     
    HugoSilva gostou disto.
  6. Se fosse só dar €300,00 era bem bom!
     
  7. Sim, esqueci-me das taxas, taxinhas e demais impostos devido à reativação de uma matrícula cancelada o que provoca a aplicação dos mesmos parâmetros tal e qual fosse um carro moderno... <_<

    O mais curioso é que me informei junto de duas das entidades autorizadas pelo IMTT a emitir matrículas, as quais me informaram que o que conta para a legalidade (ou falta dela) na utilização de matrículas ao estilo antigo é o ano da primeira matrícula na origem. Passo a citar:
    Uma delas já não fabrica esse tipo a outra ficou a aguardar envio da fotocópia do livrete para comprovar que a data é válida e assim ficámos.

    Cheira-me que com um bocadinho de sorte andamos enganados (pelo meus eu!) e será perfeitamente legal utilizar o estilo antigo desde que o carro tenha tido a sua 1ª matrícula dentro do intervalo válido, independentemente de ter sido importado mais tarde ou não...
     
  8. Era bom!
    Aqui está a lei:
    http://www.apdec.pt/Docs/2006/DL_106_2006.pdf

    Quanto à alteração para matrícula de época, este tópico diz quase tudo:
    http://portalclassicos.com/foruns/index.php?threads/alteração-de-matrícula.24923/
     
    #8 Hugo Viana da Silva, 11 Ago 2015
    Última edição: 11 Ago 2015
  9. Hugo,

    Parabéns pela compra e pela partilha, 1ºpost do DB, muito bom, agora é apimentar com Km e fotos:thumbs up:.

    abraço,
     
  10. Excelente descrição para abrir o diário de bordo!

    Aguardo futuras notícias :)
     
  11. Muito, muito tempo depois.... ainda não tenho as fotos do casamento e sim, têm andado mas confesso que ainda não apanhei o hábito de fotografar e sem fotos o diário não tem piada...

    ... para já renovo a intenção de postar as fotos do casamento :thumbs up:
     
  12. Mas... onde podemos ver as fotos?
    :lol:
     
    HugoSilva gostou disto.
  13. Fogo a sério! Estou-me a desleixar! Já nem faço previsões, vou passar às ações! Grrrr.....
     
    Nelson C. Santos gostou disto.
  14. Só agora tive hipótese de ler este DB e... em boa hora o fiz.
    Descrição inicial do melhor que por aqui anda e... a faltar o seguimento!

    Já agora de referir que se um dia fosse comprador de um Alfa Spider esta versão seria uma forte hipótese, pois tecnicamente é igual a todos os mais antigos, é um 2000... com o painel de instrumentos mais antigo e por ser o "mal amado" aparecem em preços diferentes dos outros!

    Agora querem-se fotos... muitas fotos!
     
  15. @Carlos Vaz acabei de pedir as fotos mais recentes que posso incluir aqui, não fui eu que as tirei, pelo que agora a bola está do lado de lá, espero que não se demorem a enviar senão começo a sentir-me um gajo sem palavra!

    Ainda assim, as minhas desculpas a todos os que já perderam 5min para ler este curto DB. Daqui para a frente vou ganhar o hábito de fotografar a porra do carro quando sair com ele, confesso, é coisa que não costumo fazer.
     
    Paulo Jorge Coutinho gostou disto.
  16. Ficamos a aguardar... pelas fotos das saídas com o Italiano...
    B)
     
  17. O Casamento da Mónica e do Valter

    Sobre o casamento não há muito a dizer, mais duas almas que ficam oficial e legalmente unidas até que a morte os separe (antes uma tentação alheia que a morte porra!) e estes dois maganos são de resto a minha idealização de como deve ser um casal. Conheceram-se à muitos anos, onze salvo erro, e ainda assim parece que estão na primeira semana de namoro, sempre apaixonadíssimos, algo que só se alcança quando existe muita química sem corantes nem aditivos, apenas o que é essencial.
    Este casamento, apesar do ato em si não me dizer grande coisa, fez todo o sentido. Fiquei feliz por eles!

    eigth.png
    © Marco Silva
    O dia começou cedo, como se quer num casamento claro está, mas não para mim, o bambino já passou a noite entre as instalações domiciliárias do noivo e da noiva pois era preciso aperaltá-lo com antecedência, afinal foi ele que acabou por transportar a noiva até à igreja onde o noivo, furando todas as tradições e levando a sua iminente mulher a um ataque de nervos, aguardava cá fora.. apanhando o pouco fresco que ia fazendo... correndo o risco de avistar a chegada da noiva antes do altar!! Os homens não foram feitos para estas tretas,é a minha convicção.

    ninth.pngtenth.pngtwelvth.png
    Na foto acima julgo não ser percetível, mas o primeiro e único percalço aconteceu algures entre o momento em que abandonou a segurança da sua residência habitual, a minha garagem, e sofreu a personalização amaricada que aqui vemos, a moldura do fole do manípulo das mudanças fez o favor de morrer 'prá vida e desencaixou, ainda tentei em vão restabelecê-la à posição normal mas sem sucesso, andou mesmo todo o dia naquelas condições mais de "carro velho" do que de "carro clássico...

    eleventh.png
    Não há fotos do momento mas na noite anterior foram montados cromados novos para os faróis, os que se faziam transportar desde que o comprei estavam picados e a mostrar o desgaste dos anos, não sei se ainda são os montados na fábrica em 1985 mas é provável que sim, desconheço se são restauráveis mas como a ocasião requeria alguma pompa e circunstância acabei por abrir os cordões à bolsa e comprei estes aros, o fole das mudanças que não arrisquei montar (ainda aguarda o dia...) e os espelhos que também já estavam a revelar cansaço no acabamento.

    Já na quinta onde se efetuaram as mais diversas ingestões de comida e bebidas daquelas "que nos põem ainda mais bem dispostos" foi a altura onde mais fotos se tiraram. Reza a lenda que após os noivos estarem entregues ao fotógrafo papão o menino foi alvo de atenção por parte do pessoal da minha geração, curiosamente parece ser a altura em que a idade, 20's e muitos 30's e poucos, a nostalgia aliada ao gosto por automóveis e alguma disponibilidade financeira nos vira as atenções para estes brinquedos.

    A partir daqui foi sempre a abrir e o tempo passou a correr, não tenho feitio para grande show off e confesso que o abandonei debaixo de um pinheiro até ao final da tarde altura onde se tiraram as últimas fotos e onde se começou a desenhar no horizonte o final de um dia especial, não só para os noivos.

    Antes que a luz natural nos abandonasse a bambina ainda tirou uma foto para a posteridade...

    ... e acho que é isto!

    A coisa não foi de todo planeada, apesar de ter sido o dia onde este carro foi mais fotografado a verdade é que não antevi o potencial da ocasião, especialmente considerando que ia ser o carro da noiva, caso contrário poderia ter feito uma reportagem de ponta-a-ponta documentando o momento desde que o tirei da garagem na véspera até ao momento em que voltou para descansar, fica para a próxima!

    Um grande obrigado ao Marco Silva que foi a pessoa que mais paciência teve para as fotos, a maior parte que aqui vêm foi cedida por ele =)
     
    #18 HugoSilva, 28 Out 2015
    Última edição: 29 Out 2015
  18. Assim está bem... ;)
     
    HugoSilva gostou disto.
  19. Preparação para o São Martinho

    Dias 7 e 8 de Novembro foram dias de passeio.
    Dias de limpar as humidades.
    Dias de queimar borracha.
    Dias de conduzir "à estúpido".
    Mais que tudo foram dias de voltar a ouvir o gutural ronco de um bialbero 2000cc que mesmo stock dispensa o rádio a 100% (a frente está guardada no porta-luvas desde os primeiros dias).

    IMG_0951.JPG
    Dias destes têm sido raros, dia 7, sábado, não estive para estar à espera que a miuda acordasse e fui fazer o que tem de ser feito porque o que tem de ser feito tem muita força, especialmente quando as doses de satisfação em nós injetadas são enomes.
    O "aranha" estava armado em rainha de garagem há várias semanas e tinha de aproveitar o sol com que fomos presenteados. Já estava a ficar farto dos fins-de-semana chuvosos...

    Mesmo com uma paragem tão longa dar à chave não foi especialmente doloroso, não foi à primeira, não foi à segunda, mas após algumas tentativas a música começou, o bixo começou a bocejar, afinal ainda era cedo e tal, mas sem vacilar... quase. Tal como já tinha acontecido antes o relantim estava vai-não-vai, muito anémico, parecia quase que estava ligado ao suporte de vida, muito enervante confesso. Perdoe-me a falta de dicionário mecânico mas não sei como se chama o bracito que "excita" os carburadores quando pressionarmos o pedal da direita, mas o parafuso que lá se encontra, pelos vistos, aumenta/diminui a rotação que o motor faz quando está ao relantim e foi aí que mexi. Enrosquei e desenrosquei e lá ficou bem melhor... ou não. Assim que arranquei com ele, rumo à bomba da gasolina mais próxima, senti algo diferente na condução, especialmente nas relações mais baixas, quando o pé descola do pedal da embraiagem ela pega cedo demais? Algo assim, e ao relantim se der um cheirinho de acelerador o ponteiro das rotações demora mais tempo a regressar ao equilibrio, entre as 5000 e as 10.000 rpms. Será retificado da próxima vez porque entretanto o bloco estava em brasa e não consegui voltar a meter a mão no parafuso.

    Conduzir à estúpido

    Não percebo nada de spirited driving, não costumo arriscar e confesso que não tenho muita confiança neste carro pois há uns meses pregou-me um valente susto onde numa simples ultrapassagem com o asfalto mais polido o cab*ão tentou reencenar a mítica cena do Saturday Night Fever...

    tumblr_nhid1bozJu1rtmwk6o1_500.gif
    Dançou e dançou! Foram os 20 metros mais assustadores da minha vida automobilística pois a falta de experiência levou-me a contrariar o movimento da traseira do carro vezes sem conta nem sentido o que basicamente perpetuou o descontrolo. Eventualmente o carro endireitou-se sozinho e lá saí da situação a fingir que até sabia o que estava a fazer. Imagino os comentários do gajo ultrapassado... e do que vinha de frente...

    IMG_0953.JPG

    Passei pela bomba de gasolina mais próxima para retificar a pressão nos pneus que estava assustadoramente baixa (uma ou duas rodas abaixo dos 1.6!). Esgueiraram-se 1.9 bar na frente e 2.0 atrás, foi o que consegui descobrir em fóruns Alfisti em relação a pressões aconselhadas tendo sempre em mente que a frente deve ter ligeiramente menos pressão para evitar brincadeiras não solicitadas na retaguarda.

    Os carburadores precisam de umas gasadas para se manterem minimamente afinadinhos e fiz-me à estrada, fui meter gasolina a uma bomba a 15km de distância para forçar a deslocação e claro, para conduzir mais tempo nas estradas secundárias que apesar de tudo têm demasiadas rectas hehe
    O resultado da nova pressão nos pneus foi menos esforço para manobrar o carro a baixas velocidades e curvas muito mais confiantes, não me fugiu uma única vez, esteve sempre mais concentrado em manter-se colado ao chão do que em me pregar cagaços e eu agradeci. Muito!​

    IMG_0954.JPG

    O resto do fim-de-semana foi mais para passear e fazer quilómetros que outra coisa. Domingo voltou à caverna a desejar que para a semana esteja igual ou melhor, preciso urgentemente de ir até à beira mar desafogar a vista e os pulmões, que de resto, tirando as b-roads, é onde este carro melhor se enquadra. Alcochete? Moita? Barreiro? Sesimbra? Setúbal? Veremos, pode ser que o São Martinho ajude...​
     
Código de Verificação:
Rascunho Salvo Rascunho removido

Partilhar Página